portfólio individual A RELAÇÃO QUESTÃO SOCIAL, POLÍTICAS SOCIAIS E INTERVENÇÃO PROFISSIONAL.
12 pág.

portfólio individual A RELAÇÃO QUESTÃO SOCIAL, POLÍTICAS SOCIAIS E INTERVENÇÃO PROFISSIONAL.


DisciplinaServiço Social25.114 materiais96.021 seguidores
Pré-visualização3 páginas
entre proprietários e trabalhadores e não colocar em risco o modelo de acumulação de capital.
Assim sendo, o estado passa e perceber o enfrentamento à questão social como um compromisso seu. Para tanto, inicia- se ai a adoção de políticas sociais como estratégias para frear o movimento de protesto dos operários e garantir uma relação estável entre a burguesia, estado e a classe trabalhadora. Vale ressaltar que o assistente social destaca- se nessa realidade como o interlocutor da ação do estado contra as expressões da questão social, através do trabalho de implantação e implementação das políticas sociais.
No tocante ao papel do Estado na produção capitalista em sua fase monopolista, vale ressaltar que é nesse estágio que as funções do Estado são compelidas sistematicamente em torno do desenvolvimento, expansão e acumulação do capital. Conforme Braverman (1978) é na fase do capitalismo monopolista que a ação do Estado amplia-se e consequentemente assume uma forma mais complexa e alinhada, tendo em vista a modificação da sua intervenção de maneira funcional e estruturalmente voltada para o atendimento das exigências do capital.
No processo de desenvolvimento capitalista é que são criadas as condições reais para o surgimento do capitalismo monopolista. Nessa fase, torna-se indispensável a intervenção do Estado na economia como meio de abrandar a estagnação e sua intervenção na questão social, tornando-se uma instância cuja função engloba os julgamentos diante dos conflitos gerados nas relações de trabalho.
Nesse sentido, as políticas sociais podem ser entendidas como estratégias governamentais de intervenção nas relações sociais, no controle da força de trabalho e na regulamentação de direitos sociais básicos às pessoas atingidas pelo modo capitalista de produção e pela concentração de capital nas mão de uma minoria, ou seja, ela surge como medidas de enfrentamento às expressões da questão social com o intuito de diminuir a distância entre o pequeno grupo de proprietários, que concentra uma enorme riqueza e o grande grupo dos trabalhadores que lutavam por melhores salários e condições dignas de trabalho, e assim garantir a continuidade do desenvolvimento capitalista, vale aqui ressaltar que implantação das políticas sociais são de iniciativa do estado, porém sua geração só foi possível devido a insistência dos trabalhadores em reivindicar seus direitos.
Portanto, é possível compreender porque muitos autores afirmam que a políticas sociais tem o papel entendido como contraditório, pois de um lado tem a finalidade de minimizar as desigualdades sociais e a situação de pobreza decorrentes do modo de produção capitalista, isto é, de melhorar as condições de vida e de trabalho dos operários, e do outro o de manter positivo o desenvolvimento da economia política do capital.
Estudando a história da política no Brasil pode- se perceber que a política social brasileira compõe- se e recompõem- se, conservando em sua execução o caráter fragmentário, setorial e emergencial, sempre sustentada pela imperiosa necessidade da dar legitimidade as reivindicações e até as pressões da sociedade.( VIEIRA apud GOES, 2009. p.45).
Essa afirmação pode ser certificado situando- se na história, pois desde suas origens em meados de 1930 até o ano de 1960, as políticas sociais desenvolveram- se mais direcionadas a proteção aos trabalhadores , afim de criar condições para garantir a força de trabalho adequada e de assegurar ao indivíduo melhores condições de trabalho. Para tanto, algumas medidas foram tomadas pelo estado em consonância com a classe operário e os proprietários do capital/ os possuidores de riquezas e do meio de produção, como por exemplo, a criação da Caixa de Aposentadoria e Pensões( CAP), do Institutos de Aposentadorias e Pensões( IAPs), e da Legião Brasileira de Assistência( LBA); a promulgação da Consolidação da Lei de trabalho(CLT); a aprovação da Lei Orgânica da Previdência Social( LOPS); quais trouxeram muitas conquistas aos trabalhadores: atendimento médico para o trabalhador e sua família- trabalhadores ferroviários-, aposentadoria e pensões, instituição do salário mínimo e da jornada de trabalho de oito horas, férias remuneradas, etc.
Posteriormente, durante o período da ditadura militar( 1964- 1985) houve um grande progresso na institucionalização da política social, sua postura objetivava a legitimação do sistema autoritário vigente- o regime militar- que buscavam bases para manter-se no poder, para isso, adotavam uma política social assistencialista e clientelista. Nesse contexto o país teve um grande desenvolvimento econômico e um aumento das desigualdades sócias, devido a concentração de renda. Quem se opusesse ao regime sofria uma forte repressão política, prisões, torturas, censura, perseguição, exílio e até a morte. Portanto, logo compreende- se que as políticas sociais desse período atendia muito mais aos interesses do estado.
No decorrer das décadas que antecederam a ditadura milita, o serviço social foi se aperfeiçoando até se tornar profissão a de o assistente social, qual atua diretamente na operacionalização das políticas sociais. Porém, durante o período da ditadura os assistentes sociais foram máquinas de engrenagem que reproduziam apenas a realidade imposta pelo estado, pois os opositores ao referido regime poderiam ser perseguidos, presos, torturados e até mortos. Por isso, mesmo diante da má distribuição de renda, da exploração dos menos favorecidos e pelas mazelas sociais fundamentadas nesse regime, o assistente social ficava passivo diante da realidade, caso contrário sofreria as consequências.
Hoje, as políticas sociais apresentam- se através de programas, projetos e serviços de atendimento a classe menos favorecida, estabelecendo uma relação estável entre os interesses do estado, , dos cidadão e/ou trabalhadores e da burguesia. A mesma, apresenta- se como uma ação de iniciativa do estado , mas que dependem de uma ação coletiva dos diferentes atores sociais da sociedade civil.
Após o período do regime militar o serviço social passa por um processo de renovação e ou de reconceituação, assumindo principalmente uma posição modernizadora.
No contexto atual, o profissional do serviço social assume um papel de interlocutor das ações do estado no combate as expressões da questão social, pois o serviço social configura- se como uma profissão mediadora da relação entre o estado, a classe dominante e a classe trabalhadora, atuando diretamente na implantação e implementação das políticas sociais destinadas a enfrentar a questão social e suas expressões.
	
	
 4 CONSIDERAÇÕES FINAIs
O surgimento do serviço social no Brasil está inteiramente ligado ao enfrentamento da questão social, decorrente do desenvolvimento industrial que provocou o crescimento da população urbana, o acumulo de capital e a construção de um cenário marcado pela miséria, pela exploração da força de trabalho e pela exclusão social, isto é, pela negação de direitos.
Entende-se que o surgimento e o desenvolvimento do Serviço Social enquanto profissão inserida na divisão social e técnica do trabalho é compreendido a partir da perspectiva que concebe a emergência do Serviço Social situada no surgimento de um espaço sócio-ocupacional na consolidação do capitalismo monopolista para responder às expressões da questão social.
Mediante o conteúdo apresentado compreende- se que a questão social teve início no processo de industrialização nascido no início do século XIX quando os trabalhadores do campo migraram para a cidade. E em seu inicio foi encarada como uma questão de cunho religioso e moral, sendo enfrentada com medidas solidarias e de caridade por parte da igreja. Mas mediante os conflitos gerados pelo descontentamento dos operários ela passa a ser vista como o objeto de trabalho do assistente social.
Nesse contexto surge a política social como uma medida para atender os interesses das camadas atingidas pelas expressões da questão social. Para a execução dessas políticas o serviço social surge com o seu papel