Metodologia Científica
186 pág.

Metodologia Científica


DisciplinaMetodologia Científica36.043 materiais883.726 seguidores
Pré-visualização25 páginas
Ter espírito científico é estar, sobretudo, numa 
busca permanente da verdade, com consciência da ne-
cessidade dessa busca, expondo as suas hipóteses a 
constantes críticas, livres de crenças e interesses pesso-
ais, conclusões precipitadas e preconceitos. 
Como virtude intelectual, ele consiste no senso de 
observação, no gosto pela observação e pelas ideias cla-
ras, na imaginação ousada, pela necessidade da prova, 
na curiosidade que leva a aprofundar os problemas, na 
sagacidade e poder de discernimento. Assim, o espírito 
científico assume a atitude de humildade e de reconheci-
mento de suas limitações, da possibilidade de certos er-
ros e enganos. O possuidor do verdadeiro espírito cientí-
fico cultiva a honestidade (CERVO; BERVIAN, 1996, p. 17).
Metodologia Científi ca122
O universitário consciente de sua função na uni-
versidade irá procurar imbuir-se desse espírito científico, 
aperfeiçoando-se nos métodos de investigação e apri-
morando suas técnicas de trabalho (CERVO; BERVIAN, 
1996, p. 17).
 Embora não se possa alcançar todas as respostas, 
o esforço por conhecer e a busca da verdade continuam 
a ser as razões mais fortes da investigação científica. 
3.2.2 Neutralidade científica
Será que existe a neutralidade científica no co-
nhecimento científico? 
Será que um pesquisador ateu poderia abordar 
um tema religioso sem um envolvimento ideológico em 
sua pesquisa?
Vejamos.
A suposição da existência de uma ciência neutra 
e livre de condicionamentos ideológicos continua atual. 
Os defensores da neutralidade científica se apropriam 
de artifícios para se qualificarem como autoridades do 
saber, numa tentativa de imposição de seus argumentos. 
A polêmica parece nova, mas é tão antiga quan-
to a ideia moderna de ciência. Na tradição herdada do 
positivismo, a ciência é concebida como autônoma e 
isolada dos conflitos sociais. Sua hipótese básica é de 
que a sociedade humana funciona com base em leis na-
turais invariáveis, neutras e, portanto, independentes da 
ação humana. As classes sociais, as posições políticas, 
os valores morais e as visões de mundo dos sujeitos en-
volvidos são encarados como empecilhos à objetividade 
científica e o pesquisador deve se esforçar para eliminar 
tais influências do meio social na sua pesquisa. Mas, 
como o pesquisador pode evitá-las, se ele é um ser so-
cial imerso na realidade, se a delimitação do seu objeto 
123Tema 3 | Conhecimento, Ciência e Método
de estudo, as perguntas que faz e as interpretações que 
desenvolve já são influenciadas por sua história de vida, 
seus valores e sua visão de mundo? 
A ciência não está isolada do mundo e os fenôme-
nos sociais não podem ser explicados por leis naturais. O 
conhecimento científico é sempre transitório e socialmente 
relativo. A ciência reflete apenas uma maneira de pensar 
e, por isso, não é autônoma e não está isolada da luta de 
classes. O conhecimento de um fato conduz a posições 
morais e políticas e esses valores estarão presentes para o 
pesquisador, o tempo todo, durante o processo científico.
Neste sentido, não existe ciência de um lado e 
ideologia de outro, mas diferentes pontos de vista ci-
entíficos, vinculados a diferentes pontos de vista de 
classe. Como não há critério absoluto para medir a ci-
entificidade do conhecimento, é através da publicidade 
crítica e no embate das ideias que os resultados de uma 
pesquisa podem ser avaliados tendo em vista sua cor-
respondência com a realidade. 
Portanto, mesmo que um conhecimento científico 
tenha sido aceito, ele deve permanecer em condições 
de ser refutado no momento em que outra leitura da 
realidade possa superá-lo. Ele não é, portanto, sinôni-
mo da verdade ou um dogma, mas resultado provisório 
de uma investigação humana num determinado período 
histórico e social e, assim, suscetível a todas as ideias e 
valores presentes na sociedade. 
A ideologia entendida como visão de mundo 
sempre estará presente no processo científico e seria 
muito ingênuo aceitar a hipótese de neutralidade dos 
intelectuais. Neste sentido, não é possível ao intelec-
tual escapar da ideologia, seu conhecimento sempre 
estará ideologicamente situado. Mas, como o conheci-
mento científico é relativo e provisório, ele também está 
impregnado de valores e o cientista, consciente desta 
realidade, deve mover-se dentro dela para buscar o co-
nhecimento objetivo e verdadeiro.
Metodologia Científi ca124
 É necessário que o pesquisador tenha consciên-
cia da possibilidade de interferência de sua formação 
moral, religiosa e de sua carga de valores para que os 
resultados da pesquisa não sejam influenciados além do 
aceitável (RIBEIRO, 2003, p.30).
Como você explicaria o fato de existirem ci-
entistas religiosos?
Há contradição entre o conhecimento cientí-
fico e o teológico?
TEXTO COMPLEMENTAR
A Evolução da ciência
Os egípcios já tinham desenvolvido um saber técnico 
evoluído, principalmente nas áreas de matemática, ge-
ometria e na medicina, mas os gregos foram provavel-
mente os primeiros a buscar o saber que não tivesse, 
necessariamente, uma relação com atividade de utiliza-
ção prática. A preocupação dos precursores da filosofia 
(filo = amigo + sofia (sóphos) = saber e quer dizer ami-
go do saber) era buscar conhecer o porquê e o para que 
de tudo o que se pudesse pensar.
O conhecimento histórico dos seres humanos sempre teve 
uma forte influência de crenças e dogmas religiosos. Mas, 
na Idade Média, a Igreja Católica serviu de marco referen-
cial para praticamente todas as ideias discutidas na época. 
A população não participava do saber, já que os docu-
mentos para consulta estavam presos nos mosteiros das 
ordens religiosas.
Foi no período do Renascimento, aproximadamente en-
tre os séculos XV e XVI que, segundo alguns historiado-
res, os seres humanos retomaram o prazer de pensar e 
125Tema 3 | Conhecimento, Ciência e Método
produzir o conhecimento através das ideias. Neste perí-
odo as artes, de uma forma geral, tomaram um impulso 
significativo. Foi nessa época que Michelangelo Buonar-
rote esculpiu a estátua de David e pintou o teto da Ca-
pela Sistina, na Itália; Thomas Morus escreveu A Utopia 
(utopia é um termo que deriva do grego onde u = não 
+ topos = lugar e quer dizer em nenhum lugar); Tomaso 
Campanella escreveu A Cidade do Sol; Francis Bacon, A 
Nova Atlântica; Voltaire, Micrômegas, caracterizando um 
pensamento não descritivo da realidade, mas criador de 
uma realidade ideal, do dever ser.
No século XVII e XVIII (anos 1600 e 1700) a burguesia 
assumiu uma característica própria de pensamento, ten-
dendo para um processo que tivesse imediata utilização 
prática. Com isso surgiu o Iluminismo, corrente filosófica 
que propôs \u201ca luz da razão sobre as trevas dos dogmas 
religiosos\u201d. O pensador René Descartes mostrou ser a 
razão a essência dos seres humanos, surgindo a frase 
\u201cpenso, logo existo\u201d. No aspecto político o movimento 
Iluminista expressou-se pela necessidade do povo esco-
lher seus governantes através de livre escolha da vonta-
de popular. Lembremo-nos de que foi neste período que 
ocorreu a Revolução Francesa, em 1789.
O Método Científico surgiu como uma tentativa de organi-
zar o pensamento para se chegar ao meio mais adequado 
de conhecer e controlar a natureza. Já no fim do período 
do Renascimento, Francis Bacon pregava o método indutivo 
como meio de se produzir o conhecimento. Este método en-
tendia o conhecimento como resultado de experimentações 
contínuas e do aprofundamento do conhecimento empírico 
(particular para o geral). Por outro lado, através de sua obra 
Discurso sobre o método, René Descartes defendeu o mé-
todo dedutivo como aquele que possibilitaria a aquisição 
do conhecimento através da elaboração lógica de hipóteses 
(geral para o particular).
Metodologia Científi ca126
Danger
Danger fez um comentário
Ninguém desconhece o sacrifício de quase totalidade
0 aprovações
Edvan
Edvan fez um comentário
Indique se as afirmações são VERDADEIRAS com "V" ou FALSAS com "F":( ) O resumo analítico deve apresentar em sua estrutura um único parágrafo. ( ) Pode-se elaborar um resumo descritivo em uma ficha. ( ) No resumo deve ser apresentada a referência bibliográfica do texto que foi resumido. ( ) Através da Análise Textual elabora-se o resumo crítico.Marque o item com a sequência CORRETA: Opções de pergunta 1: V, F, F, V. V, V, V, V. V, V, V, F. V, V, F, F.... Veja mais
3 aprovações
Danilo
Danilo fez um comentário
Metodologia científica
2 aprovações
Lidiani
Lidiani fez um comentário
Que maravilhoso esse livro... gostaria de agradecer à alma caridosa que o postou aqui, foi de extrema importância para meu projeto de TCC. Muitíssimo obrigado.
7 aprovações
Carregar mais