Praticas_Eletronica_1_2013
23 pág.

Praticas_Eletronica_1_2013


DisciplinaEletrônica I6.492 materiais31.699 seguidores
Pré-visualização5 páginas
\ufffd Para medir o equivalente Thevenin deve-se seguir os passos: 
1o \u2013 Retirar a carga do circuito. 
2o \u2013 Medir a tensão nos terminais de saída do circuito sem a carga. Esta é a tensão VTh 
3o \u2013 Colocar um resistor de prova no lugar de RL e medir a corrente elétrica (IL) através 
dele e a tensão em seus terminais (VO). A resistência é: RTh = (VTh \u2013 VO) / IL. 
4o \u2013 Desenhar o equivalente Thevenin com os valores de VTh e RTh medidos. 
 
 13
 
\ufffd Para calcular o equivalente Thevenin deve-se: 
1o \u2013 Retirar a carga do circuito. 
2o \u2013 Calcular a tensão nos terminais de saída do circuito sem a carga. Esta é a tensão 
VTh. 
3o \u2013 Substituir as fontes de tensão por curto-circuitos e calcular a resistência vista pelos 
terminais de saída. Esta é a resistência RTh. 
4o \u2013 Desenhar o equivalente Thevenin com os valores de VTh e RTh calculados. 
 
 
 
Prática: 
 
1 \u2013 Montar sobre a matriz de contatos o circuito elétrico representado na figura 2 . 
 
 
Figura 2 \u2013 Circuito elétrico com duas fontes de tensão 
 
 
2 \u2013 Medir a tensão equivalente Thévenin: VTh = VAB = ___________________ 
 
 
3 \u2013 Ligar um resistor de carga de 560\u2126 entre os terminais A e B. Medir a tensão VAB e 
a corrente através do resistor. 
 
VAB = _______________; IL = _________________ 
 
 
4 \u2013 Calcular a resistência equivalente Thévenin: RTh = (VTh - VAB ) / IL ; RTh = _____ 
 
 
5 \u2013 Desenhar o circuito equivalente Thévenin conforme mostrado na figura 1, utilizando 
os valores obtidos. 
 
 
 14
6 \u2013 Desconectar o resistor de 560\u2126. Desligar a fonte de alimentação elétrica do 
protoboard. Substituir as duas fontes de tensão por curtos-circuitos. Medir a 
resistência entre os terminais A e B. Comparar com o valor obtido no item 4. 
 
 
RTh = RAB = _____________________ 
 
 
7 \u2013 Calcular o equivalente Thévenin para o circuito elétrico da figura 2. Preencher a 
tabela abaixo com os valores de VTh e RTh calculados e com os valores obtidos 
nos itens 2 e 4. 
 
Calcular VA e VB. VTh = VA \u2013 VB . RTh = R1 // R2 + R3 // R4 . 
Diferença = 100% * (medido \u2013 calculado) / calculado. 
 
VA = ____________ ; VB = __________ ; VTh = __________ . 
 
RTh = _____________ 
 
 
 VTh RTh 
Medido 
Calculado 
Diferença % 
 
 
8 \u2013 Responda: quais seriam a tensão e a corrente entre os terminais A e B se fosse 
ligado um resistor de carga (RL) de 15k\u2126 nos terminais de saída (A e B) do circuito ? 
 
 Calcular a tensão sobre a carga e a corrente, utilizando o equivalente Thevenin. 
 Colocar um resistor de 15k\u2126 nos terminais A e B e medir a tensão elétrica sobre ele. 
 
 
Calculado = ____________________ 
 
 
Medido = ____________________ 
 
 
9 \u2013 Responda. 
Quando se deve calcular a resistência RTh utilizando-se o método dos itens 3 e 4 
no lugar do método do item 6 ? 
 
 
Se fossem ligados em série resistores de 2,7k\u2126 e 15k\u2126 à fonte de 5V da matriz de 
contatos, qual seria a corrente elétrica nesses resistores ? 
 
 15
3a PRÁTICA 
 
Osciloscópio e gerador de funções 
 
 
Objetivo: 
 
\u2013 Capacitar o aluno a utilizar o osciloscópio e o gerador de funções 
\u2013 Utilizar o osciloscópio para medições de tensão e corrente 
\u2013 Utilizar o osciloscópio para observação de formas de onda 
 
 
Teoria: 
 
O osciloscópio é um instrumento de medição utilizado principalmente para 
observar formas de onda de tensão. O sinal de tensão a ser observado é acoplado a 
entrada vertical do osciloscópio. Através de ajuste do ganho do amplificador de entrada 
vertical, conseguimos amplificar o sinal de entrada a um nível apropriado para 
observação. Para se determinar o valor da tensão medida, multiplica-se o número de 
divisões que o traço se movimentou (na vertical em relação a um referencial) pelo valor 
indicado pela posição da chave seletora de ganho vertical. 
 
A aplicação mais comum do osciloscópio é na observação de sinais alternados. 
Existem diversas formas de sinais alternados, muitos deles com forma bastante 
complexa. Os sinais senoidais ou cossenoidais, entretanto, possuem algumas 
características de fácil análise. Basicamente são três as características deste tipo de 
sinal: amplitude, frequência e fase. 
 
O eixo horizontal do Osciloscópio é denominado de "eixo dos tempos", porque 
através de suas divisões pode-se determinar o período de formas de ondas alternada 
(o valor de cada divisão horizontal é dado pela chave seletora de base de tempo). 
Ajustando-se a base de tempo horizontal, conseguimos ajustar o intervalo de tempo de 
observação do sinal. Com a onda alternada projetada na tela deve-se então 
estabelecer um ponto na figura que será considerado como início do ciclo e 
posicioná-lo exatamente sobre uma das divisões do eixo horizontal. Com o início do 
ciclo posicionado, verifica-se o número de divisões do eixo horizontal ocupado pelo 
ciclo completo. Conhecendo-se o tempo de cada divisão horizontal e o número de 
divisões horizontais ocupados por um ciclo da onda alternada, pode-se então 
determinar o seu período. 
 
Através do gerador de funções é possível obter formas de onda periódicas 
(senoidal, triangular, quadrada) com amplitude e frequência determinadas. Estes sinais 
são úteis para aplicações em eletrônica como: clock de circuitos digitais, sinais de 
entrada de circuitos, teste de equipamentos, etc. 
 
 
 16
Prática: 
 
1 \u2013 Identifique os controles e entradas do osciloscópio listados abaixo: 
 
a \u2013 chave liga-desliga; 
b \u2013 controle de brilho; 
c \u2013 controle de foco; 
d \u2013 entrada(s) vertical(ais); 
e \u2013 chaves(s) de seleção do modo de entrada; 
f \u2013 chave(s) seletora(s) de ganho vertical; 
g \u2013 controle(s) de posição; 
h \u2013 chave seletora da base de tempo; 
i \u2013 ajuste fino da base de tempo; 
j \u2013 controle(s) de posição horizontal; 
k \u2013 entrada de sincronismo externo; 
l \u2013 controles de sincronismo; 
 
 
 
\ufffd Verifique no manual do osciloscópio, ao final da apostila. 
 
2 \u2013 Prepare o osciloscópio pala uso: 
 
Posicione a chave seletora de base de tempo em 1 ms/div; 
Coloque o controle de posição horizontal na metade do curso; 
Selecione REDE (ou LINE) na chave seletora de sincronismo; 
Selecione DUAL (ou CHOPPER) na seletora de modo vertical; 
Posicione os controles verticais dos dois canais na metade do curso; 
Ligue o osciloscópio e ajuste os controles de intensidade e de foco até obter um traço 
fino; Movimente o controle de posição horizontal e observe o que acontece na tela; 
Mude a posição da chave seletora de base de tempo no sentido anti-horário e 
observe o que acontece com o traço na tela; 
Movimente o controle vertical do canal 1 e observe o que ocorre; 
Movimente o controle vertical do canal 2 e observe a tela; 
Passe a chave seletora de modo de operação vertical para CH1 e observe o que 
ocorre na tela. 
 
Obs.: Quando se seleciona CH1 ou CH2, o osciloscópio opera com traço simples (ou único). 
 17
3 \u2013 Medição de uma tensão contínua: 
 
Selecione AUTO na chave de fonte de sincronismo; 
Ajuste a chave de base de tempo para 1ms/div; 
Ajuste o traço no centro da tela (será a referência); 
Conecte a ponta de prova em um dos canais (CH1 ou CH2) e posicione a chave 
AC-DC em DC, no canal selecionado; 
Posicione a chave de ganho vertical em 2V/div; 
Ligue a fonte de tensão contínua; 
Conecte a ponta de prova do osciloscópio nos bornes de saída da fonte de modo que 
a garra de terra seja conectada ao borne de terra (0V); 
Faça a leitura da tensão no osciloscópio. 
 
Obs: Vin = (no de divisões) x (pos. chave sel. de ganho vert.) x (atenuação da ponta de prova) 
 
 
V = _____ x _____ x _____ = _____ V 
 
 
Mude o seletor de ganho vertical para 20V/div, 10V/div, 5V/div, 1V/div. 
 
Obs.: dependendo