Eletricidade   CPMA.COMUNIDADES.NET
276 pág.

Eletricidade CPMA.COMUNIDADES.NET


DisciplinaEletricidade4.709 materiais22.979 seguidores
Pré-visualização50 páginas
sa\u2dco condutores. O verso´rio de
pla´stico e´ feito com um chape´u horizontal isolante, Figuras 3.5 e 6.21 (b). Ja´ o
verso´rio de Du Fay e´ feito com um material isolante na horizontal (o pla´stico),
possuindo um condutor em uma u´nica ponta (o papel de alum\u131´nio), Figuras 4.22
e 6.21 (c).
(a) (b) (c).
condutor
isolanteisolante
condutor
Figura 6.21: Composic¸a\u2dco de um verso´rio. (a) Verso´rio meta´lico. (b) Verso´rio
de pla´stico. (c) Verso´rio de Du Fay.
O pe\u2c6ndulo ele´trico e´ composto de um \ufb01o de seda isolante e de um condutor
em sua ponta, feito de papel de alum\u131´nio ou de papel comum, Figura 6.22. O \ufb01o
de seda e´ crucial. E´ ele, juntamente com os canudos de pla´stico que compo\u2dcem o
pe\u2c6ndulo, que impede a carga adquirida pelo me´todo ACR de descarregar para
a Terra. Se na\u2dco fosse pelo \ufb01o de seda e pelos canudos de pla´stico, o papel de
alum\u131´nio na\u2dco poderia permanecer carregado depois do contato com um isolante
atritado. Se o disco de papel estivesse suspenso por um \ufb01o de algoda\u2dco preso a um
espeto de madeira, na\u2dco ocorreria o mecanismo de atrac¸a\u2dco, contato e repulsa\u2dco.
Como os \ufb01os de na´ilon (poliamida sinte´tica) e de polie´ster tambe´m se com-
portam como isolantes, e´ poss´\u131vel utiliza´-los para construir um pe\u2c6ndulo ele´trico.
O mesmo ja´ na\u2dco ocorre com \ufb01os de algoda\u2dco, que se comportam como condutores.
Ja´ o eletrosco´pio e´ constitu´\u131do de dois condutores, a cartolina e a tirinha
155
isolante
condutor
Figura 6.22: Composic¸a\u2dco de um pe\u2c6ndulo ele´trico.
de papel de \u201cseda,\u201d sustentados por um isolante, o canudo de pla´stico, Figura
6.23. Este canudo de pla´stico e´ crucial. E´ ele que previne a descarga de um
eletrosco´pio eletrizado para a Terra.
condutor
isolante
condutor
Figura 6.23: Composic¸a\u2dco de um eletrosco´pio.
Se em vez do canudo de pla´stico tive´ssemos um palito de madeira de chur-
rasco, o eletrosco´pio eletrizado se descarregaria para a Terra atrave´s do palito.
Isto e´, na\u2dco seria poss´\u131vel manter o eletrosco´pio carregado depois de ter sido
raspado com um pla´stico previamente atritado.
6.6 In\ufb02ue\u2c6ncia da Diferenc¸a de Potencial Ele´trico
sobre o Comportamento Condutor ou Iso-
lante de um Corpo
Nas Experie\u2c6ncias 6.4, 6.10 e 6.12 classi\ufb01camos os materiais em condutores e
isolantes dependendo se descarregavam ou na\u2dco um eletrosco´pio carregado. Uma
outra possibilidade de fazer esta classi\ufb01cac¸a\u2dco e´ observando se descarregam ou
156
na\u2dco uma pilha ele´trica.
De\ufb01nic¸o\u2dces: Sa\u2dco chamados de condutores aqueles materiais que descarregam
a pilha ao serem o elo de ligac¸a\u2dco entre o terminal positivo e o terminal negativo
da pilha. Ja´ os materiais que na\u2dco descarregam a pilha ao serem o elo de ligac¸a\u2dco
entre seus terminais sa\u2dco chamados de isolantes. Vamos agora analisar como se
faz esta nova classi\ufb01cac¸a\u2dco.
Experie\u2c6ncia 6.17
Os materiais utilizados nesta experie\u2c6ncia esta\u2dco representados na Figura 6.24.
Pegam-se tre\u2c6s pedac¸os encapados de \ufb01o de cobre e suas pontas sa\u2dco desencapadas,
Figura 6.24 (a). Utiliza-se uma pilha nova alcalina, tamanho grande, que gera
entre seus polos uma diferenc¸a de potencial de 1,5 volt = 1,5 V, como na Figura
6.24 (b). Esta e´ a pilha tipo D. E´ u´til utilizar tambe´m um suporte para pilha,
que vai facilitar sua ligac¸a\u2dco ele´trica com os \ufb01os. Utiliza-se tambe´m uma pequena
la\u2c6mpada de lanterna que acenda com 1,5 volt. A la\u2c6mpada deve ser enroscada
em um bocal ou soquete apropriado, Figura 6.24 (c). Isto facilita os contatos
ele´tricos. Uma chave para fechar ou abrir o circuito tambe´m e´ u´til, embora
isto na\u2dco seja essencial. Todas estas coisas podem ser encontradas em lojas de
material ele´trico ou eletro\u2c6nico.
(a) (b) (c).
+
-
Figura 6.24: (a) Tre\u2c6s \ufb01os desencapados nas pontas. (b) Uma pilha. (c) Uma
la\u2c6mpada.
Uma das extremidades desencapadas do primeiro \ufb01o e´ ligada ao terminal
negativo da pilha, com a outra extremidade desencapada \ufb01cando livre no ar.
Esta parte livre esta´ representada pela letra \ud434 na Figura 6.25. Uma das ex-
tremidades do segundo \ufb01o e´ ligada ao terminal positivo da pilha, com a outra
extremidade ligada a um dos contatos do bocal da la\u2c6mpada. Uma das extre-
midades do terceiro \ufb01o e´ ligada ao outro contato do bocal da la\u2c6mpada, com a
outra extremidade do \ufb01o \ufb01cando livre no ar (vamos chama´-la de \ud435). A dista\u2c6ncia
entre as extremidades \ud434 e \ud435 deve ser da ordem de uns 10 cm, Figura 6.25.
Quando tudo estiver pronto, deve-se pegar um quarto pedac¸o de \ufb01o de cobre
desencapado nas duas pontas. Uma de suas extremidades deve ser ligada ao
ponto\ud434 e a outra ao ponto \ud435. Neste caso a la\u2c6mpada deve acender, indicando que
os contatos ele´tricos esta\u2dco bem feitos. Isto tambe´m indicara´ que esta´ passando
corrente ele´trica pelo \ufb01o, Figura 6.26.
De\ufb01nic¸a\u2dco: Diz-se que o \ufb01o de cobre e´ condutor quando esta´ sob a ac¸a\u2dco de
uma diferenc¸a de potencial de 1,5 volt. O motivo para esta de\ufb01nic¸a\u2dco e´ que, ao
coloca´-lo entre \ud434 e \ud435, fechando o circuito, a la\u2c6mpada acende.
157
A B
+
-
Figura 6.25: Montagem para testar se uma certa substa\u2c6ncia e´ condutora ou
isolante.
A B
+
-
Figura 6.26: Ao ligar um \ufb01o de cobre desencapado nas duas pontas entre \ud434 e
\ud435, observa-se que a la\u2c6mpada acende.
Caso se deixe a la\u2c6mpada ligada por va´rios minutos, a pilha vai \ufb01cando cada
vez mais fraca. Isto e´ indicado pelo brilho da la\u2c6mpada, que vai diminuindo ate´
apagar. Neste caso a pilha foi descarregada. Para evitar que a pilha se gaste, o
ideal e´ abrir o contato ta\u2dco logo se perceba que a la\u2c6mpada acendeu.
Experie\u2c6ncia 6.18
Antes de realizar o procedimento descrito a seguir, e´ fundamental que a
Experie\u2c6ncia 6.17 tenha dado certo, acendendo a la\u2c6mpada. Isto vai indicar que
todos os contatos ele´tricos esta\u2dco bem feitos. Vamos supor que a pilha continue
forte e bem carregada depois que o quarto \ufb01o de cobre foi retirado.
Liga-se agora os pontos\ud434 e \ud435 com um canudo pla´stico. Neste caso a la\u2c6mpada
na\u2dco acende, indicando que na\u2dco ha´ passagem de corrente ele´trica pelos \ufb01os, Figura
6.27 (a).
De\ufb01nic¸a\u2dco: Diz-se que o pla´stico e´ um material isolante quando esta´ sob a
ac¸a\u2dco de uma diferenc¸a de potencial de 1,5 volt. O motivo para esta de\ufb01nic¸a\u2dco e´
que ele na\u2dco permite o descarregamento da pilha quando e´ o elo de ligac¸a\u2dco entre
seus terminais positivo e negativo. Isto e´ indicado pelo fato da la\u2c6mpada na\u2dco
acender quando o pla´stico e´ colocado entre \ud434 e \ud435.
Experie\u2c6ncia 6.19
Repete-se a Experie\u2c6ncia 6.17, mas agora ligando outras substa\u2c6ncias entre os
pontos \ud434 e \ud435.
Para que tudo \ufb01que mais pra´tico, pode-se tambe´m colocar uma chave no meio
do primeiro ou do segundo \ufb01o. Com esta chave pode-se fechar e abrir o contato
158
A B
+
-
A B
+
-
(a) (b)
Figura 6.27: (a) Ao ligar um canudo pla´stico nas duas pontas entre \ud434 e \ud435,
observa-se que a la\u2c6mpada na\u2dco acende. (b) A la\u2c6mpada permanece desligada ao
ligar \ud434 e \ud435 atrave´s de um palito de madeira.
ele´trico a` vontade. Abre-se esta chave e coloca-se entre \ud434 e \ud435 a substa\u2c6ncia a
ser testada. Fecha-se enta\u2dco a chave e observa-se o brilho da la\u2c6mpada.
De\ufb01nic¸o\u2dces: Caso a la\u2c6mpada acenda, diz-se que a substa\u2c6ncia e´ condutora.
Caso a la\u2c6mpada permanec¸a apagada, diz-se que a substa\u2c6ncia e´ isolante. Podem
ser testadas todas as substa\u2c6ncias listadas na Experie\u2c6ncia 6.12.
Na Figura 6.27 (b) ilustramos o resultado da experie\u2c6ncia para o caso de
ligarmos \ud434 e \ud435 por um espeto de churrasco de madeira. Como a la\u2c6mpada na\u2dco
se acende neste caso, conclui-se que um espeto de madeira e´ isolante quando esta´
sob a ac¸a\u2dco de uma diferenc¸a de potencial de 1,5 volt embora ela se comporte
como um condutor para diferenc¸as de potencial bem maiores do que esta.
Experie\u2c6ncia 6.20
Para testar l´\u131quidos, o ideal e´ obter um recipiente isolante (como um copo
pla´stico, por exemplo), vazio, que vai ser depois preenchido com o l´\u131quido a ser
testado. Para veri\ufb01car se o recipiente