Codigo_de_Transito_Brasileiro
20 pág.

Codigo_de_Transito_Brasileiro


DisciplinaDireito Penal III6.021 materiais53.007 seguidores
Pré-visualização7 páginas
trânsito já causando lesão ao bem 
jurídico protegido. Já há afetação do bem jurídico segurança no trânsito. 
 
12.1. Direção de veículo automotor na via pública: 
 
Esse crime somente se aplica se o agente está na condução de veículo automotor. 
Atente-se ainda que esse artigo somente se aplica se o fato ocorrer em via pública. Ocorrendo 
o fato em via particular, poderá ser tipificado o crime de perigo para a vida ou saúde de outrem (art. 
132, CP). 
Via pública, nos termos do art. 2º do CTB é: Art. 2º São vias terrestres urbanas e rurais as ruas, as 
avenidas, os logradouros, os caminhos, as passagens, as estradas e as rodovias, que terão seu uso regulamentado pelo 
órgão ou entidade com circunscrição sobre elas, de acordo com as peculiaridades locais e as circunstâncias especiais. 
Parágrafo único. Para os efeitos deste Código, são consideradas vias terrestres as praias abertas à circulação pública e as 
vias internas pertencentes aos condomínios constituídos por unidades autônomas. 
Assim, temos que ruas de condomínios são vias publicas para efeitos do CTB. 
Não são consideradas vias públicas: 
a) Estacionamentos de shoppings e supermercados; 
b) Pátios de postos de gasolina; 
c) Clubes, 
d) Pistas de autódromo e demais locais particulares. 
 
13. Análise do art.308, CTB \u2013 Racha: 
 
Art. 308. Participar, na direção de veículo automotor, em via pública, de corrida, disputa ou competição automobilística 
não autorizada pela autoridade competente, desde que resulte dano potencial à incolumidade pública ou privada: 
 Penas - detenção, de seis meses a dois anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação 
para dirigir veículo automotor. 
 
 Antes do CTB, essa conduta configurava mera contravenção penal de direção perigosa (art. 34 
da Lei das Contravenções Penais). 
Direito Penal IV - Código de Trânsito Brasileiro 
 
 Página 16 
 
 A conduta é participar de corrida, disputa ou competição. O racha não é apenas a corrida, mas 
também a disputa ou competição. Ex. disputa em tomada de tempo, disputa de manobras radicais. 
 
13.1. Crime de concurso necessário: 
 
Observe-se que esse crime é de concurso necessário. Para participar de corrida, disputa ou 
competição pressupõe-se ao menos, dois condutores. 
É possível a participação de terceiros por induzimento, instigação ou auxílio material. Ex. 
aquele que empresta automóvel para que outrem faça o racha é partícipe do delito. 
 
13.2. Requisitos do delito: 
 
Para que ocorra o crime é necessário preencher os seguintes requisitos: 
 
a) Condução de veículo automotor 
b) Via pública: se o racha for realizado em via particular poderá ocorrer o delito do art. 132 do 
CP. 
c) Não autorização da autoridade competente: competição autorizada é fato atípico. Ex. Fórmula 
1. 
d) Dano potencial à incolumidade de outrem: a partir desse requisito tem-se que o racha é crime 
de perigo concreto. Se não houver perigo concreto não há crime. 
Obs.: Atente-se que o perigo gerado pode ser entre os próprios participantes do racha. 
 
Atenção!!! 
 
1. Ocorrendo homicídio, o delito de racha fica absorvido pelo homicídio, seja ele culposo ou se 
reconhecido o dolo eventual. 
2. Ocorrendo lesão corporal, o racha não fica absorvido pela lesão culposa leve. Isso porque, o 
racha é crime mais grave que a lesão culposa leve/grave (a gravidade é analisada na fixação 
da pena base que não pode ultrapassar a pena máxima cominada). Sendo reconhecido dolo 
eventual, o racha fica absorvido pela lesão dolosa grave ou gravíssima. 
 
14. Análise do art. 309, CTB: 
 
Art. 309. Dirigir veículo automotor, em via pública, sem a devida Permissão para Dirigir ou Habilitação ou, ainda, se 
cassado o direito de dirigir, gerando perigo de dano: 
 Penas - detenção, de seis meses a um ano, ou multa. 
 
 Atente-se que para a consumação do delito é necessário que o veículo seja automotor e se a 
conduta for realizada em via pública. 
 O ciclomotor não exige habilitação, mas apenas uma autorização para sua condução. Daí que, 
dirigir ciclomotor sem a autorização não é crime. 
Direito Penal IV - Código de Trânsito Brasileiro 
 
 Página 17 
 
 Se o fato ocorrer em via particular, é considerado fato atípico. 
 
14.1. Conduta punível: 
É dirigir: 
a) Sem Autorização 
b) Sem Permissão 
c) Com o direito de dirigir cassado 
Observe-se que quem cassa o direito de dirigir é a autoridade de trânsito em processo 
administrativo. 
Obs.: O CTB diz \u201csem a devida habilitação ou permissão\u201d. A expressão devida significa que há o 
crime se o condutor não tem habilitação para o veículo que está conduzindo, embora tenha 
habilitação para veículo de outra categoria. Ex. conduz automóvel e somente possui habilitação 
para motocicleta. Não há, nesse caso, a devida habilitação. 
 
 Conduzir o veículo com habilitação vencida há mais de trinta dias configura o delito? O art. 
162, V do CTB diz que se considera sem habilitação a pessoa que está com a habilitação vencida há 
mais de trinta dias. Mas essa é apenas uma infração administrativa, não configurando crime. 
 Isso porque, habilitação vencida não se equipara a falta de habilitação. 
 Se o agente dirige sem portar o documento de habilitação também será configurada mera 
infração administrativa já que é habilitado e somente não está portando o documento competente. A 
habilitação é documento de porte obrigatório para condução do veículo e a sua falta gera infração 
administrativa. 
 Na situação em que o agente não é habilitado e apresenta um documento de habilitação falsa 
ao agente público tem-se concurso de crimes: falta de habilitação + uso de documento falso. 
 
14.2. Elementar Gerando perigo de dano: 
 
Somente haverá o delito se a conduta gerar perigo de dano. 
Se o agente conduzir veículo automotor sem autorização, permissão ou com o direito de 
dirigir cassado, e sem gerar qualquer perigo, ou seja, de forma normal: trata-se somente de infração 
administrativa. 
Caso o agente conduza o veículo sem habilitação, permissão ou com o direito de dirigir 
cassado, gerando perigo de dano: é infração administrativa e crime do art. 309 do CTB. 
Isso é o que está consubstanciado na Súmula 720 do STF: \u201cO art. 309 do Código de Trânsito 
Brasileiro, que reclama decorra do fato perigo de dano, derrogou o art. 32 da lei das contravenções 
penais no tocante à direção sem habilitação em vias terrestres\u201d. 
Alguns sustentavam, antes da edição dessa súmula que era a conduta em que não há perigo 
de dano, infração administrativa + art. 32 da LCP. Houve a derrogação desse dispositivo, ou seja, a 
revogação em parte já que permanece o delito no caso de direção de embarcações públicas em águas 
públicas. 
Direito Penal IV - Código de Trânsito Brasileiro 
 
 Página 18 
 
Obs.: e se o indivíduo dirigir com o direito de dirigir suspenso ou proibido, há prática do 
delito? Observe-se que o tipo penal usa apenas a expressão cassado, não mencionando o direito de 
dirigir suspenso ou proibido. 
Essas duas condutas configuram o crime do art. 307 do CTB: 
Art. 307. Violar a suspensão ou a proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor 
imposta com fundamento neste Código: 
 Penas - detenção, de seis meses a um ano e multa, com nova imposição adicional de idêntico prazo de suspensão 
ou de proibição. 
 Parágrafo único. Nas mesmas penas incorre o condenado que deixa de entregar, no prazo estabelecido no § 1º do 
art. 293, a Permissão para Dirigir ou a Carteira de Habilitação. 
 
15. Análise do art. 310 do CTB: 
 
Art. 310. Permitir, confiar ou entregar a direção de veículo automotor a pessoa
Marcelo
Marcelo fez um comentário
de que data foi esse trabalho?
0 aprovações
Carregar mais