Leitura e Producao Textual
61 pág.

Leitura e Producao Textual


DisciplinaInterpretação e Produção de Textos1.190 materiais17.979 seguidores
Pré-visualização14 páginas
e 15 deste mês, o ginásio de esportes de sua escola para 
a realização de uma campanha de doação de alimentos a crianças carentes. 
Certos de merecer sua atenção, subscrevemo-nos, atenciosamente\u201d. 
58
Leitura e Produção Textual
c) \u201cCláudia de Oliveira Melo, que atualmente ocupa o cargo de secretária, 
com exercício no Departamento de Ensino Médio, requer a V.S.ª se digne 
conceder-lhe auxílio-doença nos termos do artigo 143, do Estatuto dos 
Funcionários Públicos Civis da União\u201d. 
d) \u201cSueli Martins Silva, portadora do RG n.º....., residente e domiciliada à 
Tv. RXP, n.º 92, nesta cidade, é estudante deste estabelecimento de ensino, 
cursando atualmente o 3.º ano do Ensino Médio\u201d.
QUESTÃO 02: (CESPE 2010)
É preciso que o funcionário identifique-se como autor do ofício, devendo, 
pois, informar seu nome e o cargo que ocupa logo abaixo do local 
reservado para sua assinatura. Certo ou Errado?
QUESTÃO 03: (FCC - 2011 - TRE-RN - Analista Judiciário - Área Jud.)
Considerando-se as qualidades exigidas na redação de documentos oficiais, 
está INCORRETA a afirmativa: 
a) A concisão procura evitar excessos linguísticos que nada acrescentam 
ao objetivo imediato do documento a ser redigido, dispensando detalhes 
irrelevantes e evitando elementos de subjetividade, inapropriados ao texto 
oficial. 
b) A impessoalidade, associada ao princípio da finalidade, exige que a 
redação de um documento seja feita em nome do serviço público e tenha 
por objetivo o interesse geral dos cidadãos, não sendo permitido seu uso 
no interesse próprio ou de terceiros. 
c) Clareza e precisão são importantes na comunicação oficial e devem ser 
empregados termos de conhecimento geral, evitando-se, principalmente, a 
possibilidade de interpretações equivocadas, como na afirmativa: O Diretor 
informou ao seu secretário que os relatórios deveriam ser encaminhados 
a ele. 
d) A linguagem empregada na correspondência oficial, ainda que 
respeitando a norma culta, deve apresentar termos de acordo com a região 
e com requinte adequado à importância da função desempenhada pela 
autoridade a quem se dirige o documento. 
e) Textos oficiais devem ser redigidos de acordo com a formalidade, 
ou seja, há certos procedimentos, normas e padrões que devem ser 
respeitados com base na observância de princípios ditados pela civilidade, 
como cortesia e polidez, expressos na forma específica de tratamento.
59
 Curso de Graduação a Distância
QUESTÃO 04: (FCC/ 2010 \u2013 TRT (12ª REGIÃO \u2013 SC)
Ao se redigir um documento oficial, deve-se atentar para as seguintes 
recomendações: 
I. Praticar a concisão e a clareza, de modo a que poucas palavras possam 
trazer muita informação, não deixando dúvida quanto à significação do 
conjunto do texto. 
II. A comunicação oficial não exime o redator de manifestar claramente 
sua subjetividade, por meio de opiniões criativas e do posicionamento 
estritamente pessoal diante de uma questão. 
III. A formalidade da linguagem é uma característica imprescindível da 
redação oficial, fazendo-se notar, por exemplo, pela observância da norma 
culta e pelas formas protocolares de tratamento. 
Está correto o que consta APENAS em
 a) I. b) II. c) III. 
d) I e III. e) II e III.
QUESTÃO 05: (UNIVERSA 2010 MPE/GO)
A respeito das regras gerais de redação de correspondências oficiais, 
assinale a alternativa correta.
a) Além de atender a disposição constitucional, a forma dos atos 
normativos obedece a certa tradição. Há normas para sua elaboração que 
remontam ao período da história imperial brasileira, como, por exemplo, 
a obrigatoriedade de que se aponha, ao final desses atos, o número de 
anos transcorridos desde a Independência. Essa prática é mantida desde o 
início do período republicano até hoje. 
b) O tratamento que deve ser dado aos assuntos que constam das 
comunicações oficiais decorre de vários fatores, entre os quais se destacam 
determinadas impressões individuais de quem comunica, que só serão 
bem-vindas no texto se forem utilizadas sob a forma de alerta para o 
destinatário da mensagem, ou seja: o público, o conjunto dos cidadãos ou 
outro órgão público, do Executivo ou dos outros Poderes da União. 
c) O padrão culto não combina com a simplicidade de expressão, para não 
ser confundido com pobreza de expressão. 
d) As comunicações que partem dos órgãos públicos federais devem ser 
compreendidas por todo e qualquer cidadão brasileiro. 
e) Existe propriamente um padrão oficial de linguagem; uma vez que haverá 
preferência pelo uso de determinadas expressões ou obediência a certa 
tradição no emprego das formas sintáticas, razão por que se consagrou a 
utilização de linguagem burocrática, conhecida como o jargão burocrático.
60
Leitura e Produção Textual
QUESTÃO 06: (FUNIVERSA - 2010 \u2013 Mtur)
Acerca da comunicação oficial e comercial, assinale a alternativa incorreta. 
a) Em correspondências oficiais e comerciais (empresariais), devem ser 
evitadas expressões gastas, tais como: Solicitamos que, Com referência a 
sua correspondência, Em cumprimento a. 
b) Expressões com rodeios, floreios verbais, devem ser trocadas por suas 
correspondentes mais sintéticas, concisas. Tem-se, assim: Recebemos a 
carta, em lugar de Acusamos o recebimento da carta; Anexas, as cópias do 
contrato, em vez de Em anexo à presente, estamos enviando as cópias do 
contrato; Informamos, em substituição a Estamos, através desta, levando 
ao seu conhecimento. 
c) O adjetivo cordial, etimologicamente significa relativo ao coração; 
daí ser uma pessoa cordial considerada franca, sincera, calorosa. É por 
isso que há estudiosos que defendem a ideia de que, em cartas oficiais 
e empresariais, não se deve usar cordialmente, pois o advérbio pode ser 
recebido como afetuosamente, calorosamente, com afeto. 
d) A despedida, nas correspondências oficiais e nas empresariais, deve 
ser registrada em tom amigável, podendo ser usados fechos já bastantes 
conhecidos, como os seguintes: Atenciosamente, Respeitosamente, 
Saudações. 
e) O término da carta oficial ou da comercial deve ser feito de modo 
sóbrio. Por isso, deve-se escapar de expressões piegas, gastas, que sugerem 
adulação, melosidade, tais como: Com nossos agradecimentos sinceros, 
renovamos protestos de elevada consideração; Rogamos que V. S.ª se 
digne notificar-nos quando do recebimento desta. 
QUESTÃO 07: (FGV - 2011 - TRE-PA)
Com base no Manual de Redação da Presidência da República, analise as 
afirmativas a seguir: 
I. Em comunicações oficiais, está abolido o uso do tratamento 
digníssimo (DD), às autoridades. A dignidade é pressuposto para que se 
ocupe qualquer cargo público, sendo desnecessária sua repetida evocação. 
II. Fica dispensado o emprego do superlativo Ilustríssimo para 
as autoridades que recebem o tratamento de Vossa Senhoria e para 
particulares. É suficiente o uso do pronome de tratamento Senhor. 
III. Doutor não é forma de tratamento, e sim título acadêmico. Deve-se 
evitar usá-lo indiscriminadamente. Como regra geral, deve ser empregado 
apenas em comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal grau por 
terem concluído curso universitário de doutorado. 
61
 Curso de Graduação a Distância
Assinale:
a) se nenhuma afirmativa estiver correta. 
b) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas. 
c) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas. 
d) se todas as afirmativas estiverem corretas. 
e) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
QUESTÃO 08: (UFF - 2009 - UFF - Assistente Administrativo)
No Manual de Redação da Presidência da República está estabelecido 
um vocativo específico a ser utilizado no tratamento de comunicações 
dirigidas às autoridades. A opção em que essa relação está feita de modo 
correto é:
 a) Juiz: Vossa Excelência / Sr. Dr. Juiz; 
 b) Ministro: Vossa Magnificência /