Custos - apostila 2013 2
74 pág.

Custos - apostila 2013 2


DisciplinaAnálise de Custos1.443 materiais12.921 seguidores
Pré-visualização13 páginas
Tão importante quanto uma estratégia bem definida de comercialização e 
elaboração do preço de venda, é a análise dos componentes que afetam os 
resultados de uma empresa e como estes componentes podem contribuir para uma 
tomada de decisão. 
 
Para se fazer esta análise torna-se indispensável o correto entendimento 
terminológico de alguns termos utilizados pelos analistas de custos, a seguir 
explicitados. 
 
CUSTO: é a expressão, monetariamente quantificada, da utilização de recursos para 
adquirir ou processar um determinado bem. Em outras palavras são gastos do 
processo fabril. 
 
DESPESA: é a valorização monetária do consumo de recursos que é feito para a 
obtenção de receitas ou de algum benefício. As despesas estão relacionadas com a 
administração, tributação e comercialização. Podemos conceituar despesas também 
como gastos necessários para a obtenção da receita. 
 
INVESTIMENTO: é o gasto que a empresa realiza na compra de um bem ou na 
obtenção e posse de um direito que vai gerar benefícios de caixa no futuro e que 
não vai ser totalmente consumido ou utilizado num só período, num só exercício. Os 
investimentos serão considerados como custos ou despesas à medida que a 
empresa vai usando ou consumindo gradativamente esses bens ou direitos. 
 
 
 
C 
Professor Cleber Batista de Sousa 8
Centro Universitário Newton Paiva 
Curso Administração de empresas 
Disciplina: Análise de Custos 
 
 
GASTO: sacrifício, normalmente em moeda, que a entidade faz para a obtenção de 
um produto ou serviço; o sacrifício pode ser a entrega de numerário ou a assunção 
de um compromisso de pagar em data posterior. Podemos dizer que acontece um 
gasto sempre que a empresa assume o compromisso de efetuar um pagamento à 
vista ou à prazo. 
 
DESEMBOLSO: é o pagamento resultante da aquisição de bens ou serviços. 
 
PERDA: é o bem ou serviço consumido de forma involuntária, não esperada. As 
perdas anormais não devem compor o custo dos produtos, mas serem reconhecidas 
no resultado do período. 
 
Exemplo: materiais perdidos em função de acidentes, incêndios, enchentes. 
 
2.2 Classificação dos custos 
 
 
2.2.1 EM RELAÇÃO AO VOLUME DE PRODUÇÃO 
 
A) CUSTOS FIXOS 
 
São aqueles que permanecem inalterados independentes do volume produzido, ou 
quando variam esta variação não é em função das unidades produzidas. 
 
Exemplo: Aluguel da fábrica, que continua o mesmo durante todo o período e 
mesmo quando reajustado, nada tem a ver com as unidades produzidas; a 
depreciação da fábrica pelo método de linha reta também constitui um custo fixo, 
pois é mesma parcela durante o período, não havendo acréscimo ou decréscimo em 
função das unidades produzidas. 
 
 
 
 
C 
Professor Cleber Batista de Sousa 9
Centro Universitário Newton Paiva 
Curso Administração de empresas 
Disciplina: Análise de Custos 
 
 
B) CUSTOS VARIÁVEIS 
 
São aqueles que alteram o valor em função do volume de produção da empresa. 
 
Exemplo: Matéria-prima, Material Direto e a mão-de-obra direta. 
 
Quando conceituamos Custos Fixos e Custos Variáveis, os fizemos em função dos 
Custos Totais. 
 
Vejamos agora estes conceitos em relação aos Custos Unitários: 
 
ESPÉCIE DE CUSTO COMPORTAMENTO EM RELAÇÃO AO 
VOLUME DE ATIVIDADES 
CF (Custo Fixo Total) Não varia 
Cf (Custo Fixo Unitário) Varia inversamente 
CV (Custo Variável Total) Varia proporcionalmente 
Cv (Custo Variável Unitário) Não varia 
Ct (Custo Total Unitário) Varia inversamente 
 
Exemplo numérico (em R$): 
 
Qtde. CF CV CT Cf Cv Ct (Cf + Cv) 
1 2.000 600 2.600 2.000 600 2.600 
2 2.000 1.200 3.200 1.000 600 1.600 
4 2.000 2.400 4.400 500 600 1.100 
5 2.000 3.000 5.000 400 600 1.000 
8 2.000 4.800 6.800 250 600 850 
10 2.000 6.000 8.000 200 600 800 
 
 
 
 
C 
Professor Cleber Batista de Sousa 10
Centro Universitário Newton Paiva 
Curso Administração de empresas 
Disciplina: Análise de Custos 
 
 
Analisando o quadro acima, podemos verificar que o Custo Fixo total se mantém 
com o valor de R$2.000,00 de 1 a 10 unidades produzidas, portanto não sofreu 
nenhuma alteração, enquanto que o Cf (Custo Fixo Unitário) apresenta decréscimo 
para cada aumento de produção. O Custo Variável Total apresentou variação 
(acréscimo) proporcional às quantidades produzidas, enquanto que o Cv (Custo 
Variável Unitário) manteve-se inalterado em cada aumento de produção, 
permanecendo sempre R$ 600,00 de 01 a 10 unidades produzidas. 
 
2.2.2 CLASSIFICAÇÃO EM RELAÇÃO A ALOCAÇÃO 
 
A) CUSTOS DIRETOS 
 
São aqueles que podem ser diretamente apropriados aos produtos, bastando haver 
uma medida de consumo (quilograma de materiais consumidos, embalagens 
utilizadas, horas de mão-de-obra utilizadas) 
 
Exemplo: Matérias-primas, embalagens, mão-de-obra direta, etc. 
 
B) CUSTOS INDIRETOS 
 
São aqueles que não oferecem condição de uma medida objetiva, tendo, portanto, 
as alocações de serem feitas por meio de rateios, utilizando-se bases de volume, 
que são na maioria das vezes arbitrárias. 
 
Exemplo: Aluguel da fábrica, seguro da fábrica, salário dos encarregados da fábrica, 
etc. 
 
 
 
 
 
 
 
C 
Professor Cleber Batista de Sousa 11
Centro Universitário Newton Paiva 
Curso Administração de empresas 
Disciplina: Análise de Custos 
 
 
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 
 
1) Classificar os itens abaixo de acordo com sua natureza, marcando X em 
todas opções possíveis para cada gasto. 
 
 Para os custos, informar também se é fixo ou variável, se é direto ou indireto. 
 
Considere que trata-se de uma indústria que fabrica dois tipos de produtos, na 
mesma linha de produção. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
G 
A 
S 
T 
O 
C 
U 
S 
T 
O 
D 
E 
S 
P 
E 
S 
A 
D 
E 
S 
E 
M 
B 
O 
L 
S 
O 
I 
N 
V 
E 
S 
T 
I 
M 
E 
N 
T 
O 
S 
P 
E 
R 
D 
A 
S 
F 
I 
X 
O 
S 
V 
A 
R 
I 
Á 
V 
E 
I 
S 
D 
I 
R 
E 
T 
O 
S 
I 
N 
D 
I 
R 
E 
T 
O 
S 
Pagamento de aluguel da Fábrica 
Utilização de Matéria-Prima na produção 
Pagamento de Seguro da fábrica 
Aquisição Equipamentos de Produção à 
prazo 
 
Máquinas 
Pagamento de equipamentos de produção 
adquiridos anteriormente à prazo 
 
Pagamento de água utilizada na 
fabricação 
 
Depreciação de Máquinas da Fábrica 
Depreciação de máquinas da fábrica pelo 
método linear 
 
Depreciação de computadores do 
escritório 
 
Materiais diretos aplicados na produção 
Salários dos vendedores 
Mão de obra direta 
Mão de obra indireta 
Incêndio na fábrica 
Materiais indiretos utilizados na produção 
 
 
C 
Professor Cleber Batista de Sousa 12
Centro Universitário Newton Paiva 
Curso Administração de empresas 
Disciplina: Análise de Custos 
 
 
2) A compra de maquinários para ser utilizado na produção, é: 
 
( ) Uma receita. 
( ) Uma despesa. 
( ) Um custo. 
( ) Um investimento. 
( ) Um desembolso. 
 
 
 
3) - Podem ser classificados como custos variáveis: 
 
( ) Matéria-prima, aluguel da fábrica e supervisão da produção. 
( ) Combustíveis para máquinas, depreciação de máquinas da fábrica e 
energia elétrica da fábrica. 
( ) Transporte de pessoal da fábrica, salário da supervisão da fábrica e 
aluguel da fábrica. 
( ) Nenhuma das opções. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C 
Professor Cleber Batista de Sousa 13
Centro