Contabilidade Geral   José Jayme Moraes Junior (2013)
749 pág.

Contabilidade Geral José Jayme Moraes Junior (2013)


DisciplinaConcursos125.853 materiais245.595 seguidores
Pré-visualização50 páginas
de R$ 20,00 (saldo credor).
e) na Demonstração de Resultados, receita financeira de R$ 15,00 e no Patrimônio Líquido, ajuste de avaliação
patrimonial de R$ 5,00 (saldo credor).
I \u2013 De acordo com a questão, em 30/11/X8, houve a aquisição de um ativo financeiro, no
valor de R$ 1.000,00, que foi classificado como \u201cdisponível para venda\u201d, no ativo circulante.
Saldo Inicial do Ativo Financeiro Disponível para Venda = 1.000
Portanto, nesse caso, o ativo financeiro deverá ser avaliado a valor justo e a contrapartida
do ajuste a valor justo será a conta \u201cAjustes de Avaliação Patrimonial\u201d, no Patrimônio
Líquido.
II \u2013 Além disso, há a informação de que o título remunera à taxa de 2% ao mês (receita
financeira). Portanto, em 30/12/X8, um mês após a aquisição do ativo, teremos:
Receita Financeira = 2% x 1.000 = 20
Lançamento:
Débito: Ativo Financeiro Disponível para Venda (Ativo Circulante) 20
Crédito: Receita Financeira (Receita) 20
Portanto, o saldo do ativo financeiro, considerando a receita financeira, será:
Saldo do Ativo Financeiro = 1.000 + 20 = 1.020
III \u2013 Finalmente, o valor de mercado (valor justo) desse título 30 dias após a sua aquisição
(em 30/12/X8) é de R$ 1.015,00. Portanto, o ajuste a valor justo será:
Cálculo da Diferença = Saldo do Ativo Financeiro \u2013 Valor de Mercado
Cálculo da Diferença = 1.020 \u2013 1.015 = 5
Lançamento:
Débito: Ajuste de Avaliação Patrimonial (Patrimônio Líquido) 5
Crédito: Ativo Financeiro Disponível para Venda (Ativo Circulante) 5
Portanto, a empresa registrará, na Demonstração de Resultados, receita financeira de R$
20,00 e no Patrimônio Líquido, ajuste de avaliação patrimonial de R$ 5,00 (saldo devedor).
O ajuste ao valor justo deve ser feito tanto se o valor justo for maior que o valor contábil
do ativo financeiro, quanto se o valor justo for menor que o valor contábil do ativo
financeiro.
A alternativa \u201cc\u201d é a correta.
4.1.2.1.1.2. Provisão para Ajuste ao Valor de Mercado \u2013 Demais Instrumentos
Financeiros, Direitos e Títulos de Crédito
De acordo com o inciso I do art. 183 da Lei no 6.404/1976, as aplicações em instrumentos
financeiros, inclusive derivativos, e em direitos e títulos de créditos, classificados no ativo
circulante ou no realizável a longo prazo, serão avaliadas:
a) ...
b) pelo valor de custo de aquisição ou valor de emissão, atualizado conforme disposições
legais ou contratuais, ajustado ao valor provável de realização, quando este for inferior,
no caso das demais aplicações e os direitos e títulos de crédito.
Portanto, no caso das demais aplicações, direitos e títulos de crédito, poderá haver uma
provisão para ajuste ao valor de mercado.
Exemplo: Suponha que, em 30/06/2010, a empresa J4M2 possuía um título a receber no
valor de R$ 1.950,00, com vencimento em 15/07/2010, que sofria ajustes de acordo com
IGP-M (Índice Geral de Preço do Mercado). Suponha ainda que o IGP-M de junho foi de
-1% (houve uma deflação de 1%). Calcule a provisão para ajuste ao valor de mercado e faça
os lançamentos necessários.
A conta existente era:
Títulos a Receber = R$ 1.950,00
Se o título a receber é ajustado pelo IGP-M e houve deflação de 1%, o valor a receber em
15/07/2010 será de:
Valor a receber = 1.950 \u2013 1% x 1.950 = 1.950 \u2013 19,50 = R$ 1.930,50.
Portanto, em 30/06/2010, faremos o seguinte lançamento:
Despesas com Provisão (Despesa)
a Provisão para Ajuste ao Valor de Mercado (Ativo Circulante \u2013 Retif.) 19,50
Por ocasião do pagamento do título pelo cliente:
Diversos
a Títulos a Receber (Ativo Circulante)
Bancos (Ativo Circulante) 1.930,50
Provisão para Ajuste ao Valor de Mercado (AC \u2013 Retif.) 19,50 1.950
4.1.2.1.1.3. Provisão para Ajuste ao Valor de Mercado \u2013 Estoques
De acordo com o inciso II do art. 183 da Lei das S.A., os direitos que tiverem por objeto
mercadorias e produtos do comércio da companhia, assim como matérias-primas, produtos
em fabricação e bens em almoxarifado, serão avaliados pelo custo de aquisição ou
produção, deduzido de provisão para ajustá-lo ao valor de mercado, quando este for
inferior.
Ou seja, caso o valor de aquisição seja menor que o valor de mercado, nenhuma provisão
deverá ser feita. Caso contrário, ou seja, se o valor de aquisição for maior que o valor de
mercado, deverá ser feita uma Provisão p/ Ajuste ao Valor de Mercado, que será
retificadora da conta de Estoques.
Exemplo: A Cia. J4M2 Ltda. adquiriu, em 31/01/2009, mercadorias no valor de R$
200.000,00. Suponha que, por ocasião do encerramento do exercício social da Cia. J4M2
Ltda., em 31/12/2009, o valor de mercado das mercadorias era de R$ 170.000,00.
Desconsidere a incidência de tributos na operação de compra. Efetue os lançamentos
necessários.
Na aquisição do investimento:
Mercadorias (Ativo Circulante)
a Bancos (Ativo Circulante) 200.000
Em 31/12/2009:
A provisão deverá ser constituída no valor da diferença entre o custo de aquisição e o
valor de mercado.
Provisão para Ajustes ao Valor de Mercado = 200.000 \u2013 170.000 = 30.000
Despesas com Provisões (Despesas)
a Prov. para Ajuste a Valor de Mercado (Ativo Circulante \u2013 Retif.) 30.000
4.1.2.2. Provisão para Estimativa de Perdas em Créditos de Liquidação Duvidosa
(PECLD) ou Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (PCLD) ou Provisão para
Perdas com Créditos Incobráveis ou Provisão para Devedores Duvidosos (PDD)
Corresponde ao valor provisionado ao final de cada exercício social para cobrir, no
exercício seguinte, perdas decorrentes de não recebimento de direitos da empresa (Ex:
Duplicatas a Receber, Clientes).
O valor da provisão é obtido a partir da aplicação de um percentual (baseado em estudos
realizados tendo por base as perdas ocorridas nos últimos exercícios) sobre os valores dos
direitos existentes na época do Balanço Patrimonial.
A constituição de provisão para estimativa de perdas em crédito de liquidação duvidosa
(PECLD) faz com que as contas a receber sejam avaliadas de acordo com o critério do valor
provável de realização, tendo em vista que a PECLD é constituída justamente baseando-se
em estimativas de possíveis não pagamentos de clientes.
Esta provisão é uma conta retificadora das contas \u201cClientes\u201d ou \u201cDuplicatas a Receber\u201d.
Lançamentos:
Constituição da Provisão:
Débito: Despesa com Provisões (Despesa)
Crédito: Provisão para Estimativa de Perdas em Créditos de Liquidação Duvidosa (Ativo
Circulante \u2013 Retificadora)
A \u201cProvisão para Créditos de Liquidação Duvidosa\u201d, constituída no ano anterior, pode
ter duas destinações:
Perda Consumada:
Débito: Provisão para Estimativa de Perdas em Créditos de Liquidação Duvidosa (Ativo
Circulante \u2013 Retificadora)
Crédito: Duplicatas a Receber (Ativo Circulante)
Reversão da Provisão:
Débito: Provisão para Estimativa de Perdas em Créditos de Liquidação Duvidosa (Ativo
Circulante \u2013 Retificadora)
Crédito: Reversão de Provisão (Receita)
Método da Complementação x Sistemática da Reversão
Método da Complementação: Não é feita a reversão do saldo não utilizado da provisão
constituída no ano anterior, ou seja, ao se constituir a provisão para o ano atual, considera-
se o saldo da provisão não utilizado e é feito apenas o lançamento da diferença entre a
provisão a ser constituída no ano atual e o saldo não utilizado da provisão constituída no
ano anterior.
Exemplo: A empresa Kaprisma Ltda., no encerramento do exercício social de 2011,
apurou o saldo de Duplicatas a Receber no valor de R$ 50.000,00, constituindo uma
Provisão p/ Créditos de Liquidação Duvidosa a uma taxa de 3%. Ao longo do exercício de
2012, foram consideradas incobráveis Duplicatas a Receber no valor de R$ 1.000,00. Ao final
de 2012, o saldo de Duplicatas a Receber era de R$ 100.000,00 e a taxa para cálculo da
Provisão p/ Créditos de Liquidação Duvidosa era de 3%. Efetue os lançamentos devidos.
I - Constituição da Provisão p/