anatomia digestório
73 pág.

anatomia digestório


DisciplinaAnatomia Veterinária I6.500 materiais85.841 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Aparelho digestório 
Constituição: 
 
 - Boca 
 - Faringe 
 - Canal alimentar ( Esôfago, estômago, intestino 
 delgado e grosso e canal anal) 
 
1) Tubo digestivo 
2) Glândulas acessórias (salivares, fígado e pâncreas). 
1. Boca 
A cavidade oral e seus órgãos acessórios estão envolvidos com: 
 
 - Preensão 
 - Mastigação 
 - Insalivação 
 - Seleção 
 - Paladar 
 - Conversão do alimento em \u201cbolo\u201d, que pode ser deglutido 
1.1. Cavidade oral 
Extensão: dos lábios à orofaringe 
 Base óssea: Ossos incisivos, palatino, maxila e mandíbula 
Divisão: os dentes dividem a cav. oral em: 
 1) Vestíbulo da cav. oral 
 2) Cav. oral própria 
As duas se comunicam pelos espaços interdentários 
 
 
Limitam a rima oral (abertura para a cav. oral). 
Comissuras labiais \u2013 união entre lábios superior e inferior. 
 
 
- Papilas labiais (Ru, cão) 
1.2. Lábios 
Funções: sucção e preensão de alimento; órgãos táteis. 
Os lábios de bov e su são os menos móveis. 
1.3 Bochechas 
Formam a parede lateral da cavidade oral. 
 
Papilas bucais (Ru) 
Parte da mucosa oral unida ao periósteo dos alvéolos dentários. 
Cobrem os colos dos dentes. 
 
Pulvino dental \u2013 gengiva altamente queratinizada no local dos incisivos 
superiores de Ru. 
1.4 Gengivas 
Palato ósseo + mucosa oral (com rico plexo vascular) 
 Rugas palatinas\u2013 facilitam o deslocamento do bolo 
alimentar em direção à orofaringe 
 
Rafe palatina 
Ruminante Cavalo 
1.5 Palato duro 
Desprovido de base óssea. 
Muito longo no cavalo (dificulta respiração pela boca) 
 
1.6 Palato mole 
Fixada caudalmente pelo osso hióide. 
 
Funções: 
Participa da preensão, mastigação e deglutição 
Tomar água (car), 
Deslocamento alimento na cavidade oral, 
Sucção (lactentes), 
Fonação 
Higiene da pele (gatos, coelhos). 
 
1.7 Língua 
Língua 
Frênulo lingual \u2013 prende a 
língua ao assoalho da boca 
Tórus lingual (9) \u2013 proeminência do corpo da língua de Ru 
Língua 
Papilas linguais: 
1) Mecânicas \u2013 aumentam o atrito da superfície da língua 
 1.1 \u2013 Papilas filiformes 
 1.2 \u2013 P. cônicas 
 1.3 \u2013 P. lentiformes (no tórus lingual de Ru) 
 
Papilas filiformes 
Língua 
2) Papilas Gustativas \u2013 contém corpúsculos gustativos \u2013 receptores 
para o paladar. 
 2.2 - P. fungiformes 
 2.3 \u2013 P. valadas (par em su e eq, 2 \u2013 3 em ca, 8-17 pares em bovinos) 
 2.4 \u2013 P. Folhada \u2013 (ausente em Ru, atrofiada em car) 
Papila fungiforme (seta vermelha) 
Papila valada 
Papila folhada 
Orofaringe 
Porção da faringe pertencente ao tubo digestório. Ventral ao palato 
mole. 
Tonsilas palatinas \u2013 populares amídalas. São órgãos linfóides. 
Ausentes em suínos. 
Dentes 
Principais órgãos da mastigação. 
Refletem o perfil alimentar de um animal 
Dentes braquidontes 
. Regiões bem definidas 
 
Dentes hipsodontes 
. Em herbívoros 
. Regiões mal definidas 
Tipos de dentes: 
Anatomia do dente 
braquidonte 
Coroa 
Raiz 
Colo 
Cúspide \u2013 projeções da 
face oclusal 
Esmalte \u2013 reveste a coroa 
Dentina \u2013 componente 
mais abundante 
Cemento \u2013 reveste a raiz 
Forame apical Osso alveolar 
Polpa dentária \u2013 tec conj 
frouxo com vasos e 
nervos 
Cavidade coronal 
Canal radicular 
Gengiva 
Periodonto \u2013 tec conj denso que prende o 
dente ao alvéolo (articulação fibrosa gonfose) 
Anatomia do dente hipsodonte 
Infundíbulo do dente \u2013 invaginação do esmalte na face oclusal dos incisivos (su, eq), 
pré-molares e molares de Ru. 
Cristas do 
esmalte 
Infundíbulo do dente (preenchido por dentina) 
Não se 
diferencia 
coroa, corpo 
e colo nestes 
dentes 
Anatomia do dente hipsodonte 
Nomenclatura dos dentes 
Incisivos, caninos, pré-molares e molares 
Fórmula dentária: lista os dentes das hemi-arcadas de um antímero a 
partir do plano sagital mediano 
Ex. no cão: (42 dentes) 
 
I3 \u2013 C1 \u2013 P4 \u2013 M2 
I3 \u2013 C1 \u2013 P4 \u2013 M3 
x 2 
Crescimento do dente 
Os dentes braquidontes completam seu crescimento pouco tempo 
após a erupção (há crescimento apenas na cavidade coronal e canal 
radicular; 
Os dentes incisivos de roedores e caninos de suínos crescem por 
toda a vida. 
Os dentes pré-molares e molares de Ru e eqüídeos também 
continuam crescendo após o nascimento. 
(Em cavalos, o crescimento é de 2 \u2013 3 mm/ano para compensar o 
desgaste). 
Os dentes PM e M não desgastam sempre 
uniformemente tendo por resultado a formação 
das pontas que podem lesar a língua e mucosa 
oral. 
Dentição dos ruminantes 
0 0 3 
4 0 3 
 
0 0 3 3 
4 0 3 3 
 
Dentição 
permanente: 
Dentição decídua = 32 = 20 
\u2022Incisivos superiores substituídos 
pelo pulvino dental. 
\u2022Quatro e não 3 incisivos inferiores 
\u2022Ausência de caninos 
\u2022Pré-molares e molares continuam a 
crescer após o nascimento. 
\u2022Dentição trituradora 
Dentição dos eqüídeos 
3 1 3 
3 1 3 
 
3 1 3(4) 3 
3 1 3 3 
 
Dentição 
permanente: Dentição 
decídua 
= 40 ou 42 
= 28 
Caninos \u2013 só nos machos 
Pré-molares \u2013 o P1 superior pode estar presente, mas é rudimentar. 
Conhecido como dente lupino (dente do lobo). P1 inferior existe mas 
não entra em erupção. 
 
3 0 3(4) 3 
3 0 3 3 
= 36 ou 38 fêmea 
Mastigação - equino 
Glândulas salivares 
Funções: 
\uf0a7Umedecer o alimento e a cavidade oral 
\uf0a7Lubrificar o alimento 
\uf0a7Amaciar o alimento 
\uf0a7Gl. Parótida produz amilase que inicia a 
quebra dos carboidratos 
Glândulas salivares 
Canal alimentar 
1- esôfago 
1.1 Divisão: 
a) Parte Cervical 
b) Parte torácica 
c) Parte abdominal 
 
 Hiato esofágico: forame do diafragma atravessado pelo 
esôfago. 
 
2. Estômago 
Recebe o bolo alimentar insalivado 
Armazena-o temporariamente 
Inicia a digestão enzimática e química essencialmente 
de proteínas. 
Liberação gradual da ingesta para o intestino delgado 
Classificação quanto ao número de compartimentos: 
 
A) Estômago monocavitário (carnívoros, eqüídeos, suínos e 
humanos) 
B) Estômago pluricavitário 
 2 compartimentos nas aves 
 3 compartimentos nos pseudoruminantes (lhama, 
camelídeos, alpaca) 
 4 cavidades nos ruminantes (bovinos, ovinos, caprinos) 
Classificação histológica: 
 
A) Estômago simples \u2013 toda a mucosa é glandular (produtora de muco, HCl e enzimas). 
 Ex. Carnívoros e humanos 
 
B) Estômago composto \u2013 Parte da mucosa é aglandular (região proventricular ou 
esofágica, e o restante é glandular (regiões cárdica, fúndica e pilórica). 
 Ex. suínos, 
 eqüídeos 
 ruminantes (neste caso os três primeiros compartimentos são aglandulares). 
Equino 
Epitélio 
estratificado 
Epitélio 
simples 
cilíndrico 
Regiões da mucosa do estômago 
Parte esofágica ou 
proventricular Parte cárdica Parte fúndica 
Parte pilórica 
gato 
cão 
eqüino 
suíno 
As partes cárdica e pilórica 
secretam principalmente muco 
e a região fúndica HCl e 
pepsinogênio. 
Cães e gatos não possuem 
região esofágica no 
estômago 
Suíno 
Divertículo gástrico \u2013 bolsa achatada no fundo do estômago 
Tórus pilórico \u2013 protuberância no piloro de SU e RU. Regula a 
passagem do quimo p/ o duodeno 
Pregas gástricas \u2013 pregas da mucosa 
e submucosa do estômago vazio 
carnívoro 
Estômago do ruminante. 
Consiste de 4 compartimentos: 
Rúmen, retículo e omaso \u2013 constituem o proventrículo \u2013 são 
aglandulares e funcionam como câmara de fermentação microbiana. 
Absorvem ácidos graxos voláteis. 
O abomaso