DICIONÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA ASSISTÊNCIA SOCIAL
133 pág.

DICIONÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA ASSISTÊNCIA SOCIAL


DisciplinaServiço Social24.991 materiais95.367 seguidores
Pré-visualização19 páginas
Visita Institucional É a atividade desenvolvida pelos profissionais 
do SUAS no espaço daquelas instituições que estabelecem ou 
que podem vir a estabelecer uma relação de complementaridade 
com a Política Municipal de Assistência Social.
Vulnerabilidade Social Apresenta-se como uma baixa capacidade 
material, simbólica e comportamental, de famílias e pessoas, 
para enfrentar e superar os desafios com os quais se defrontam, 
o que dificulta o acesso à estrutura de oportunidades sociais, 
econômicas e culturais que provêm do Estado, do mercado e 
da Sociedade. 
Refere-se a uma diversidade de \u201csituações de risco\u201d determinadas 
por fatores de ordem física, pelo ciclo de vida, pela etnia, por 
opção pessoal etc., que favorecem a exclusão e/ou que inabilita 
e invalida, de maneira imediata ou no futuro, os grupos afetados 
(indivíduos, famílias), na satisfação de seu bem-estar \u2013 tanto de 
subsistência quanto de qualidade de vida. 
A pobreza, por exemplo, é uma vulnerabilidade efetiva, mas a 
condição de vulnerabilidade, embora a inclua, não se esgota 
na pobreza. 
112
São consideradas em condições de risco ou vulnerabilidade 
social pessoas e famílias nas seguintes condições:
\u2022 Redução da capacidade pessoal / Desvantagem
\u2022 Ciclo de vida (Criança 0 a 6 e 7 a 11; Adolescente 12 a 17; 
Idoso);
\u2022 Deficiência (auditiva, física, mental, visual e múltiplas);
\u2022 Perda ou fragilidade de vínculos de afetividade /relacionais; de 
pertencimento e sociabilidade;
\u2022 Discriminação por: etnia, gênero, orientação sexual / opção 
pessoal, faixa etária;
\u2022 Abandono;
\u2022 Exploração no trabalho;
\u2022 Exploração sexual;
\u2022 Violência doméstica (física e/ou psicológica): abuso sexual, 
maus tratos, negligência;
\u2022 Violência social: apartação social, inacessibilidade; 
\u2022 Uso de estratégias e alternativas diferenciadas de sobrevivência 
que podem representar risco pessoal e social \u2013 famílias e pessoas 
em situação de rua / sem domicílio fixo / população de rua;
\u2022 Conflito com a lei (no caso dos adolescentes);
\u2022 Viver nas ruas \u2013 criança e adolescente com trajetória de rua;
\u2022 Perda total ou parcial dos bens \u2013 vítima de sinistros 
(desabamento / enchente/ incêndio);
\u2022 Exclusão pela pobreza: problemas de subsistência, situação 
de mendicância, ausência de acessibilidade às demais políticas 
sociais;
\u2022 Inserção precária ou não inserção no mercado de trabalho 
formal e informal;
\u2022 Dentre outras.
113
referências
ANDER-EGG, Ezequiel; AGUILAR, Maria José. Avaliação de 
serviços e programas sociais. Petrópolis: Vozes, 1994. 199 p. ISBN 
8532612199
AZEVEDO, Sérgio. Governança, associativismo e participação: notas 
para discussão. Belo Horizonte: [s.n.], 2003. p. 1-13. Mimeografado.
BABBIE, Earl R. Métodos de pesquisa de Survey. Belo Horizonte: Ed. 
da UFMG, 1999. 519 p. (Aprender) ISBN 8570411758
BARREIRA, Maria Cecília Roxo Nobre. Avaliação de programas 
sociais: debatendo a avaliação particular. 1999. Tese (Doutorado 
em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. [São 
Paulo], [1999].
BAX, M. P. et al. Sistema automático de disseminação seletiva. In: IFLA 
PRE CONFERENCE M&M, 2004, São Paulo. Disponível em: <http://
www.fernando.parreiras.nom.br/plubicacoes/dsi_ifla.pdf> Acesso em: 
9 dez. 2005.
114
BELO HORIZONTE. Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do 
Adolescente. Resolução 26 de 16 de setembro de 1996. Diretrizes 
para o estabelecimento de políticas dirigidas ao grupo familiar. 
Disponível em: < http://www.cmbh.mg.gov.br/images/stories/divcon/
direitos_humanos/Resolucao%20CMDCA%2026-1996.doc>. Acesso 
em: 25 abr. 2007.
BELO HORIZONTE. Fundação Municipal de Cultura. Arquivo Público 
da Cidade. Organização dos arquivos correntes: noções básicas. 
Belo Horizonte, [FMC], 2002. 50 p.
BELO HORIZONTE. Lei 7.427 de 19 de dezembro de 
1997. Dispõe sobre a celebração de parcerias entre o poder 
público e entidades da sociedade civil sem fins lucrativos, para 
a promoção de ações no âmbito da política de assistência 
social. Disponível em: <http://bhz5.pbh.gov.br/legislacao.nsf/
084f0be24ac238960325679b0052ab43?CreateDocument> Acesso 
em: 20 mai. 2005.
BELO HORIZONTE. Lei 9.078 de 19 de janeiro de 2005. Estabelece a 
Política da Pessoa com Deficiência para o município de Belo Horizonte e dá 
outras providências. Disponível em: <http://bhz5.pbh.gov.br/legislacao.
nsf/084f0be24ac238960325679b0052ab43?CreateDocument>. 
Acesso em: 20 mai. 2005.
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Caderno trabalho infanto-
juvenil em Belo Horizonte: realidade e desafios. Belo Horizonte: [s. 
n.], 2005.
115
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Manual de Comunicação 
Oficial da Prefeitura de Belo Horizonte. Belo Horizonte: [ASCOM], 
2003. 105 p.
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal 
Adjunta de Assistência Social. Instrução Normativa SMAS 001/2002. 
Estabelece as diretrizes e os procedimentos necessários à estruturação 
e operacionalização das ações do Núcleo de Apoio à Família \u2013 NAF. 
Diário Oficial do Município. Belo Horizonte, 12 jun. 2002. Ano 8, 
n. 1.639.
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal 
Adjunta de Assistência Social. Instrução Normativa SMAS 002/2002. 
Estabelece as diretrizes e os procedimentos necessários à estruturação e 
operacionalização das ações das Gerências Regionais de Atendimento 
Social, através dos Plantões Sociais. Diário Oficial do Município. Belo 
Horizonte, 02 jun. 2002.
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal 
Adjunta de Assistência Social. Instrução Normativa SMAS 003/2002. 
Estabelece as diretrizes e os procedimentos necessários à estruturação 
e operacionalização das ações das Gerências Regionais de Programas 
Sociais, através do Serviço de Orientação Sócio-Familiar. Diário Oficial 
do Município. Belo Horizonte, 11 jun. 2002.
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal Adjunta 
de Assistência Social. Pequeno dicionário: assistência social de A a Z. 
Belo Horizonte: [s.n.], 2001. 29f.
116
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal Adjunta 
de Assistência Social. Plano de trabalho da Gerência de Informação, 
Monitoramento e Avaliação. Belo Horizonte: [s.n.], 2005. Não 
publicado.
BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal Adjunta 
de Assistência Social. Relatório de levantamento de custos do 
atendimento em creches comunitárias. Belo Horizonte: [s.n.], 1996. 
35 p. Relatório.
BOISIER, S. Diseño de planes regionales métodos y técnicas de 
planificación regional. Madrid: Centro de Perfeccionamiento, Colégio 
Oficial de Ingenieros de Caminos, Canales y Puertos. Madrid, España. 
279 p.
BRASIL. Arquivo Nacional. Dicionário Brasileiro de Terminologia 
Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. 231 p. 
Disponível em: <http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/Media/
publicacoes/dicionrio_de_terminologia_arquivstica.pdf>. Acesso em: 
26 abr. 2007.
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa 
do Brasil. Brasília, DF.: Senado Federal, 1996. 292 p.
BRASIL. Decreto 3.298 de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei 
no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional 
para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as 
normas de proteção, e dá outras providências. Diário Oficial da 
União. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/decreto/
D3298.htm>. Acesso em: 20 mai. 2005.
117
BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente (1990). Estatuto da criança 
e do adolescente. Belo Horizonte: ISJB - CESAP, 1999. 136 p.
BRASIL. Lei 10.741 de 1 de outubro 2003. Dispõe sobre o Estatuto 
do Idoso e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 
3 out. 2003. Disponível em: < http://www.receita.fazenda.gov.br/
Legislacao/Leis/2003/lei10741.htm>.