Aula Teórica 06
39 pág.

Aula Teórica 06


DisciplinaFarmácia Homeopática48 materiais967 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
SAÚDE \u2013 DOENÇA
A CURA
Farmacêutica homeopata: Keila Furbino
*
Conceito de Cura em homeopatia
Psora: sofrimento básico, sensações, sentimentos não justificáveis vivenciados pela natureza humana de uma forma dinâmica.
Essas sensações são acompanhadas de angústia, inquietude, ansiedade e vulnerabilidade.
 Lembrando que o primeiro que se enferma no homem é a vontade e o entendimento, e por último, seu exterior.
*
Conceito de Cura em homeopatia
 O tratamento da psora torna-se o principal objetivo do médico homeopata que almeja desencadear o processo curativo, o que somente será feito com a administração do medicamento simillimum.
*
Conceito de Simillimum
É o medicamento que cobre a sintomatologia da entidade clínica e da entidade individual nos seus mais amplos e completos aspectos. É o medicamento ideal, por excelência quando possível de se obter, e que deve ser buscado para se conseguir os melhores benefícios no tratamento.
*
Conceito de Cura em homeopatia
 O processo de cura desencadeado pelo simillimum seria a modificação da psora do estado de vigência para o estado de latência, portanto não há desaparecimento da psora , apenas latência de seus sintomas que sob influência medicamentosa mudariam de sentido.
*
Conceito de Cura em homeopatia
Ocorre pelo reequilíbrio da Energia Vital em diferentes níveis do enfermo. Quando determinado pelo:
a) Desaparecimento dos sinais e sintomas da doença, devolvendo condições ao indivíduo de restabelecer sua rotina de vida;
*
Conceito de Cura em homeopatia
b) Além da cura dos sintomas orgânicos, uma melhor compreensão do seu processo de adoecimento;
c) Apesar de não haver melhoria dos sintomas (no caso de pacientes terminais), a existência de uma Sensação Subjetiva de Bem Estar (SSBE)
*
Susceptibilidade
Tendência para sentir influências ou contrair enfermidades.
Para Kent, existem tantas formas de susceptibilidade quanto o número de indivíduos e a susceptibilidade é o fundamento de todo contágio e de toda cura.
*
Predisposição mórbida
 Tendência a estar disposto com antecedência. Consiste na vulnerabilidade do organismo ou de suas partes para adquirir moléstias. É hereditária ( ligada ao genótipo), constitucional (biotipos), específica ( produz sempre os mesmos quadros clínicos) ou inespecífica.
*
Idiossincrasia
É a predisposição mórbida exagerada.
Condição existente em todo ser humano que determina um estado de susceptibilidades que interferem na homeostase biopsíquica do indivíduo.
*
Idiossincrasia
\u201c... significam condições corpóreas peculiares que, embora sãs sobre outros aspectos, possuem uma tendência a serem levadas a um estado mais ou menos mórbido por certas coisas que parecem não produzir impressão alguma, nem nenhuma mudança em muitos outros indivíduos\u201d.&117 Organon
*
Medicamento homeopático
 Através do princípio da semelhança, o medicamento homeopático atua transmitindo à Energia Vital as \u201cinformações\u201d imprescindíveis a sua reorganização. É o re-ordenamento da Energia Vital que permite a redução das susceptibilidades, corrigindo as predisposições mórbidas do organismo.
*
Medicamento homeopático
Hahnemann procurou estabelecer uma medicação que deslocasse os órgãos de choque.
O medicamento homeopático não vai lesar ou destruir o órgão de choque vai apenas desviá-lo.
O ser humano só terá uma moléstia se estiver predisposto, se não for, nada acontecerá.
*
Homeopatia
Na homeopatia, ao medicar o doente busca-se agir na susceptibilidade do organismo ( na causa) e não nas suas consequências ( nos sintomas da enfermidade). 
Somente desse modo o organismo poderá retomar o caminho natural da cura.
*
Classificação dos Sintomas
 MENTAIS = afetividade ( vontade e entendimento), Intelecto, Memória
GERAIS = Relação com clima, desejos/aversões, sono, sexualidade, menstruação, febre, transpiração, posições.
PARTICULARES = cabeça, dorso, abdomen, extremidades. 
*
Totalidade Sintomática
A causa de toda enfermidade só se revela ao médico homeopata através da totalidade sintomática, que é o conjunto de sinais e sintomas, físicos, mentais, subjetivos e objetivos que apresenta o indivíduo enfermo.
*
\u201cLeis de Cura\u201d de Hering
 A melhora dos sintomas ocorre de cima para baixo;
A melhora da enfermidade ocorre de dentro para fora ( do mental para o físico);
Aliviam-se primeiro os órgãos mais importantes, a pele e a mucosa ao final;
A medida que desaparecem os últimos sintomas aparecidos, vem reaparecendo sintomas antigos.
*
Leis de Cura
Sintomas exonerativos mais frequentes:
Pele: eczemas, herpes, vesículas pruriginosas, abscessos, furúnculos, úlceras, urticária.
Pólipos e verrugas, que estão relacionados com a superficialização da sicose, impedindo uma localização mais profunda e grave da doença.
Mucosas: catarro nasal e bronquial, fluxos nasais, diarréias, inflamações e ulcerações.
Suores e febre
*
Supressão mórbida
 Paliação, inibição ou desaparecimento da parte dos sintomas de um paciente por medicamentos não homeopáticos ou por meios, circunstâncias ou procedimentos terapêuticos externos.
*
Supressão mórbida
 Há uma intencionalidade no sintoma, por tanto, todo método terapêutico que tenha como finalidade eliminar este sintoma será supressor.
*
Supressão mórbida
A supressão determina a aparição de metástase em outro órgão sob outras formas e com outro quadro de enfermidade ( asma brônquica após a extração das tonsilas). 
*
Agravação Homeopática
 É a agravação de sintomas já existentes, parecendo uma piora da moléstia primitiva, mas frequentemente acompanhada de uma sensação subjetiva de melhora do paciente. Hahnemann a atribuía à ação primária do medicamento homeopático, que se somava à doença, intensificando seus sintomas. Geralmente melhora espontaneamente e o paciente pode tolerar o quadro.
*
Observações Prognósticas de Kent
Paciente funcional: manifestações sensoriais, alterações bioquímicas;
Paciente Lesional Leve: alterações em órgãos e tecidos não vitais;
Paciente Lesional grave: alterações em órgãos e tecidos vitais;
Paciente Incurável: alterações tão graves e profundas em órgãos e tecidos vitais (incluindo alterações mentais) que são irreversíveis.
*
Níveis de Cura
Paciente Funcional: melhoram os sintomas mentais, gerais e funcionais com SSBEG. Ocorre uma melhora suave, progressiva e sem agravações.
Paciente Lesional Leve: agravação curta e forte, seguida de rápida melhora.
Paciente Lesional Grave: agravação prolongada, seguida de lenta e segura melhora.,
*
Níveis de Cura
Paciente incurável: a deteriorização energética chegou ao máximo, por isso a tentativa do organismo equilibrar-se foi levada as últimas possibilidades, não existindo nada para curar e portanto não há agravação, e se espera uma paliação com melhora dos sintomas idiossincráticos e morte com SSBE.
*
Níveis de Cura
Casos lesionais: cirrose hepática, artrite, artrose deformante, diabetes insulina-dependente
 O aparecimento de melhora do estado geral: recuperação do ritmo de sono, diminuição das dores, aumento da motricidade. Diminuição do uso de fármacos.
*
 Cura
No curso do processo de cura é frequente ocorrerem as agravações homeopáticas, as exonerações e o retorno de sintomas antigos. Pode ocorrer também o surgimento de sintomas do próprio medicamento (patogenesia). Por outro lado poderá também acontecer uma má agravação não desejada pelo médico homeopata.
*
Exonerações ou Eliminações
São produzida pela reação do organismo, levando ao desequilíbrio de suas partes mais nobres ( órgãos e sistemas vitais) para as mais superficiais e externas, provocando as necessárias eliminações, como suores, pápulas, descamações, pruridos, corizas, catarros brônquicos, diarréias, secreções de toda natureza.
*
Retorno dos Sintomas Antigos
É o reaparecimento no doente,