UNIDADE 01 - METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTIFICO
21 pág.

UNIDADE 01 - METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTIFICO


DisciplinaMetodologia Científica45.991 materiais968.276 seguidores
Pré-visualização5 páginas
do 
canal utilizado (por exemplo: o evento, o artigo, a base de dados etc.), uma vez 
que são utilizados em: 
a. documentação primária específica (artigos de periódicos, relatórios, teses, 
monografias, atas de congressos, patentes); 
b. documentação secundária (publicações de indexação e análise, prospectos e 
catálogos de editoras e livrarias); 
c. bases de dados (seleção automática da recuperação de informação contida em 
texto). 
Localização dos resumos 
Em teses, dissertações e monografias, o resumo precede o texto no idioma do 
documento e em inglês. Em artigos de periódicos, é colocado antes do texto no 
idioma do periódico e, no final do artigo, em outros idiomas de difusão 
internacional, geralmente o inglês. 
Extensão dos resumos 
Como recomendado nas normas de âmbito nacional, diferentes extensões para 
o resumo são encontradas, dependendo do tipo de documento resumido, 
como, por exemplo: 
\uf0b7 Até 100 palavras para notas e comunicações breves; 
\uf0b7 Até 250 palavras para monografias e artigos de periódicos; 
\uf0b7 Até 500 palavras para livros, teses e relatórios de pesquisa; 
\uf0b7 Extensão livre para resenhas ou resumos críticos. 
\uf0b7 Tipos de Resumos 
\uf0b7 Indicativo - indica apenas os pontos principais do texto e não apresenta 
dados qualitativos e quantitativos. É um resumo sumário e menos 
profundo. Não apresenta os resultados do trabalho resumido, as suas 
conclusões, nem tampouco dispensa a leitura do original. 
SOUZA, Vera Lucia Trevisan de; PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza. O auto-
respeito na escola. Cad. Pesqui., v.38, n.135, p. 729-755, 2010. 
Estudo com objetivo de identificar os valores presentes na escola e verificar quais 
interações favorecem a construção e ou a manutenção dos valores morais em 
particular o auto-respeito. Com enfoque teórico da Psicologia Socioistórica, a 
investigação apoiou-se nos estudos sobre moralidade de Jean Piaget e Yves de la 
Taille e constatou que coexistem na escola interações favorecedoras e não 
favorecedoras da construção de valores morais sendo que as últimas são mais 
freqüentes. 
Palavras-chave : EDUCAÇÃO; VALORES MORAIS; FORMAÇÃO DO CARÁTER; 
AUTORIDADE. 
\uf0b7 Informativo - Inclui os objetivos, o processo metodológico utilizado, o 
desenvolvimento da pesquisa, os resultados obtidos, as conclusões e as 
recomendações do texto resumido. Pode dispensar a leitura do original. 
\uf0b7 Exemplo de resumo informativo 
GARNICA, Antonio Vicente Marafioti. Um ensaio sobre as concepções de 
professores de Matemática: possibilidades metodológicas e um exercício de 
pesquisa. Educ. Pesqui. v.34, n.3, p. 495-510, 2008. 
Este artigo tem como tema principal as concepções dos professores de Matemática. 
Considerando o termo "concepção" a partir do pragmatismo de Peirce, elabora-se um 
conjunto de parâmetros metodológicos - chamado de "método indireto" - a ser 
aplicado no estudo das concepções de professores de Matemática. Trata-se, em 
síntese, de investigar as concepções dos professores interpelando-os não sobre suas 
crenças, mas sobre suas práticas. Fundamentando essa abordagem indireta e 
explicitando-a em sua natureza qualitativa, o artigo segue apresentando, como 
exemplo, um exercício desse "método indireto": um estudo sobre os critérios que os 
professores utilizam quando escolhem livros-texto para sua sala de aula, abordando, 
conseqüentemente, quais concepções de Matemática e de seu ensino e 
aprendizagem tais critérios desvendam. Partindo de depoimentos de professores de 
Matemática, o estudo indica que os professores agem com certa independência 
quando escolhem os materiais utilizados em suas atividades docentes. Buscam, ao 
mesmo tempo, apoio em uma vasta gama de livros didáticos, desconsiderando as 
particularidades de cada obra e as abordagens e perspectivas defendidas por seus 
autores. Embora submetam-se ao livro didático - considerado uma referência legítima 
e segura -, os professores o subvertem, buscando adequá-lo ao que consideram 
correto. Dessa constatação, algumas das concepções dos professores podem ser 
realçadas: o aluno, via de regra, é avaliado e classificado pelas lacunas que 
apresenta em relação aos conteúdos. Dessa postura, segue a valorização da 
precedência lógica dos conteúdos, de sua apresentação linear, e a defesa de "pré-
requisitos" que viabilizariam o ensino e, conseqüentemente, implicam a legitimidade 
de aulas predominantemente expositivas. 
Palavras-chave : Concepções; Formação de professores; Educação Matemática; 
Livros didáticos de 
Crítico - Formula julgamento sobre o trabalho resumido e, em geral, só é 
elaborado por especialistas no assunto. Também denominado resenha crítica 
ou, simplesmente, resenha. 
Este é, provavelmente, o tipo de resumo que você mais terá de fazer a pedido 
de seus professores ao longo do seu curso. O resumo crítico é uma redação 
técnica que avalia de forma sintética a importância de uma obra científica ou 
literária. 
Quando um resumo crítico é escrito para ser publicado em revistas 
especializadas, é chamado de Resenha. Ocorre que, por costume, os 
professores tendem a chamar de resenha o resumo crítico elaborado pelos 
estudantes como exercício didático. A rigor, você só escreverá uma resenha no 
dia em que seu resumo crítico for publicado em uma revista. Até lá, o que você 
faz é um resumo crítico. 
Antes de começar a escrever seu resumo crítico, você deve se certificar de ter 
feito uma boa leitura do texto, identificando: 
Qual o tema tratado pelo autor? 
Qual o problema que ele coloca? 
Qual a posição defendida pelo autor com relação a este problema? 
Quais os argumentos centrais e complementares utilizados pelo autor para 
defender sua posição? 
Exemplo de Resumo Crítico (Extraído e adaptado de: Saldanha PH. Lições 
de Biologia, com poesia e humor. Cienc Hoje. 1988; 7(39): 64. Resenha da 
obra de: Carvalho HC. Fundamentos de genética e evolução. 3a. edição. Rio de 
Janeiro: Atheneu, 1987. 574p.). 
Trata-se de um manual sem destinação certa, podendo ser útil tanto para 
universitários de Biologia, em virtude se sua apresentação didática e atualizada, 
como para consulta em geral, graças à abrangência disciplinar de seus 30 capítulos. 
Já no sumário podem ser feitas algumas pequenas correções, tais como: o termo 
"gen" no lugar de "gene", indicado pela grafia oficial; o título "Genética de Populações 
I", quando não existe o capítulo Genética de Populações II; no capítulo 26, talvez a 
expressão clássica "oscilação genética" fosse mais correta do que "deriva genética", 
que já inclui o efeito o tamanho ou tamanho efetivo da população. A introdução, 
apesar de breve, consegue levar ao leigo de modo simples, acessível e didático o 
objetivo da genética em todos os seus níveis de integração metodológica, 
enfatizando antes as diferenças hereditárias do que as semelhanças inatas, isto é, a 
diversidade biológica. Cada capítulo vem precedido de epígrafe, muitas delas de 
natureza filosófico-teórica que sintetizam ou introduzem o tema em questão com 
propriedade, refletindo a erudição do autor e não impedindo, por outro lado, que 
citações colhidas na cultura popular sejam também introduzidas com pertinência, por 
exemplo, uma citação de Caetano Veloso e um poema de Carlos Drummond de 
Andrade. Outro aspecto positivo é a inserção de questões e problemas para que o 
leitor possa testar seu grau de aprendizagem. Merece também destaque a 
preocupação em valorizar o trabalho de pesquisadores brasileiros, amplamente 
citados, e cuja bibliografia é comentada no final dos capítulos. O livro pode ser 
situado entre os melhores manuais escritos em português já editados sobre o tema, 
competindo com traduções de reconhecido valor. 
Técnica de Elaboração de Resumos 
Algumas recomendações