Novo CPC Comentado
604 pág.

Novo CPC Comentado


DisciplinaIntrodução ao Direito I88.301 materiais533.035 seguidores
Pré-visualização50 páginas
União, os Estados, o Distrito Federal e os 
Territórios, por seus procuradores;
II \u2013 o Município, por seu prefeito ou procurador; II - o Município, por seu prefeito ou procurador;
III \u2013 a massa falida, pelo administrador judicial; III - a massa falida, pelo síndico;
IV \u2013 a herança jacente ou vacante, por seu 
curador;
IV - a herança jacente ou vacante, por seu 
curador;
V\u2013 o espólio, pelo inventariante; V - o espólio, pelo inventariante;
68 Mauricio Schuch
VI \u2013 as pessoas jurídicas, por quem os 
respectivos atos constitutivos designarem ou, não 
havendo essa designação, por seus diretores;
VI - as pessoas jurídicas, por quem os 
respectivos estatutos designarem, ou, não os 
designando, por seus diretores;
VII \u2013 as sociedades sem personalidade 
jurídica, pela pessoa a quem couber a administração 
dos seus bens;
VII - as sociedades sem personalidade 
jurídica, pela pessoa a quem couber a administração 
dos seus bens;
VIII \u2013 a pessoa jurídica estrangeira, pelo 
gerente, representante ou administrador de sua filial, 
agência ou sucursal aberta ou instalada no Brasil;
VIII - a pessoa jurídica estrangeira, pelo 
gerente, representante ou administrador de sua filial, 
agência ou sucursal aberta ou instalada no Brasil (art. 
88, parágrafo único);
IX \u2013 o condomínio, pelo administrador ou 
pelo síndico.
IX - o condomínio, pelo administrador ou 
pelo síndico.
§ 1o Quando o inventariante for dativo, todos 
os herdeiros e sucessores do falecido serão autores 
ou réus nas ações em que o espólio for parte.
§ 1o Quando o inventariante for dativo, todos 
os herdeiros e sucessores do falecido serão autores 
ou réus nas ações em que o espólio for parte.
§ 2o As sociedades sem personalidade 
jurídica, quando demandadas, não poderão opor a 
irregularidade de sua constituição.
§ 2o - As sociedades sem personalidade 
jurídica, quando demandadas, não poderão opor a 
irregularidade de sua constituição.
§ 3o O gerente da filial ou agência presume-
se autorizado pela pessoa jurídica estrangeira a 
receber citação para qualquer processo.
§ 3o O gerente da filial ou agência presume-se 
autorizado, pela pessoa jurídica estrangeira, a receber 
citação inicial para o processo de conhecimento, de 
execução, cautelar e especial.
Art. 76. Verificada a incapacidade processual 
ou a irregularidade da representação das partes, 
o juiz suspenderá o processo, marcando prazo 
razoável para ser sanado o defeito.
§ 1o Descumprida a determinação, caso os 
autos estejam em primeiro grau, o juiz:
Art. 13. Verificando a incapacidade processual 
ou a irregularidade da representação das partes, o 
juiz, suspendendo o processo, marcará prazo razoável 
para ser sanado o defeito.
Não sendo cumprido o despacho dentro do 
prazo, se a providência couber:
I \u2013 extinguirá o processo, se a providência 
couber ao autor;
I - ao autor, o juiz decretará a nulidade do 
processo;
II \u2013 aplicará as penas da revelia, se a 
providência couber ao réu;
II - ao réu, reputar-se-á revel;
III \u2013 considerará o terceiro revel ou o excluirá 
do processo, dependendo do pólo em que se encontre.
III - ao terceiro, será excluído do processo.
§ 2o Descumprida a determinação, caso 
o processo esteja em segundo grau, no Superior 
Tribunal de Justiça ou no Supremo Tribunal 
Federal, o relator:
69Artigos 70 a 111
I \u2013 não conhecerá do recurso, se a providência 
couber ao recorrente;
II \u2013 determinará o desentranhamento das 
contrarrazões, se a providência couber ao recorrido.
CAPÍTULO II 
DO INCIDENTE DE 
DESCONSIDERAçãO DA 
PERSONALIDADE JURÍDICA
Art. 77. Em caso de abuso da personalidade 
jurídica, caracterizado na forma da lei, o juiz pode, 
em qualquer processo ou procedimento, decidir, 
a requerimento da parte ou do Ministério Público, 
quando lhe couber intervir no processo, que os 
efeitos de certas e determinadas obrigações sejam 
estendidos aos bens particulares dos administradores 
ou dos sócios da pessoa jurídica ou aos bens de 
empresa do mesmo grupo econômico.
Parágrafo único. O incidente da 
desconsideração da personalidade jurídica:
I \u2013 pode ser suscitado nos casos de abuso 
de direito por parte do sócio;
II \u2013 é cabível em todas as fases do processo 
de conhecimento, no cumprimento de sentença e 
também na execução fundada em título executivo 
extrajudicial.
Art. 78. Requerida a desconsideração da 
personalidade jurídica, o sócio ou o terceiro e a pessoa 
jurídica serão citados para, no prazo comum de quinze 
dias, se manifestar e requerer as provas cabíveis.
Art. 79. Concluída a instrução, se necessária, 
o incidente será resolvido por decisão interlocutória 
impugnável por agravo de instrumento.
70 Mauricio Schuch
CAPÍTULO III
DOS DEVERES DAS PARTES E 
DOS SEUS PROCURADORES
Seção I 
Dos deveres
CAPÍTULO II
 
DOS DEVERES DAS PARTES E 
DOS SEUS PROCURADORES
Seção I
 
Dos Deveres
Art. 80. São deveres das partes, de seus 
procuradores, e de todos aqueles que de qualquer 
forma participam do processo:
Art. 14. São deveres das partes e de todos 
aqueles que de qualquer forma participam do processo:
I \u2013 expor os fatos em juízo conforme a verdade; I - expor os fatos em juízo conforme a verdade;
II \u2013 proceder com lealdade e boa-fé; II - proceder com lealdade e boa-fé;
III \u2013 não formular pretensões, nem alegar 
defesa, cientes de que são destituídas de fundamento;
III - não formular pretensões, nem alegar 
defesa, cientes de que são destituídas de fundamento;
IV \u2013 não produzir provas, nem praticar atos 
inúteis ou desnecessários à declaração ou à defesa 
do direito;
IV - não produzir provas, nem praticar atos 
inúteis ou desnecessários à declaração ou defesa 
do direito.
V \u2013 cumprir com exatidão as decisões de 
caráter executivo ou mandamental e não criar 
embaraços à efetivação de pronunciamentos 
judiciais, de natureza antecipatória ou final;
V - cumprir com exatidão os provimentos 
mandamentais e não criar embaraços à efetivação 
de provimentos judiciais, de natureza antecipatória 
ou final.
VI \u2013 declinar o endereço, residencial 
ou profissional, em que receberão intimações, 
atualizando essa informação sempre que ocorrer 
qualquer modificação temporária ou definitiva.
§ 1o A violação ao disposto no inciso V 
do caput deste artigo constitui ato atentatório ao 
exercício da jurisdição, devendo o juiz, sem prejuízo 
das sanções criminais, civis e processuais cabíveis, 
aplicar ao responsável multa em montante a ser 
fixado de acordo com a gravidade da conduta e não 
superior a vinte por cento do valor da causa.
§ 2o O valor da multa prevista no § 1o deverá 
ser depositado em juízo no prazo a ser fixado pelo 
juiz. Não sendo paga no prazo estabelecido, a multa 
será inscrita como dívida ativa da União ou do Estado.
Parágrafo único. Ressalvados os advogados 
que se sujeitam exclusivamente aos estatutos da 
OAB, a violação do disposto no inciso V deste artigo 
constitui ato atentatório ao exercício da jurisdição, 
podendo o juiz, sem prejuízo das sanções criminais, 
civis e processuais cabíveis, aplicar ao responsável 
multa em montante a ser fixado de acordo com a 
gravidade da conduta e não superior a vinte por 
cento do valor da causa; não sendo paga no prazo 
estabelecido, contado do trânsito em julgado da 
decisão final da causa, a multa será inscrita sempre 
como dívida ativa da União ou do Estado.
71Artigos 70 a 111
§ 3o A multa prevista no § 1o poderá ser 
fixada independentemente da incidência daquela 
prevista no art. 509, § 1o e da periódica prevista no 
art. 522.
§ 4o Quando o valor da causa for irrisório ou 
inestimável, a multa referida no § 1o poderá ser fixada 
em até o décuplo do valor das custas processuais.
§ 5o Aos advogados públicos ou privados, 
aos membros da Defensoria Pública e do Ministério 
Público não se aplica o disposto