EXPERIMENTOS Mecânica mecatronica aeronautica
29 pág.

EXPERIMENTOS Mecânica mecatronica aeronautica


DisciplinaCiências4.421 materiais272.248 seguidores
Pré-visualização9 páginas
Engenharia Mecânica, Mecatrônical e Aeronáutica/Laboratório de Química 1
 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA 
INSTITUTO DE QUÍMICA 
 
 
 
 
 
 
DISCIPLINA: QUÍMICA BÁSICA - IQUFU49011 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Prof. Dr. Eduardo de Faria Franca 
Profa. Dra. Silvana Guilardi 
 
2012 
 
 
 
Engenharia Mecânica, Mecatrônical e Aeronáutica/Laboratório de Química 2
EXPERIMENTO No 1 
NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA E TÉCNICAS BÁSICAS DE LABORATÓRIO 
 
Objetivo: Apresentar o laboratório de Química; Tratar questões sobre segurança no laboratório; Apresentar 
a utilização dos principais equipamentos e vidrarias do laboratório. Reconhecer as principais unidades do 
SI; Representar grandezas com uso de algarismos significativos e notação científica; Efetuar operações 
com algarismos significativos. 
 
NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA: 
Ao iniciar seu trabalho em um laboratório químico, é importante que você conheça procedimentos 
de segurança que permitem sua atuação com o mínimo de riscos. Com a finalidade de diminuir a freqüência 
e a gravidade de acidentes em laboratório, torna-se imprescindível que durante os trabalhos se observe 
uma série de normas de segurança: 
\uf0a7 Siga rigorosamente as instruções específicas do professor. 
\uf0a7 Não fume e não se alimente dentro do laboratório. 
\uf0a7 É obrigação do aluno ao adentrar em um laboratório, que esteja trajando um avental adequado. 
\uf0a7 Se o trabalho envolve desprendimento de gases e / ou vapores tóxicos, o mesmo de ser realizado 
no interior da capela. 
\uf0a7 Ao aquecer um tubo de ensaio contendo solução (ou qualquer outra substância) nunca o aponte 
para si ou para o vizinho. O superaquecimento pode dar origem a formação brusca de bolhas de 
vapor com expulsão do conteúdo de forma violenta e perigosa. 
\uf0a7 Nunca use o paladar para identificar alguma substância. 
\uf0a7 Acostume-se a retirar quantidades mínimas de reagentes. Nunca se deve recolocar sobras de 
reagentes nos recipientes originais. Assim, você evitará contaminações e desperdício. 
\uf0a7 Quando você retirar um frasco de reagente da estante tenha o cuidado de coloca-lo no mesmo 
lugar, imediatamente após o uso. 
\uf0a7 Qualquer acidente por menor que seja deve ser comunicado ao professor. 
\uf0a7 Ao introduzir tubos de vidro em rolhas, umedeça-os convenientemente e enrole a peça de vidro em 
uma toalha para proteger as mãos. 
\uf0a7 Quando for testar um produto químico pelo odor, não coloque o frasco sob o nariz. Desloque os 
vapores que se desprendem com as mãos em sua direção. 
\uf0a7 Ao se retirar do laboratório, verifique se não há torneiras abertas (água ou gás). Desligue todos os 
aparelhos, deixe todos os equipamentos limpos e lave as mãos. 
\uf0a7 O trabalho em laboratório exige concentração. Não converse desnecessariamente, nem distraia 
seus colegas. TRABALHE COM ATENÇÃO, MÉTODO E CALMA. 
 
Outras normas de segurança serão apresentadas no decorrer de experimentos, à medida que forem 
necessárias. 
 
 
 
 
SÍMBOLOS IMPORTANTES 
Engenharia Mecânica, Mecatrônical e Aeronáutica/Laboratório de Química 3
 
 
Engenharia Mecânica, Mecatrônical e Aeronáutica/Laboratório de Química 4
EQUIPAMENTOS BÁSICOS DE LABORATÓRIO 
 A execução de qualquer experimento em Química envolve geralmente a utilização de uma 
variedade de equipamentos de laboratório, com finalidades específicas. A seguir são apresentados alguns 
equipamentos básicos e as situações mais freqüentes em que eles são usados: 
 
BICO DE GÁS: Ë utilizado em aquecimento em geral, excetuando-se materiais inflamáveis. A Figura 1 ilustra 
diferentes tipos de bico de gás e a Figura 2, suas partes e as regiões da chama. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 1 \u2013 Diferentes tipos de bicos de gás: (A) Bico de Bunsen; (B) Bico de Tirril; (C) Bico de Mecker. 
 
Figura 2 \u2013 Partes de um bico de gás e regiões da chama. (1). Haste; (2) base; (3) anel de regulagem do ar primário; (4) 
mangueira de gás; (a) zona oxidante; (b) zona redutora; (c) zona de gases ainda não queimados. 
 Na zona oxidante, quase invisível, os gases sofrem combustão completa. Na zona redutora, que é 
a região mais luminosa, ocorre combustão incompleta dos gases. Na zona neutra, encontram-se os gases 
que ainda não sofreram combustão. 
 
Para acender um bico de gás procede-se do seguinte modo: 
a) Fecha-se completamente a entrada de ar do bico 
b) Abre-se lentamente a válvula de alimentação de gás. 
c) Aproxime lentamente a chama de um fósforo, obtendo-se assim uma chama amarelada grande e 
luminosa. 
d) Abre-se lentamente a entrada de ar até que a chama fique completamente azul. 
e) Para apagar o fogo, feche a janela e diminua a chama girando a torneira do gás até fechá-la. 
 
A B C 
Engenharia Mecânica, Mecatrônical e Aeronáutica/Laboratório de Química 5
BALÃO VOLUMÉTRICO: É utilizado no preparo e diluição de soluções, com volumes precisos e pré-fixados. 
Trata-se de um recipiente calibrado, destinado a conter um determinado volume de líquido, a uma dada 
temperatura geralmente 20o C, podendo ser usado sem erro apreciável em temperaturas de \uf0b1 8o C da 
temperatura indicada (Figura 3A). 
BECKER: É utilizado para o aquecimento de líquidos, dissolução para o preparo de soluções, dissolução de 
sólidos, etc (Figura 3B). 
BURETA: É um equipamento calibrado para medidas volumétricas precisas de líquido, utilizado 
especialmente nos casos de titulação (Figura 3C). 
PIPETAS: É um instrumento utilizado para medidas precisas de volumes de líquidos. Existem dois tipos de 
pipetas: pipetas graduadas (Figura 3D) e pipetas volumétricas (Figura 3E). Onde uma pipeta graduada é 
utilizada para escoar volumes variáveis e uma volumétrica para escoar volumes fixos de um líquido. 
PROVETA: Trata-se de um cilindro com graduações, destinado à medida aproximada de volumes líquidos. 
(Figura 3F) 
 
 
 
 
Figura 3 \u2013 Algumas vidrarias básicas de laboratório. (A) balão volumétrico; (B) béquer; (C) bureta; (D) pipeta graduada; 
(E) pipeta volumétrica; (F) proveta. 
 
LIMPEZA DOS MATERIAIS VOLUMÉTRICOS 
 Todos os equipamentos volumétricos utilizados em uma análise quantitativa devem estar 
perfeitamente limpos antes do uso, pois a presença de substâncias gordurosas nas suas paredes internas 
pode induzir a erros no resultado final de uma dada análise. Verifica-se o estado de limpeza de um aparato 
volumétrico, enchendo-o com água a observando-se o seu escoamento. Se gotículas ou uma película não 
uniforme de água permanecer aderente às paredes internas do recipiente, o mesmo deve então ser limpo. 
 Utilizam-se geralmente como soluções de limpeza: solução de detergente a 1-2%, solução 
sulfocrômica ou solução de etanolato de sódio ou potássio, e em seguida lava-se com bastante água da 
torneira, e por ultimo água destilada. 
 O equipamento volumétrico é dado como limpo ao se verificar que a água destilada escorre 
uniformemente pelas paredes internas do recipiente. 
 
COMO EFETUAR A MEDIDA DE VOLUMES DE LÍQUIDOS 
 Ao se colocar um determinado líquido em um recipiente para efetuar a medida de seu volume, a 
linha divisória entre o líquido e o ar denomina-se menisco e é utilizada como referência para a leitura do 
volume. 
 Para a maioria dos líquidos, o menisco apresenta um mínimo na região central do aparelho de 
medida. Isto ocorre devido à superioridade das forças adesivas (líquido-recipiente) em relação às forças 
A B D C E F 
Engenharia Mecânica, Mecatrônical e Aeronáutica/Laboratório de Química 6
coesivas (líquido-líquido). Se o líquido for transparente, deve-se utilizar o ponto de mínimo para efetuar a 
leitura. Se for opaco, utiliza-se a parte superior. 
 Nos casos em que as forças coesivas (líquido-líquido) são maiores que as forças adesivas (líquido-
recipiente) o menisco apresenta um ponto de máximo, o qual deve ser utilizado como referência para leitura. 
 Para efetuar a leitura do volume de um líquido, procure posicionar-se de modo que a sua linha de 
visão fique, em relação à superfície do líquido, como ilustrado na figura 4A. Este procedimento evita erros 
de leitura