03_-_02_-_A_verdade_-_Buscando_a_verdade
5 pág.

03_-_02_-_A_verdade_-_Buscando_a_verdade


DisciplinaLógica I9.671 materiais140.084 seguidores
Pré-visualização3 páginas
humanos e queimou livros escritos por seres humanos, pois, para ele, uma 
verdade revelada por Deus é a única verdade e tudo quanto querem e pensam os 
humanos, se for contrário à verdade divina, é erro e falsidade, crime e blasfêmia. 
Esse conflito entre verdades reveladas e verdades alcançadas pelos humanos através do 
exercício da inteligência e da razão tem sido também uma questão que preocupa a 
Filosofia, desde o surgimento do Cristianismo. Podemos conhecer as verdades divinas? 
Se não pudermos conhecê-las, seremos culpados? Mas, como seríamos culpados por não 
conhecer aquilo que nosso intelecto, por ser pequeno e menor do que o de Deus, não 
teria forças para alcançar? 
As três concepções da verdade 
Os vários exemplos que mencionamos neste capítulo indicam concepções diferentes da 
verdade. 
No caso de Mário de Andrade e Clarice Lispector, o problema da verdade está ligado ao 
ver, ao perceber. No caso de Fernando Pessoa, Carlos Drummond, Shakespeare e Orwell, 
a verdade está ligada ao dizer, ao falar, às palavras. No caso de Umberto Eco, a verdade 
está ligada ao crer, ao acreditar. 
Para a atitude natural ou dogmática, o verdadeiro é o que funciona e não surpreende. É 
\u2013 como vimos \u2013 o já sabido, o já dito e o já feito. Verdade e realidade parecem ser 
idênticas e quando essa identidade se desfaz ou se quebra, surge a incerteza que busca 
readquirir certezas. 
Para a atitude crítica ou filosófica, a verdade nasce da decisão e da deliberação de 
encontrá-la, da consciência da ignorância, do espanto, da admiração e do desejo de 
saber. Nessa busca, a Filosofia é herdeira de três grandes concepções da verdade: a do 
ver-perceber, a do falar-dizer e a do crer-confiar.