uso político do esporte
9 pág.

uso político do esporte

Pré-visualização7 páginas
paralela ao desenvolvimento histórico da sociedade mundial.
Foi utilizado pela burguesia como elemento disciplinador,
higienista e alienador no berço da revolução Industrial,
procedente do capitalismo. Foi usado como ferramenta de
propaganda dos Estados, inflamando valores nacionalistas
e até raciais, como no caso da Alemanha nazista. Também
serviu de instrumento de intimidação política, estratégica e
RBCM Vol. 12 N. 2.p65 24/6/2004, 14:10118
R. bras. Ci. e Mov. Brasília v. 12 n. 2 p. 111-119 junho 2004 119
ideológica durante a Guerra Fria, quando o mundo se
encontrava dividido em dois blocos políticos antagonistas.
Finalmente foi incorporado ao mercado mundial seguindo
as tendências neoliberais da globalização.
Estes fatos demonstram uma influência direta dos
acontecimentos da sociedade no âmbito esportivo e se
devem a neutralidade interna do esporte, que não produz
ideologia própria e se torna susceptível a instrumentalização
da sociedade (4).
Atualmente o esporte é caracterizado como uma
mercadoria da Indústria Cultural. O acesso a sua prática, ou
seja, seu consumo está baseado nas leis de mercado. Os
grandes eventos esportivos são vitrines deste produto,
divulgados amplamente na mídia constroem heróis que
alimentarão este mercado.
Contudo, apesar das influências sofridas e da utilização
para fins políticos e econômicos, o esporte mantém em sua
configuração primária, o embate esportivo, seus princípios
fundamentais: a busca pelo ideal da vitória e o intuito de ser
o melhor. Estes fatores, apoiados na regulamentação
esportiva, sustentam a legitimidade do esporte.
Referências Bibliográficas
1. ARON, R. Os últimos anos do século. Rio de Janeiro,
Guanabara, 1987.
2. BINDER, D. \u201cOlimpism\u201d Revisited as context for global
education: Implications for Physical Education. Quest,
53, 14-34, 2001.
3. BRZEZINSKI, Z. EUA x URSS: o grande desafio. Rio de
Janeiro, Nórdica, 1989.
4. BRACHT, V. Sociologia Crítica do Esporte: uma
introdução. Vitória, UFES, Centro de Educação Física e
Desportos, 1997.
5. CAGIGAL, J. M. El deporte en la sociedad actual. In
Obras Selectas. Madrid: Comité Olímpico Español, 1996.
6. CARDOSO, M. Os Arquivos das olimpíadas. São Paulo,
Panda, 2000.
7. COUBERTIN, P. Memórias Olímpicas. Lausane, Bureau
Internacional de Pedagogia Deportiva, 1965.
8. ELIAS, N.; DUNNING, E. Deporte y ocio en el proceso
de la civilización. México, Fondo de Cultura Económica,
1992.
9. GODOY, L. Os Jogos Olímpicos na Grécia Antiga. São
Paulo, Editora Nova Alexandria, 1996.
10. GONZÁLEZ, J. I. B. Introducción. In Materiales de
sociología del Deporte. Madrid, Las ediciones de La
Piqueta, 1993.
11. GRIFI, G. História da Educação Física e do Esporte.
Porto Alegre, D. C. Luzzatto Editores, 1989.
12. HENRY, B. História de los juegos olímpicos, Barcelona,
Hispano-Europea, 1955.
13. HOBSBAWM, E. Era dos extremos: O breve século XX:
1914-1991. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.
14. HOLMES, J. Olimpíada-1936: glória do Reich de Hitler.
Rio de Janeiro, Rénes, 1974.
15. JAGUARIBE, H. Um estudo crítico de história. São
Paulo, Paz e Terra, vol.2, 2001.
16. LANCELOTTI, S. Olimpíada 100 anos \u2013 História
completa dos Jogos. São Paulo, Nova Cultural, 1996.
17. LUCAS, J. A. Future of the Olympics Games. Champaign,
Human Kinetics, 1992.
18. MARINHO, I. P. História geral da educação física.
São Paulo, Cia. Brasil , 1980.
19. MOTA, M. B.; BRAICK, P. R. História: das cavernas
ao terceiro milênio. São Paulo, Moderna, 1997.
20. PILATTI, L. A. Reflexões sobre o Esporte Moderno:
Perspectivas Históricas. In I Prêmio INDESP de
literatura desportiva. Brasília: Instituto Nacional de
Desenvolvimento do Desporto, 1999.
21. RAMOS, J. J. Os exercícios físicos na história e na
arte. São Paulo, IBRASA, 1982.
22. RIORDAN, J. Sport in Soviet Society, Cambridge,
Cambridge University, 1977.
23. RUBIO, K. O Atleta e o mito do herói: O imaginário
esportivo contemporâneo. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2001.
24. SIMSON, V. ; JENNINGS, A. Os senhores dos anéis \u2013
Poder, dinheiro e drogas nas Olimpíadas Modernas.
São Paulo, Best Seller, 1992.
25. SOUZA, B. C. História da educação física. Escola de
Educação Física da Polícia Militar do Estado de São
Paulo, 1975.
RBCM Vol. 12 N. 2.p65 24/6/2004, 14:10119