Novo CPC Comentado
604 pág.

Novo CPC Comentado


DisciplinaIntrodução ao Direito I88.301 materiais533.035 seguidores
Pré-visualização50 páginas
código.
O Substitutivo, artigo 201refere-se ao artigo 195 do CPC vigente, com as seguintes alterações: 
Os advogados públicos ou privados, o defensor público e o membro do Ministério Público devem 
restituir os autos no prazo do ato a ser praticado. Caso não seja feito, o juiz determinará de ofício o 
desentranhamento das petições, manifestações e documentos que apresentar. O dispositivo do CPC 
vigente menciona apenas que o advogado deve restituir os autos no prazo legal, e não o fazendo o 
juiz mandará de ofício riscar o que neles houver escrito e desentranhar as alegações e documentos 
que apresentar.
O Substitutivo, artigo 202 refere-se ao artigo 196 do CPC vigente. A diferença é formal, pois o 
artigo 202 do Substitutivo cria os § 1º e § 2º. O § 1º é cópia da segunda parte do artigo 196 do CPC 
vigente, excluindo a expressão \u201cna sede do juízo\u201d. Já o § 2º é correspondente ao parágrafo único do 
artigo 196 CPC vigente, sem alteração na redação.
O Substitutivo, artigo 202 corresponde ao artigo 196 do CPC vigente, incluindo os § 1º, que 
copia a segunda parte do artigo 196 do CPC vigente, além do § 2º o qual se refere ao parágrafo 
único do artigo 196 do CPC vigente, sem a expressão \u201cna sede do juízo\u201d, mas com a alteração das 
palavras \u201capurada\u201d por \u201cverificada\u201d as quais não diferem de sentido.
O Substitutivo, artigo 203 corresponde ao artigo 197 do CPC vigente, com a inclusão da 
Defensoria Pública e Advocacia Pública. A segunda parte do dispositivo e o parágrafo conservam as 
diretrizes dos artigos correspondentes.
O Substitutivo, artigo 204 corresponde ao artigo 198 do CPC vigente, apresenta inclusão da 
Defensoria Pública, alem das partes e do Ministério público, apta a representar ao presidente do 
114 Fernanda dos Santos Macedo
Tribunal de Justiça contra o juiz que excedeu os prazos previstos em lei. Também, cria o § 1º que é 
cópia da segunda parte do artigo 198 do CPC vigente. Além disso, o artigo 204 do Substitutivo cria o 
§ 2º adaptou a terceira parte do artigo 198 do CPC vigente.
O artigo 199 do CPC vigente não possui correspondente no Substitutivo.
PROJETO CÓDIGO VIGENTE
DO TEMPO DO TEMPO
Art. 179. Os atos processuais serão 
realizados em dias úteis, das seis às vinte horas.
§ 1º Serão, todavia, concluídos depois das vinte 
horas os atos iniciados antes, quando o adiamento 
prejudicar a diligência ou causar grave dano.
§ 2º Independentemente de autorização 
judicial, as citações, intimações e penhoras 
poderão realizar-se em domingos e feriados ou 
nos dias úteis fora do horário estabelecido neste 
artigo, observado o disposto no art. 5o, inciso XI, da 
Constituição da República.
§ 3o Quando o ato tiver que ser praticado em 
determinado prazo por meio de petição, esta deverá 
ser apresentada no protocolo, dentro do seu horário 
de funcionamento, nos termos da lei de organização 
judiciária local.
Art. 172. Os atos processuais realizar-se-ão 
em dias úteis, das 6 (seis) às 20 (vinte) horas.
(Redação dada pela Lei nº 8.952, de 1994)
§ 1o Serão, todavia, concluídos depois das 
20 (vinte) horas os atos iniciados antes, quando o 
adiamento prejudicar a diligência ou causar grave 
dano. (Redação dada pela Lei nº 8.952, de 1994)
§ 2o A citação e a penhora poderão, em casos 
excepcionais, e mediante autorização expressa do juiz, 
realizar-se em domingos e feriados, ou nos dias úteis, 
fora do horário estabelecido neste artigo, observado o 
disposto no art. 5o, inciso Xl, da Constituição Federal. 
(Redação dada pela Lei nº 8.952, de 1994)
§ 3o Quando o ato tiver que ser praticado em 
determinado prazo, por meio de petição, esta deverá 
ser apresentada no protocolo, dentro do horário de 
expediente, nos termos da lei de organização judiciária 
local. (Incluído pela Lei nº 8.952, de 1994)
Art. 180. Os atos processuais eletrônicos 
serão praticados em qualquer horário.
Sem correspondente
Art. 181. Durante as férias forenses, onde 
as houver, e nos feriados não se praticarão atos 
processuais, excetuando-se:
I \u2013 a produção urgente de provas;
II \u2013 a citação, a fim de evitar o perecimento 
de direito;
III \u2013 as providências judiciais de urgência.
Art. 173. Durante as férias e nos feriados não 
se praticarão atos processuais. Excetuam-se:
I - a produção antecipada de provas (art. 846);
II - a citação, a fim de evitar o perecimento 
de direito; e bem assim o arresto, o seqüestro, a 
penhora, a arrecadação, a busca e apreensão, o 
depósito, a prisão, a separação de corpos, a abertura 
de testamento, os embargos de terceiro, a nunciação 
de obra nova e outros atos análogos.
Parágrafo único. O prazo para a resposta do 
réu só começará a correr no primeiro dia útil seguinte 
ao feriado ou às férias.
115Artigos 179 a 204
Art. 182. Processam-se durante as férias, 
onde as houver, e não se suspendem pela 
superveniência delas:
I \u2013 os procedimentos não contenciosos, 
bem como os necessários à conservação de direitos, 
quando possam ser prejudicados pelo adiamento;
II \u2013 as causas de nomeação ou remoção de 
tutores e curadores;
III \u2013 todas as causas que a lei federal 
determinar.
Art. 174. Processam-se durante as férias e 
não se suspendem pela superveniência delas:
I - os atos de jurisdição voluntária bem como 
os necessários à conservação de direitos, quando 
possam ser prejudicados pelo adiamento;
II - as causas de alimentos provisionais, de 
dação ou remoção de tutores e curadores, bem como 
as mencionadas no art. 275;
III - todas as causas que a lei federal 
determinar.
Art. 183. Além dos declarados em lei, são 
feriados, para efeito forense os sábados e os domingos 
e os dias em que não haja expediente forense.
Art. 175. São feriados, para efeito forense, os 
domingos e os dias declarados por lei.
DO LUGAR DO LUGAR
Art. 184. Os atos processuais realizam-se de 
ordinário na sede do juízo, ou em outro lugar em razão 
de deferência, de interesse da justiça ou de obstáculo 
arguido pelo interessado e acolhido pelo juiz.
Art. 176. Os atos processuais realizam-se de 
ordinário na sede do juízo. Podem, todavia, efetuar-se 
em outro lugar, em razão de deferência, de interesse 
da justiça, ou de obstáculo argüido pelo interessado e 
acolhido pelo juiz.
DOS PRAZOS DOS PRAZOS
Das Disposições Gerais Das Disposições Gerais
Art. 185. Os atos processuais serão 
realizados nos prazos prescritos em lei.
Parágrafo único. Quando a lei for omissa, 
o juiz determinará os prazos tendo em conta a 
complexidade da causa.
Art. 177. Os atos processuais realizar-se-
ão nos prazos prescritos em lei. Quando esta for 
omissa, o juiz determinará os prazos, tendo em conta 
a complexidade da causa.
Art. 186. Na contagem de prazo em dias, 
estabelecido pela lei ou pelo juiz, computar-se-ão 
somente os úteis.
§ 1º Não se consideram intempestivos 
atos praticados antes da ocorrência do termo 
inicial do prazo.
§ 2º Não se aplica o benefício da contagem 
em dobro, quando a lei estabelecer, de forma 
expressa, prazo próprio para a Fazenda Pública, o 
Ministério Público ou a Defensoria Pública.
Art. 178. O prazo, estabelecido pela lei ou pelo 
juiz, é contínuo, não se interrompendo nos feriados.
116 Fernanda dos Santos Macedo
Art. 187. Suspende-se o curso do prazo 
processual nos dias compreendidos entre 20 de 
dezembro e 20 de janeiro, inclusive.
§ 1º Ressalvadas as férias individuais e os 
feriados instituídos por lei, os juízes, os membros 
do Ministério Público, da Defensoria Pública e os 
auxiliares da Justiça exercerão suas atribuições 
durante o período a que se refere ao caput.
Art. 179. A superveniência de férias 
suspenderá o curso do prazo; o que lhe sobejar 
recomeçará a correr do primeiro dia útil seguinte ao 
termo das férias.
Art. 188. Suspende-se o curso do prazo por 
obstáculo criado pela parte ou ocorrendo qualquer 
das hipóteses do