Curso Básico de Astrologia vol. III   Marion D. March & Joan McEvers
267 pág.

Curso Básico de Astrologia vol. III Marion D. March & Joan McEvers


DisciplinaAstrologia645 materiais2.201 seguidores
Pré-visualização50 páginas
mais profundos da 
astrologia. No Volume I você aprendeu o básico \u2014 os signos do zodíaco, os 
planetas. as Casas, os aspectos e algumas palavras-chave e frases-chave que o 
ajudaram a interrelacionar os diferentes princípios envolvidos. 
No Volume II, ensinamos os cálculos para levantar um horóscopo e alguns 
aperfeiçoamentos para aguçar a sua capacidade interpretativa e dar-lhe maior 
percepção do delineamento do mapa. 
Neste terceiro volume (de uma série de cinco ou seis livros projetados), 
apresentamos mais uma vez três partes distintas: 
 
Parte I \u2014 Proporcionar a última ferramenta necessária para a interpretação do 
mapa, ou seja, os REGENTES DAS CASAS. Onde está o regente da 
primeira Casa, e o que significa isso? Onde está o regente da 
segunda Casa? e assim por diante através das Casas e das 155 
posições possíveis. Para exemplificar e tomar o aprendizado mais 
interessante, incluímos 36 mapas de pessoas famosas. 
 
Parte II \u2014 Fornece o delineamento em profundidade de quatro pessoas famosas: 
o general George Patton, o escritor Ernest Hemingway, a princesa 
Diana de Gales e a atriz Barbra Streisand. Cada horóscopo se baseia 
em diferentes técnicas interpretativas para dar-lhe escolhas e opções 
para aperfeiçoar a sua própria habilidade. 
 
 
Parte III \u2014 Fornece métodos para descobrir áreas específicas de interesse num 
mapa, como: Que tipo de parceiro estou procurando? Quais são 
minhas aptidões vocacionais? Quais são, ou onde estão, minhas 
fraquezas físicas? 
O nível de abordagem deste livro é mais avançado do que o dos dois vo-
lumes precedentes, que tratam estritamente de astrologia básica. Presumimos 
que a esta altura você já consiga pegar as nossas palavras-chave e frases-chave 
e adaptá-las a seu próprio vocabulário; e que, ao observar um horóscopo e 
encontrar determinadas posições planetárias, já lhe ocorram algumas palavras 
sem que seja preciso recorrer aos nossos livros. 
Mas mesmo que você ainda dependa de nós e de nossas palavras, não se 
desespere \u2014 reserve um tempo para delinear os quatro mapas deste volume, 
volte aos Volumes I e II de Curso Básico de Astrologia para ver por que 
escolhemos determinadas frases e não outras. Os métodos usados estão 
explicados na introdução à Pane II. Quando você terminar este livro, estará 
pronto para a próxima etapa. 
Esta etapa vai ser a transição para a astrologia intermediária, que envolve a 
atualização ou a progressão do horóscopo e o uso de trânsitos, a comparação do 
seu mapa com o de outra pessoa e o levantamento do mapa composto dos dois, 
a transferência do horóscopo para um lugar diferente do seu nascimento, e a 
astrologia mundial. No futuro, teremos a série March/McEvers avançada, 
incluindo o retomo solar e o lunar, e a astrologia horária, vocacional e 
esotérica. 
Conforme insistimos em todo o nosso ensino, enfatizamos novamente que 
você só vai aprender astrologia se dedicar tempo à aplicação prática. Observe 
os mapas que usamos na Parte H deste livro e veja até que ponto o seu 
delineamento se aproxima do nosso. Há muitos outros mapas na Parte I deste 
livro; examine-os e interprete os que lhe interessarem. Como todos são de gente 
famosa, você pode obter a maioria dos dados biográficos em qualquer 
biblioteca pública, para verificar a correção da sua interpretação. Em outras 
palavras, TRABALHE com este livro, não dê só uma olhada nem o leia como 
se fosse um romance. 
Esperamos que você se divirta enquanto aprende. 
 
Joan e Marion 
 Parte I 
 
Introdução 
Regentes das Casas 
Ao ler um horóscopo, os regentes das Casas podem não ser a área mais 
importante do delineamento. A maioria dos astrólogos acha que o próprio 
planeta, os aspectos que forma, e o signo e a Casa em que está localizado são 
mais importantes. Alguns astrólogos não usam as regências, nem planetárias 
nem de Casas, mas achamos que ambas desempenham um papel na arte do 
delineamento. Por exemplo, se o seu Sol está em Gêmeos, e Mercúrio (o 
regente de Gêmeos) está em Touro, você vai expressar a sua individualidade de 
modo bem diferente do que se o regente Mercúrio estivesse em Câncer. 
A esta altura, estamos certas de que você aprendeu a combinar o planeta, o 
signo, a Casa e o regente do signo e da Casa, de acordo com o que enfatizamos 
seguidamente nos Volumes 1 e 11 de Curso Básico de Astrologia. Mas, quanto 
aos regentes das Casas? Por que precisamos de mais um matiz ou combinação? 
Suponha que você tem Gêmeos na cúspide da segunda Casa e o regente 
Mercúrio esteja na quinta Casa. Será que o seu senso de valores ou a sua 
capacidade de ganhar dinheiro são os mesmos de quando Mercúrio se encontra 
na sétima Casa? Achamos que não. Além disso, se uma Casa não tem nenhum 
planeta (afinal, existem doze Casas e apenas dez planetas), através de qual 
energia planetária ela se expressa, a não ser a do regente? Na interpretação de 
mapas tudo tem de ser levado em consideração, e a regência das Casas é 
apenas mais uma área que precisa ser compreendida. 
Antigamente, a regência das Casas era usada principalmente na astrologia 
horária e, à medida que esse ramo da astrologia foi se separando das 
interpretações de mapas mais humanísticas ou psicológicas, largamente usadas 
atualmente, poucos livros tratam desse tópico. Na verdade, o último livro que 
conseguimos encontrar que entrou em detalhes a esse respeito 
 
 
foi A to Z Horoscope Maker, de Llewellyn George, contendo muitos con-
ceitos terríveis e absolutos que estavam em moda naquela época. Esperamos 
corrigir essa falha fornecendo uma sucinta descrição das possibilidades ou 
oportunidades oferecidas pelas diferentes posições dos regentes das Casas. 
Tecnicamente, o regente de cada Casa é o PROPRIETÁRIO da Casa que 
rege (traduzimos e modernizamos a expressão meio antiquada "Senhor da 
Casa"); portanto, esse regente vai descrever a Casa melhor que qualquer 
planeta aí colocado. Se você tem Gêmeos na cúspide da segunda Casa, 
Mercúrio "possui" toda a segunda Casa, e embora a Lua ou Júpiter possam 
estar colocados nessa Casa, Mercúrio, como seu proprietário, dita as regras e 
normas, enquanto a Lua ou Júpiter podem ser considerados hóspedes, em 
visita a uma Casa que de fato não lhes pertence. 
Ao ler as interpretações que se seguem, você precisa ter em mente muitos 
fatores e combinar as diferentes áreas envolvidas, conforme ensinamos nos 
Volumes I e II. Por exemplo: o escritor Ernest Hemingway (veja o mapa na 
página 156) tem o regente de sua décima Casa na décima segunda. Ele 
deveria ter sido diretor de prisão: afinal, a décima Casa mostra a carreira, e a 
décima segunda representa reclusão e instituições! Mas Hemingway tem 
Gêmeos na cúspide da décima Casa, e o regente Mercúrio está em Leão. 
Gêmeos é o signo da comunicação \u2014 portanto, sua carreira poderia envolver 
alguma forma de comunicação; com o regente na décima segunda, deveria 
ser algo que ele pudesse fazer por si mesmo, em particular, sozinho. Porém, 
como o regente está em Leão, sua carreira precisava dar-lhe oportunidade de 
brilhar, em vez de "ficar nos bastidores", que é a interpretação usual da 
décima segunda Casa. Que melhor forma de brilhar do que através dos seus 
livros? Você também precisa se lembrar de que o Mercúrio de Hemingway 
faz um sextil exato com Netuno,o planeta da imaginação, confirmando uma 
carreira mais imaginativa do que a de enfermeiro ou diretor de prisão. 
Estamos fornecendo uma descrição completa das doze Casas, redigida de 
forma que seja possível entender o princípio subjacente a cada uma delas. 
Depois de compreender o verdadeiro significado das Casas, você não vai ter 
problemas em delinear a finalidade representada por cada um dos regentes. 
Usamos muitos exemplos na descrição dos regentes nas diferentes Casas, e 
esperamos que você examine os mapas apresentados neste e nos dois livros 
anteriores, Volumes I e II de Curso