FERRAMENTAS_DE_GESTAO
27 pág.

FERRAMENTAS_DE_GESTAO


DisciplinaOrganização, Sistemas e Métodos713 materiais2.240 seguidores
Pré-visualização6 páginas
- VERSÃO 1 \u2013 ANO 2010 6
Quem o utiliza? A aplicação do Brainstorming pode ser utilizada por 
todos os colaboradores. 
Quando? O Brainstorming é usado para gerar um grande número de 
idéias em curto período de tempo. Pode ser aplicado em qualquer etapa 
do processo de solução de problemas, assegurando qualidade nas 
decisões tomadas pelo grupo, devido ao maior comprometimento com a 
busca de soluções. 
Por quê? Focaliza a atenção do usuário no aspecto mais importante do 
problema. Exercita o raciocínio para englobar vários ângulos de uma 
situação ou de sua melhoria. Serve com \u201clubrificante\u201d num processo de 
solução de problemas, especialmente se:
1. as causas do problema são difíceis de identificar;
2. a direção a seguir ou opções para a solução do problema não são 
aparentes.
Tipos de Brainstorming
\u2022 estruturado: Nessa forma, todas as pessoas do grupo devem dar uma 
idéia a cada rodada ou \u201cpassar\u201d até que chegue sua próxima vez. Isso 
geralmente obriga até mesmo o tímido a participar, mas pode também 
criar certa pressão sobre a pessoa.
\u2022 não-estruturado: Nessa forma, os membros do grupo simplesmente 
dão as idéias conforme elas surgem em suas mentes. Isso tende a criar 
uma atmosfera mais relaxada, mas também há o risco de dominação 
pelos participantes mais extrovertidos.
Regras do Brainstorming
1. Enfatizar a quantidade e não a qualidade das idéias;
2. Evitar críticas, avaliações ou julgamentos sobre as idéias;
3. Apresentar as idéias tais como elas surgem na cabeça, sem rodeios, 
elaborações ou maiores considerações. Não deve haver medo de \u201cdizer 
bobagem\u201d. As idéias consideradas \u201cloucas\u201d podem oferecer conexões 
para outras mais criativas;
4. Estimular todas as idéias, por mais \u201cmalucas\u201d que possam parecer;
5. \u201cPegar carona\u201d nas idéias dos outros, criando a partir delas;
6. Escrever as palavras do participante. Não interpretá-las.
GESPUBLICA \u2013 Núcleo da Excelência Pública no Maranhão 
FERRAMENTAS DE GESTÃO - VERSÃO 1 \u2013 ANO 2010 7
DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO 
(Espinha de Peixe ou Diagrama de Ishikawa)
O que é: O Diagrama de Causa e Efeito (ou Espinha de peixe) é uma 
técnica largamente utilizada, que mostra a relação entre um efeito e as 
possíveis causas que podem estar contribuindo
para que ele ocorra.
Origem: Construído com a aparência de uma espinha de peixe, essa 
ferramenta foi aplicada, pela primeira vez, em 1953, no Japão, pelo 
professor da Universidade de Tóquio, Kaoru Ishikawa, para sintetizar as 
opiniões de engenheiros de uma fábrica quando estes discutem 
problemas de qualidade.
Use Para: Visualizar, em conjunto, as causas principais e secundárias de 
um problema. Ampliar a visão das possíveis causas de um problema, 
enriquecendo a sua análise e a identificação de soluções. Analisar 
processos em busca de melhorias.
Como Construir: Estabeleça claramente o problema (efeito) a ser 
analisado. Desenhe uma seta horizontal apontando para a direita e 
escreva o problema no interior de um retângulo localizado na ponta da 
seta.
Como elaborar: O procedimento para a construção de um diagrama 
causa efeito:
\uf06c Faça um brainstorming (veja na página 01 deste Guia) para 
identificar o maior número possível de causas que possam estar 
contribuindo para gerar o problema, perguntando \u201cPor que isto 
está acontecendo?\u201d.
\uf06c Agrupe as causas em categorias. Uma forma muita utilizada de 
agrupamento é o 4M: Máquina, Mão-de-obra, Método e Materiais 
(mas você poderá agrupar como achar melhor).
GESPUBLICA \u2013 Núcleo da Excelência Pública no Maranhão 
FERRAMENTAS DE GESTÃO - VERSÃO 1 \u2013 ANO 2010 8
\uf06c Elaborar o diagrama: as causas principais são ligadas diretamente 
à linha horizontal, as causas secundárias são ligadas diretamente 
às causas principais e assim sucessivamente;
\uf06c Elaborar um plano de análise das causas: com o intuito de 
verificar quais são as causas mais influentes no processo, 
estabelece-se um plano de coleta e análise de dados
Exemplo de um diagrama espinha de peixe de um sistema de Máquina de Reciclagem 
A ÁRVORE DOS PORQUÊS 
O que é: Trata-se do \u201cMétodo dos 5 Por quês?\u201d, que através de 
perguntas encadeadas sobre os efeitos, motivos e causas dos problemas 
nos levam às causas fundamentais que devem ser atacadas, evitando 
que se fique, como muitas vezes é usual, agindo apenas sobre os 
sintomas dos problemas e não em sua solução e bloqueio.
Esta técnica consiste em colocar um conjunto de questões aos problemas 
e possíveis soluções. Considera-se que a causa de raiz foi encontrada 
GESPUBLICA \u2013 Núcleo da Excelência Pública no Maranhão 
FERRAMENTAS DE GESTÃO - VERSÃO 1 \u2013 ANO 2010 9
quando deixa de ser possível encontrar respostas para as questões que 
se colocam.
Tal como na técnica do Brainstorming, também na Árvore dos Porquês 
existe um facilitador (alguém que coordena o processo) gere a 
intervenção das diferentes partes interessadas. 
1) Quando deixa de ser possível encontrar outra causa para explicar 
uma cadeia de acontecimentos, quando deixa de ser possível 
encontrar respostas para as perguntas \u201cporquê?\u201d;
2) O facilitador deve questionar sobre a existência de outra causa do 
problema e começa uma nova cadeia de acontecimentos. 
Algumas notas sobre o Facilitador: A função do Facilitador é de 
apoiar o líder e o restante da equipe no sentido de se conseguir o 
eficiente funcionamento do grupo. Este papel exige o conhecimento das 
ferramentas que podem ser úteis para os processos a melhorar e a 
colaboração com a equipe de modo a proporcionar uma boa 
comunicação durante as reuniões. O Facilitador deve, ainda, possuir os 
conhecimentos necessários para identificar problemas quando surjam e 
assegurar que todos os membros da equipe cumpram o código da 
conduta. 
A metodologia de confecção é a seguinte:
\uf06c Definir o objetivo principal: estabelecer com simplicidade e 
clareza o objetivo básico. 
\uf06c Listar os meios para se atingir o objetivo: coletar idéias para 
alcançar os objetivos. 
\uf06c Selecionar os meios e tarefas: analisar cada idéia definida 
anteriormente e avaliar as viabilidades de execução. Organizar os 
meios e tarefas selecionados: identificar a ordem de colocação 
dos meios e tarefas selecionados no diagrama. Segundo 
MOU[93], parte-se da pergunta: "Para atingir o objetivo básico, 
quais são os meios e tarefas mais necessários?" As respostas à 
esta pergunta formam o segundo nível do diagrama. O terceiro 
nível é encontrado fazendo-se a mesma pergunta ao segundo 
nível, e assim por diante. 
\uf06c Confirmar a ordem dos procedimentos: verificar se a ordem 
estabelecida corresponde às reais relações de causa e efeito entre 
cada objetivo e meio. 
GESPUBLICA \u2013 Núcleo da Excelência Pública no Maranhão 
FERRAMENTAS DE GESTÃO - VERSÃO 1 \u2013 ANO 2010 10
DIAGRAMA DE PARETO
O diagrama de Pareto permite separar os problemas