Jean Pierre Vernant - Mito e pensamento entre os gregos
503 pág.

Jean Pierre Vernant - Mito e pensamento entre os gregos


DisciplinaHistória da Filosofia Antiga202 materiais6.967 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Jean-Pierre Vernant
MITO &
pensamento
entre os
2a e d iç ã o
Copyright © Editions La Decouverte, 1988
Título original em francês: Mythe et pen sêe ch ez les Grecs 
Capa Pinky Wainer
Ilustração d e cap a Perseu com a cabeça da Medusa é conduzido pelo deus Hermes.
Pintura em vaso de cerâmica (lécito), Atenas, meados do séc. V a.C. 
Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo. 
Foto d e capa Rômulo Fialdini
Dados de Catalogação na Publicação (CIP) Internacional 
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Vernant, Jean-Pierre.
Mito e pensamento entre os gregos : estudos de psicologia histórica; 
tradução de Haiganuch Sarian. \u2014 Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. 
Bibliografia.
1. Filosofia antiga 2. Mitologia grega I. Título.
CDD-292.08
90-0909 -180
índices para catálogo sistemático:
1. Filosofia grega antiga 180
2. Filósofos gregos antigos 180
3. Grécia antiga: Filosofia 180
4. Grécia antiga: Mitologia e religião 292.08
5. Mitologia grega 292.08
6. Religião grega 292.08
I a edição: 1973 Difusão Européia do Livro, S. Paulo
Direitos adquiridos pela Editora Paz e Terra S/A 
Rua do Triunfo, 177 
01212 \u2014 São Paulo \u2014 SP 
tel. (11) 3337-8399
Rua General Venâncio Flores, 305 - Sala 904 
22441-090 - Rio de Janeiro - RJ 
tel. (21) 2512-8744
que se reserva a propriedade desta tradução.
2002
impresso no Brasil/Printed in B razil
Jean-Pierre Vernant
MITO E PENSAMENTO ENTRE OS GREGOS
E studos d e p s ic o lo g ia h istó r ica
Tradução de 
Haiganuch Sarian 
Museu de Arqueologia e Etnologia da USP 
Revisão técnica de 
Erika Pereira Nunes 
Edição revista
©
PAZ E TERRA
cuss.
CUTTEB
TOMBQ i223£ã£/JJL
---- r!rrr\u2018 r\u2014r~"~
índice
Prefácio à primeira edição brasileira.............................................9
Prefácio à edição de 1985 ..............................................................11
Introdução.......................................................................................... 15
1. Estruturas do mito........................................................................ 25
- O mito hesiódico das raças. Ensaio de análise estrutural.... 27
- O mito hesiódico das raças. A propósito de uma 
tentativa de posição crítica.....................................................61
- Método estrutural e mito das raças .................................. 105
2. Aspectos míticos da memória e do tempo ........................133
- Aspectos míticos da memória.............................................135
- O rio Améles e a meléte th an átou .................................... 167
3- A organização do espaço........................................................ 187
- Héstia-Hermes. Sobre a expressão religiosa do espaço
e do movimento entre os gregos.......................................189
- Geometria e astronomia esférica na primeira cosmo- 
logia grega................................................................................ 243
- Estrutura geométrica e noções políticas na 
cosmologia de Anaximandro..............................................259
- Espaço e organização política na Grécia antiga........... 285
4. O trabalho e o pensamento técnico.................................... 311
- Prometeu e a função técnica ............................................. 313
- Trabalho e natureza na Grécia antiga..............................325
-A spectos psicológicos do trabalho na Grécia antiga....349
- Observações sobre as formas e os limites do 
pensamento técnico entre os gregos................................357
5. Do duplo à imagem.................................................................. 381
- Figuração do invisível e categoria psicológica do 
\u201cduplo\u201d: o kolossós................................................................. 383
- Da presentificação do invisível à imitação
da aparência..............................................................................399
6. A pessoa na religião................................................................. 417
-A spectos da pessoa na religião grega..............................419
7. Do mito à razão......................................................................... 439
- A formação do pensamento positivo na Grécia arcaica .... 441 
-A s origens da filosofia.......................................................... 475
índice remissivo..............................................................................486
Prefácio à primeira edição brasileira
Os textos que agora são apresentados ao público brasileiro 
foram reunidos em volume, pela primeira vez, em uma edição 
francesa de 1965. Fiz algumas correções em certos pontos de 
menor importância. Acrescentei, sobretudo, dois estudos no­
vos, redigidos depois dessa data e que se inscrevem muito di­
retamente na mesma linha de pesquisa. O primeiro é uma res­
posta às objeções opostas à minha interpretação do mito 
hesiódico das raças; essa tomada de posição constitui, parece- 
me, um complemento indispensável, se quisermos compreen­
der os problemas suscitados, tanto no método quanto no con­
teúdo, pela aplicação da análise estrutural a esses mitos gregos, 
que pertencem a uma tradição escrita, muito diferente da que 
encontram os etnólogos nas sociedades arcaicas. A segunda 
contribuição nova foi também provocada pelas reações de cer­
tos filólogos após a leitura da minha obra. Para suprimir as 
hesitações, expressas em algumas resenhas, quanto à validez 
do relacionamento que eu quisera estabelecer entre a estrutura 
geométrica da cosmologia de Anaximandro e as noções políti­
cas que marcaram muito intensamente o universo espiritual
9
particular à civilização grega das Cidades, fui levado a retomar 
esses problemas em seu conjunto, a fim de examinar os seus 
elementos de mais perto.
O leitor julgará os méritos e as fraquezas da obra. O que 
me parece confirmado agora, como antes, é, primeiramente, 
que ela constitui um todo homogêneo, pela unidade de seu 
projeto programático. Em seguida, que permanece válido o 
desejo que formulei há pouco tempo de ver desenvolverem-se, 
sob uma forma comparativa e concertada, as pesquisas de psi­
cologia histórica. Ao menos na França, essa orientação afirmou- 
se para além da Grécia antiga, em vários setores da História. 
Será suficiente lembrar, a esse respeito, os trabalhos de especia­
listas como J. Delumeau, G. Duby, A. Dupront, R. Mandrou, 
que se preocupam com um estudo sistemático das mentalida- 
des. No domínio grego, M. Detienne e P. Vidal-Naquet vieram, 
de modo muito eficaz, unir os seus esforços aos meus. Muito 
me alegra que os leitores de língua portuguesa possam, a partir 
de agora, apreciar de modo mais fácil, diretamente, os nossos 
estudos, e eu quero me congratular com os que tomaram a 
iniciativa desta tradução e que souberam levá-la a termo.
J.-P. Vernant 
Julho de 1971
10
Prefácio à edição de 1985
A. I. Meyerson
Passaram-se vinte anos desde que surgiu Mythe et p en sée 
ch ez les Grecs. Esse livro, que inaugurava na França as pesqui­
sas de psicologia histórica no domínio da Grécia antiga, foi 
publicado em 1965 por François Maspero na coleção dirigida 
por Pierre Vidal-Naquet.
Em 1971, uma nova edição, corrigida e ampliada, veio reju­
venescer um pouco, sob a forma de dois volumes inseridos na 
\u201cPetite Collection Maspero\u201d, uma obra da qual nove reimpressões 
sucessivas (três para a primeira edição, seis para a seguinte) 
asseguraram a continuidade no decorrer desses vinte anos.
Na introdução de 1965, eu formulava o desejo de que mi­
nha iniciativa não ficasse isolada e que, seguindo a via aberta 
pelo helenista Louis Gernet e pelo psicólogo Ignace Meyerson, 
se multiplicassem as investigações consagradas à história inte­
rior do homem grego, à sua organização mental, às mudanças 
que afetam, do século VIII ao