Sistema Respiratório
25 pág.

Sistema Respiratório


DisciplinaFisiologia I26.536 materiais222.589 seguidores
Pré-visualização7 páginas
situadas na superfície, tem uma atração 
especialmente forte umas pelas outras, como 
conseqüência a superfície da água esta sempre 
tentando se contrair. 
Os alvéolos possuem água em suas paredes internas, água esta que faz com que o alvéolo 
tenda a colabar forçando o ar para fora dos mesmos em direção aos bronquíolos e brônquios. 
 
\uf0e0SURFACTANTE: os alvéolos não colabam 
graças à existência de surfactante pulmonar, 
agente tensoativo na água produzido pelos 
Pneumócitos tipo II dos alvéolos, que reduz 
acentuadamente a tensão superficial da 
água que enconbre os alvéolos. O 
surfactante é uma mistura complexa de 
vários fosfolipídios (DPPC- dipalmitoil 
fosfatidilcolina), proteínas (apoproteínas 
surfactantes) e íons (cálcio), que não se 
dissolvem uniformemente em água, 
espalhando-se sobre a superfície da mesma, 
uma vez que alguns de seus componentes 
apresentam áreas hidrofílicas (que reagirão com água) e outras áreas hidrofóbicas (não se 
dissolve). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FISIOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
RESUMO \u2013 Alberto Galdino LoL 
 
TROCAS GASOSAS 
 
-Lei dos Gases- 
A pressão dos gases é determinada pelo impacto constante das moléculas em movimento 
contra uma superfície. É proporcional ao npumero de moléculas. 
Os gases dissolvidos na água ou nos tecidos do corpo exercem pressões, visto que apresentam 
movimento aleatório \u2013 energia cinética. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-Difusão- 
A difusão de gases entre os alvéolos e o sangue obedece às regras da 
difusão simples. 
\uf0d8 A taxa de difusão através das membranas é diretamente 
proporcional ao gradiente de pressão parcial (concentração) 
\uf0d8 A taxa de difusão através das membranas é diretamente 
proporcional à superfície de área disponível 
\uf0d8 A taxa de difusão através das membranas é inversamente 
proporcional à espessura da membrana 
\uf0d8 A difusão é mais rápida em distâncias curtas. 
 
Pp= PN2 + PCO2 + PO2 
 
A pressão parcial de um gás é determinada não só por sua 
concentração como também pelo seu Coeficiente de Solubilidade. 
 
-Difusão Alvéolo-Capilar- 
FISIOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
RESUMO \u2013 Alberto Galdino LoL 
 
As paredes alveolares são extremamente finas e estão envolvidas por um plexo capilar 
extenso.Esta estreita proximidade faz com que as trocas ocorram através das membranas de 
todas as porções terminais dos pulmões, não só através dos alvéolos propriamente ditos. Esta 
superfície de trocas designa-se por membrana respiratória e 
possui diferentes camadas: 
\uf0b7 camada de fluido que reveste internamente o alvéolo 
(onde se encontra o surfactante) 
\uf0b7 epitélio alveolar, composto por células epiteliais finas 
\uf0b7 membrana basal epitelial, 
\uf0b7 espaço intersticial, delgado entre o epitélio alveolar e a 
membrana capilar 
\uf0b7 membrana basal dos capilares que, em muitos pontos, 
se funde com a do epitélio 
\uf0b7 membrana endotelial capilar. 
 
Surpreendentemente, a espessura de todas estas camadas 
ronda um total de 0,6µm. Em termos de superfície total de 
trocas, estima-se, como já foi referido, cerca de 70 m2. Por outro 
lado, o diâmetro dos capilares raramente excede os 5µm, o que 
faz com que os eritrócitos seencostem às paredes, diminuindo a quantidade de plasma que os 
gases devem percorrer, o que, por si,também contribui para a rapidez das trocas. 
 
Em suma, os fatores que determinam a velocidade das trocas gasosas através da membrana 
respiratória são: 
\uf0d8 a espessura da membrana, 
\uf0d8 a área superficial da membrana, 
\uf0d8 o coeficiente de difusão do gás na substância da membrana 
\uf0d8 a diferença de pressão parcial do gás entre os dois lados da membrana. 
 
Com base no volume de gás que se difunde através da membrana, em cada minuto, para uma 
diferença de pressão de 1 mmHg, pode exprimir-se a capacidade de difusão da membrana. 
Num indivíduo saudável, e para o O2, deve ser de cerca de 21 mL/min/mmHg. O tempo de 
trocas é o adequado para que a PO2 no eritrócito entre em equilíbrio com a PO2 alveolar. Ou 
seja, a difusão não é um passo limitante. 
 
Após os alvéolos serem ventilados com ar fresco, a próxima etapa no processo da respiração é 
a difusão do O2 dos alvéolos para o sangue e do CO2 no sentido oposto do sangue para os 
alvéolos. 
Esta troca ocorre nas membranas respiratórias (todas as superfícies pulmonares) por meio de 
difusão, ou seja, tanto O2 quanto o CO2 passam do meio mais concentrado para um meio 
menos concentrado. 
Como se pode perceber tanto O2 quanto CO2 tem um sentido oposto durante a difusão. 
 
Ventilação Normal: 4,2 L/min. 
é o aumento da quantidade de ar que ventila os pulmões, devido a causas Hiperventilação 
muito variadas, como p.ex. exercício físico, febre, hipóxia etc., podendo traduzir-se em 
hipocapnia e alcalose. 
ocorre quando a ventilação é inadequada para realizar a troca de gases nos Hipoventilação 
pulmões. 
: aumenta a captação de CO2 Hipoventilação
: aumenta a excreção de CO2 Hiperventilação
FISIOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
RESUMO \u2013 Alberto Galdino LoL 
 
Após os alvéolos serem ventilados com ar fresco, a próxima etapa no processo da respiração é 
a difusão do O2 dos alvéolos para o sangue e do CO2 no sentido oposto do sangue para os 
alvéolos. 
Esta troca ocorre nas membranas respiratórias (todas as superfícies pulmonares) por meio de 
difusão, ou seja, tanto O2 quanto o CO2 passam do meio mais concentrado para um meio 
menos concentrado. 
Como se pode perceber tanto O2 quanto CO2 
tem um sentido oposto durante a difusão. 
 
A difusão depende de cinco fatores: 
 
1. Solubilidade do gás em um liquido. 
2. A área da reação transversa do liquido. 
3. A distancia através da qual o gás deve 
difundir. 
4. Peso molecular do gás. 
5. Temperatura do gás. 
 
A maioria dos gases com importância na fisiologia da respiração possuem uma solubilidade 
muito baixa no sangue e o inverso ocorre nos lipídios através da membrana celular onde são 
muito solúveis. 
Quando há edema a membrana celular aumenta em muito a sua espessura, com isso se tem 
uma maior dificuldade para ocorrer à difusão. 
Composição do ar alveolar e sua relação com o ar atmosférico, ao nível do mar. 
 
O ar alveolar não apresenta de modo 
algum as mesmas concentrações 
gasosas do ar atmosférico, pois: 
\uf0d8 O ar alveolar é substituído 
parcialmente por ar 
atmosférico a cada respiração. 
\uf0d8 O O2 esta constantemente 
sendo absorvido dos alvéolos 
para o sangue. 
\uf0d8 O CO2 esta em difusão constante do sangue para os alvéolos. 
O ar atmosférico seco que penetra nas via aérea é umidificado antes de chegar aos alvéolos. 
 
A velocidade de renovação do ar alveolar pelo ar atmosférico ocorre de maneira muito lenta, 
pois em um individuo normal após a respiração no final da expiração o volume de ar que 
permanece no pulmão é de cerca de 2.300ml, todavia apenas 350ml chegam aos alvéolos a 
cada respiração normal, como consequência disso o ar renovado a cada respiração é de 
apenas 1/7, pois 2300/350 = 0,007 
 
Esta renovação lenta do ar é importante para evitar: 
\uf0b7 Alterações súbitas da concentração de gases no sangue. 
\uf0b7 Evitar o aumento ou diminuição excessiva na oxigenação dos tecidos. 
\uf0b7 Alterações súbitas da concentração de CO2 tecidual. 
\uf0b7 Alterações excessivas do pH do sangue e tecidos, quando a respiração é interrompida. 
 
 
 
FISIOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
RESUMO \u2013 Alberto Galdino LoL 
 
Concentração e pressão de O2 nos alvéolos: 
\uf0d8 É controlado em 1° lugar pela velocidade de absorção de O2 pelos capilares. 
\uf0d8 É controlado em 2° lugar pela velocidade da entrada do novo O2 para os pulmões pelo 
processo da ventilação. 
Concentração e pressão de CO2 nos alvéolos: 
\uf0d8 O CO2 é continuamente formado no organismo,