História do Direito - dos Sumérios até a nossa Era - Aluisio Gavazzoni
210 pág.

História do Direito - dos Sumérios até a nossa Era - Aluisio Gavazzoni


DisciplinaHistória do Direito6.283 materiais284.451 seguidores
Pré-visualização45 páginas
HISTÓRIA
DO DIREITO
DOS SUMÉRIOS ATÉ
A NOSSA ERA
Aluisio Gavazzoni
HISTÓRIA
DO DIREITO
DOS SUMÉRIOS ATÉ
A NOSSA ERA
2ª Edição
Atualizada e Aumentada
G281h Gavazzoni, Aluisio
 História do direito; dos sumérios até a nossa era / Aluísio
 Gavazzoni. \u2013 2.ed. atual. e aum. \u2013 Rio de Janeiro: Freitas
 Bastos, 2002.
 212 p.; 21 cm
 ISBN 85-353-0250-6
 1. Direito \u2013 História. 2. Direito \u2013 Filosofia. I. Título.
CDD-340.09
Livraria Freitas Bastos Editora S.A.
Av. Londres, 381 cep 21041-030 Bonsucesso
Rio de Janeiro, RJ telefax (21) 2573-8949
e-mail: fbastos@netfly.com.br
Copyright © 2002 by Aluisio Gavazzoni
Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610, de 19.2.1998.
É proibida a reprodução total ou parcial, por quaisquer meios, bem como a
produção de apostilas, sem autorização prévia, por escrito, da Editora.
Direitos exclusivos da edição em língua portuguesa:
Livraria Freitas Bastos Editora S.A.
 Editor: Isaac D. Abulafia
Projeto gráfico e Capa: Freitas Bastos Editora
Gerente de Produção: Ricardo Quadros
Revisão de Texto: Hélio José da Silva
Edit. Eletrônica: BAW Editoração Ltda.
CATALOGAÇÃO NA FONTE
DO DEPARTAMENTO NACIONAL DO LIVRO
Dedico este trabalho histórico-jurídico
a minha filha
MARIA FERNANDA,
médica e Mestra exemplar, guerreira
incansável em busca dos seus objetivos
mas que sempre encontra lugar entre
suas múltiplas ocupações profissionais
para atender aos desamparados.
Obrigado, minha filha, por tudo
que você já é e ainda vai ser, um
exemplo que deve e pode ser segui-
do. Eu e sua mãe somos pais reali-
zados.
Homenagem a um homem reto
Choro e chorarei até o fim da minha EXISTÊNCIA este
brasileiro cuja vida deve ser para todos um exemplo. Civil
sem defeitos, soldado herói. Lutou na frente de combate
na Itália no primeiro escalão, sempre no front ao lado do
Gen. Zenóbio da Costa. Saiu daqui capitão e voltou major.
Foi para a reserva como tenente-coronel.
Trabalhou no alto escalão da Light and Power, onde
deu o melhor de si, o que era muito, e se aposentou com
um modesto salário de diretor. Nunca usou sua reputação
em proveito próprio. Morreu aos 96 anos sem queixas, sem
uma palavra de crítica a ninguém a não ser aos políticos
que insistem em destruir este imenso e rico país. Viveu e
morreu como um exemplo de brasileiro. Infelizmente nós
não temos memória. O exército a quem tanto amou deu-
lhe, por favor, um enterro quase de indigente. Nem um úni-
co soldado raso compareceu ao seu funeral. Só a sua famí-
lia, a quem ele sempre se dedicou ao extremo.
Presto esta s ingela homenagem ao meu amigo,
orientador e professor, Malvino Reis Neto, meu sogro,
meu exemplo. A ele não dedico este livro porque já está
dedicado para sempre à sua neta Maria Fernanda, a quem
ele chamava de estrela SÍRIUS, a mais radiosa da conste-
lação. Mas abro e alivio o meu coração. O exército nacional
perdeu um herói e, infelizmente, não se deu conta disso.
Descanse em paz, Cel. Malvino, o senhor será sempre lem-
brado e cultuado por seus entes queridos que jamais o
esquecerão.
ALUISIO
Nota do Autor
Gostaria de esclarecer aos leitores que me honrarem
com sua atenção, que as manifestações a Deus são emi-
nentemente pessoais, sem nenhum intuito de pregar por
esta ou aquela religião.
Para mim, o que pode variar é somente a maneira de
honrá-lo, venerá-lo e amá-lo. Na minha modestíssima opi-
nião, cada um de nós pode cultuá-lo como a sua consciên-
cia ditar, porque a responsabilidade é, indiscutivelmente,
de cada um de nós, uma vez que, por dedução simples, se o
Deus quisesse já teria providenciado o que de direito para
que todos nós soubéssemos. Assim acredito que só após a
morte é que saberemos se o que fizemos aqui neste mundo
foi ou não de Seu agrado. Desejo de coração que todos te-
nham escolhido a forma correta de chegar a Ele.
A. GAVAZZONI
xi
Índice resumido por matérias
Prefácio da 1ª edição / XV
Prólogo / 1 a 27
Capítulo I
O COMEÇO. Início da civilização, desde a Idade da Pe-
dra até a cultura grega. O Crescente Fértil (4000 anos
a.C.). As descobertas arqueológicas. As cidades sume-
rianas e as civilizações da Mesopotâmia. Os túmulos
megalít icos. Os hit itas. Os Reis Sumerianos. Rei
Hamurábi. A relação entre Hamurábi e o Rei Assírio. O
Direito nas pequenas comunidades. A evolução dos cos-
tumes para um sistema legal. Os formulários judiciais
dos sumérios. Os códigos. Os métodos modernos de ensi-
no. Código de Hamurábi. Os amoritas. A descendência
do patriarca Abraão. A Babilônia (séc. XIII a.C.). O Im-
pério Persa. Um código formado por Leis Persas. O Egi-
to. As datas mais significativas (Europa, África, Oriente
Médio). O Cristianismo. A Lei Mosaica. A relação entre
as Leis (o Direito) e as Religiões. A China e a Grécia. As
primeiras constituições. A Lei das XII Tábuas / 29 a 76
Capítulo II
PEQUENO APANHADO HISTÓRICO. Roma. O Digesto.
O Direito Romano \u2014 Seu desabrochar. Os Filósofos (os
Estóicos) / 77 a 89
Capítulo III
A INVASÃO DOS POVOS BÁRBAROS. Santo Agostinho.
Os godos. Carlos Magno. As primeiras Universidades Eu-
ropéias. O Direito Bizantino. A Inglaterra. Carlos Mag-
no e a sua notável importância na reformação européia
(Cultural, Artística e Jurídica). O caminho de Santiago.
As Cátedras / 90 a 102
Capítulo IV
ALTA E BAIXA IDADE MÉDIA. A era feudal. O colonato.
Os povos germânicos. 200 anos de desenvolvimento. O
Código Gregoriano (séc. III). Os cismas (Bizâncio x
Roma). A Magna Carta dos ingleses (1215). Santo Tomás
de Aquino. O desenvolvimento francês. A Sorbonne
(1253). Direito Público e Direito Privado. Origem da so-
ciedade e do Estado. Os gregos. Os sofistas e a sociedade
anárquica. Os filósofos Tales, Platão, Aristóteles e Zenão.
Os estóicos. Maquiavel e a sua doutrina (1513) / 103 a
119
Capítulo V
O RENASCIMENTO. O Direito Romano durante a Ida-
de Média. Justiniano. As Leis (códigos). O Brasil e o Di-
reito Romano. Críticas às Constituições brasileiras. A
tipificação dos crimes hediondos (Título II, Capítulo I,
do art. 5º da Constituição de 5.10.1988, inciso XLIII).
Normas constitucionais e sua eficácia. A inconsti-
tucionalidade de uma norma constitucional por omissão.
A Palavra de Jesus Cristo. Datas dos principais eventos
na Europa de 5000 a.C. até 1997 d.C. / 120 a 157
Capítulo VI
SOBREVIVÊNCIA DOS FUNDAMENTOS DO DIREITO
ROMANO (Síntese). O método histórico para o estudo
do Direito apresentado por Savigny (1779 \u2013 1861). O en-
sino do Direito no Brasil (1827). Direito objetivo e subje-
tivo. A derrogação de uma lei. A interpretatio. A lei no
xii História do Direito
espaço e no tempo. A irretroatividade. O Direito de
fato. O pater familias do Direito Romano. O Direito
das coisas. O Direito das obrigações no Direito Roma-
no e o seu legado para o Brasil e para o mundo moder-
no / 158 a 167
Capítulo VII
DAS CONSTITUIÇÕES / 168 a 187
Bibliografia / 189 a 196
xiiiÍndice Resumido por Matérias
Prefácio da 1ª edição
Depois de afirmar-se como emérito jurista, pontifican-
do como um dos melhores intérpretes da Consolidação das
Leis do Trabalho, de Direito Penal e Constitucional, Alui-
sio Gavazzoni Silva acabou se revelando um exímio histo-
riador da Arte do Direito.
Como estudioso da Arte tem brindado os alunos de Pe-
dagogia da Universidade Federal Fluminense com interes-
santes lições, nas quais coloca com mestria o selo da sua
visão pessoal. E como historiador do Direito vem de ofere-
cer-nos esta obra, que sintetiza a própria história cultural
da Humanidade desde os sumérios até nossos dias. Nela, o
autor aplica com admirável fidelidade a orientação do nos-
so saudoso e comum professor Oscar Przewodowski, segun-
do a qual deve-se ensinar