GUIA PRÁTICO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA ASSESSORES E ESTAGIÁRIOS DE MAGISTRADOS
141 pág.

GUIA PRÁTICO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA ASSESSORES E ESTAGIÁRIOS DE MAGISTRADOS


DisciplinaIntrodução ao Direito I88.301 materiais533.037 seguidores
Pré-visualização27 páginas
nesse sentido, vier acompanhado de qualquer verbo auxiliar 
(estar, ir, etc.), este também ficará no singular: 
 
Já VAI fazer dois anos que estou aqui; ESTAVA fazendo três anos que ele não 
saía de casa. 
 
O verbo haver segue a mesma linha. Quando indicar tempo decorrido ou quando 
significar existir, realizar-se ou ocorrer, ficará sempre no SINGULAR: 
 
Ela estava me esperando HAVIA duas horas (fazia duas horas \u2013 tempo 
decorrido); 
 
Está chovendo HÁ duas semanas (faz duas semanas \u2013 tempo decorrido); 
 
HOUVE muitos acidentes (Aconteceram muitos acidentes); 
 
HAVERÁ muitas alegrias no futuro (Existirão muitas alegrias no futuro). 
 
57 
 
Fazer com que 
 
Quem faz faz alguma coisa, e não \u201ccom\u201d alguma coisa. Portanto, evite 
construções como esta: Isso fará \u201ccom\u201d que você melhore. É só tirar o \u201ccom\u201d que 
a frase ficará absolutamente certa: Isso FARÁ QUE você melhore. 
 
Fl. e fls. (abreviaturas \u2013 \u201cfolha\u201d e \u201cfolhas\u201d) 
 
Ver Crase. 
 
 
GGGGGGGGGGGGGGGGG 
 
Grama 
 
A palavra grama pode ser masculina ou feminina, de acordo com o seu 
significado. Se for capim, relva, será feminina: Não pise A grama; se for a 
unidade de medida \u2013 aquela que se usa na indicação da massa dos produtos \u2013, só 
pode ser masculina. Exemplo: 
 
Ele foi surpreendido na posse de TREZENTOS gramas de cocaína. 
 
Grosso modo 
 
Por vir do latim, a expressão é, na verdade, GROSSO MODO simplesmente (e 
não "a" grosso modo). Significa \u201cde modo superficial\u201d. Exemplo: Grosso modo, a 
tarefa é bem mais simples. 
 
 
HHHHHHHHHHHHHHHHHH 
58 
 
Há anos atrás 
 
Quando se usa o verbo haver no sentido de tempo decorrido, a ideia de passado já 
está absolutamente clara. Não é necessária a posposição de palavra de reforço. Ao 
ler ou ouvir Eu nasci há dez mil anos, o ouvinte já sabe (pelo verbo haver, que 
indica tempo decorrido) que a ação ocorreu no passado. Usar a palavra atrás 
torna-se, então, desnecessário, como dizer Subir \u201cpara cima\u201d ou Descer \u201cpara 
baixo\u201d. 
 
Há, havia 
 
O verbo haver indicando tempo decorrido (passado) deve ter o mesmo tempo da 
oração que o acompanha, quando estiver no pretérito imperfeito do indicativo 
(exemplo: eu cantava, tu cantavas, etc.). No exemplo Eu aguardava \u2018há\u2019 uma 
hora, quando você chegou, o haver deveria estar no mesmo tempo do verbo 
aguardava: 
 
Eu AGUARDAVA HAVIA uma hora, quando você chegou. 
 
Outro exemplo: 
 
Eu TINHA nascido HAVIA dois anos, quando a Segunda Guerra começou. 
 
Quando a oração que o acompanha está no tempo presente ou passado simples, 
tudo bem; nesses casos o verbo haver fica sempre no presente (HÁ): 
 
ESTOU aguardando o meu primo HÁ meia hora; 
 
Ele SAIU daqui HÁ duas horas. 
 
Haja vista 
 
59 
 
Não existe a expressão \u201chaja visto\u201d. A forma correta é HAJA VISTA: Não 
poderemos viajar, HAJA VISTA os problemas climáticos. 
 
 
Haver 
 
O verbo haver, no sentido de existir, ocorrer e realizar-se, nunca vai para o 
plural. Fica sempre na terceira pessoa do singular. Exemplos: Há (existe) uma 
pessoa na sala; Há (existem) três pessoas na sala. Independentemente do tempo 
em que o verbo estiver \u2013 passado, presente ou futuro \u2013, deixe-o sempre no 
singular, quando o sentido for o de existir, ocorrer ou realizar-se. Outros 
exemplos: 
 
Haverá (realizar-se-ão) reuniões às sextas; 
 
Houve (ocorreram) vários acidentes no carnaval; 
 
Há (existem) muitas incoerências neste contrato. 
 
Nos três sentidos citados, o verbo haver é chamado de impessoal, por não 
concordar com sujeito algum. 
 
É fundamental lembrar que esse verbo transmite a sua impessoalidade a qualquer 
auxiliar que o acompanhe. Isso quer dizer que, se o verbo haver for impessoal, 
não só ele mas qualquer auxiliar que o acompanhe deverão ficar no singular. 
Exemplos: 
 
Deve haver muitos dólares nesta maleta (e não "Devem haver"...); 
 
Provavelmente vai haver outros acordos entre os países (e não "Vão haver"...). 
 
Hífen 
 
1) Uso do hífen nos prefixos (ou falsos prefixos): principais regras 
60 
 
 
a) prefixos além, aquém, recém, sem, vice, ex, pós, pré, pró, soto e sota: usa-se 
sempre o hífen. 
 
Exemplos: além-mar, pré-natal. 
 
b) prefixo terminado em vogal: usa-se o hífen se a palavra a que ele se liga se 
inicia pela mesma vogal ou h. 
 
Exemplos: macroeconomia, minicarro, mini-ilha, neo-humanismo, neorromântico, 
extraordinário, infraestrutura, tele-entrega, anti-inflamatório. 
 
Observações: 
 
a) se a palavra for iniciada por R ou S, tais letras serão duplicadas, como em 
CONTRARRAZÕES; 
 
b) com os prefixos co, re, pre (sem acento) e pro (sem acento), não se usa o 
hífen. 
 
c) prefixo terminado em consoante: usa-se o hífen se a palavra a que ele se liga 
se inicia pela mesma consoante, r ou h. 
 
Exemplos: supersensato, super-romântico, super-humilde, subsolo, sub-base, 
sub-regional. 
 
Observação: trans, in, des e an são usados sem hífen. 
 
Exemplos: transexual, inabitado, desumano. 
 
d) prefixos pan e circum: usa-se o hífen se a palavra a que eles se ligam se inicia 
por m, n, vogal ou h. 
 
Exemplos: pan-humanismo, circum-oral, circum-navegação. 
61 
 
 
e) prefixo mal: usa-se o hífen se a palavra a que ele se liga se inicia pela mesma 
consoante, h ou vogal. 
 
Exemplos: mal-limpo, mal-humorado, mal-acabado, malsucedido. 
 
2) Uso do hífen em palavras compostas (formadas pela junção de palavras 
autônomas): principais regras 
 
a) Usa-se o hífen em compostos formados por palavras iguais ou quase iguais: 
zigue-zague, tico-tico, reco-reco. 
 
b) Não se usa o hífen em compostos com elementos de ligação, inclusive os de 
base oracional: ponto e vírgula, dia a dia, pé de moleque, leva e traz, deus nos 
acuda. 
 
Exceções: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-
meia, ao deus-dará, à queima-roupa. 
 
Observação: indicando nomes de espécies zoológicas e botânicas, os compostos 
sempre terão hífen. Exemplos: mico-leão-dourado, pimenta-do-reino. 
 
c) Usa-se o hífen quando entre as palavras há apóstrofo: pé-d\u2019água, gota-
d\u2019água. 
 
d) Usa-se o hífen nos derivados de topônimos, com ou sem elemento de 
ligação: Mato Grosso / mato-grossense; Rio Grande do Norte / rio-grandense-do-
norte. 
 
Horas 
 
Nas abreviaturas, indique as horas com o símbolo h e os minutos com min, sem 
dois-pontos. Exemplos: 23h30min, 2h, 16h, 14h30min. 
62 
 
 
IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII 
 
Infinitivo (concordância com o infinitivo) 
 
Antes de compreender o emprego do infinitivo, urge saber que a eufonia (som 
agradável) deve imperar no seu emprego. As regras trazidas pelas gramáticas não 
são tão sólidas e estão, segundo os próprios livros, submetidas ao princípio da 
eufonia e ao costume. Isso quer dizer que, em alguns casos, é possível renunciar 
às inconsistentes regras, em virtude de uma sonoridade mais natural, agradável e 
comum. 
 
Para entendermos as regras, vamos entender alguns conceitos: 1) infinitivo \u2013 é o 
verbo em seu estado natural, terminando em ar, er ou ir (e or, no caso do verbo 
pôr). Exemplos: cantar, estudar, vender, soer, partir, etc.; 2) infinitivo pessoal \u2013 
é aquele que, como o próprio nome diz, se refere às pessoas do discurso. 
Exemplos: para eu amar, para tu amares, para ele amar, para nós amarmos, 
para vós amardes, para eles amarem. Veja que em tu, nós, vós e eles há uma 
terminação especial no verbo, que indica que ele é flexionado (mos, por exemplo, 
mostra que o verbo se refere