direito_constitucional
192 pág.

direito_constitucional


DisciplinaDireito Constitucional I48.678 materiais1.347.729 seguidores
Pré-visualização50 páginas
constituição visa a 
estabelecer características da atual sociedade, trazendo parâmetros que devem ser 
observados à luz da realidade econômica, política e sobretudo social. A constituição se adequa 
à realidade social. Essa constituição realiza o balanço das planificações já desenvolvidas e 
preparam a sociedade para um novo grau de planificação. 
 
c) Constituição dirigente: tem viés de futuro. É constituição típica de Estado social do pós 2ª 
guerra mundial. Constituições dirigentes são constituições plenificadoras, que predefinem uma 
pauta de vida para a sociedade, determinando uma ordem concreta de valores para o Estado e 
para a sociedade, ou seja, elas vão estabelecer metas, tarefas, programas, fins para serem 
cumpridas pelo Estado e também pela sociedade. O autor referência é José Joaquim Gomes 
 
 
9 
 
Canotilho. Canotilho vai discutir se existe ainda as constituições dirigentes e ao final chega à 
conclusão que a constituição dirigente não morreu, o que morreu foi um forma da constituição 
 
dirigente. Segundo Canotilho, devido a uma atenuação do papel do Estado, não é possível falar 
da constituição atual como se falava da constituição dirigente das décadas de 1960, 1970 e 
1980. Porém, a constituição dirigente perde um pouco do seu dirigismo, mas não deixa de ser 
diretiva, ou seja, ainda permanecem determinadas áreas de programaticidade na constituição, 
mas sendo menos impositiva e mais reflexiva. (a constituição se redimenciona à luz da 
atenuação do papel do Estado). Canotilho propõe um constitucionalismo moralmente reflexivo 
(com um dirigismo fraco). 
 
\ufffd Constituições Plásticas (Raul Machado Horta e Uade Lamego Bulos): 
 
 Constituições plásticas são aquelas dotadas de uma maleabilidade. Ou seja, são 
maleáveis aos influxos da realidade social (política, economia, educação, jurisprudência, etc). 
São Constituições que possibilitam releituras, reinterpretações de seu texto, à luz de novas 
realidades sociais. A Constituição plástica pode ser flexível ou rígida, mas permite uma nova 
interpretação de seu texto, à luz de novas realidades sociais. Existem autores (Pinto Ferreira), 
minoritariamente, que entendem ser sinônimo de constituição plástica a constituição flexível 
quanto à estabilidade. 
 
\ufffd Constituições Nominalistas: 
 
 São as constituições que trazem normas dotadas de alta clareza e precisão, nas quais a 
sua interpretação é realizada através de um método literal, gramatical. 
 
\ufffd Constituições semânticas: 
 
 São as constituições nas quais o texto não é dotado de uma clareza e especificidade que 
não vão exigir apenas o método gramatical, portanto, elas vão exigir outros métodos de 
interpretação, ex: todas as constituições são semânticas. Canotilho vislumbra outro significado 
para as constituições semânticas: são consideradas constituições fechadas meramente 
formais, que não trazem conteúdo mínimo de bondade e justiça material em sua 
normatividade (desvirtuam a dignidade da pessoa humana). 
 
\ufffd Constituições compromissórias: 
 
 São aquelas constituições elaboradas a partir de acordos compromissos entre grupos 
ideologicamente divergentes. Portanto, o texto constitucional irá explicitar uma verdadeira 
fragmentação de acordos utópicos, demonstrando um pluralismo ideológico. 
 
10 
 
Ex: Constituição Brasileira de 1988. 
 
\ufffd Constituição Dútil ou constituição leve: 
 
 São as constituições que, ao invés de pré-determinar uma forma de vida útil para a 
sociedade (comunidade), elas apenas criam condições para que a sociedade possa desenvolver 
os seus mais variados projetos de vida. A constituição dútil é uma constituição aberta, eclética, 
plural, típica de constituições de Estado Democrático de Direito (Jürgen Habermas utiliza esse 
termo). O termo constituição dútil é utilizado por Gustavo Zagrebelsky. 
 
\ufffd Constituições Pactuadas ou Duais: 
 
 São aquelas constituições que resultam de um acordo (pacto) entre o rei e o 
parlamento. Sendo que, elas objetivam a desenvolver em equilíbrio (tênue, frágil \u2013 para Paulo 
Bonavides) entre dois princípios: o princípio monárquico, em virtude do Rei, e o princípio 
democrático, em virtude do parlamento. Guardam relação direta com os documentos 
constitucionais históricos ingleses, ex: Magna Carta. 
 
\ufffd Constituição em Branco: 
 
 São aquelas constituições que não trazem limitações expressas, explícitas ao Poder 
Constituinte reformador. Portanto, as reformas ficam susceptíveis a uma margem de 
discricionariedade do Poder Constituinte Derivado de Reforma. As constituições em branco 
omitem limites ao Poder de Reforma das mesmas. 
 
\ufffd Heteoconstituições: 
 
 São aquelas constituições decretadas fora do Esatdo que irão reger (são incomuns). Ex: 
Constituição Cipriota, elaborada na década de 60, em Zurik, pela Grã-Bretanha, Grécia e 
Turquia. 
 
1.4 - Classificação da Constituição Brasileira 
\u2022 Quanto ao conteúdo é formal; 
\u2022 Quanto à estabilidade é rígida (para alguns autores ela é super rígida em virtude do 
art.60, parágrafo 4º da CR/88); 
\u2022 Quanto à forma é escrita; 
\u2022 Quanto à origem é promulgada; 
\u2022 Quanto ao modo de elaboração é dogmática; 
\u2022 Quanto à extensão é analítica; 
 
11 
 
\u2022 Quanto à unidade documental é orgânica (ou seja, documento único, aproxima-se da 
escrita e dogmática. A inorgânica é formada por um conjunto de documentos, mas não 
significa que ela seja histórica); 
\u2022 Quanto à ideologia é eclética; 
\u2022 Quanto ao sistema é principiológica (de acordo com o neo constitucionalismo); 
 
\u2022 Quanto à finalidade é dirigente (embora toda constituição tenha um pouco de 
garantia); 
 
\ufffd Observações importantes e complementares ao tema: 
 
\ufffd A Constituição brasileira é plástica (Uade Lamego e Raul) e também é 
semântica (na classificação tradicional), lembrando que para Canotilho a nossa 
constituição não é semântica. 
\ufffd É compromissória. 
\ufffd É dútil, leve. 
\ufffd Não é pactuada. 
\ufffd Não é em branco. 
\ufffd Não é heteroconstituição. 
\ufffd É nominal. 
\ufffd A Constituição brasileira é plástica, pois existiram muitas mutações 
constitucionais. 
 
2 \u2013 Normas Constitucionais 
2.1 \u2013 Conceito 
 A palavra norma, segundo Raul Machado Horta, designa um mandamento, uma prescrição, 
uma ordem. Sob o ângulo da norma jurídica, conforme assinala Kelsen, a norma confere poderes, 
permissões e opera derrogações. Uma outra característica da norma jurídica é determinar o 
comportamento externo do indivíduo, distinguindo-se da norma religiosa e da norma ética, na 
medida em que estas buscam fixar o seu comportamento interior. 
Guilherme Pena de Moraes conceitua as normas constitucionais como: 
\u201c significações extraídas de enunciados jurídicos, caracterizada pela superioridade hierárquica, 
natureza da linguagem, conteúdo específico e caráter político, com diferentes tipologias.\u201d 
 Na definição do autor as normas constitucionais são revestidas de quatro características 
essenciais: a superioridade hierárquica que denota o seu caráter de lei maior, representando o 
fundamento de validade de todas as demais normas legais que integram o mesmo ordenamento 
jurídico; a natureza da linguagem que traduz a maior abertura e menor densidade das normas 
constitucionais, havendo freqüentemente uma necessidade de concretização da norma. Nesse 
sentido é dado ao intérprete maior liberdade de conformação da norma à realidade apresentada; o 
conteúdo específico acentua que as normas constitucionais prescrevem a divisão territorial e funcional 
do exercício do poder político, assim como garantia de exercício dos_direitos fundamentais e as 
metas_a_serem_alcançadas pelo Estado na ordem econômica e social; o caráter político demonstra 
a legitimação e limitação do poder político. 
 
12
Alberto
Alberto fez um comentário
muito bom.
0 aprovações
Carregar mais