Novo CPC Comentado
604 pág.

Novo CPC Comentado


DisciplinaIntrodução ao Direito I88.292 materiais532.295 seguidores
Pré-visualização50 páginas
pericial requerida pelo beneficiário da 
gratuidade de justiça será fixado conforme tabela 
do Conselho Nacional de Justiça e pago, desde 
logo, pelo Poder Público.
§ 5o Se, ao final, o beneficiário da gratuidade 
de justiça for vencedor, o Poder Público promoverá 
a execução para reaver do vencido os valores 
adiantados para pagamento da perícia.
Art. 34. Aplicam-se à reconvenção, à oposição, 
à ação declaratória incidental e aos procedimentos de 
jurisdição voluntária, no que couber, as disposições 
constantes desta seção.
Art. 98. O valor das sanções impostas aos 
litigantes de má-fé reverterão em benefício da parte 
contrária; as impostas aos serventuários pertencerão 
ao Estado ou a União.
Art. 35. As sanções impostas às partes em 
conseqüência de má-fé serão contadas como custas 
e reverterão em benefício da parte contrária; as 
impostas aos serventuários pertencerão ao Estado.
Seção IV 
Da gratuidade de justiça
Art. 99. A pessoa natural ou jurídica, brasileira 
ou estrangeira, com insuficiência de recursos para 
pagar as custas e as despesas processuais e os 
honorários de advogado gozará dos benefícios da 
gratuidade de justiça, na forma da lei.
§ 1o O juiz poderá determinar de ofício a 
comprovação da insuficiência de que trata o caput, 
se houver nos autos elementos que evidenciem a 
falta dos requisitos legais da gratuidade de justiça.
§ 2o Das decisões relativas à gratuidade de 
justiça, caberá agravo de instrumento, salvo quando 
a decisão se der na sentença.
78 Mauricio Schuch
CAPÍTULO IV 
DOS PROCURADORES
CAPÍTULO III
DOS PROCURADORES
Seção I 
Disposições gerais
Art. 100. A parte será representada em juízo 
por advogado regularmente inscrito na Ordem dos 
Advogados do Brasil.
Parágrafo único. É lícito à parte postular em 
causa própria quando tiver habilitação legal.
Art. 36. A parte será representada em juízo 
por advogado legalmente habilitado. Ser-lhe-á lícito, 
no entanto, postular em causa própria, quando tiver 
habilitação legal ou, não a tendo, no caso de falta 
de advogado no lugar ou recusa ou impedimento 
dos que houver.
Art. 101. O advogado não será admitido 
a postular em juízo sem instrumento de mandato, 
salvo para evitar decadência ou prescrição, bem 
como para praticar atos considerados urgentes.
§ 1o Nos casos previstos na segunda parte do 
caput, o advogado se obrigará, independentemente 
de caução, a exibir o instrumento de mandato no 
prazo de quinze dias, prorrogável por igual período, 
por despacho do juiz.
Art. 37. Sem instrumento de mandato, o 
advogado não será admitido a procurar em juízo. 
Poderá, todavia, em nome da parte, intentar ação, 
a fim de evitar decadência ou prescrição, bem como 
intervir, no processo, para praticar atos reputados 
urgentes. Nestes casos, o advogado se obrigará, 
independentemente de caução, a exibir o instrumento 
de mandato no prazo de 15 (quinze) dias, prorrogável 
até outros 15 (quinze), por despacho do juiz.
§ 2o Os atos não ratificados serão havidos 
por juridicamente inexistentes, respondendo o 
advogado por despesas e perdas e danos.
Parágrafo único. Os atos, não ratificados no 
prazo, serão havidos por inexistentes, respondendo o 
advogado por despesas e perdas e danos.
Art. 102. A procuração geral para o foro 
conferida por instrumento público ou particular 
assinado pela parte habilita o advogado a praticar 
todos os atos do processo, exceto receber citação 
inicial, confessar, reconhecer a procedência do 
pedido, transigir, desistir, renunciar ao direito sobre 
o qual se funda a ação, receber, dar quitação, 
firmar compromisso e assinar declaração de 
hipossuficiência econômica, que devem constar de 
cláusula específica.
Art. 38. A procuração geral para o foro, 
conferida por instrumento público, ou particular 
assinado pela parte, habilita o advogado a praticar 
todos os atos do processo, salvo para receber 
citação inicial, confessar, reconhecer a procedência 
do pedido, transigir, desistir, renunciar ao direito 
sobre que se funda a ação, receber, dar quitação e 
firmar compromisso.
Parágrafo único. A procuração pode ser 
assinada digitalmente, na forma da lei.
Parágrafo único. A procuração pode ser 
assinada digitalmente com base em certificado emitido 
por Autoridade Certificadora credenciada, na forma da 
lei específica.
79Artigos 70 a 111
Art. 103. Incumbe ao advogado ou à parte, 
quando postular em causa própria:
Art. 39. Compete ao advogado, ou à parte 
quando postular em causa própria:
I \u2013 declarar, na petição inicial ou na 
contestação, o endereço em que receberá intimação;
I - declarar, na petição inicial ou na contestação, 
o endereço em que receberá intimação;
II \u2013 comunicar ao juízo qualquer mudança 
de endereço.
II - comunicar ao escrivão do processo 
qualquer mudança de endereço.
§ 1o Se o advogado não cumprir o disposto 
no inciso I, o juiz, antes de determinar a citação do 
réu, mandará que se supra a omissão no prazo de 
cinco dias, sob pena de indeferimento da petição.
§ 2o Se o advogado infringir o previsto no 
inciso II, serão consideradas válidas as intimações 
enviadas, em carta registrada, para o endereço 
constante dos autos.
Parágrafo único. Se o advogado não cumprir o 
disposto no no I deste artigo, o juiz, antes de determinar 
a citação do réu, mandará que se supra a omissão 
no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, sob pena de 
indeferimento da petição; se infringir o previsto no no 
II, reputar-se-ão válidas as intimações enviadas, em 
carta registrada, para o endereço constante dos autos.
Art. 104. O advogado tem direito a: Art. 40. O advogado tem direito de:
I \u2013 examinar, em cartório de justiça e secretaria 
de tribunal, autos de qualquer processo, salvo nas 
hipóteses de segredo de justiça, nas quais apenas o 
advogado constituído terá acesso aos autos;
I - examinar, em cartório de justiça e secretaria 
de tribunal, autos de qualquer processo, salvo o 
disposto no art. 155;
II \u2013 requerer, como procurador, vista dos 
autos de qualquer processo pelo prazo de cinco dias;
II - requerer, como procurador, vista dos autos 
de qualquer processo pelo prazo de 5 (cinco) dias;
III \u2013 retirar os autos do cartório ou secretaria, 
pelo prazo legal, sempre que lhe couber falar neles 
por determinação do juiz, nos casos previstos em lei.
III - retirar os autos do cartório ou secretaria, 
pelo prazo legal, sempre que Ihe competir falar neles 
por determinação do juiz, nos casos previstos em lei.
§ 1o Ao receber os autos, o advogado 
assinará carga no livro próprio.
§ 1o Ao receber os autos, o advogado assinará 
carga no livro competente.
§ 2o Sendo o prazo comum às partes, os 
procuradores poderão retirar os autos somente 
em conjunto ou mediante prévio ajuste por petição 
nos autos.
§ 3o É lícito também aos procuradores, no 
caso do § 2o, retirar os autos pelo prazo de duas 
horas, para obtenção de cópias, independentemente 
de ajuste e sem prejuízo da continuidade do prazo.
§ 2o Sendo comum às partes o prazo, só em 
conjunto ou mediante prévio ajuste por petição nos 
autos, poderão os seus procuradores retirar os autos, 
ressalvada a obtenção de cópias para a qual cada 
procurador poderá retirá-los pelo prazo de 1 (uma) 
hora independentemente de ajuste.
80 Mauricio Schuch
§ 4o No caso de não devolução dos autos 
no prazo de duas horas, o procurador perderá, no 
mesmo processo, o direito a que se refere o § 3º.
Seção II 
Da Advocacia Pública
Art. 105. Incumbe à Advocacia Pública, na 
forma da lei, defender e promover os interesses 
públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal 
e dos Municípios, por meio da representação 
judicial, em todos os âmbitos federativos, das 
pessoas jurídicas de direito público que integram a 
Administração direta e indireta.
§ 1o No caso dos Municípios desprovidos