FUNCION EXEC EM PSICOPATAS INSTITUCIONALIZADOS
58 pág.

FUNCION EXEC EM PSICOPATAS INSTITUCIONALIZADOS


DisciplinaNeuropsicologia1.342 materiais30.072 seguidores
Pré-visualização17 páginas
como pode verificar de seguida. 
 
29 
 
Figura 1. Nº de Desvios-Padrão abaixo da média referentes ao grupo experimental 
Nota: FE \u2013 Funcionamento executivo; AC \u2013 Atenção/Concentração; MA \u2013 Memória e 
Aprendizagem; VP \u2013 Velocidade de Processamento 
 
Apesar das diferenças constatadas, podemos verificar que a média dos valores 
obtidos para o domínio VP e FE não se encontram significativamente abaixo da média, 
(considerando como valor normativo um desvio abaixo da média superior a um desvio-
padrão), apesar de constituirem uma diferença significativa comparativamente ao grupo 
normativo. Já o facto de nos domínios AC e MA apresentarem desempenhos inferiores à 
média, leva-nos a considerar a hipotética existência de um comprometimento dos aspetos 
atencionais e da memória de trabalho associados ao funcionamento executivo. Para testar 
esta hipótese, procedemos a uma análise no grupo experimental relativa ao número de 
desvios-padrão face à média dos tarefas que avaliam o domínio Executivo, procedimento 
necessário à verificação da nossa segunda hipótese em estudo. Neste caso, apresentamos, 
de seguida, o número de desvios padrão inferiores à média, obtidos no TMT parte B, nos 
erros perseverativos do WCST, referente ao número de categorias completadas, bem 
como a nível da nomeação Palavra-Cor do Teste de Stroop, como se pode observar na 
Figura2. 
 
-2 
-1,8 
-1,6 
-1,4 
-1,2 
-1 
-0,8 
-0,6 
-0,4 
-0,2 
0 
FE AC MA VP 
Dominios Cognitivos 
Grupo psicopatas 
30 
 
Figura 2. 
Nota: TrailB TZ \u2013 Pontuação Z do Trail Making Test B; WCST4 TZ \u2013 Pontuação Z erros 
perseverativos do WCST; WCST6 TZ \u2013 Categorias Completadas WCST; Strp PC TZ \u2013 Pontuação Z 
nomeação palavra-cor no Teste de Stroop. 
 
Podemos constatar que o grupo experimental evidencia uma pontuação que se 
encontra cerca de três desvios-padrão abaixo da média no âmbito da parte B do TMT 
(avaliadores dos processos atencionais e de memória de trabalho), e cerca de dois desvios-
padrão abaixo da média relativamente ao número de categorias completadas no WCST 
(avaliadoras da complexa função de flexibilidade cognitiva e pensamento abstrato). Estes 
valores tornam-se indicadores de um mau desempenho e da possível existência de um 
funcionamento deficitário nas referidas funções cognitivas, levando-nos a considerar que o 
grupo de indivíduos com psicopatia poderá ter comprometidos os domínios da atenção 
dividida, e, consequentemente, a memória de trabalho avaliados por este subteste, bem 
como a flexibilidade cognitiva, capacidade de abstração avaliada pelas categorias 
completadas do WCST. Para além disto, é importante referir que a pontuação Z na tarefa 
de nomeação palavra-cor relativa a unidades de desvio-padrão abaixo da média, confirma 
que os indivíduos com psicopatia se encontram cerca de uma unidade de desvio-padrão 
abaixo da linha da média, indiciando a presença de dificuldades no controlo das respostas 
automáticas em detrimento das respostas desejadas. 
Com o intuito de examinar a premissa de que um possível comprometimento dos 
processos atencionais e mnésicos se encontram adjacentes aos resultados referentes aos 
valores da performance do TMT B, procedemos à análise do número de desvios-padrão 
TrailB T Z WCST4 TZ WCST6 TZ Strp PC TZ 
Psicopatas -2,618329889 -0,305555556 -2,238303333 -1,232322778 
-3 
-2,5 
-2 
-1,5 
-1 
-0,5 
0 
M
é
d
ia
 e
m
 P
o
n
tu
aç
ão
 Z
 
Grupo Experimental 
31 
abaixo do valor média relativos a todos os subtestes que avaliam estes processos \u2013 TMT A 
e B, HVLT e WMS-III. Os resultados podem ser observados na Figura3. 
 
 
 
Figura 4. 
Nota: TrailsA\u2013 TMT A; TrailsB - TMT B, HVLT1 \u2013 recordação total do HVLT; HVLT2 \u2013 
aprendizagem de 3º ensaio do HVLT; HVLT3 \u2013 recordação retardada; HVLT4 \u2013 categorias semânticas; 
Seq Espac \u2013 Sequência Espacial da WMS-III; Seq L/N \u2013 Sequência Letra-Número da WMS-III. 
 
 Após analisarmos a Figura3, podemos constatar um desempenho abaixo da média 
em todas as tarefas avaliadoras dos processos atencionais e de concentração, bem como as 
incidem sobre a aprendizagem e memória de trabalho. Neste caso, o número de desvios-
padrão inferiores à média na tarefa da parte A e B do TMT, de recordação total, 
recordação de 3º ensaio, recordação retardada e categorias semânticas, Sequência 
Espacial e Sequência Letra-Número. Apesar de a diferença entre grupos relativa à 
recordação retardada e categorias semânticas não se mostrar estatisticamente 
significativa quando analisadas individualmente (p > .05), torna-se pertinente referir que a 
média de desempenho em pontuação Z encontra-se cerca de 1.5 desvios-padrão a baixo do 
valor da média. 
Objetivando a análise do desempenho obtido nos testes avaliadores dos processos 
atencionais e da memória de trabalho, procedeu-se à comparação entre grupos dos valores 
obtidos nestas tarefas, com recurso a uma análise multivariada. Este procedimento foi 
realizado depois de testados os pressupostos inerentes ao teste paramétrico em questão. 
Trails 
A 
Trails 
B 
HVLT1 HVLT2 HVLT3 HVLT4 
Seq 
Espac 
Seq 
L/N 
Psicopatas -1,4163 -2,6183 -2,3118 -2,3507 -1,3876 -1,7718 -0,6796 -1,3084 
-3 
-2,5 
-2 
-1,5 
-1 
-0,5 
0 
M
é
d
ia
 e
m
 P
o
n
tu
aç
ão
 Z
 
Grupo Experimental 
32 
Após a testagem da homogeneidade de variâncias, verificou-se a violação dos pressupostos 
na parte A e B do TMT, na recordação total e na aprendizagem do 3º ensaio do HVLT. 
A MANOVA entre grupos revelou, segundo Wilks, diferenças estatisticamente 
significativas no desempenho cognitivo entre o grupo de controlo e o grupo experimental, 
V= ..524, F(8,33) = 3.747, p =.003. A análise dos valores médios destes subtes permite, 
verificar que, na generalidade, o grupo que possui psicopatia apresenta um pior 
desempenho, comparativamente ao grupo de controlo. De modo a analisar as diferenças 
estatisticamente significativas entre as duas condições nos vários testes neuropsicológicos, 
procedeu-se à análise discriminada dos resultados das variáveis dependentes. Os valores 
obtidos em cada componente das provas utilizadas na avaliação serão posteriormente 
descritos. 
No que respeita às medidas do TMT parte A e B, o desempenho dos indivíduos 
psicopatas, tal como já foi mencionado anteriormente, foi significativamente inferior ao do 
grupo de controlo e, atendendo aos valores do Eta squared parcial, podemos concluir que 
o tamanho do efeito do resultado é de dimensão elevada. 
 Relativamente à WMS-III, os resultados exibidos na Sequência Espacial pelo 
grupos de psicopatas (M = 7.44, DP = 2.71) diferem de forma significativa dos controlos 
(M = 11.71 , DP = 3.41), F(1,40) = 19.111 , p = .000, \u3b72 = .323, e tendo em conta o valor 
do eta squared parcial, o tamanho do efeito do resultado obtido é considerado, à 
semelhança do TMT A e B, de dimensão elevada. Na tarefa Sequência Letra-Número, 
também se verifica uma diferenciação significativa entre os grupos, uma vez que os 
psicopatas (M = 7.39, DP = 3.22) demonstraram inferioridade de desempenho face aos 
controlos (M = 10.54 , DP = 2.28), F(1,40) = 12.536, p < .05, \u3b72 = .239, aplicando-se a 
mesma lógica em relação ao valor do eta squared parcial. 
Por último, no que diz respeito ao HVLT, os dois grupos em análise obtiveram 
disparidades estatisticamente significativas nas tarefas de recordação total, sendo que o 
grupo normativo (M = 22.33, DP = 5.26) tive melhor desempenho do que o que possui 
psicopatia (M = 18.78, DP = 2.18), F(1,40) = 7.240, p < .05, \u3b72 = .153. No que diz respeito 
à tarefa de aprendizagem do 3º ensaio, os controlos (M