Controladores lógicos programáveis Respostas dos Exercicios
59 pág.

Controladores lógicos programáveis Respostas dos Exercicios


DisciplinaCiências4.399 materiais267.831 seguidores
Pré-visualização8 páginas
a transistor, optoisoladores são 
usados para isolar a carga a ser acionada do cartão do CLP. 
 Saída a TRIAC: tem maior vida útil do que a saída a relé. Nesse tipo de saída o 
elemento acionador é um dispositivo de estado sólido (TRIAC), sendo recomendado 
seu uso para corrente alternada. Tem uma vida útil de 10x106 e pode suportar uma 
corrente de até, aproximadamente, 1,0 A. 
Capítulo 3 
1. Chave botoeira e chave fim de curso. 
2. As chaves fim de curso têm basicamente as seguintes finalidades: 
 Controle: sinaliza os pontos de início ou de parada de um determinado processo. 
 Segurança: desliga equipamentos quando há abertura de porta ou equipamento e 
alarme. 
 Quanto ao número de contatos, as chaves fim de curso podem ter a seguinte 
configuração: 
Š SPDT (Single Pole Double Throw): um conjunto de contatos NA e NF. 
Nessa configuração, quando um contato é aberto o outro se fecha. 
Š SPST (Single Pole Single Throw): relé com um único contato que pode ser 
normalmente aberto ou normalmente fechado. 
Š DPDT relay (Double-Pole Double-Throw): relé com dois conjuntos de 
contatos NA e NF que operam simultaneamente por uma simples ação. 
3. Na seleção da chave, é preciso levar em conta muitos fatores, como os relacionados 
em seguida: 
Š O número de polos e terminais; 
Š A tensão a ser chaveada e o tipo de corrente (CA ou CC); 
Š O valor da corrente a ser chaveada e a corrente a ser percorrida após o 
chaveamento; 
Š A frequência de atuações; 
 Respostas dos Exercícios 9 
Š As condições ambientes como vibração, temperatura, umidade, agressividade do 
ambiente; 
Š O tamanho físico; 
Š A velocidade de atuação; 
 Além dos opcionais, como lâmpada piloto embutida, chave de trava, entre outros. 
4. As chaves manuais atuam quando um operador pressiona a chave, fazendo com que 
os seus contatos mudem de estado. 
 Em muitos pontos de um processo industrial não é possível a colocação de um 
operador, devido aos fatores técnico, econômico e de periculosidade. Para resolver 
este problema, existem chaves automáticas, cuja operação é determinada pela 
posição de algum dispositivo ou pelo valor de alguma grandeza física. 
5. O relé é definido como uma chave comandada por uma bobina. É considerado uma 
chave porque ele liga-desliga um circuito elétrico, permitindo a passagem da corrente 
elétrica como resultado do fechamento de contato ou impedindo a passagem da 
corrente elétrica durante o estado de contato aberto. 
6. Eles têm as seguintes aplicações: 
Š Ligar e desligar correntes ou tensões em ambientes agressivos, como, por 
exemplo, processos industriais em que a temperatura pode ser extremamente 
alta ou baixa e nociva à saúde humana. 
Š Operar simultaneamente vários circuitos ou equipamentos em altas velocidades 
de comutação. 
Š Ligar e desligar equipamentos em sistemas lógicos de intertravamento, pela 
operação de um equipamento quando algum evento tiver ocorrido. 
Š Proteger equipamentos de sobrecarga ou subcarga quando tensão, corrente, 
temperatura, pressão, vazão, nível ou qualquer outra variável do processo varie 
além dos limites máximos e mínimos estabelecidos, sendo a interligação com os 
relés feita por meio de chaves automáticas. 
7. Para a seleção dos relés devem ser definidos os seguintes aspectos: 
Š A carga a ser controlada; 
Š O tipo de sinal de controle disponível; 
Š A quantidade de contatos necessários; 
Š As condições do ambiente em que será instalado; 
Š O espaço disponível no painel para o relé. 
8. Sensores digitais fornecem um simples sinal lógico de saída (zero ou um). Por 
exemplo, um termostato que controla o ar-condicionado de uma casa é um sensor 
digital. Quando a temperatura dentro de um quarto está abaixo do setpoint (valor 
desejado de temperatura) do termostato, sua saída é zero; quando está acima o 
termostato comuta e fornece um valor lógico 1 em sua saída. 
 Os sensores analógicos fornecem um sinal analógico de saída que pode ser tensão 
corrente, resistência, entre outros. Quando sensores são usados com Controladores 
Lógicos Programáveis (CLP), geralmente são conectados a entradas analógicas do 
CLP. 
10 Controladores Lógicos Programáveis 
9. Bobinas: a bobina e a montagem em núcleo de ferrite geram um campo eletro-
magnético a partir da energia do oscilador. 
 Oscilador: fornece a energia necessária para a geração do campo magnético nas 
bobinas. 
 Circuito de disparo: detecta mudanças na amplitude de oscilação. As mudanças 
ocorrem quando um alvo de metal se aproxima do campo magnético irradiado pelo 
sensor. 
 Circuito de saída: quando uma mudança suficiente no campo magnético é 
detectada, a saída em estado sólido fornece um sinal a uma interface para um CLP ou 
máquina. O sinal indica a presença ou ausência de um alvo de metal na distância do 
sensor. 
10. O alvo padrão é uma plaqueta quadrada de aço doce, com 1 mm de espessura e com-
primentos dos lados iguais ao diâmetro da face ativa. 
 Fator de redução: é preciso considerar ainda que metais distintos têm valores 
diferentes de resistividade (que limita as correntes parasitas); assim o tipo de metal 
afeta a distância sensora. De acordo com o tipo de material a ser utilizado, é 
necessário um fator de correção da distância sensora, como para o aço doce 1,0, aço 
inoxidável 0,9, alumínio 0,45, bronze 0,50 e cobre 0,40. 
11. Para os sensores blindados há um campo magnético mais direcionado, o que 
contribui para o aumento da precisão, da direcionalidade e da distância de operação 
do sensor. 
12. Vantagens 
Š Não é afetado por poeira ou ambientes que contenham sujeira; 
Š Não é prejudicado pela umidade; 
Š Não possui partes móveis nem contatos mecânicos; 
Š Não é dependente da cor do objeto alvo. 
 Desvantagens 
Š Somente detecta objetos metálicos; 
Š A distância sensora é menor que em outras tecnologias de sensores de pro-
ximidade; 
Š Pode ser afetado por fortes campos eletromagnéticos. 
13. O princípio de funcionamento baseia-se em dois circuitos eletrônicos: um emissor do 
feixe de luz e outro receptor dele. O emissor envia um feixe de luz de forma pulsada 
através de um LED de modo a evitar que o receptor o confunda com a luz ambiente. 
O receptor possui um fototransistor sensível à luz e um circuito que reconhece 
somente a luz vinda do emissor. 
14. Os LEDs são largamente utilizados em sensores ópticos, pois são componentes 
resistentes e confiáveis. Operam em uma larga faixa de temperatura e são muito 
resistentes a danos decorrentes de vibração e choques mecânicos. 
 Respostas dos Exercícios 11 
15. Os LEDs geralmente emitem luz e os fotodetectores são sensíveis à luz em uma 
grande área. Lentes são usadas para os fotodetectores e LEDs para estreitar e dar 
forma a essa área. À medida que a área é estreitada, o alcance aumenta. Como 
resultado, as lentes ampliam a distância sensora dos sensores fotoelétricos. 
16. Faz-se uma comutação em uma frequência elevada na ordem de 5 kHz para evitar o 
aquecimento excessivo do LED. 
17. Tem-se uma unidade, o emissor, que é a fonte luminosa que produz um feixe de luz 
focado. Considerando que, quando o receptor não recebe sinal do sensor comuta a 
sua saída, se um objeto passar entre o emissor e o receptor, o feixe de luz é 
bloqueado e o receptor comuta a sua saída. 
18. Vantagens 
Š Podem detectar pequenos objetos a longas distâncias; 
Š Os objetos podem ser opacos ou pouco translúcidos; 
Š Devido à sua habilidade de detectar através de ambientes sujos, com pó, óleo, 
entre outros, esses sensores fornecem grande confiabilidade e necessitam de 
pouca manutenção. 
 Desvantagens 
Š Mais caro, devido à exigência de emissor e receptor em separado; 
Š Necessita de duas conexões elétricas separadas; 
Š O alinhamento do feixe de luz emissor-receptor torna-se muito importante; 
Š Não detecta objetos completamente