Curso Básico de Astrologia vol. II   Marion D. March & Joan McEvers
275 pág.

Curso Básico de Astrologia vol. II Marion D. March & Joan McEvers


DisciplinaAstrologia645 materiais2.205 seguidores
Pré-visualização50 páginas
está ausente, pode faltar ao indivíduo alguma 
versatilidade, adaptabilidade, mutabilidade, qualidades tão bem representadas 
pelos signos comuns. Isso pode indicar que ele é muito dependente e teimoso, o 
que muitas vezes chega ao ponto de aborrecer os outros, muito obstinado e 
exigente no sentido de que os outros sejam tão perfeitos quanto ele. Por outro 
lado, os signos mutáveis, como grupo, estão muito envolvidos com os outros; na 
realidade, são quase dependentes dos outros. Quando essa necessidade está 
ausente, o indivíduo fica livre para ser ele mesmo, crescer e evoluir à sua própria 
maneira, sem se preocupar com o que os outros dizem ou pensam. O violinista 
Yehudi Menuhin, que aos 9 anos era urna criança-prodígio e se mantém 
ativamente na mesma carreira, é um bom exemplo. E um dos grandes violinistas 
deste século, mas também foi um dos primeiros a adotar a música e a filosofia 
orientais, muito antes de isso entrar em moda. Outro exemplo pertinente é o maes-
tro Arturo Toscanini, cujo mapa está na página 74. 
 
A Ausência de Ênfase nas Casas 
Aqui o procedimento é diverso daquele usado no caso de elementos e qualidades. 
Para compensar qualquer falta nas Casas de vida, bens materiais, relacionamentos 
e conclusões, examine os elementos. A falta de planetas em Casas angulares, 
sucedentes ou cadentes é minorada por planetas em signos cardeais, fixos ou 
mutáveis. A ausência de ênfase nas Casas não 
é tão importante como a ausência de um elemento ou de uma qualidade, mas 
deve ser observada, pois toda ausência indica um desequilíbrio. 
As Casas de vida não ocupadas podem indicar falta de inspiração ou de 
idealismo, ou até uma certa dificuldade em fazer planos para o futuro. Afinal, 
estamos falando da primeira, da quinta e da nona Casas. A herdeira Patty Hearst 
é um bom exemplo. O mapa dela está na página 74. A ausência de planetas nas 
Casas de bens materiais indica, freqüentemente, a pessoa que tem dificuldade 
em escolher uma vocação e tende a confundir o seu senso de valores. Com a 
segunda, a sexta e a décima Casas vazias, pode ser que a carreira do indivíduo 
seja imposta pelas circunstâncias e não pela preparação dirigida. O ditador 
Benito Mussolini tem um mapa desse tipo, assim como o governador George 
Wallace, o ministro nazista de propaganda Joseph Goebbels e o líder do culto às 
drogas Timothy Leary, cujo mapa está na página 76. Todos eles ilustram bem o 
problema em questão. Quando as Casas de relacionamento não estão ocupadas, 
podemos encontrar pessoas para as quais qualquer forma de relacionamento é 
um assunto de importância menor: podemos encontrar aqui o solteirão (ou 
solteirona), o solitário e mesmo os órfãos. Alice Longworth, a filha mais ou 
menos excêntrica de Teddy Roosevelt, seria um desses casos. O mesmo acontece 
com Sam Goldwyn, cujo mapa está na página 76. Nenhum planeta nas Casas de 
conclusões pode indicar falta de profundidade ou de sensibilidade, mas na 
maioria dos casos mostra grande dificuldade, ou até medo, em olhar para dentro 
de si mesmo. Os atores Desi Arnaz e Orson Welles, a rainha Elizabeth II e o 
pintor Vincent Van Gogh ilustram esse problema. Veja o mapa de Van Gogh na 
página 77. 
Ë difícil encontrar mapas de pessoas famosas sem planetas nas Casas 
angulares, pois os ângulos nos impulsionam para a ação; sem alguma forma de 
ação existe pouca chance de atingir a fama. Barbara Hutton é um dos poucos 
exemplos que encontramos; e sua fama foi devida à riqueza do pai, não à sua 
própria iniciativa. Seu mapa está na página 77. A falta de planetas na primeira, 
quarta, sétima e décima Casas indica a pessoa que raramente dá início sozinha às 
coisas; parece que lhe falta gana; é preciso haver planetas cardeais para ajudá-la 
a se tornar ativa. 
A ausência de planetas nas Casas sucedentes é menos grave que a falta de 
planetas nos ângulos; quando há planetas fixos no mapa. a compensação é mais 
ou menos fácil. Entretanto, existe um certo desequilíbrio, muito bem 
exemplificado por T. E. Lawrence, mais conhecido como Lawrence da Arábia. 
Seu mapa está na página 78. Embora tivesse propósitos fixos e se pautasse por 
princípios e crenças adquiridos em criança, sentia a necessidade de andar sem 
destino, tendo seu lar em toda parte e em lugar nenhum. 
A não ocupação das Casas cadentes é ainda menos importante do que a 
ausência de planetas nos ângulos e é facilmente equilibrada com alguns planetas 
mutáveis no horóscopo. Essa ausência vai se evidenciar em áreas 
 
como adaptabilidade, versatilidade ou mobilidade, ou em quaisquer outras 
palavras que você escolha para definir a terceira, a sexta, a nona e a décima 
segunda Casas. Um bom exemplo é o apresentador de televisão Mike Douglas, 
cujo mapa está na página 78. 
 
O Planeta sem Aspectos 
E quase impossível encontrar um planeta totalmente sem aspectos; entretanto, 
existem planetas que não fazem os chamados aspectos maiores (conjunção, 
oposição, quadratura, quincúncios, trígonos ou sextis) e, nesse caso, gera-se um 
padrão muito interessante. Não concluam que esse planeta, por não se integrar 
ao resto do mapa, é fraco; pelo contrário, funciona em dobro, como se tentasse 
compensar o fato de estar sozinho. Esse solo pode às vezes ser exaustivo, mas 
nunca é aborrecido! Muito depende do planeta que não tem aspectos, seu signo 
e a Casa ocupada. 
O Sol que representa a individualidade, o ser interior, o coração do mapa, 
sem formar aspecto com outros planetas, se manifesta de diversas formas, todas 
muito importantes, porque estamos falando do Eu Interior. Se você age por 
conta própria, sozinho, e tudo que faz é feito sem sobrecarregar ou preocupar 
os outros, mesmo os seus outros deveres \u2014 seu pensamento, seus sentimentos, 
suas ambições, seus parceiros, sua família \u2014 você tem a possibilidade de ser 
diferente. Pode ser qualquer coisa que o seu Soí deseje. E possível que você se 
empenhe muito nesse sentido, mas vai ser relativamente fácil porque nada, ou 
ninguém, pode detê-lo. A rainha Elizabeth II, que teve a coragem de ser 
humana sendo rainha; a independente atriz Mia Farrow, que faz o que lhe 
agrada; a jóquei Robyn Smith-Astaire, a primeira a quebrar um tabu; e o pintor 
Vincent Van Gogh são bons exemplos. Veja o mapa de Robyn na página 79. 
A Lua mostra as emoções, os sentimentos, as necessidades, os hábitos e o 
instinto. Quando está sem aspectos, se houver confirmação do resto do mapa, 
pode levar a um tremendo sucesso mundano. Não existe obstáculo maior do 
que as nossas emoções. Elas nos impedem de pensar com clareza, de 
demonstrar amor e afeto por medo de rejeição, e de perseguir nossos objetivos 
por medo de magoar os outros ou de falhar, além de muitas outras coisas. 
Naturalmente, não nos envolvendo emocionalmente podemos perder um dos 
aspectos mais importantes da vida \u2014 isto é, o verdadeiro relacionamento com 
outro ser humano. Entretanto, ficará muito mais fácil satisfazer todas as áreas 
práticas da vida sem traumas ou deficiências emocionais. Louis Pasteur, o 
grande cientista francês, tinha uma Lua sem aspectos, em Gêmeos na oitava 
Casa. No caso dele, o resto do mapa confirma o direcionamento para 
realizações concretas e a capacidade de vencer, pois ele tinha um stellium de 
seis planetas em Capricórnio, na terceira Casa, regidos por um Saturno angular 
em Touro em trígono com o stellium. O astro do baseball Vida Blue é outro 
exemplo. Veja seu mapa na página 80. 
 
 
 
Mercúrio. Representa a capacidade de raciocínio, a mente, o impulso intelectual 
e a forma de expressão. Quando Mercúrio está sozinho, sem aspectos, todo o 
processo de pensamento é separado do resto do mapa \u2014 ou seja, de você. Pode ser 
que você esteja chorando num canto, afogado numa angústia emocional, enquanto a 
sua mente lhe diz: "Muito bem. O que você está fazendo aí chorando?" 
absolutamente desligada de sua infelicidade ou autopiedade.