A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
183 pág.
Ebook Ferramentas Digitais Para Jornalistas

Pré-visualização | Página 37 de 43

conceitos e associar os resultados de acordo com a 
pesquisa do usuário. É muito eficiente para encontrar fotos.
 
4- Swoogle: http://swoogle.umbc.edu/
 Busca por ontologia ou por documentos.
 
a WEB SEMÂNtICa 
• • • 146 • • •
capítulo 7
5- Mnemomap: http://www.mnemo.org/
 É alimentado por diferentes fontes em redes sociais como o Digg, Youtube, Delicious, etc.
6- Kartoo: http://www.kartoo.com/
 Foi mencionado no primeiro capítulo. É um buscador que traz os resultados em camadas, 
usando documentos e mapas que conectam documentos ou nós de informação. É útil 
para investigar indivíduos ou empresas.
 
a WEB SEMÂNtICa 
• • • 147 • • •
capítulo 7
7- Freebase: http://www.freebase.com/
 É um buscador social que reúne os resultados dispersos sobre o mesmo elemento, 
entidade ou pessoa.
 
8- Quintura: http://www.quintura.com/
 É um buscador por tags.
 
9- Ideas Afines: http://www.ideasafines.com.ar/
 Buscador de conceitos, geração de ideias, sinônimos. Busca por palavra relacionada.
a WEB SEMÂNtICa 
• • • 148 • • •
capítulo 7
10- Swotti: http://www.swotti.com/?lang=es
 É um buscador de opiniões, tem uma versão em espanhol. Basicamente traz resultados de 
blogs e fóruns de discussão.
 
Aplicações Web Semântica
O link http://www.w3.org/2001/sw/sweo/public/UseCases/ oferece uma vasta gama de aplicações 
práticas da Web Semântica, embora seu uso ainda não esteja muito difundido nas redações. 
Basicamente, consiste em 27 estudos de caso, entre os quais se destaca, em espanhol, o site 
https://www.bankinter.com/www/en-us/cgi/home.ebk, uma plataforma de gestão de recursos 
humanos para gerir ideias. Quando um usuário entra com uma nova ideia, o sistema analisa 
o texto e reconhece os conceitos relevantes do ponto de vista financeiro. Isso ocorre em 
tempo real, permitindo complementar os resultados com a visão de outras ideias que contêm 
os mesmos conceitos (e não palavras). Essa abordagem dá aos empregados uma ferramenta 
simples para verificar se a sua ideia é realmente nova. Os conceitos estão definidos e 
relacionados em uma ontologia financeira, que inclui produtos, canais, serviços, clientes, etc. Da 
mesma forma, os empregados podem procurar ideias que contêm conceitos relevantes, e os 
conceitos são destacados em tempo real para fornecer informações para o usuário.
Esse conceito terá um impacto importante em portais de governo eletrônico, especialmente na 
área de serviços online, porque a informação sobre os cidadãos, fornecedores e contratações 
- que hoje aparece dispersa -, no futuro, poderá estar unificada, otimizando o estudo de um 
processo ou a investigação de uma empresa, por exemplo.
Ele também apresenta impacto direto sobre aqueles que administram sites, blogs ou meios 
de comunicação digitais, pois podemos construir as entradas de uma forma que permita uma 
melhor integração do conteúdo que geramos e o caminho informático semântico pelo qual, no 
futuro, circulará boa parte da informação.
Nesse sentido, uma boa gestão de metadados pode ser um bom começo. Mas não podemos 
nos preocupar apenas com isso. A redação do que publicamos no sistema digital também 
contribui para a mesma finalidade. Nesse sentido, o site www.sololocal.info, do qual usei vários 
exemplos, trabalha nessa linha. Além disso, o pontapé inicial para o começo de uma notícia não 
a WEB SEMÂNtICa 
• • • 149 • • •
capítulo 7
são as fontes tradicionais, mas o resultado do monitoramento digital diário.
Esses novos meios de comunicação, com conteúdos gerados de forma não tradicional e com 
uma forte presença nas redes sociais, também tem uma diferença significativa na relação dos 
políticos com os meios e os seus potenciais eleitores.
Os políticos, da mesma forma que a mídia tradicional, não têm mais o controle absoluto da 
opinião pública. Agora o público pode ser facilmente localizado no ambiente digital e o cidadão 
comum tem muitos caminhos online para expressar o que pensa. E não é só isso. Multiplicam-
se os meios de geração de conteúdo que vão muito além de um simples comentário em um 
fórum ou no pé de um artigo.
Na medida em que a web semântica evolui, será possível ver o impacto direto nas redações. 
Por exemplo, pesquisas mais eficientes que certamente levarão a resultados mais funcionais 
para qualquer repórter, como detectar assuntos de interesse social que, de outra forma, teriam 
ficado escondidos nas entranhas da web. 
De uma forma mais simples: facilitaria o trabalho do repórter de encontrar pautas. Por exemplo: 
o site http://www.swed.co.uk/swed/index.html definido como Semantic Web Environmental 
Directory, é um protótipo de uma nova categoria de diretório semântico, que reúne 
informações sobre organizações e projetos ambientais.
Muitos jornalistas experimentaram as ferramentas semânticas e, como alguns, enxergam muita 
utilidade. Outros ficaram decepcionados. É que quase todos os buscadores semânticos não são nada 
além de buscadores ontológicos. Isto é, procuram os arquivos em RDF, micro formatos, e alguns em 
OWL, mas são ferramentas que não parecem oferecer os resultados esperados por um repórter.
À primeira vista, os recursos não estão totalmente claros para o usuário. Parece mais do 
mesmo, ou menos, em alguns casos. No entanto, na prática, com o passar do tempo, cresce a 
visualização do potencial da Web Semântica.
Para entender melhor sobre o assunto, acesse: http://www.hipertexto.info/documentos/web_
semantica.htm
Uma coleção de ferramentas para a Web Semântica pode ser encontrada em: http://www.
mkbergman.com/sweet-tools-sem-web-simple-version/
Os detalhes desses aplicativos: http://www.mkbergman.com/new-version-sweet-tools-sem-web/
Mais informações sobre a The Semantic Web Company: http://www.semantic-web.at/
• • • 150 • • •
88Capítulo VISuaLIZação DE DaDoS Como transformar uma tabela chata num gráfico interessante? Como expor dados de um censo sem 
que os números se tornem um problema? Aqui estão 
descritas as formas mais comuns para a visualização 
de dados. Google Public Data, Google Finance, Google 
Maps, Google Earth e mashups são outros recursos de 
valor inquestionável para produzir reportagens. 
VISuaLIZaçãO DE DaDOS 
• • • 151 • • •
capítulo 8
Que tipo de imagens é adequado às necessidades de uma sociedade da i 
nformação global e interconectada? Uma sociedade que em todas as áreas 
precisa representar mais dados, mais camadas, mais conexões com os níveis da 
sociedade industrial que a precedeu. Em que os sistemas complexos tornaram-se 
muito complexos, com uma vasta gama de informações em tempo real dos serviços 
de notícias, redes de sensores, câmeras de vigilância. Tudo isso coloca novas exigências 
sobre as imagens que a cultura humana se desenvolveu até agora e, finalmente, requer 
a criação de um novo tipo de imagens.
Lev Manovich
A visualização de dados explica, de maneira compreensível, a relação entre grandes quantidades 
de informação gerada de várias maneiras.
O exemplo clássico para um repórter é o orçamento público. O Ministério da Economia 
entrega um pesado relatório cheio de tabelas de números que, à primeira vista, não produzem 
qualquer informação interessante, muito menos uma notícia que não seja a anunciada no 
comunicado oficial à imprensa. Mas um orçamento tem variáveis, ou seja, elementos medidos ao 
longo do tempo. E, se você tem um orçamento deste ano, provavelmente também você tem à 
mão o ano anterior, que tem ... as mesmas variáveis. No entanto, muitas vezes até mesmo a mais 
simples das tabelas pode ser muito chata.
A comparação é talvez uma das práticas mais utilizadas no jornalismo, mas quando é preciso 
processar grandes quantidades de dados numéricos, a questão se complica. Por isso, se recorre 
a maneiras diferentes de visualizar o conjunto de dados, assim podemos analisar melhor alguns 
processos