1-Bens-2013.2
5 pág.

1-Bens-2013.2


DisciplinaBens e Negócios Jurídicos13 materiais177 seguidores
Pré-visualização1 página
UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA
BENS E NEGÓCIOS JURÍDICOS, 2013.2
Leonora Roizen Albek Oliven
1 \u2013 BENS
1.1. Introdução
1.2. Bem e Coisa
1.3. Patrimônio Jurídico
1.4. Classificação
1.4.1. Bens Considerados em Si Mesmos
1.4.2. Bens Reciprocamente Considerados
1.4.3. Bens Quanto ao Titular do Domínio
1.4.4. Bens Quanto a Suscetibilidade de Serem Negociados
Parte Geral CC:
Pessoas
Bens
invalidades (nulidade/anulabilidade); prescrição, decadência; provas.
Fatos jurídicos: disciplinam a forma de criar, modificar, extinguir direitos.
PATRIMÔNIO: 
Patrimônio: conjunto de direitos reais e obrigacionais, ativos e passivos, de uma pessoa; direitos pecuniários, com valoração econômica. 
Teoria clássica ou subjetiva
Teoria realista ou moderna ou da afetação
Patrimônio é uma universalidade jurídica.
Despatrimonialização
RES EXTRA PATRIMONIUM
RES IN PATRIMONIUM
BENS: 
Caio Mário\ufffd: bem é tudo que nos agrada(...). Nesta categoria inscrevemos a satisfação de nossas exigências e de nossos desejos, amparados pela ordem jurídica.
Silvio Rodrigues\ufffd: bens são coisas úteis e raras, suscetíveis de apropriação e com valor econômico.
Bem jurídico: tudo aquilo que tem valor, seja pecuniário ou não; com ou sem utilidade econômica. 
Bens jurídicos de natureza patrimonial: são os bens econômicos; coisas que podem ser apropriadas pelo homem.
têm utilidade ao homem.
bens jurídicos não patrimoniais: atributos da personalidade, estado de filiação, direito ao nome...
PATRIMONIAIS: 
Direitos Pessoais, Obrigacionais (de crédito), jus ad rem (direito à coisa)
Reais: direito sobre a coisa própria - jus in re própria ou sobre coisa alheia - jus in re aliena.
CLASSIFICAÇÃO 
BENS CONSIDERADOS EM SI MESMOS:
QUANTO À TANGIBILIDADE:
-corpóreos, materiais, tangíveis;
- incorpóreos, imateriais, intangíveis 
QUANTO À MOBILIDADE: 
BENS IMÓVEIS: art. 79 a art.81 CC \u2013 não podem ser removidos ou transportados sem a sua deterioração ou destruição.
- por natureza, acessão e por disposição legal.
Por natureza ou por essência
Por acessão física industrial ou artificial 
Acessão física intelectual: discussão doutrinária sobre persistir ou não a modalidade.
Enunciado 11, I Jornada de Direito Civil, CJF \u2013 Art. 79: não persiste no novo sistema legislativo a categoria dos bens imóveis por acessão intelectual, não obstante a expressão \u201ctudo quanto se lhe incorporar natural ou artificialmente\u201d, constante da parte final do art. 79 do CC.
Por disposição legal: por força de lei para receber determinada proteção jurídica. 
BENS MÓVEIS: art. 82 a art. 84 CC \u2013 podem ser transportados por força própria ou de terceiros sem deterioração, destruição ou alteração da substância ou da destinação econômico-social.
- semoventes e propriamente ditos corpóreos, móveis para os efeitos legais e móveis por antecipação.
Por natureza ou essência: podem ser transportados sem danos por força própria (semoventes) ou de terceiros
Por antecipação:bens que são mobilizados por uma atividade do homem.
Por determinação legal
Bens móveis sui generis: ou móveis especiais \u2013 navios e aeronaves
QUANTO À FUNGIBILIDADE: refere-se à quantidade e qualidade especificadora
BENS FUNGÍVEIS: art. 85 CC; a fungibilidade é típica dos bens móveis, que por exceção podem ser infungíveis (automóveis, objetos de arte)
BENS INFUNGÍVEIS, personalizados, individualizados \u2013 típico dos bens imóveis.
Ex: empréstimo gratuito de uso (comodato, bens infungíveis) x empréstimo de consumo (mútuo, bens fungíveis)
QUANTO À CONSUNTIBILIDADE: física, fática OU jurídica, de direito.
BENS CONSUMÍVEIS: art. 86 CC: de fato e de direito 
BENS INCONSUMÍVEIS: podem ser utilizados de forma continua, duradoura.
QUANTO À DIVISIBILIDADE:
BENS DIVISÍVEIS:art. 87 CC \u2013 podem ser partidos ou fracionados sem alteração da substância. 
BENS INDIVISÍVEIS: natural, por força de lei, convencional.
Indivisibilidade natural: divisão gera a diminuição do seu valor.
Indivisibilidade legal: ex. 1784 CC
Indivisibilidade convencional: art. 1320 CC
QUANTO À INDIVIDUALIDADE:
BENS SINGULARES ou individuais: art. 89 CC
BENS COLETIVOS
universalidade de fato
 universalidade de direito
Enunciado 288 CJF/STJ- Arts. 90 e 91. A pertinência subjetiva não constitui requisito imprescindível para a configuração das universalidades de fato e de direito. X art. 90 CC, a exigir a pertinência subjetiva.
BENS RECIPROCAMENTE CONSIDERADOS: considera as relações de dependência entre os bens e direitos.
PRINCÍPIO GERAL DE DIREITO CIVIL: o bem acessório segue o principal \u2013 acessorium sequeatur principale 
Regra: princípio da gravitação jurídica.
PRINCIPAIS: art. 92 CC
ACESSÓRIOS
Art. 59 CC 1916: Salvo disposição especial em contrário, a coisa acessória segue a principal.
CLASSES DE ACESSÓRIOS:
PRODUTOS 
FRUTOS 
QUANTO À ORIGEM:
NATURAIS 
INDUSTRIAIS 
CIVIS 
QUANTO AO ESTADO EM QUE SE ENCONTRAM:
Frutos pendentes 
Frutos percebidos
Frutos estantes 
Frutos percipiendos
Frutos consumidos
PERTENÇAS: art. 93 CC
PARTES INTEGRANTES
BENFEITORIAS: 96 CC
NECESSÁRIAS: conservar ou evitar que a coisa se deteriore
ÚTEIS: aumentem ou facilitem o uso do bem
VOLUPTUÁRIAS: deleite ou recreio
BENS CONSIDERADOS EM RELAÇÃO AO TITULAR DO DOMÍNIO:
BENS PÚBLICOS: pertencentes a pessoa jurídica de direito público interno.
DE USO GERAL OU COMUM DO POVO: bens destinados à utilização do público em geral; pode ser gratuito ou oneroso.
DE USO ESPECIAL:terrenos e edifícios utilizados pelo próprio Estado para a execução do serviço público.
DOMINICAIS:bens públicos que constituem o patrimônio disponível e alienável, móveis e imóveis. De domínio privado do Estado.
Bens públicos não se adquirem por usucapião: CF, art. 183, p. 3º e art.191, p. ú. CC art.102.
Afetação: destinação especial.
BEM DIFUSO: meio ambiente, proteção art. 225 CF, Lei 6938/1981, visa a proteção da coletividade.
Bens tombados: artístico e histórico: DL 25/1937, . Regime de restrição: alienabilidade restrita, suscetível de processo administrativo de autorização.
BENS PARTICULARES \u2013 pertencem às pessoas de direito privado, atendem aos interesses dos proprietários, aqueles não pertencentes ao domínio público.
Art. 98 CC é exemplificativo \u2013 ENUNCIADO 287 CJF, IV JORNADA - 287 \u2013 Art. 98. O critério da classificação de bens indicado no art. 98 do Código Civil não exaure a enumeração dos bens públicos, podendo ainda ser classificado como tal o bem pertencente a pessoa jurídica de direito privado que esteja afetado à prestação de serviços públicos.
BENS FORA DO COMÉRCIO
BEM DE FAMILIA:
Proteção do homestead;
Tríade fundamental: dignidade-solidariedade-igualdade.
Estatuto jurídico do Patrimonio mínimo, Luiz Edson Fachin \u2013 repersonalização do Direito Civil.
Proteção moradia e dignidade da pessoa humana.
STJ, SUM 364: \u201cO conceito de impenhorabilidade de bem de família abrange também o imóvel pertencente a pessoas solteiras, separadas e viúvas.\u201d
Possibilidade de extensão a bem pertencente à pessoa jurídica nas hipóteses de bens pertencentes a empreendimentos familiares e as pessoas no bem residam. STJ, FUX, Resp 621.399/RS, 2005.
MODALIDADES: VOLUNTÁRIO OU CONVENCIONAL (art. 1711 CC) E LEGAL (L 8009/90).
STJ Súmula nº 449 - 02/06/2010 - A vaga de garagem que possui matrícula própria no registro de imóveis não constitui bem de família para efeito de penhora.
\ufffd PEREIRA, C. M. S. Instituições de direito civil. Vol.5. Rio de Janeiro: Forense, 2009. p. 343.
\ufffd RODRIGUES, Silvio. Direito Civil. Vol.1.São Paulo: Saraiva. p.116.
\ufffdPAGE \ufffd
\ufffdPAGE \ufffd5\ufffd