Direito do Trabalho 2 - Módulo 1
25 pág.

Direito do Trabalho 2 - Módulo 1


DisciplinaDireito do Trabalho II4.627 materiais14.797 seguidores
Pré-visualização10 páginas
da
gratificação não seja inferior a 1/3 (um terço) do salário do cargo efetivo. (Redação dada pelo Decreto-lei nº
754, de 11.8.1969)
Súmula nº 102 do TST
BANCÁRIO. CARGO DE CONFIANÇA (mantida) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011 
I - A configuração, ou não, do exercício da função de confiança a que se refere o art. 224, § 2º, da CLT, dependente da prova das reais atribuições do empregado, é insuscetível de exame mediante recurso de revista ou de embargos. (ex-Súmula nº 204 - alterada pela Res. 121/2003, DJ 21.11.2003) 
  II - O bancário que exerce a função a que se refere o § 2º do art. 224 da CLT e recebe gratificação não inferior a um terço de seu salário já tem remuneradas as duas horas extraordinárias excedentes de seis. (ex-Súmula nº 166 - RA 102/1982, DJ 11.10.1982 e DJ 15.10.1982) 
  III - Ao bancário exercente de cargo de confiança previsto no artigo 224, § 2º, da CLT são devidas as 7ª e 8ª horas, como extras, no período em que se verificar o pagamento a menor da gratificação de 1/3. (ex-OJ nº 288 da SBDI-1 - DJ 11.08.2003) 
  IV - O bancário sujeito à regra do art. 224, § 2º, da CLT cumpre jornada de trabalho de 8 (oito) horas, sendo extraordinárias as trabalhadas além da oitava. (ex-Súmula nº 232- RA 14/1985, DJ 19.09.1985) 
 V - O advogado empregado de banco, pelo simples exercício da advocacia, não exerce cargo de confiança, não se enquadrando, portanto, na hipótese do § 2º do art. 224 da CLT. (ex-OJ nº 222 da SBDI-1 - inserida em 20.06.2001) 
  VI - O caixa bancário, ainda que caixa executivo, não exerce cargo de confiança. Se perceber gratificação igual ou superior a um terço do salário do posto efetivo, essa remunera apenas a maior responsabilidade do cargo e não as duas horas extraordinárias além da sexta. (ex-Súmula nº 102 - RA 66/1980, DJ 18.06.1980 e republicada DJ 14.07.1980) 
  VII - O bancário exercente de função de confiança, que percebe a gratificação não inferior ao terço legal, ainda que norma coletiva contemple percentual superior, não tem direito às sétima e oitava horas como extras, mas tão somente às diferenças de gratificação de função, se postuladas. (ex-OJ nº 15 da SBDI-1 - inserida em 14.03.1994)
	3.2.3 \u2013 gerente
3.3 \u2013 digitador \u2013 5h diárias \u2013 NR 17 \u2013 NR 17 .6.4
3.4 \u2013 Operador cinematográfico \u2013 6h art 234 CLT
Art. 234 - A duração normal do trabalho dos operadores cinematográficos e seus ajudantes não
excederá de seis horas diárias, assim distribuídas:
a) 5 (cinco) horas consecutivas de trabalho em cabina, durante o funcionamento cinematográfico;
b) 1 (um) período suplementar, até o máximo de 1 (uma) hora para limpeza, lubrificação dos aparelhos
de projeção, ou revisão de filmes.
Parágrafo único - Mediante remuneração adicional de 25% (vinte e cinco por cento) sobre o salário da
hora normal e observado um intervalo de 2 (duas) horas para folga, entre o período a que se refere a alínea
"b" deste artigo e o trabalho em cabina de que trata a alínea "a", poderá o trabalho dos operadores
cinematográficos e seus ajudantes ter a duração prorrogada por 2 (duas) horas diárias, para exibições
extraordinárias.
3.5 \u2013 Minas de subsolo \u2013 6h art. 239 CLT
Art. 239 - Para o pessoal da categoria "c", a prorrogação do trabalho independe de acordo ou contrato
coletivo, não podendo, entretanto, exceder de 12 (doze) horas, pelo que as empresas organizarão, sempre
que possível, os serviços de equipagens de trens com destacamentos nos trechos das linhas de modo a ser
observada a duração normal de oito horas de trabalho. (Vide Decreto-Lei nº 6.361, de 1944)
§ 1º - Para o pessoal sujeito ao regime do presente artigo, depois de cada jornada de trabalho haverá um
repouso de 10 (dez) horas contínuas, no mínimo, observando-se, outrossim, o descanso semanal.
§ 2º - Para o pessoal da equipagem de trens, a que se refere o presente artigo, quando a empresa não
fornecer alimentação, em viagem, e hospedagem, no destino, concederá uma ajuda de custo para atender a
tais despesas.
§ 3º - As escalas do pessoal abrangido pelo presente artigo serão organizadas de modo que não caiba a
qualquer empregado, quinzenalmente, um total de horas de serviço noturno superior às de serviço diurno.
§ 4º - Os períodos de trabalho do pessoal a que alude o presente artigo serão registrados em cadernetas
especiais, que ficarão sempre em poder do empregado, de acordo com o modelo aprovado pelo Ministro do
Trabalho, Industria e Comercio
3.6 \u2013 Jornalista \u2013 5h \u2013 art 303 CLT
Art. 303 - A duração normal do trabalho dos empregados compreendidos nesta Seção não deverá
exceder de 5 (cinco) horas, tanto de dia como à noite.
	3.6.1 \u2013 dublagem/produção \u2013 6h \u2013 art. 18, II, lei 6615/1978
Art 18 - A duração normal do trabalho do Radialista é de: 
II - 6 (seis) horas para os setores de produção, interpretação, dublagem, tratamento e registros sonoros, tratamento e registros visuais, montagem e arquivamento, transmissão de sons e imagens, revelação e copiagem de filmes, artes plásticas e animação de desenhos e objetos e manutenção técnica; 
3.7 \u2013 radialista 
	3.7.1 \u2013 locução \u2013 5h \u2013 art. 18 lei 6615/78
Art 18 - A duração normal do trabalho do Radialista é de: 
I - 5 (cinco) horas para os setores de autoria e de locução; 
II - 6 (seis) horas para os setores de produção, interpretação, dublagem, tratamento e registros sonoros, tratamento e registros visuais, montagem e arquivamento, transmissão de sons e imagens, revelação e copiagem de filmes, artes plásticas e animação de desenhos e objetos e manutenção técnica; 
III - 7 (sete) horas para os setores de cenografia e caracterização, deduzindo-se desse tempo 20 (vinte) minutos para descanso, sempre que se verificar um esforço contínuo de mais de 3 (três) horas; 
IV - 8 (oito) horas para os demais setores. 
Parágrafo único - O trabalho prestado, além das limitações diárias previstas nos itens acima, será considerado trabalho extraordinário, aplicando-lhe o disposto nos arts. 59 a 61 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)
	3.7.2 \u2013 ceriografia e caracterização \u2013 7h lei 6615/1978
3.8 \u2013 professor \u2013 4h ou 6h intercaladas art. 318 CLT
Art. 318 - Num mesmo estabelecimento de ensino não poderá o professor dar, por dia, mais de 4 (quatro)
aulas consecutivas, nem mais de 6 (seis), intercaladas
3.9 \u2013 Músico- 5h lei 3857/60
3.10 \u2013 advogado empregado \u2013 4h diárias/20 semanais lei 8906/94 art 20
Art. 20. A jornada de trabalho do advogado empregado, no exercício da profissão, não poderá exceder a duração diária de quatro horas contínuas e a de vinte horas semanais, salvo acordo ou convenção coletiva ou em caso de dedicação exclusiva.
HORÁRIO NOTURNO \u2013 art. 7º, IX CF
1 \u2013 Proibido aos menores de 18 anos \u2013 art. 7
º, XXXIII, CF/88
2 \u2013 Advogado - horário \u2013 20h às 5h \u2013 art. 20, $3º Lei 8906/96 \u2013 adicional de 25%
§ 3º As horas trabalhadas no período das vinte horas de um dia até as cinco horas do dia seguinte são remuneradas como noturnas, acrescidas do adicional de vinte e cinco por cento.
3 \u2013 Urbano \u2013 horário 22 às 5h - art 7 , $ 2 º CLT a hora trabalhada equivale a 52´30s- § 2º - Considera-se noturno, para os efeitos deste artigo, o trabalho executado entre as 22 (vinte e duas)horas de um dia e as 5 (cinco) horas do dia seguinte.(Redação dada pelo Decreto-lei nº 9.666, 28.8.1946
\u2013 Rural art. 7º, lei 5889/73
Art. 7º - Para os efeitos desta Lei, considera-se trabalho noturno o executado entre as vinte e uma horas de um dia e as cinco horas do dia seguinte, na lavoura, e entre as vinte horas de um dia e as quatro horas do dia seguinte, na atividade pecuária.
Parágrafo único. Todo trabalho noturno será acrescido de 25% (vinte e cinco por cento) sobre a remuneração normal.
	4.1 \u2013 lavoura: 21 às 5h \u2013 
	4.2 \u2013 pecuária: 20 às 4h
	4.3 \u2013 adicional: 25%
Obs.: prédio rústico \u2013 onde está sendo desenvolvida atividade rural na cidade.
5 \u2013 doméstico
6 \u2013 portuário: 19 às 7h art. 4º, $ 1º lei 4860/65
 
COMPENSAÇÃO DE JORNADA \u2013 banco de horas: art. 59º, $ 2º CLT, S. 85 TST
§ 2o Poderá ser dispensado o acréscimo