AULA 3- ESTRUTURA DE LIPIDIOS
7 pág.

AULA 3- ESTRUTURA DE LIPIDIOS


DisciplinaBioquímica para Engenharia20 materiais73 seguidores
Pré-visualização1 página
25/11/2012 
1 
Universidade Federal de Pelotas 
Disciplina de Bioquímica 
 
Aula 2 
Estrutura de 
Lipídios 
Lipídios 
Os lipídios apesar de 
quimicamente diferentes 
entre si, exibem como 
característica definidora e 
comum a insolubilidade 
em água. 
 
Lipídios engloba todas as substâncias gordurosas 
existentes no reino animal e vegetal (do grego 
\u201clipos\u201d = gordura). 
 
Exemplos comuns são os óleos e as gorduras 
vegetais e animais, que tem grande importância na 
alimentação e na constituição das células vivas. 
1. Importância: 
2. Lipídios de armazenamento: 
São as gorduras e óleos 
 
Derivados dos ácidos graxos 
 
Ácido graxo consiste de uma cadeia de hidrocarboneto e 
um grupo carboxila terminal que possui propriedade 
anfipática: 
 
A cadeia de hidrocarboneto varia em comprimento (4 e 
36 carbonos). 
 
Em alguns ácidos graxos a cadeia é saturada em 
outras podem ter ligações duplas: 
 
 
25/11/2012 
2 
Quanto ao tipo de ligação 
entre os átomos de carbono: 
 
Saturados: só possuem 
ligações simples. 
 
Insaturados: Monoinsaturados 
(quando possuem uma só 
ligação dupla). 
 
 Poliinsaturados (quando 
possuem duas ou mais 
ligações duplas). 
Nomenclatura dos ácidos graxos: leva em consideração o 
comprimento das cadeias e o tipo de ligação: 
 
Propriedades físicas \u2192 Determinadas pelo 
comprimento e pelo grau de insaturação da cadeia: 
 
Solubilidade: quanto + longa for a cadeia do ácido 
graxo menor a solubilidade. 
 
Ponto de fusão: Em temperatura ambiente os ácidos 
graxos saturados têm consistência cerosa, 
enquanto os ácidos insaturados são líquidos 
oleosos. 
 
 
 Triacilgliceróis 
Os lipídios mais simples construídos a partir dos 
ácidos graxos são os triacilgliceróis (gorduras ou 
triglicerídeos). São compostos de 3 ácidos graxos 
ligados a uma molécula de glicerol. 
 
Exemplos de lipídios de armazenamento: 
25/11/2012 
3 
 São importantes no armazenamento de energia: 
ADIPÓCITOS (células gordurosas de animais). 
São armazenados também como óleos em sementes 
de muitas plantas fornecendo energia e precursores 
biossintéticos durante a germinação das sementes. 
 
Armazenamento de 
gordura célula vegetal 
Armazenamento de 
gordura célula animal 
Os seres humanos 
possuem tecido adiposo 
localizado especialmente 
sob a pele e na cavidade 
abdominal. 
 
Pessoas obesas com 15 a 
20 kg de triacilgliceróis 
depositados nos 
adipócitos podem 
satisfazer suas 
necessidades energéticas 
por meses contando 
apenas com suas 
reservas lipídicas. 
Em alguns animais os triacilgliceróis armazenados sob 
a pele funcionam como isolantes de ambientes a 
baixas temperaturas: 
Em animais que hibernam as gorduras armazenadas 
servem como isolante térmico e reserva energética: 
 Ceras: 
As ceras de origem biológica são formadas de ácidos 
graxos e álcoois: 
 
As ceras são a forma de armazenamento de energia 
de animais marinhos. 
 
A cera nos vegetais protege contra a evaporação 
excessiva de água e protege a planta contra 
parasitas. 
 
 
 
25/11/2012 
4 
3. Lipídios estruturais: 
Encontrados na membrana plasmática. 
 
A membrana plasmática possui uma bicamada lipídica 
a qual age como uma barreira impedindo a 
passagem de moléculas polares e íons: 
Os lipídios de membrana são anfipáticos. Existem três 
tipos gerais: Glicerofosfolipídios, esfingolipídios e 
esteróis. 
 
3.1 Glicerofosfolipídios 
São lipídios de 
membrana em que dois 
ácidos graxos estão 
ligados a ao primeiro e 
segundo carbono da 
molécula de glicerol e um 
grupo polar está ligado 
ao terceiro carbono por 
meio do fosfato: 
3.2 Esfingolipídios 
 
São derivados da esfingosina. 
 
São compostos de uma molécula de esfingosina, uma 
molécula de ácido graxo e um grupo polar que as vezes é 
acompanhado por uma ligação com açúcar e outra por 
uma grupo fosfato: 
 
3.3 Esteróis 
 
São lipídios estruturais das membranas plasmáticas. 
 
Sua estrutura é um núcleo esteróide consistindo de quatro 
anéis fundidos três com seis carbonos e um com cinco. 
 
Composto chave deste grupo é o colesterol: 
25/11/2012 
5 
Funciona como um lipídio estrutural de membrana (relacionado a fluidez 
e a permeabilidade da membrana) 
 
Precursor de vários produtos com atividade biológica distinta (hormônios 
e sais biliares) 
Resumindo: 
4. Lipídios como sinais co-fatores e 
pigmentos: 
Lipídios presentes em menores quantidades possuem 
papel importante como metabólitos e mensageiros 
celulares: 
 
\uf04a Funcionam como hormônios e mensageiros 
intracelulares; 
 
\uf04a Co-fatores enzimáticos em reações de transferências 
de elétrons nas mitocôndrias; 
 
\uf04a Funcionam como pigmentos captores de luz na visão 
e na fotossíntese, ou produzem coloração natural 
como a cor laranja. 
 
 
Lipídios especializados como estes são derivados 
dos lipídios da membrana plasmática ou das 
vitaminas lipossolúveis como as vitaminas A, D, 
E e K. 
4.1 Lipídios e a sinalização celular: 
 
Exemplo: Fosfatidilinositol (regula a estrutura e o 
metabolismo celular). 
 
 
 Serve como um reservatório de moléculas 
mensageiras que são liberadas dentro da célula em 
resposta a um sinal extracelular: 
 
25/11/2012 
6 
4.2 Lipídios como hormônios: 
 
Eicosanóides: são hormônios parácrinos. 
(substâncias que agem apenas sobre células próximas 
ao local de síntese). 
 
Envolvidos em funções reprodutivas, inflamação, febre, 
dor, formação de coágulos sanguíneos, regulação da 
pressão arterial.... 
 
 
- Existem três classes principais: prostaglandinas, 
tromboxanos e leucotrienos: 
 
 
 
Esteróides: são hormônios transportados pela corrente 
sanguínea desde o sítio de produção até as células alvo. 
 
Hormônios sexuais femininos e masculinos e os 
hormônios produzidos pelo córtex da supra renal 
(cortisol e aldosterona): 
4. Vitaminas lipossolúveis como 
precursoras de hormônios 
 Vitamina D 
 
Vitamina essencial para o desenvolvimento normal de 
ossos e dentes. 
 
 
Absorção de cálcio 
25/11/2012 
7 
 Vitamina A 
 
A vitamina A (retinol) em suas várias formas funciona 
como um hormônio e um pigmento visual dos olhos.