Lei_de_Crimes_Ambientais
34 pág.

Lei_de_Crimes_Ambientais


DisciplinaDireito Penal III5.917 materiais52.253 seguidores
Pré-visualização12 páginas
ou proprietário da área de floresta. 
 
b) Condutas: 
Direito Penal IV - Lei de Crimes Ambientais 
 
 Página 32 
 
 Destruir; 
 Sanificar; 
 Utilizar com infringências das normas de proteção \u2013 utilizar em desacordo com as 
normas ambientais. 
O crime se caracteriza, mesmo que não haja finalidade lucrativa na conduta, pois o que se 
protege é o meio ambiente. 
 
c) Objeto material do crime 
 
O tipo penal não protege qualquer floresta, mas apenas as florestas consideradas de 
preservação permanente, sejam as florestas já formadas ou aquelas em formação. 
Florestas são formações vegetais com árvores de grande porte, portanto, estão fora do 
conceito de floresta as vegetações rasteiras ou desprovidas de árvores de grande porte. Nesse 
sentido, STJ REsp 783.652. 
Florestas de preservação permanente são espécies do gênero áreas de preservação 
permanente. Temos: 
 Áreas de preservação permanente por determinação legal; 
 Áreas de preservação permanente por ato normativo do poder público federal, 
estadual, municipal ou distrital. 
As florestas de preservação permanente não são intocáveis, podendo ser destruídas ou 
danificadas, desde que haja autorização do poder executivo federal e que seja para projetos de 
utilidade pública ou interesse especial, nos termo da Lei 8.471/65. Florestas localizadas em áreas 
indígenas são todas de preservação permanente. As florestas artificiais são aquelas criadas pelo 
homem por florestamento ou por reflorestamento podem ser declaradas como florestas de 
preservação permanente. 
 
8.2.2. Análise do art. 39: 
 
 Art. 39. Cortar árvores em floresta considerada de preservação permanente, sem permissão da autoridade 
competente: 
 Pena - detenção, de um a três anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. 
 
Aplica-se a este artigo tudo o que foi dito no art. 38, mas devemos observar que o verbo aqui 
é cortar e o art. 39 não admite a modalidade culposa, diferentemente do art. 38. 
 
8.2.3. Análise do art. 41: 
 
Art. 41. Provocar incêndio em mata ou floresta: 
 Pena - reclusão, de dois a quatro anos, e multa. 
 Parágrafo único. Se o crime é culposo, a pena é de detenção de seis meses a um ano, e multa. 
 
Direito Penal IV - Lei de Crimes Ambientais 
 
 Página 33 
 
Aqui estão protegidos todos os tipos de florestas, protegidas ou não. O crime admite a forma 
culposa ou dolosa e qualquer pessoa pode ser o sujeito ativo. 
O art. 26 do Código Florestal coloca como contravenção fazer fogo em florestas sem tomas as 
precauções adequadas. Esta contravenção não se confunde com o crime do art. 41. 
Art. 41 da LCA Art. 250, § 1º, \u201ch\u201d, do CP 
Incêndio em mata ou floresta. Incêndio em mata, floresta, lavoura ou pastagem. 
Primeira corrente \u2013 o art. 250, § 1º, \u201ch\u201d, do CP continua em vigor na conduta de incêndio em ata ou 
floresta, pois este crime protege a incolumidade pública e exige a exposição a perigo da vida, 
integridade física ou patrimônio de terceiro. Já o art. 41 da LCA protege o meio ambiente e não 
exige a situação de exposição a perigo, com isso, as duas normas coexistem. Esta corrente é a 
majoritária, defendida por Capez e Bitencourt. 
Segunda corrente \u2013 o art. 250, § 1º, \u201ch\u201d, foi tacitamente revogado tacitamente, no que diz respeito 
a incêndio em mata e floresta, pelo art. 41 da LCA. É a corrente minoritária, defendida por Nucci. 
 
8.2.4. Análise do art. 55: 
 
 Art. 55. Executar pesquisa, lavra ou extração de recursos minerais sem a competente autorização, permissão, 
concessão ou licença, ou em desacordo com a obtida: 
 Pena - detenção, de seis meses a um ano, e multa. 
 Parágrafo único. Nas mesmas penas incorre quem deixa de recuperar a área pesquisada ou explorada, nos termos 
da autorização, permissão, licença, concessão ou determinação do órgão competente. 
 
Este artigo cai muito em provas. 
 
a) Conceitos: 
 
 Pesquisa \u2013 são os trabalhos necessários para a definição da jazida, sua avaliação e 
possibilidade de aproveitamento econômico. 
 Lavra - é o conjunto de operações objetivando o aproveitamento econômico da 
jazida, desde a extração até o beneficiamento dos recursos minerais. A extração é 
uma fase da lavra. 
 
b) Objeto material: 
 
São os recursos minerais, pertencentes à União. 
 
c) Elemento normativo do tipo: 
 
O elemento normativo do tipo está na expressão sem a competente autorização, permissão 
ou licença, ou em desacordo com a que existe. 
 
Art. 55 da LCA Art. 2º da Lei 8.176/91 
Direito Penal IV - Lei de Crimes Ambientais 
 
 Página 34 
 
Crime ambiental. Crime contra o patrimônio da União \u2013 crime de 
usurpação. 
Parte da doutrina entende que o art. 2º da lei 8.176/91 foi revogado tacitamente revogado pelo art. 
55 da LCA, entretanto o STJ entende o contrário, pois o crime do art. 2º protege o patrimônio da 
União, enquanto o art. 55 protege o meio ambiente. Com isso, a extração ilegal de minerais 
configura concurso de crimes \u2013 crime ambiental e concurso de crimes. O STJ entende que um crime 
não pode absorver o outro, pois têm objetos jurídicos diferentes.
Luiza
Luiza fez um comentário
está atualizada:
0 aprovações
Carregar mais