Curso Básico de Astrologia vol. III   Marion D. March & Joan McEvers
267 pág.

Curso Básico de Astrologia vol. III Marion D. March & Joan McEvers


DisciplinaAstrologia646 materiais2.212 seguidores
Pré-visualização50 páginas
incrível garra, mas o que ele conseguia era pelo método do ensaio e 
rro. Sem dúvida seria preciso que ele moderasse um pouco sua forte 
ersonalidade para permitir a interação com os outros. Como o Sol é o regente 
a sua terceira Casa, essa moderação, em grande parte, dizia respeito à 
 
 
outros. Na verda 
p 
 
 
 
 
 
 
c 
 
 
 
 
 
lhava. Plutão na décima segunda em Gêmeos nos diz 
 
 
 
 
. 
 
r um pouco mais da capacidade escorpiana de dissimular; por 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
d , 
 
 
 
de, Patton não aprendeu nunca a fazer esse ajuste. Sempre teve
roblemas com seus superiores, a imprensa e o público por causa de sua
arrogância, de sua aspereza e de seu exibicionismo. 
Escorpião na cúspide da sexta Casa indica muita integridade profissional. As
pessoas que têm esse posicionamento se orgulham de sua escrupulosidade e de
sua resistência ao cansaço. Patton não fugia à regra. Era obcecado em relação à
sua rotina. Cultuava ordem e método, perseverança e persistência. Era um
trabalhador infatigável e amava seu trabalho. A sua total dedicação e a
integridade que esperava dos outros certamente tornavam difícil a convivência
om ele, a não ser que os outros seguissem seus princípios. Com a colocação de
Plutão, regente da sexta em Gêmeos na décima segunda, é fácil perceber que
ele podia confiar na intuição em seu trabalho. Sempre se encarregava de mais
coisas do que deveria, para assombro dos que trabalhavam com ele. Tanto sua
força interior como seu interesse pela pesquisa histórica e sua inexorável e 
incansável vontade de avançar podem ser atribuídos a esse posicionamento.
Com o co-regente Marte na quarta Casa, fica óbvio que ou ele trabalhava em
casa ou vivia onde traba
que ele dependia em grande parte do seu subconsciente nas atividades do dia-a-
dia, e que não era avesso a falar sobre seus sentimentos: é bem sabido que ele
escrevia poemas e que citava a Bíblia sempre que oportuno. 
Mercúrio em Sagitário é sincero, tem um sarcástico senso de humor, é
impulsivo e fala sem considerar as circunstâncias. Todos esses traços eram
característicos de Patton. Não dispersava a energia mental (Mercúrio em
oposição a Plutão) e tinha uma mente demasiado afiada e direta. Era generoso
progressista e honesto e não sabia fingir. Teria sido bom se ele tivesse
conseguido usa
causa dos aspectos desafiadores de Mercúrio, era sempre brusco e ia direto ao
assunto \u2014 o assunto dele, naturalmente. Esse posicionamento mostra seu
interesse por filosofia, religião e estímulo intelectual. Gostava realmente de
viajar, sentia-se à vontade entre estrangeiros e às vezes falava sem parar. Seus
colegas de trabalho achavam que ele tinha uma tendência a dar aulas de moral e
a ser demasiado pedante, o que também é típico de Mercúrio em Sagitário na
sexta Casa. 
Isso se tornou especialmente visível no episódio da punição de um soldado
no 15° Hospital de Evacuação em Messina, na Sicília. Da primeira vez, o fato
passou despercebido e não foi relatado. Entretanto, seu temperamento nervoso
(Mercúrio em quadratura com Marte) colocou-o em sérios problemas quando 
esbofeteou um soldado pela segunda vez. O praça Paul Bennett estava sofrendo
e exaustão nervosa. Estava no hospital para ser dispensado de sua unidade
porque os sedativos não faziam mais efeito; seu caso era considerado cansaço
de batalha. Patton, que estava fazendo uma visita inesperada para encorajar os
soldados quando encontrou o praça Bennett, ofendeu-se (Mercúrio envolvido 
na grande cruz) com o que lhe pareceu ser um covarde mimado. Esbofeteou
Bennett. Minutos depois, arrependeu-se a ponto de chorar. Virou-se para o 
coronel Currier, 
 
s
os com seus cavalos. Ele era muito 
 
oficial-comandante do hospital, dizendo: "Não pude evitar. Corta-me o coração 
ver esses rapazes corajosos e pensar num bastardo covarde sendo acalentado." 
Mais tarde, comentou que estava envergonhado e que esperava que o 
episódio pudesse ser esquecido; mas o incidente tinha chamado muito a atenção 
e era assunto de falatório geral no 7° Exército. A chegada de um relatório 
detalhado ao quartel-general de Eisenhower foi a gota d'água. Patton foi 
mandado à Inglaterra, depois de ter que se desculpar publicamente com todos 
os envolvidos. Como Mercúrio está em quadratura com o Meio-do-Céu, 
podemos ver como o que ele falava punha em risco sua carreira. Com a 
oposição entre Mercúrio e Plutão, seu discurso era incisivo e ele falava "das 
coisas como elas são": raramente mostrava tato ou diplomacia. Esse aspecto 
provavelmente contribuiu para sua tendência a se acidentar. Caiu muitas vezes 
do cavalo jogando pólo; quando estava na cavalaria, foi derrubado, escoiceado 
e atropelado por cavalos. Diz seu biógrafo Blumenson: "Provavelmente, ele 
desenvolveu o que os médicos hoje chamam de hematoma sub-durmal (sic) ... , 
um ferimento e pancada na cabeça (que) pode causar mudanças na 
personalidade." Como Plutão na sua décima segunda Casa rege o Sol, e 
Mercúrio rege o Ascendente, o aspecto desafiador entre os dois planetas nas 
Casas da saúde foi responsável, até certo ponto, pelos acidentes físicos que 
ofreu. 
Com Sagitário na cúspide da sétima Casa, Patton procurava numa parceira 
alguém que fosse independente, companheira e compreensiva, que tivesse a 
mesma formação geral que ele e que entendesse a sua necessidade de 
independência, capaz de se agüentar sozinha e cuidar da família enquanto ele 
estivesse combatendo no exterior. Isto se deduz pela colocação de Júpiter, 
regente da sétima, na quarta. No casamento, o companheirismo era mais 
importante do que o sexo; embora tivesse encontrado a parceira ideal bem 
jovem, não fez um casamento precipitado, que, assim, durou a vida inteira. 
Evidentemente sua esposa era muito compreensiva, capaz de enfrentar as 
longas separações e o falatório acerca do marido. 
Apesar das escapadelas sexuais, George sempre voltava para Bea, e a 
enaltecia em todas as cartas que escrevia. Para ele, ela era como um farol na 
escuridão, como a luz de sua alma. Era uma mulher fone que se esforçava por 
manter George sob controle, quando ele estava por perto. Mais do que ninguém, 
conseguia aplacar sua fúria com uma palavra suave e acalmá-lo nas horas de 
turbulência. 
Em certa ocasião, quando era coronel durante a I Guerra Mundial, Patton 
desobedeceu ordens. O problema criado foi resolvido apenas com uma 
repreensão formal. Seu oficial comandante, entretanto, sabendo que ele só se 
curvava diante de Bea, escreveu-lhe uma carta pedindo-lhe que advertis-se o 
marido rebelde. A sra. Patton, que conhecia a propensão de George aos 
acidentes (Plutão e Mercúrio em quadratura com Marte), passou muitos anos da 
vida de casada em completa angústia, temendo pelo marido \u2014 e isso não só 
quando estava na guerra, mas também quando dirigia o carro imprudentemente 
ou saltava obstácul
 
essentimentos. Isso ficou muito evidente no seu comportamento 
em
 e implacável". Sem dúvida 
ac
u, entretanto, a irreverência de seu linguajar. O sextil de Vênus 
co
 
 
obstinado, mas sabia o quanto a mulher se preocupava e sempre tentava 
esconder dela as suas escapadelas mais arriscadas. 
Vênus em Capricórnio é um pouco inseguro e tenta compensar o 
sentimento de inadequação através da ambição e da busca de status. Em vez 
de tomá-lo frio e calculista em relação às associações, parece que esse 
posicionamento de Vênus na sétima Casa (onde está em dignidade acidental) 
confirma o fato de George ter passado muito tempo longe da esposa e da 
família. Orgulhoso e reservado em público, não há dúvida de que ele foi bem 
sucedido, mas a quadratura entre Vênus e Urano, além da oposição a Saturno, 
com toda probabilidade ajudaram a sua vergonhosa deposição do posto de 
chefe das forças da Sicília depois do episódio do esbofeteamento do soldado. 
Essa colocação de Vênus indica uma repressão