`Paradigma Midiológico e Latino Americano.

`Paradigma Midiológico e Latino Americano.


DisciplinaTeoria da Comunicação I1.457 materiais82.524 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Lévy,é no ciberespaço, e somente nesse espaço, que o projeto da inteligência coletiva será possível enquanto uma forma de inteligencia a ser inventada e não de um programa a ser aplicado ....
24
Vídeo
Trecho de entrevista de Pierre Lévy ao programa 
Roda Viva (TV Cultura em 08/01/01)
TEORIAS DA COMUNICAÇÃO
PANORAMA GERAL DOS ESTUDOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
Pois, está claro para Pierre Lévy (1999 B, p. 209) que \u201ca inteligência coletiva é muito mais problema em aberto \u2013
tanto no plano prático como teórico \u2013que uma solução pronta para ser usada. Mesmo que as experiências e as práticas sejam abundantes, trata
-se de uma cultura. Para Lévy,é no ciberespaço, e somente nesse espaço, que o projeto da inteligência coletiva será possível enquanto uma forma de inteligencia a ser inventada e não de um programa a ser aplicado ....
25
TEORIA DA FOLKCOMUNICAÇÃO
TEORIAS DA COMUNICAÇÃO
PANORAMA GERAL DOS ESTUDOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
ORIGEM DO TERMO
LUIZ BELTRÃO DE ANDRADE LIMA 
TESE DE DOUTORADO (1967)
FOLKCOMUNICAÇÃO: A COMUNICAÇÃO 
DOS MARGINALIZADOS (1980) 
FOLKCOMUNICAÇÃO
COMUNICAÇÃO POPULAR FOLCLORE COMUNICAÇÃO DE MASSA 
 
TEORIAS DA COMUNICAÇÃO
PANORAMA GERAL DOS ESTUDOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
Beltrão foi um dos pioneiros na introdução do estudo científico da Comunicação no Brasil. Apoiou-se nos ensinamentos do pesquisador austríaco, naturalizado norte-americano, Paul Felix Lazarsfeld, que dizia haver no processo da comunicação coletiva duas etapas significativas (two step flow): a do comunicador ao líder de opinião e a deste ao receptor comum. TERMO UTILIZADO POR LUIZ BELTRÃO, NA DÉCADA DE 60, E QUE DESIGNA OS ESTUDOS REALIZADOS POR ESTE ENVOLVENDO OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, O FOLCLORE E O SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DE MASSA. Ele queria descobrir como as camadas populares se comunicavam e transmitiam suas opiniões, e conseguiu sua resposta nas manifestações de folclore e no papel dos líderes comunicação.
27
2. CONCEITO
\u201cO processo de intercâmbio de informações e manifestações de opiniões, ideias e atitudes de massa, através de agentes e meios ligado direta ou indiretamente ao folclore. (BELTRÃO, 2001, p. 79).
TEORIAS DA COMUNICAÇÃO
PANORAMA GERAL DOS ESTUDOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
José Marques de Melo, Roberto Benjamin e Antonio Holhfeldt entre outros, ampliam o conceito de folkcomunicação para : 
\u201cO estudo dos processos de comunicação pelos quais as manifestações da cultura popular ou do folclore interagem com outras formas de comunicação, e sofrem influências ou se modificam quando tomadas de empréstimo por complexos comunicacionais. (Hohlfeldt 2002)
EM 1971 ELE PUBLICA SUA TESE DEFININDO COMO....
Exemplos de manifestações folclóricas abordadas no campo da folkcom: festejos populares (carnaval, festa junina, etc); Literatura (Cordel, folhetos, etc); cantoria e outros..
28
O objeto de pesquisa dessa nova disciplina, segundo Melo, 2005: \u201csitua-se na fronteira entre o Folclore (resgate e interpretação da cultura popular) e a Comunicação de Massa (difusão industrial de símbolos através de meios mecânicos ou eletrônicos destinados a audiências amplas, anônimas e heterogêneas.
TEORIAS DA COMUNICAÇÃO
PANORAMA GERAL DOS ESTUDOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
Assim, se o Folclore compreende formas grupais de manifestação cultural protagonizadas pelas classes subalternas , a Folkcomunicação caracteriza-se pela utilização de estratégias de difusão simbólica capazes de expressar em linguagem popular mensagens previamente veiculadas pela indústria cultural.
EM 1971 ELE PUBLICA SUA TESE DEFININDO COMO....
Exemplos de manifestações folclóricas abordadas no campo da folkcom: festejos populares (carnaval, festa junina, etc); Literatura (Cordel, folhetos, etc); cantoria e outros..
29
	\u201cEm um processo comunicacional padrão (fonte-mensagem-canal-receptor) o processo pararia por aqui, mas o processo folkcomunicacional neste ponto inicia um novo ciclo no fluxo da mensagem, onde os líderes se tornam comunicadores e transmitem uma mensagem através de um canal folk, chegando então a uma audiência que Beltrão intitulou de Audiência Folk. 
	Por esta, entende-se audiência formada por grupos marginalizados da sociedade.
	Vejamos melhor no gráfico a seguir:
Tipos de grupos marginalizados 
1. Grupos rurais marginalizados;
2. Grupos urbanos marginalizados;
3. Grupos culturalmente marginalizados.
O conceito de marginalizados aplicado por Luiz Beltrão se refere àqueles que foram excluídos da grande mídia e dos modelos hegemônicos de comunicação existentes e m nossa sociedade, são aqueles que não conseguem se fazer ouvir nos meios tradicionais de troca de informação e comunicação. Segundo Beltrão, há três tipos de grupos marginalizados que compõem a audiência folk:
33
1 - Grupo marginalizado rural:
São constituídos de habitantes de áreas isoladas (carentes de energia elétrica, vias de transporte eficientes e meios de comunicação industrializados), alheios às metas de desenvolvimento perseguidas pelas classes dirigentes do país. Em geral, pessoas analfabetas ou sem-alfabetizadas.
1 - Grupo marginalizado rural:
Festas religiosas
Feiras/exposições
Vaquejada/rodeio
cantorias
2. Grupos urbanos marginalizados:
Caracterizam-se pelo reduzido poder aquisitivo devido à baixa renda. Esses grupos são formados por indivíduos que recebem pequenos salários, em empregos ou subempregos que não exigem mão-de-obra especializada. Tratam-se de indivíduos que têm acesso limitado aos meios de comunicação de massa, principalmente devido a sua dificuldade na decodificação de suas mensagens. Esta dificuldade surge pelo baixo nível educacional, pois grande parte das pessoas pertencentes a estes grupos não teve acesso a instituições de ensino.
2. Grupos urbanos marginalizados:
Favela
Festas populares
Celebrações cívicas
3. Grupos marginalizados culturais 
Estes grupos são considerados marginais por constituírem-se de indivíduos que contestam a cultura e a organização social estabelecida, adotando uma política ou filosofia contraposta à que está em vigência. É importante salientar que os grupos culturalmente marginalizados estão contidos dentro dos grupos marginais urbanos e rurais, sendo que um indivíduo que pertence a um grupo culturalmente marginal, consequentemente estará dentro de um contexto rural ou urbano.
3. Grupos marginalizados culturais 
Grupos messiânicos
Grupos étnicos 
Manifestações artístico-culturais
Antonio conselheiro; zumbi...
39
Resumindo....
Não é somente pelos meios ortodoxos \u2013 a imprensa, o rádio a televisão, o cinema, a arte erudita e a ciência acadêmica \u2013 que, em países como o nosso, de elevado índice de analfabetos e incultos, a massa se comunica;
O comunicador folk, ao se apropriar dos conteúdos e formas dos bens culturais midiáticos, cria os seus folk canais e suas próprias estratégias de comunicação como alternativa de conseguir maior audiência para os seus produtos culturais.
40
http://www2.metodista.br/unesco/agora/pmc_acervo_pingos_fabio.pdf
http://www.redefolkcom.org/
Os Festejos Juninos no Contexto da Folkcomunicação e da Cultura Popular
UEPB/Junho em Campina Grande
41
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
ANJOS, Ideylson da Silva Viera. Introdução ao pensamento de inteligência coletiva de Pierre Lévy. Monografia. Universidade católica dom bosco Curso de filosofia Campo grande/MS, 2006
BELTRÃO, Luiz. Almanaque de cordel: veículo de informação e educação do povo. Revista Comunicarte , Campinas, ano 1, n.138. p.81-96, dez. 1982.
__________. As piedosas recordações . Recife: Fundação Joaquim Nabuco/Centro de Estudos Folclóricos, 1982 [Micromonografia de Folclore, 118].
__________. Comunicação e folclore : um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de idéias. São Paulo: Melhoramentos, 1971. 
__________. Folkcomunicação : a comunicação dos marginalizados. São Paulo: Cortez, 1980.