bio I - Cadeia_Produtiva_de_Produtos_Orgânicos_Série_Agronegócios_MAPA
110 pág.

bio I - Cadeia_Produtiva_de_Produtos_Orgânicos_Série_Agronegócios_MAPA


DisciplinaBiologia Geral I193 materiais1.653 seguidores
Pré-visualização41 páginas
A reforma do canavial é feita
somente com a plantação de leguminosas. A colheita é mecanizada, uma vez que o corte
da cana queimada, realizado na maioria das usinas de forma manual, é proibido na produção
orgânica.
O processo industrial para a produção do açúcar orgânico é semelhante ao convencional,
apenas substituindo o enxofre por um clarificante natural (cal) e utilizando o tanino e/ou o
algimato no lugar dos floculantes sintéticos. Apesar dos avanços tecnológicos, muitas vezes
as empresas (usinas) utilizam equipamentos defasados e obsoletos, que tem comprometido
a eficiência destas unidades. O processo de produção do açúcar orgânico sofre mais
alterações no processo agrícola que no processo industrial.
Além disso, existem os desafios técnicos referentes às embalagens. Para que seja utilizada
uma embalagem apropriada, as sacarias são feitas de papel, costuradas com barbante e
impressas com tinta atóxica para ser totalmente biodegradável. O papel do saco de açúcar
não pode entrar em contato com o alumínio do contêiner para que não haja contaminação
de metais pesa dos ou outras substâncias encontradas nos porões dos navios. Por isso, é
necessário higienizar o contêiner e forrá-lo com papel Kraft, antes de ser exportado para a
Europa, por exemplo.
No caso específico do café orgânico, o Brasil enfrenta uma concorrência com países que
tem café sombreado, pois faltam ainda no país tecnologias voltadas para a arborização das
lavouras cafeeiras (PEDINI, 2000).
A demanda por tecnologias para soja orgânica vem crescendo significativamente. Antes as
áreas orgânicas estavam concentradas no Sudoeste do Paraná, mas hoje há lavouras no
Norte do Estado, Rio Grande do Sul, Goiás, dentre outras regiões. A Embrapa Soja também
estuda o comportamento de vários insetos-pragas para desenvolver alternativas de controle.
Outra tecnologia da Embrapa muito usada na produção orgânica é a fixação biológica
do nitrogênio, um processo onde o grão é plantado em perfeita integração com o solo.
A Embrapa Soja trabalha na identificação e seleção das bactérias mais eficientes para
realização desse processo.
Deve-se considerar que, como a produção orgânica é predominante em pequenas
propriedades agrícolas e, geralmente de característica familiar, faz-se necessário direcionar
esforços para que estes empreendimentos tenham condições de absorver e incorporar as
inovações técnicas de produção e gestão que estão associadas a este modelo de produção.
6.3 Custos na produção orgânica6.3 Custos na produção orgânica6.3 Custos na produção orgânica6.3 Custos na produção orgânica6.3 Custos na produção orgânica
Os custos de conversão e de certificação representam importante barreira à entrada neste
mercado, especialmente para pequenos produtores, de modo que a atuação do Estado na
concessão de crédito pode ser um estímulo aos produtores, a exemplo do que ocorre em
muitos países.
65
Nos Estados Unidos, por exemplo, existe um projeto-piloto que oferece assistência financeira
relacionada aos custos de certificação para 15 estados, com intenção de estimular o aumento
do número de produtores certificados (as certificações mais que dobraram nos Estados
Unidos em 5 anos)2.
Os custos inerentes a este período de transição da agricultura convencional para a orgânica
são elevados, pois o produto gerado durante o processo de conversão não pode ser
comercializado como orgânico. Ele só é designado como tal depois de terminado o período
de conversão e finalizada a análise dos resultados e, então, acatadas as recomendações
das certificadoras. O período mínimo de conversão estabelecido pela Instrução Normativa
nº 007/99 de acordo com a produção é de 12 meses para hortaliças, culturas anuais e
pastagens e de 18 meses para culturas perenes.
Os custos com a certificação são os fatores preponderantes para os altos custos totais com
a produção, o que por sua vez contribui para os preços geralmente mais elevados dos
produtos orgânicos encontrados no mercado. Além da taxa de filiação à certificadora, o
produtor é obrigado a arcar com custos relacionados à análise química do solo e com
despesas com o inspetor. Algumas certificadoras ainda cobram percentuais sobre o
faturamento aumentando os custos com certificação.
A Tabela 15 revela valores representativos desses custos, uma vez que cada processo de
certificação é considerado único, dada a diversidade de características de solo, dimensões,
aptidões e ambições apresentadas por cada projeto. Cabe ressaltar que cada cultura e
produção apresentam diferentes custos em razão de diferentes dimensões, características
do solo, escala de produção, etc.
TTTTTabela 15. Brasil: Custos de cerabela 15. Brasil: Custos de cerabela 15. Brasil: Custos de cerabela 15. Brasil: Custos de cerabela 15. Brasil: Custos de certificação à prtificação à prtificação à prtificação à prtificação à produção de orodução de orodução de orodução de orodução de orgânicos, 2001gânicos, 2001gânicos, 2001gânicos, 2001gânicos, 2001
Tipo de DespesaTipo de DespesaTipo de DespesaTipo de DespesaTipo de Despesa VVVVValor (em R$)alor (em R$)alor (em R$)alor (em R$)alor (em R$) Fatores ConsideradosFatores ConsideradosFatores ConsideradosFatores ConsideradosFatores Considerados
Taxa de inscrição 1 a 5.000 Faturamento e/ou tamanho da área
Diária de técnico/inspetor 120 a 500 -
Despesas preliminares à inspeção 90 a 1.800 -
Elaboração de relatório 132,50 a 1.000 -
Percentual sobre o faturamento 0 a 2 -
Taxa de inspeção periódica 20 a 650 Tipo de cultivo e área
Análises químicas 225 a 465 Produtos usados anteriormente
Fonte: adaptado de BNDES (2002).
Alguns trabalhos técnicos apontam que os custos da produção orgânica superam os custos
da agricultura convencional no que se refere à adubação. Este custo é elevado, pois é
necessário colocar maior volume de adubo na produção agrícola para se alcançar o mesmo
resultado do agrotóxico, mesmo que o adubo orgânico seja mais barato o volume é muito
elevado. A Usina São Francisco utiliza 200 toneladas de adubo orgânico por hectare. Para
plantação da cana-de-açúcar convencional são colocados, aproximadamente, 500 kg de
produtos químicos, ou seja, 400 vezes menos.
35 Mais informações podem ser adquiridas em Grenne [2001].
66
No entanto, em pesquisa realizada por Pelinski e Eziquiel (2004), apesar de apresentarem
produtividades iguais, o sistema orgânico de produção de soja obteve lucro 184,38% maior
que a soja produzida no sistema convencional em 2003, dado que a produção da soja
orgânica apresentou um custo de produção 15,36% menor e obteve um preço 19,30%
superior à soja convencional.
Na produção convencional, para cada unidade monetária investida obteve-se um retorno
de R$ 1,21; enquanto que na produção da soja orgânica, para cada unidade monetária
investida o retorno foi de R$ 1,71. Ou seja, a soja orgânica apresentou uma eficiência
41,32% maior que a soja convencional por unidade investida.
Pelo ponto de equilíbrio (entre Receita Total e Custo Total), como mostra a Tabela 16,
também se evidenciou a maior eficiência da produção orgânica, enquanto na soja orgânica
a produtividade de 853,66 kg/ha cobre o custo total, na soja convencional o ponto de
equilíbrio só ocorre com uma produtividade de 1521,74 kg/ha, ou seja, o sistema
convencional precisa produzir 668,08 kg/ha a mais para começar a obter lucros
(PELINSKI; EZIQUIEL, 2004).
TTTTTabela 16. Brasil: indicadorabela 16. Brasil: indicadorabela 16. Brasil: indicadorabela 16. Brasil: indicadorabela 16. Brasil: indicadores técnico-econômicos da cultura da soja es técnico-econômicos da cultura da soja es técnico-econômicos da cultura da soja es técnico-econômicos da cultura da soja es técnico-econômicos da cultura da soja \u2013 \u2013 \u2013 \u2013 \u2013 março demarço demarço demarço demarço de
20032003200320032003
Sistema de Produção da SojaSistema de Produção da SojaSistema de Produção da SojaSistema de Produção da SojaSistema de Produção