Correspondencia Completa entre Jung e Freud
674 pág.

Correspondencia Completa entre Jung e Freud


DisciplinaLivros17.093 materiais92.554 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Proceedings\u201d, SE IX, p. 104, n. 1.
3 Heinrich Sachs, professor de psiquiatria, Universidade de Breslau.
4 Ver 1 F n. 3. Foi Jung quem trabalhou com experiências de associação, 
¡amais tendo o próprio Freud se interessado por elas.
5 A referência é à hipótese de Gross, em Die zerebrale Sekunddrfunktion, 
sobre os dois tipos psicológicos que representariam as funções primária e 
secundária; ver 33 J n. 7.
127
Passo agora a uma grande surpresa: no contingente inglês havia 
um jovem de Londres, o Dr. Jones6 (um celta do País de Gales!), 
que conhece muito bem suas obras e já pratica a psicanálise. Prova­
velmente irá visitá-lo mais tarde. Ele é muito inteligente e poderia 
prestar uma valiosa ajuda.
Oppenheim7 e Binswanger mantêm uma posição de neutralidade 
benévola, mas ambos dão sinais de uma oposição sexual. A despeito 
da oposição \u2014 por enquanto \u2014 esmagadora, conservo a reconfor­
tante certeza de que suas idéias se infiltram por todos os lados, lenta 
mas infalivelmente, pois ninguém que as tenha assimilado abre mão 
delas.
Janet, apesar de um bom observador, é um tipo presunçoso e 
antiquado. Tudo o que diz ou faz agora é estéril. Os demais trabalhos 
do Congresso, como de hábito, foram infrutíferos. Para minha satis­
fação constatei uma vez mais que, sem suas idéias, a psiquiatria se 
destina inevitavelmente ao fracasso, como já aconteceu a Kraepelin. 
A anatomia e as tentativas classificatórias são ainda a regra \u2014 linhas 
secundárias que não levam a parte alguma.
Espero que sua saúde não tarde a se refazer por completo. Claro 
está que nessas circunstâncias não me atrevo a insistir em meu con­
vite, mas a simples perspectiva de voltar a Vê-lo no Natal já me é 
muito prazeirosa.
Devo aproveitar a oportunidade para externar um desejo de 
há muito acalentado e constantemente reprimido: eu gostaria imen­
samente de possuir uma fotografia sua, não com a aparência de 
antes, mas tal qual era na ocasião em que o conheci em pessoa. 
Exprimi esse desejo à sua mulher, quando estivemos em Viena, mas 
ao que parece ele foi esquecido. Poderia o senhor atendê-lo agora? 
Ficar-lhe-ia para sempre grato, pois volto repetidamente a sentir 
que seu retrato me faz falta.
Com as saudações mais cordiais e os melhores votos
desse que muito o estima, ju n g .
6 Ernest Jones (1879-1958), posteriormente um dos mais fiéis discípulos 
de Freud; um dos fundadores da Associação Psicanalítica Americana, em 1911 
(assumira um posto na Universidade de Toronto, em 1908), e da Sociedade 
Psicanalítica Britânica, em 1913; após essa data, organizou o \u201cComitê\u201d (ver 
o comentário que se segue a 321 J). Autor de Sigmund Freud: Life and Work 
(1953-57), em cujo preparo teve acesso, com a permissão de Jung, à presente 
correspondência.
7 Hermann Oppenheim (1858-1919), neurologista berlinense, fundador e 
diretor de uma conhecida clínica particular. Aparentado a Karl Abraham por 
casamento, ajudou-o confiando-lhe materiais clínicos, mas afinal colocou-se em 
crescente oposição à psicanálise.
128
I. O Hospital Burghölzli, Zurique, c. 1900. O apartamento de 
Jung era no último andar, à direita da entrada principal. Logo 
abaixo, o apartamento de Bleuler. Ver 2 J. (Baugeschichtliches 
Archiv der Stadt Zürich.)
II. O relevo \u2018Gradiva\u2019. Fragmento de uma 
obra clássica no Museu do Vaticano. Ver
27 F. (Foto Alinari, Florença.)
III. Medalhão encomendado pelos ami­
gos de Freud em homenagem pelo seu 
50? aniversário, em 1906. Por Karl 
Maria Schwerdtner. Ver 45 F, 48 J. 
(E. L. Freud, Londres.)
IV. Sigmund Freud, 1906: fotografia enviada a Jung. Ver 45 F, 
48 J. (Franz Jung, Kíisnacht.)
V. a) Na Universidade de Clark, setembro de 1909. Na frente: 
Freud, Hall, Jung. Atrás: Brill, Jones, Ferenczi. 
b) A maioria dos participantes nas Conferências em Clark. Na 
frente: Franz Boas, E. B. Titchener, William James, William 
Stern, Leo Burgerstein, Hall, Freud, Jung, Adolf Meyer, H. S. 
Jennings. Ferenczi, Jones e Brill estão atrás de Freud.
V
I. 
O 
Co
ng
re
ss
o 
de 
W
ei
m
ar
, 
se
tem
br
o 
de 
19
11
.
1 Sigmund Freud, Viena
2 Otto Rank, Viena
3 Ludwig Binswanger, Kreuzlingen
4 O. Rothenhäusler, Rorschach
5 Jan Nelken, Zurique-Paris
6 R. Förster, Berlim
7 Ludwig Jekels, Bistrai (Áustria)
8 A. A. Brill, Nova Iorque
9 Eduard Hitschmann, Viena
10 J. E. G. van Emden, Leiden
11 Alphonse Maeder, Zurique
12 Paul Federn, Viena
13 Adolf Keller, Zurique
14 Alfred von Winterstein, Viena
15 J. Marcinowski, Hamburgo
16 Isidor Sadger, Viena
17 Oskar Pfister, Zurique
18 Max Eitingon, Berlim
19 Karl Abraham, Berlim
20 James J. Putnam, Boston
21 Ernest Jones, Toronto
22 Wilhelm Stekel, Viena
23 Poul Bjerre, Estocolmo
24 Eugen Bleuler, Zurique
25 Maria Moltzer, Zurique
26 Mira Gincburg, Schaffhausen
27 Lou Andreas-Salomé, Göttingen
28 Beatrice Hinkle, Nova Iorque
29 Emma Jung, Küsnacht
30 M. von Stack, Berlim
31 Antonia Wolff, Zurique
32 Martha Böddinghaus, Munique
33 Franz Riklin, Küsnacht
34 Sandor Ferenczi, Budapest
35 C. G. Jung, Küsnacht
36 Leonard Seif, Munique
37 K. Landauer, Frankfurt
38 W. Wittenberg, Munique 
40 Guido Brecher, Meran
VII. Martha Freuci com sua filha Sophie, verão de 1912.
ii
ii
ii
fe
a
ii
P
VIII. C. G. Jung, em 1912, em Nova 
Iorque. (Campbell Studios; Franz Jung.)
IX ' ® 'r« a a |)e 19.
ZU RI CH
. >^ /c-
/i/uU+*+* /c^ jO t: t/Ly^h &*/. v
+Sv&\u2019 +**¿+4/ *»
AA*c**++d*^ 4£i4*
' *~ / ^
¿hr *-**- *^/ \u25a0^-^ Wtf't\u2018f4w
&*r ^WXA^l<^J5tr ^ <^ *' *
js^ciSis^ ^ hSud*-*-***) a£^ £u. -*-<^a&*i*-. \u2014
i6ycX/t*.
Vhnn/v>*+**st ijfci/
4fo-* AZtSv^ O^ ¿l^i $** --~K**s/ &*-**<- /*~^\u2014
/£y&^ £y<tAA^
, '*~/1^ ck+*^ £<~
^ >«!*^?« ^\u2022^«^/*i^ ^ 1*^** trrr*^ \u25a0 ~7l'Jls \u2022&*-+*** _
Jung, 5 de outubro de 1906 (2 J)
Âcf/ cA+
¿faO $h<. ^ * y ^ y si*/*l4+*-UsI? d» 
/^ /Cc***^*t. Á* U-«-*<Æ~~. '\u20ac^ 4lZt \u2014
«««»\u2022 TKto/ ^«Âí^ílV/éí«\u2014-
/k /f^ V- / /%U- T*,Z¿/ tUy/M,
j^ LscJZZ iÁl -,
/ ^ t f \u25a0*\u25a0*£** p* <+rr^ (rf «f»
<dM«-
s7<^*^c*Z¿£ 9^¿, \u2022 i s-HML&t
/ú~<*4+«s*S£¿-^ «* ~ \u2018^ y
gc«sL¿~ ^ ¿ j l . *s*~r- s y £ y f* ífé~~. ¿¿¿t*,
f y C ,,\u25a0¿ 1^ . y tZ/L*+r 'Â' /d<^C*S¿^
j. i r > ^ t*- ^ ~'r
r\u2018jtt4Cj¿ér7~ íífc^wi, 7 » ^
w^,' £-4** />#¿L- fâj~*-^UClL.
-Sc*-\u20ac^
. Á/&* \/+' u\*h^~- , ¿d
t¿azr -£¿j*y>
f .
3. Jung, 5 de outubro de 1906 (2 J, p. 2 ).
R o n a c h e r s 
Hotel Annenheim und Seehof
am Ossiacher See iKsum-m
,1 >ci V illach (K ä rn te n s P r r r o i iw /e n i f . r m ; 
Ö'tei-rckbbctw» tipcniwWct / ca, »M «wo» Hftbenl»«*
S o m m e r f r i s c h e
K l i m a t i s c h e r K u r o r t 
u n d S e e b a d .
H r-.it/, ; AL O IS R O S A< I I I K
\u201eAn neu h e i nt\u201c der K K. Siaai.thalm
....... :u r K.K Si.JK.1m. Villach
Mitten in eigenen Wäldern
Herrlich- See- «n« OtWrislaje
Schwimm- und Bad«-Anstalt
... Jagd \u25a0«» Turn- «na
Kfn«Jer»plclpfÄ!«. i\u2019a rtnn lagcit
120 Zimmerunt» 9»>om k fir f,sW
/¿M aaff^r- iW;. ¿/.¿'f.
. < tß y 'V- «V<^
A otogafaßc - Pnm tsiaH uniJciE g# nt:\u2022 Fifh >' g«sfegenh eit*r>f* «nd
Arzt, P ost und Telegraph
- «r '7 \u2018*
./<>-/* w
V.t ' «/ « 'i-
/»
\u2019f 1 ..\u2019 « f\u20acrtn
,.#> \u25a0
'f&quot; .
Freud, 27 de agosto de 1907 (40 F).
5. Freud, 17 de janeiro de 1909 (125 F, pág. 2).
J A H R B U C H
F Ü R
PSYCHOANALYTISCHE u n d PSYCHO- 
PATIIOLOGISCHE FORSCHUNGEN.
H E R A U S G E G E I iE N V O N
P r o k . D r . E. BLEULER u n d P r o f . D r . S . FREUD
IS ZÜRICH, IN WIEN.
R E D I G I E R T V O N
D r . C . G. JUNG,
PRIVAT DUZ KST KN HER l\u2019SYCMATRIB IM ZCUIOll.
I . B A N D .
I. H A L F T K.
L E I P Z I f i u n d W I E N .
FRANZ DEUTIOKE.
1903.
6. Jahrbuch: frontispício do primeiro número.
e-Kùsnac6\u2019'Zùric6
\u25a0}':./ß 'Mi:-:.
/tu í^ r .
/if' <W/ ¿L*¿£z _
\u25a0Us , a - &quot; / t^