Rede de Computadores - Todas as Aulas 01 a 10
32 pág.

Rede de Computadores - Todas as Aulas 01 a 10


DisciplinaRedes de Computadores15.285 materiais229.414 seguidores
Pré-visualização25 páginas
ações para controlar o comportamento da rede. 
 
Dispositivo gerenciado: 
É um equipamento de rede (incluindo seu software) que reside em uma rede 
gerenciada. Pode ser um servidor, um roteador, uma ponte, um hub, uma 
impressora ou um modem. No interior de um dispositivo gerenciado pode 
haver diversos objetos gerenciados e um agente de gerenciamento de rede. 
 
As informações de gerenciamento ou os objetos gerenciados são chamados 
de módulos MIB e podem ser, por exemplo, um contador, um conjunto de 
informações descritivas ou informações de estado. 
Estes são na verdade, as peças de hardware propriamente ditas que estão 
dentro do dispositivo gerenciado (por exemplo, uma placa de rede) processo 
que é executado no dispositivo gerenciado, que se comunica com a entidade 
gerenciadora e que executa ações locais nos dispositivos gerenciados sob o 
comando e o controle da entidade gerenciadora. 
 
Protocolo de gerenciamento: 
É executado entre a entidade gerenciadora e o agente de gerenciamento de 
rede dos dispositivos gerenciados, o que permite que a entidade gerenciadora 
investigue o estado dos dispositivos gerenciados e, indiretamente, execute 
ações sobre eles mediante seus agentes. 
 
Os padrões de gerenciamento de rede começaram a amadurecer no final da 
década de 1980, sendo que o OSI CMSI/CMIP (Commmon Management 
Service Element/ Common Management Information Protocol) e o SNMP 
(Simple Network Management Protocol) da pilha TCP/IP emergiram como os 
dois padrões mais importantes. Ambos foram projetados para ser 
independentes de produtos ou de redes de fabricantes específicos. O 
protocolo SNMP foi projetado e oferecido mais rapidamente e encontrou 
uma ampla aceitação. Consequentemente, é o protocolo de gerenciamento 
de rede mais amplamente usado e disseminado. Nós estudamos o 
funcionamento do protocolo SNMP, na aula 5. 
 
ATENÇÃO 
É importante observar que o protocolo de gerenciamento de rede em si não 
gerencia a rede. Ele fornece uma ferramenta com a qual o administrador de 
rede pode gerenciar (monitorar, testar, consultar, configurar, analisar, avaliar 
e controlar) a rede. 
 
 
 
Sistemas De Gerenciamento De Redes (aplicativos) 
As ferramentas de gerência são indispensáveis no dia-a-dia de um 
administrador de rede no desempenho de suas funções. São elas que ajudam 
a detectar problemas quando eles ocorrem, ou antes mesmo de ocorrerem 
(gerência proativa de rede). 
 
Gerenciar uma rede sem o auxílio de instrumentação adequada é uma tarefa 
bastante árdua e que muito provavelmente não oferecerá uma boa qualidade 
de gerência. Existem ferramentas de gerência para todos os tamanhos e 
complexidades. 
 
As ferramentas mais simples de gerência vêm no próprio sistema operacional 
de rede. Estas ferramentas não nos dão uma visão geral da rede, porém, 
muitas vezes, nos ajudam a descobrir características mais internas de 
determinados elementos da rede. Podemos citar como exemplos o 
traceroute (tracert), ping, route, netstat, e ipconfig. 
 
Dependendo do tamanho e da complexidade da organização, será necessária 
a utilização de soluções que ofereçam aplicações de monitoração e controle 
da rede mais sofisticadas, possibilitando a gerência de grandes redes mais 
facilmente. 
 
É então que a organização implementa uma solução denominada plataforma 
de gerência. Para entender o que é uma plataforma de gerência, temos de 
entender que as organizações possuem diferentes equipamentos de 
diferentes fabricantes. 
 
O software que executa numa estação de gerência não é uma aplicação única 
e monolítica. Normalmente a solução de gerência implementada na maioria 
das organizações é montada modularmente, usando várias aplicações muitas 
vezes de fabricantes diferentes. 
 
Ela permite que aplicações individuais de gerência possam se \u201cplugar\u201d para 
formar uma solução de gerência completa, permitindo assim a 
implementação de diversos mecanismos que facilitam a identificação, a 
notificação e o registro de problemas, como por exemplo: 
\uf0b7 Alarmes que indicam, através de mensagens ou bips de alerta, 
anormalidades na rede; 
\uf0b7 Geração automática de relatórios contendo as informações coletadas; 
\uf0b7 Facilidades para integrar novas funções ao próprio sistema de 
gerenciamento; 
\uf0b7 Geração de gráficos estatísticos em tempo real; 
\uf0b7 Apresentação gráfica da topologia das redes. 
\uf0b7 Pesquise na internet sobre os softwares de gerência existentes e poste 
sua pesquisa no fórum. 
 
Mecanismos de Backups e Restore 
Devido à grande quantidade de informações armazenadas nas organizações, é 
importante que o administrador de rede utilize algum mecanismo que ajude a 
proteger os dados de perdas acidentais se ocorrerem falhas de hardware ou 
de alguma mídia de armazenamento no sistema. Algumas organizações 
esperam até que aconteça um desastre para então pensar em alguma forma 
de proteção contra vírus, discos rígidos deteriorados, desastres e erros 
humanos. 
O mecanismo utilizado para evitar a perda dos dados e copiar estes dados 
para mídias alternativas chama-se Backup. Quando vamos implementar uma 
política de Backup, devemos considerar as seguintes questões: 
\uf0b7 Qual é a necessidade de um backup de rede? 
\uf0b7 Que arquivos precisam de backup? 
\uf0b7 O que é frequência de backup? 
 
Tipo de Backups 
Normal ou Completo 
\uf0d8 Neste tipo de Backup todos os arquivos ou pastas são selecionados para 
a cópia, mesmo os arquivos que não sofreram nenhuma modificação. 
Diferencial 
\uf0d8 O backup diferencial é similar ao backup incremental. Ele também faz 
backup somente dos arquivos modificados, com a diferença que são 
acumulativos, ou seja, uma vez que um arquivo foi modificado, este 
continua a ser incluso em todos os backups diferenciais até o próximo 
backup completo. 
Incremental 
\uf0d8 Neste tipo de Backup são selecionados os arquivos e pastas 
selecionados que foram alterados após o último backup normal ou 
incremental. 
 
Além dos tipos de backup, os backups podem ser agendados através das 
seguintes opções: 
\uf0d8 Uma vez: em uma hora especificada de um determinado dia. 
\uf0d8 Diariamente: em uma hora especificada todos os dias. 
\uf0d8 Semanalmente: em uma hora especificada em dias da semana 
especificados 
\uf0d8 Mensalmente: em uma hora especificada em um determinado dia 
todo mês. 
\uf0d8 Na inicialização: na próxima vez que o sistema for iniciado. 
 
Restauração dos Dados 
Restore é o processo de restauração dos dados realizados através de um 
Backup. A restauração de dados pode: 
\uf0d8 Regravar arquivos e pastas; 
\uf0d8 Regravar dados do sistema; 
\uf0d8 Regravar dados de recuperação referentes à configuração do 
disco; 
\uf0d8 Restaurar assinaturas, volumes e partições do disco de 
inicialização; 
\uf0d8 Instalar uma versão de recuperação do SO; 
\uf0d8 Iniciar a restauração a partir do backup. 
 
Práticas recomendadas de Backup 
Nós estudamos o que é backup, os tipos de backup e a importância da sua 
execução. Vamos estudar agora como as empresa devem desenvolver uma 
estratégia de Backup, que é o elemento crucial para a segurança dos seus 
dados. 
 
\uf0d8 Ao pensar na implementação de uma estratégia de backup, a 
organização deverá levar em consideração: 
\uf0d8 Os custo referente a reinserção dos dados, caso não tenha uma 
cópia dos dados; 
\uf0d8 Ou quanto custaria se ficassem sem os dados definitivamente, 
caso não fosse possível reinseri-los. 
 
 Uma estratégia de Backup deve passar pelas seguintes fases: 
 
Planejamento do backup de dados 
\uf0d8 A organização deve pensar aonde (local físico e lógico) irá 
armazenar as cópias backups. 
\uf0d8 A periodicidade dos Backups: mensal, diário, incremental, 
completo. 
\uf0d8 Quais os dados serão contemplados pela política de backup. 
\uf0d8 Quem são os responsáveis pela realização do Backup. 
 
Para a organização determinar com mais eficiência a política de backup dos 
seus dados, é importante