bio I - Cadeia respiratória
31 pág.

bio I - Cadeia respiratória


DisciplinaBiologia Geral I193 materiais1.653 seguidores
Pré-visualização1 página
Cadeia transportadora de 
elétrons 
Cadeia transportadora de elétrons
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdA fosforilação oxidativa é o ponto culminante do metabolismo
produtor de energia em organismos aeróbicos
\ufffdTodos os passos oxidativos na degradação de carboidratos,
gorduras ou aminoácidos convergem neste estágio final da
respiração celular, no qual a energia de oxidação guia a síntese
de ATPde ATP
\ufffdNos eucariotos a fosforilação oxidativa ocorre na mitocôndria
\ufffd Envolve a redução de O2 em H2O com elétrons doados por
NADH e FADH2
Cadeia transportadora de elétrons
As reações de transferência de elétrons ocorrem na mitocôndria
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs elétrons são convergidos para aceptores universais de elétrons
\ufffdA fosforilação oxidativa começa com a entrada de elétrons na
cadeia respiratória ( NAD+ (P) e FAD+ (FMN))
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs elétrons passam através de uma série de carreadores ligados a
membranas: ubiquinonas, citocromos e proteínas ferro-enxofre
Figura: ubiquinona
Figura: grupos prostéticos de citocromos
Figura: Centros ferro-enxofre
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs elétrons passam através de uma série de carreadores ligados a
membranas
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs elétrons passam através de uma série de carreadores ligados a
membranas
Figura: Método para determinar a seqüência de carreadores de elétrons
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdOs carreadores de elétrons da cadeia respiratória estão organizados
em complexos supramoleculares embebidos em membranas
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdOs carreadores de elétrons da cadeia respiratória estão organizados
em complexos supramoleculares embebidos em membranas
Figura: caminho de transferência dos
elétrons do NADH, succinato, acil-CoA
graxo e glicerol 3-fosfato para a
ubiquinona
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo I (NADH:ubiquinona oxidorredutase): NADH até ubiquinona
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo I (NADH:ubiquinona oxidorredutase): NADH até ubiquinona
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo II (succinato desidrogenase): FADH2 até ubiquinona
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo II (succinato desidrogenase): FADH2 até ubiquinona
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo II (succinato desidrogenase): FADH2 até ubiquinona
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo III (complexo citocromo bc1): é da UQ para citocromo b
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo III (complexo citocromo bc1): é da UQ para citocromo b
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo IV (citocromo oxidase): citocromo c até O2
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos
\ufffdComplexo IV (citocromo oxidase): citocromo c até O2
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos.
\ufffdA energia da transferência de elétrons é eficientemente conservada em
um gradiente de prótons
Os é fluem dos componentes
de menor potencial de
redução para os de maior
potencial de redução
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos.
\ufffdMitocôndria de plantas tem mecanismos alternativos para oxidação de
NADH
\ufffdTecido adiposo marrom de recém-nascidos: proteína termogenina
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos.
\ufffdSíntese de ATP
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos.
\ufffdSíntese de ATP
\ufffd ATP sintase
Fig. Complexo ATP sintase 
mitocondrial
Fig. Modelo de ligação 
para ATP sintase Rotação de F0 e \u3b3\u3b3\u3b3\u3b3 demonstrado 
experimentalmente
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos.
\ufffdSíntese de ATP
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos.
\ufffdSistema de lançadeira de elétrons
Fig. Lançadeira malato-aspartato
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdOs carreadores de elétrons funcionam em complexos
multienzimáticos.
\ufffdSistema de lançadeira de elétrons
Fig. Lançadeira glicerol 3-fosfato
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdRegulação da fosforilação oxidativa
Cadeia transportadora de elétrons
\ufffdRegulação da fosforilação oxidativa
\ufffdA fosforilação oxidativa é regulada pelas necessidades energéticas da
célula
\ufffdA cadeia transportadora de elétrons é regulada pela disponibilidade dos
substratos, NADH, FADH2, ADP, Pi e oxigênio. Assim, ela e a fosforilação
oxidativa estarão inibidas nas seguintes situações:
a) NADH/NAD+ \u2013 baixa \u2013 nesta situação o poder redutor é baixo e existe
uma baixa concentração de doadores de elétrons para a CTE.
ATP/ADP \u2013 alta \u2013 nesta situação a carga energética da célula é alta, e,
portanto, a síntese de ATP não precisa ser estimulada.
O2 \u2013 baixo \u2013 o oxigênio é o aceptor final dos elétrons e, na ausência dele, os
transportadores ficam saturados e não são mais capazes de aceitar novos
elétrons, paralisando a cadeia transportadora.
É por isso que precisamos respirar oxigênio.
Cadeia transportadora de elétrons