APOSTILA DE CONTABILIDADE
79 pág.

APOSTILA DE CONTABILIDADE


DisciplinaContabilidade / Ciências Contábeis84.001 materiais551.494 seguidores
Pré-visualização13 páginas
o somatório das contas analíticas que recebem os 
lançamentos contábeis, como, por exemplo, Caixa e Equivalentes de Caixa. 
 
Nível 4: Contas analíticas que recebem os lançamentos contábeis, como, por exemplo, Bancos 
Conta Movimento. 
 
Exemplo de plano de contas com quatro níveis conforme acima: 
 
\uf0d8 Nível 1 \u2013 Ativo 
 
\uf0d8 Nível 2 \u2013 Ativo Circulante 
 
\uf0d8 Nível 3 \u2013 Caixa e Equivalentes de Caixa 
 
\uf0d8 Nível 4 \u2013 Bancos Conta Movimento 
 
 
O contabilista responsável pela escrituração contábil deverá avaliar a quantidade de dígitos em 
cada nível, de forma que atenda as necessidades da empresa. 
 
A seguir apresentamos um modelo de Plano de Contas simplificado disponível no anexo IV da 
Resolução CFC nº 1.418/12: 
 
20 
 
PLANO DE CONTAS SIMPLIFICADO 
 
 
 
Código Descrição das Contas 
1 ATIVO 
 
1.1 ATIVO CIRCULANTE 
 
1.1.1 Caixa e Equivalentes de Caixa 
1.1.1.01 Caixa 
1.1.1.02 Bancos Conta Movimento 
 
1.1.2 Contas a Receber 
1.1.2.01 Clientes 
1.1.2.02 (-) Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa 
 
1.1.3 Estoque 
1.1.3.01 Mercadorias 
1.1.3.02 Produtos Acabados 
1.1.3.03 Insumos 
 
1.1.4 Outros Créditos 
1.1.4.01 Títulos a Receber 
1.1.4.02 Impostos a Recuperar 
1.1.4.03 Outros Valores a Receber 
 
 
21 
 
1.3 ATIVO NÃO CIRCULANTE 
 
1.3.1 Realizável a Longo Prazo 
1.3.1.01 Contas a Receber 
1.3.1.02 (-) Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa 
 
1.3.2 Investimentos 
1.3.2.01 Participações Societárias 
1.3.2.02 Outros Investimentos 
 
1.3.3 Imobilizado 
1.3.3.01 Terrenos 
1.3.3.02 Edificações 
1.3.3.03 Máquinas e Equipamentos 
1.3.3.04 Veículos 
1.3.3.05 Móveis e Utensílios 
1.3.3.06 (-) Depreciação Acumulada 
 
1.3.4 Intangível 
1.3.4.01 Softwares 
1.3.4.02 (-) Amortização Acumulada 
 
2 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 
 
2.1 PASSIVO CIRCULANTE 
 
 
22 
 
2.1.1 Fornecedores Nacionais 
2.1.1.01 Fornecedor 
 
2.1.2 Empréstimos e Financiamentos 
2.1.2.01 Empréstimos Bancários 
2.1.2.02 Financiamentos 
 
2.1.3 Obrigações Fiscais 
2.1.3.01 SIMPLES NACIONAL 
2.1.3.02 ICMS a Recolher 
2.1.3.03 ISSQN a Recolher 
 
2.1.4 Obrigações Trabalhistas e Sociais 
2.1.4.01 Salários a Pagar 
2.1.4.02 FGTS a Recolher 
2.1.4.03 INSS dos Segurados a Recolher 
 
2.1.5 Contas a Pagar 
2.1.5.01 Telefone a Pagar 
2.1.5.02 Energia a Pagar 
2.1.5.03 Aluguel a Pagar 
 
2.1.6 Provisões 
2.1.6.01 Provisão de Férias 
2.1.6.02 Provisão de 13º Salário 
2.1.6.03 Provisão de Encargos Sociais sobre Férias e 13º Salário 
 
23 
 
 
2.2 PASSIVO NÃO CIRCULANTE 
 
2.2.1 Financiamentos 
2.2.1.01 Financiamentos Banco A 
 
2.2.2 Outras Contas a Pagar 
2.2.2.01 Empréstimos de Sócios 
 
2.3 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 
 
2.3.1 Capital Social 
2.3.1.01 Capital Subscrito 
2.3.1.02 (-) Capital a Integralizar 
 
2.3.2 Reservas 
2.3.2.01 Reservas de Capital 
2.3.2.02 Reservas de Lucros 
 
2.3.3 Lucros/Prejuízos Acumulados 
2.3.3.01 Lucros Acumulados 
2.3.3.02 (-) Prejuízos Acumulados 
 
3 RECEITAS 
 
3.1 Receitas Operacionais 
 
24 
 
 
3.1.1 Receitas de Venda 
3.1.1.01 Venda de Produtos 
3.1.1.02 Venda de Mercadorias 
3.1.1.03 Venda de Serviços 
3.1.1.04 (-) Deduções de Tributos, Abatimentos e Devoluções 
 
3.1.2 Receitas Financeiras 
3.1.2.01 Receitas de Aplicações Financeiras 
3.1.2.02 Juros Ativos 
 
3.1.3 Outras Receitas Operacionais 
3.1.3.01 Receitas de Venda de Imobilizado 
3.1.3.02 Receitas de Venda de Investimentos 
3.1.3.03 Outras Receitas 
 
4 DESPESAS 
4.1 Despesas Operacionais 
4.1.1 Despesas de Comercialização 
4.1.1.01 Despesas Administrativas 
4.1.1.02 Despesas com Vendas 
4.1.1.03 Outras Despesas Gerais 
 
 
 
25 
 
METODO DAS PARTIDAS DOBRADAS 
 
É o método pelo qual cada Débito efetuado em uma ou mais contas, deve corresponder um 
Crédito em uma ou mais contas, de tal forma que o total debitado seja sempre igual ao total 
creditado. Isso significa que toda aplicação de recurso deve ter uma origem, portanto não há 
Débito sem um Crédito correspondente ou não há uma aplicação sem uma origem respectiva. 
 
DÉBITO = Aplicação do Recurso CRÉDITO = Origem do Recurso 
 
Origem: aprimoramento das partidas simples. 
Propósito: evidenciar o efeito provocado ao patrimônio, a partir de um fato contábil. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Duas Perguntas Essenciais... 
 
26 
 
REGISTROS CONTÁBEIS 
 
 
DEBITO \u2013 Corresponde ao aumento de Bens ou Diretos, ou ainda a diminuição de Obrigações. A 
título de exemplo, debitamos a conta de \u201cDuplicatas a Receber\u201d pela venda a prazo, pois esta 
conta agora é um devedor da empresa, deve pagar a duplicata. 
 
CREDITO \u2013 Corresponde ao aumento de obrigações para com alguém ou a diminuição de bens ou 
direitos de uma empresa. A título de exemplo, creditamos a conta de fornecedores pelo 
lançamento do registro de uma obrigação, pois o fornecedor passou a ser credor da empresa. 
 
REGRA DE COMO FAZER LANÇAMENTOS CONTÁBEIS: 
 
ATIVO PASSIVO RESULTADO 
(+) Aumenta = DÉBITO (+) Aumenta = CRÉDITO (+) RECEITA = CRÉDITO 
(-) Diminui = CRÉDITO (-) Diminui = DÉBITO (-) DESPESA = CRÉDITO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
27 
 
ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL 
 
Livro Diário 
 
Todos os registros de fatos ocorridos em uma entidade, no decorrer de um terminado exercício, 
devem ser escriturados em um livro que chamamos de Livro Diário. Sendo um dos livros 
obrigatórios para efeitos de registros e posteriores fiscalizações pelos órgãos competentes, 
devendo seguir algumas formalidades para ser escriturado conforme a seguir: 
 
No Livro Diário devem ser lançadas, em ordem cronológica, com individualização, clareza e 
referência ao documento probante, todas as operações ocorridas, e quaisquer outros fatos que 
provoquem variações patrimoniais. 
 
A escrituração deve conter, no mínimo: 
 
a) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu; 
b) conta devedora; 
c) conta credora; 
d) histórico que represente a essência econômica da transação. 
e) valor do registro contábil; 
f) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram um 
mesmo lançamento contábil. 
 
 
Razão 
 
Este livro tem por finalidade informar a movimentação de cada conta escriturada no livro Diário. 
Ele seguira a mesma ordem cronológica que o Livro Diário. No Razão será demonstrado em cada 
folha de seu livro, o movimento de uma determinada conta, sempre trazendo o seu saldo inicial, 
a movimentação do período e o saldo final, sendo devedor ou credor. 
 
Para este livro, não existe nenhuma formalidade básica, seja para a sua escrituração ou para o 
seu registro. Para a legislação comercial, ele não é um livro obrigatório para as empresas, sendo 
um livro facultativo, já para os contribuintes do imposto de renda com base no Lucro Real se 
torna obrigatório conforme a legislação fiscal. 
 
 
28 
 
Balancete de Verificação 
 
Balancete de Verificação tem a finalidade de identificar os possíveis erros após ter feito os 
registros no livro diário e no razão. É uma demonstração facultativa para as empresas ou 
entidades, e a sua estrutura terá três colunas, onde na primeira encontra-se saldo inicial da 
conta, na Segunda a movimentação (a débito e a crédito) do referido período e na terceira, o 
saldo final da conta. Esses saldos, no Balancete de Verificação devem ser iguais, aos do Diário e 
Razão.