A.R.Luria-Curso de Psicologia Geral -  Vol. 4
131 pág.

A.R.Luria-Curso de Psicologia Geral - Vol. 4


DisciplinaLivros15.740 materiais91.459 seguidores
Pré-visualização35 páginas
Curso de Psicologia Geral 
Volume 
A presente obra compõe-se de quatro volumes, a saber: 
I. Introdução Evolucionista à Psicologia 
II. Sensações e Percepção 
ITI. Atenção e Memória 
IV. Linguagem e Pensamento 
A. R. Luria 
Curso de Psicologia Geral 
Volume IV 
Lingnagem e Pensamento 
Tradução de PAULO BEZERRA 
Revisão técnica de 
HELMUTH R. KRÜGER 
Professor de Psicologia 
da UFRJ e da UERJ 
2º EDIÇÃO 
Sociedade Unificada Paulista de Ensino rl9n?wfido Objetivo \u2013 SUPERO DATA 11/01/99 Nº DA CHAMADA 159.9 - 1967C \u2013 
2.ED.V.4.E.4 Nº DO VOLUME14.029/99 REGISTRADO POR: LILIANE. 
civilização brasileira 
Título do original em russo: RETCH I MISHLÊNIE 
Capa: DOUNÊ 
Revisão: 
UMBERTO F. PINTO, 
NILO FERNANDES 
e MARIO ELBER CUNHA 
1994 
Impresso no Brasil 
Printed in Brazil 
Todos os direitos reservados pela 
EDITORA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA SA. 
Av. Rio Branco, 99 - 20
2
 andar - 20.040-004 - Rio de Janeiro - RJ 
Tel.: (021) 263-2082 Telex: (21) 33 798 Fax: (021) 233-4257 
Av. Paulista, 2079 - Conjunto Nacional 
Horsa I - Grupos 1301 e 1302 - 01311 - São Paulo - SP 
Tel.: (011) 285-4941 Telex: (11) 37209 Fax: (011) 285-5409/852-8904 
Caixa Postal 2356 - CEP: 20010 
Nenhuma parte desta obra pode ser reproduzida, seja de que forma for, 
sem a prévia autorização por escrito dos editores.
Sumário 
1-O COMPORTAMENTO INTELECTUAL 1 
O ato intelectual e sua estrutura 1 
A atividade intelectual direta 4 
Patologia do pensamento direto 13 
2-A PALAVRA E O CONCEITO 17 
O significado da palavra 18 
 Métodos de pesquisa dos significados da palavra 24 
Evolução do significado das palavras 28 
A palavra e o conceito 35 
Métodos de estudo dos conceitos 39 
Patologia do significado das palavras e dos conceitos 48 
3-ENUNCIADO E PENSAMENTO 53 
Meios sintáticos de enunciação 54 
Principais tipos de enunciados 56 
Evolução das estruturas lógico-gramaticais do enunciado 58 
Processo de codificação do enunciado verbal. Do pensamento à linguagem ampla 61 
Tipos de enunciado verbal e sua estrutura 66 
Patologia do enunciado verbal 72 
Processo de decodificação do enunciado verbal. 
O problema da interpretação 76 
O problema da decodificação (interpretação) da comunicação 76 
Decodificação (interpretação) do sentido das palavras 79 
Decodificação (interpretação) dos significados da oração 82 
Interpretação do sentido da comunicação 86 
Patologia da interpretação da fala 93 
 
4- O pensamento produtivo. Dedução e solução das tarefas 99 
O problema 99 
As estruturas lógicas como base do pensamento 102 
Desenvolvimento da conclusão lógica na criança 108 
Processo de solução das tarefas 111 
Métodos de estudo do pensamento produtivo 115 
Patologia do pensamento produtivo 120
i 
I 
O Comportamento Intelectual 
ATÉ AGORA abordamos as condições básicas da atividade consciente do homem: a obtenção de 
informação, a discriminação dos elementos essenciais e o registro da informação recebida na 
memória. 
Agora devemos passar ao exame do modo de construção da atividade consciente do homem nó 
conjunto e, acima de tudo, abordaremos a estrutura das formas complexas de sua atividade 
intelectual. 
Examinaremos primeiramente a estrutura do ato intelectual nas formas mais aproximadas dos 
atos de análise direta e síntese da informação que o homem recebe diretamente do mundo 
circundante para, em seguida, abordar as leis básicas das formas mais complexas de pensamento 
que o homem realiza com base em sua linguagem. 
O ato intelectual e sua estrutura 
Já vimos que existem três formas básicas de comportamento, já observadas nos animais, que 
experimentaram um 
1 
desenvolvimento substancial na transição do macaco ao homem. 
As de caráter mais elementar são as formas mais simples de comportamento motor-sensoríal. 
Elas se manifestam no fato de surgirem imediatamente no animal formas congênitas simples de 
comportamento, que aparecem sob a influência das inclinações congênitas básicas ou 
necessidades (fome, necessidade sexual) ou no fato de que o animal responde com os 
necessários movimentos reflexos a influências externas imediatas. Esse tipo de comportamento, 
na forma mais complexa e ampla, assume o aspecto de comportamento instintivo, no qual a 
percepção dos indícios de uma situação qualquer aciona programas congênitos de 
comportamento que, em alguns casos, adquirem forma muito complexa. 
Esses atos de comportamento motor-sensorial e instintivos mantêm-se no homem; neste, não 
obstante, eles são relegados ao último plano e afastados pelas formas mais complexas de 
atividade psíquica. 
A segunda forma básica é constituída pelo comportamento perceptivo. Este surge com o 
desenvolvimento dos órgãos complexos dos sentidos, com a dificultação da atividade de 
pesquisa e orientação e com o surgimento dos níveis superiores do aparelho cerebral: o córtex 
cerebral. Essa forma de comportamento se baseia na análise da situação direta em que se 
encontra o animal, na discriminação dos elementos mais importantes dessa situação e na 
adaptação do comportamento às condições da situação imediatamente perceptível. 
Esse comportamento compreende operações de análise direta e síntese, a formação de certas 
imagens motoras ou "cópias" do mundo exterior e a aquisição dos atos adaptativos que tornam o 
animal apto para a situação em mudança. 
Para esse comportamento perceptivo, o mais importante é que a aquisição de novas formas de 
comportamento adaptativo ocorre em condições de testes ativos imediatos e, depois de inúmeras 
repetições da mesma situação, as novas formas de atividade adaptativa se tornam automáticas, a 
atividade adaptativa do animal se transforma em sistema de habilidades solidamente fixadas. 
Essas formas de comportamento direto ou adaptativo, que se afirma com base na atividade 
orientadora de pesquisa, começam a ocupar papel determinante entre os vertebrados superiores; 
sem perder a ligação com as formas instinti- 
2 
vas de comportamento, elas se tornam forma básica de comportamento dos mamíferos 
superiores e conservam posição considerável na atividade consciente do homem. 
A terceira e mais complexa forma de comportamento é o comportamento intelectual, que existe 
no animal apenas em formas embrionárias, tornando-se quase forma básica de atividade 
consciente. 
O traço característico do comportamento intelectual consiste em que a atividade orientador-
intelectual, que antes englobava todo comportamento, começa a destacar-se e se converte em 
atividade independente e antecede ao comportamento, criando-lhe a base. Os mamíferos 
superiores (primatas) se orientam no ambiente retendo as suas reações imediatas e formando um 
prévio "modo de ação", que começa a servir de "base orientadora da ação" e a determinar as 
posteriores formas complexas do ato motor. 
.No processo da atividade de pesquisa e orientação forma-se uma tarefa concreta, cria-se uma 
estratégia geral de atividade que deve levar à solução de tal tarefa, surge a tática de ação que 
pode conduzir ao êxito e destaca os modos de solução ou operações que podem levar ao 
cumprimento da tarefa. Por último, aqui mesmo surgem certos mecanismos de controle, através 
dos quais o efeito da ação