05_-_02_-_A_logica_-_Elementos_de_logica
8 pág.

05_-_02_-_A_logica_-_Elementos_de_logica


DisciplinaLógica I9.671 materiais140.083 seguidores
Pré-visualização4 páginas
A demonstração parte da definição do gênero e dos 
axiomas e postulados referentes a ele; deve provar que o gênero possui realmente os 
atributos ou predicados que a definição, os axiomas e postulados afirmam que ele possui. 
O que é essa prova? É a prova de que as espécies são os atributos ou predicados do 
gênero e são elas o objeto da conclusão do silogismo. 
Com isso, percebe-se que uma ciência possui três objetos: os axiomas e postulados, que 
fundamentam a demonstração; a definição do gênero, cuja existência não precisa nem 
deve ser demonstrada; e os atributos essenciais ou predicados essenciais do gênero, que 
são suas espécies, às quais chega a conclusão. Numa etapa seguinte, a espécie a que se 
chegou na conclusão de um silogismo torna-se gênero, do qual parte uma nova 
demonstração, e assim sucessivamente. 
Para que o silogismo científico cumpra sua função, ele deve respeitar, além das regras 
gerais do silogismo, quatro exigências relativas às suas premissas: 
1. devem ser premissas verdadeiras para todos os casos de seu sujeito; 
2. devem ser premissas essenciais, isto é, a relação entre o sujeito e o predicado deve 
ser sempre necessária, seja porque o predicado está contido na essência do sujeito (por 
exemplo, o predicado \u201clinha\u201d está contido na essência do sujeito \u201ctriângulo\u201d), seja porque 
o predicado é uma propriedade essencial do sujeito (por exemplo, o predicado \u201ccurva\u201d 
tem que estar necessariamente referido ao sujeito \u201clinha\u201d), seja porque existe uma 
relação causal entre o predicado e o sujeito (por exemplo, o predicado \u201ceqüidistantes do 
centro\u201d é a causa do sujeito \u201ccírculo\u201d, uma vez que esta é a figura geométrica cuja 
circunferência tem todos os pontos eqüidistantes do centro). Em resumo, as premissas 
devem estabelecer a inerência do predicado à essência do sujeito; 
3. devem ser premissas próprias, isto é, referem-se exclusivamente ao sujeito daquela 
ciência e de nenhuma outra. Por isso, não posso ir buscar premissas da geometria (cujo 
sujeito são as figuras) na aritmética (cujo sujeito são os números), nem as da biologia 
(cujo sujeito são os seres vivos) na astronomia (cujo sujeito são os astros), etc. Em 
outras palavras, o termo médio do silogismo científico se refere aos atributos essenciais 
dos sujeitos de uma ciência determinada e de nenhuma outra; 
4. devem ser premissas gerais, isto é, nunca devem referir-se aos indivíduos, mas aos 
gêneros e às espécies, pois o indivíduo define-se por eles e não eles pelo indivíduo. 
 
i No século XX, os lógicos afirmaram que a lógica aristotélica não deveria ser considerada 
plenamente formal porque Aristóteles não afastara por inteiro os conteúdos pensados 
para ficar apenas com a forma vazia de conteúdo. No entanto, vamos aqui manter essa 
característica para a lógica aristotélica, porque, se comparada à dialética platônica, nela 
o papel do conteúdo pensado é menor do que a forma de pensamento, estudada pelo 
filósofo.