Contabilidade Geral   José Jayme Moraes Junior (2013)
749 pág.

Contabilidade Geral José Jayme Moraes Junior (2013)


DisciplinaConcursos126.965 materiais260.386 seguidores
Pré-visualização50 páginas
necessidade existir, as demonstrações contábeis têm que ser preparadas numa base diferente e,
nesse caso, tal base deverá ser divulgada.
A afirmação acima tem por base o Princípio da:
a) Continuidade.
b) Oportunidade.
c) Prudência.
d) Relevância.
E aí? Alguma dúvida? A alternativa \u201ca\u201d é a correta.
1.1.4.3. Características Qualitativas da Informação Contábil-Financeira Útil
As características qualitativas da informação contábil-financeira útil têm o objetivo de
identificar os tipos de informações que serão mais úteis aos usuários primários no processo
de tomada de decisão.
O que torna uma informação contábil-financeira útil? Para ser útil, a informação
contábil-financeira deve ser RELEVANTE e REPRESENTAR COM FIDEDIGNIDADE o
fato que se propõe a representar.
Portanto, temos duas palavras importantes para a utilidade da informação contábil-
financeira: RELEVÂNCIA e FIDEDIGNIDADE (ou REPRESENTAÇÃO FIDEDIGNA).
Além disso, a informação contábil-financeira pode ser melhorada se for comparável,
verificável, tempestiva e compreensível.
Características Qualitativas Fundamentais: relevância e representação fidedigna.
Características Qualitativas de Melhoria: comparabilidade, verificabilidade,
tempestividade e compreensibilidade.
1.1.4.3.1. Características Qualitativas Fundamentais
1.1.4.3.1.1. Relevância
A informação contábil-financeira é considerada relevante quando ela é capaz de fazer a
diferença nas decisões a serem tomadas pelos usuários, ou seja, a informação deve ter valor
preditivo, valor confirmatório ou ambos.
Relevância: tem a capacidade para fazer a diferença nas decisões que possam ser
tomadas pelos usuários.
Valor Preditivo: a informação contábil-financeira pode ser utilizada como insumo (dado
de entrada) em processos empregados pelos usuários para predizer ou estimar futuros
resultados da entidade, ou seja, a informação contábil-financeira não precisa ser uma
predição ou uma projeção para ter valor preditivo, mas ela deve servir de base para a
predição ou projeção.
Valor Confirmatório: a informação contábil-financeira terá valor confirmatório quando
retroalimentar (servir de feedback) avaliações prévias, confirmando ou alterando essas
avaliações.
Há que se ressaltar que o valor preditivo e o valor confirmatório da informação contábil
se relacionam entre si e, muitas vezes, uma informação com valor preditivo também possui
valor confirmatório.
Exemplo: A empresa J4M2 informou, em sua Demonstração do Resultado do Exercício
(DRE), que sua receita bruta de vendas de 2011 foi de R$ 10.000.000,00. Essa receita pode
ser utilizada para estimar (predizer) a receita de anos futuros (valor preditivo) e também
pode ser comparada com a estimativa de receita feita nos anteriores para o ano de 2010
(valor confirmatório).
Já caiu em prova!
(Contador Júnior-Transpetro-2012-Cesgranrio) Uma das características qualitativas da informação contábil
financeira útil é a relevância. Nos termos da Resolução CFC no 1.374/2011, que dá nova redação à NBC TG
Estrutura Conceitual, relevância é entendida como a característica qualitativa da informação contábil que:
a) tem capacidade para fazer a diferença nas decisões que possam ser tomadas pelos usuários.
b) pode influenciar a decisão do usuário sobre a entidade, em caso de omissão ou divulgação distorcida.
c) oferece a possibilidade de o relatório contábil financeiro representar os fenômenos econômicos em palavra e
números.
d) retrata a realidade econômica completa, incluindo a informação necessária para o usuário compreender o que
está relatado.
e) permite que os usuários possam tomar decisões por identificarem e compreenderem similaridades e diferenças
entre vários itens.
E aí? Alguma dúvida depois do que foi estudado? Vamos rever:
A relevância é entendida como a característica qualitativa da informação contábil que tem
capacidade para fazer a diferença nas decisões que possam ser tomadas pelos usuários. A
alternativa \u201ca\u201d é a correta.
1.1.4.3.1.1.1. Materialidade
Uma informação contábil-financeira é material se a sua omissão ou a sua divulgação de
forma distorcida (misstating) puder causar influência nas decisões dos usuários da
informação.
De acordo com a norma, a materialidade é um aspecto de relevância específico da
entidade, que se baseia na natureza ou na magnitude, ou em ambos, dos itens para os quais
a informação está relacionada no contexto do relatório contábil-financeiro.
1.1.4.3.1.2. Representação Fidedigna
Para que uma informação contábil-financeira possa ser útil, ela deve representar o
fenômeno relevante de forma fidedigna, por meio de três atributos: a informação deve ser
completa, neutra e livre de erro. A perfeição é difícil, mas o objetivo da representação
fidedigna é maximizar os seus atributos.
Atributos da Representação Fidedigna: a informação deve ser completa, neutra e livre de
erro.
Exemplos:
1 \u2013 Uma representação completa de um grupo de ativos deve considerar, no mínimo, a
descrição da natureza dos ativos que compõem o grupo, os valores dos ativos e o método
de mensuração utilizado (por exemplo, custo histórico).
2 \u2013 Uma informação contábil-financeira é neutra quando não é distorcida com viés que
possa dar maior ou menor ênfase, ou quaisquer outros tipos de manipulações que
aumentem a probabilidade de a informação ser recebida pelos usuários de modo
favorável ou desvaforável.
Uma informação neutra não representa informação sem propósito ou sem influência na
tomada de decisão dos usuários.
Além disso, uma representação fidedigna não significa exatidão em todos os aspectos,
como por exemplo, no caso de uma estimativa de valor.
A representação fidedigna de um evento ocorrido na entidade também não significa que
terá utilidade para o usuário (informação útil).
Exemplos:
1 \u2013 A empresa J4M2 informa, em seu Balanço Patrimonial e em notas explicativas, que
recebeu um terreno por meio de doação do governo do estado onde se localiza a sede da
empresa. A informação de que a empresa \u201cadquiriu\u201d o ativo imobilizado (terreno) sem
custo é uma representação fidedigna da realidade, mas pode não ter utilidade para os
investidores em potencial da empresa.
2 \u2013 A empresa J4M2 fez o teste de recuperabilidade (impairment test) de um ativo
imobilizado e registrou uma perda por desvalorização (impairment loss) no valor do
referido ativo. O cálculo da perda por desvalorização por estimativa pode ser uma
representação fidedigna, mas, se o nível de incerteza da estimativa for muito alto, essa
informação poderá não ser útil ao usuário e, com isso, a relevância da informação que
está sendo apresentada será questionável. Por outro lado, se não existir outra alternativa
que retrate o teste de recuperabilidade de forma mais fidedigna, a estimativa, ainda que
com alto nível de incerteza, será considerada a melhor informação disponível.
1.1.4.3.1.3. Aplicação das Características Qualitativas Fundamentais
Para que uma informação seja útil ela deve ser, concomitantemente, relevante e
representar com fidedignidade a realidade reportada.
1 \u2013 A representação fidedigna de fenômeno irrelevante não é útil.
2 \u2013 A representação não fidedigna de fenômeno relevante não é útil.
3 \u2013 A representação fidedigna de fenômeno relevante é útil.
O processo mais eficiente e mais efetivo para aplicação das características qualitativas
fundamentais, desconsiderando as características de melhoria e a restrição do custo, seria:
1 \u2013 Identificar o fenômeno econômico que tenha o potencial de ser útil para os usuários
da informação contábil-financeira reportada pela entidade.
2 \u2013 Identificar o tipo de informação sobre o fenômeno que seria mais relevante se
estivesse disponível e que poderia ser representado com fidedignidade.
3 \u2013 Determinar se a informação está disponível e pode ser representada com
fidedignidade.
1.1.4.3.2. Características Qualitativas de Melhoria
As características qualitativas de