PCI-1 - Exame físico do Escolar
20 pág.

PCI-1 - Exame físico do Escolar


DisciplinaA Crianca, A Escola e Eu20 materiais78 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO
ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY
AVALIAÇÃO FÍSICA
DO ESCOLAR
Cristiane Cardoso de Paula
*
 Exame físico
Conduta sistemática cuja função é fornecer uma orientação geral para a avaliação de cada área do corpo a fim de minimizar a omissão de partes do exame. 
deve seguir a direção céfalo-caudal.
 Etapas do exame físico
Entrevista ou anamnese 
\u201cana\u201d (trazer de volta, recordar); \u201cmnese\u201d (memória)
1) conhecimento do tipo de informação que se precisa obter
2) habilidade para extrair do examinado todas as informações
3) fidedignidade das informações
4) relação entrevistador X entrevistado
	
Enfoque do exame físico:
Medicina (a doença)
-Enfermagem (o cuidado)
*
- técnicas de obtenção: entrevista, formulário, questionário
- fatores intervenientes:
(a) Ambientais
(b) Culturais
(c) Manifestações do examinador
habilidades necessárias:
entendimento das mensagens emitidas tanto pela comunicação verbal (explícita / não explícita) como pela não verbal; 
aparência e postura profissional; 
disposição mental
considerações éticas: 
base da relação Enfermeiro-Paciente deve estar pautada em três 
princípios:
(a) Não-maleficência
(b) Beneficência
(c) Autonomia
*
COMPONENTES DA ENTREVISTA DATA / HORA
Identificação do paciente: nome, idade, sexo, cor, residência
2) Queixa principal: entre aspas e com palavras do paciente, duração
3) História da doença atual (HDA): descrever sintomas ordem cronológica e importância (local, intensidade, duração, fatores que agravam/aliviam). 
4) Medicações atuais
5) História patológica pregressa (HPP): doenças comuns da infância, alergias, infecções, cirurgias, hospitalizações, traumatismos, e outras
6) História familiar (HF): Pai e mãe, irmãos, óbitos na família e a idade, doenças familiares
7) História pessoal e social: tipo e local de moradia, saneamento básico, renda familiar, número de pessoas na casa, trabalho dos pais, cuidadores, animais domésticos, estilos de vida (tabagismo, álcool, drogas), vacinação.
8) História do desenvolvimento neuropsicomotor (marcos: motor; sensitivo; cognitivo; linguagem / rendimento escolar / interação social)
9) História alimentar (alimentos consumidos, horários e local)
*
TÉCNICAS DE EXAME
	
Inspeção é o processo de observação, para detectar as características normais ou os sinais físicos significativos. O segredo é a ATENÇÃO.
Palpação utiliza o sentido do tato. Verificação de resistência, elasticidade, rugosidade, textura e mobilidade. Pode ser superficial (1 cm) e profunda (2 a 4 cm).
Percussão vibração do corpo com as pontas dos dedos para avaliar o tamanho, as bordas e a consistência dos órgãos e descobrir líquidos nas partes corporais.
Ausculta é a audição dos sons produzidos pelo corpo.
Sons produzidos pela percussão
*
Medidas Antropométricas:
medida: \u201cmensuração\u201d
antropometria: \u201cprocesso ou técnica de mensuração do corpo humano ou de suas várias partes\u201d
Principais medidas antropométricas: 
peso, altura, perímetros
Fatores intervenientes na avaliação antropométrica: biótipo, etnia, aumento / diminuição do peso corporal
ALTURA					PESO
Medição até 2 anos: posição deitada. A partir daí: posição de pé
Variações de altura são encontradas dependendo da idade e do sexo
aferir a taragem da balança sempre antes de pesar a criança
*
Sinais Vitais:
A observação dos sinais vitais faz parte da avaliação global da criança seja qual for a enfermidade ou órgão comprometido
Sua verificação deve ser feita em intervalos de tempo regulares de acordo com a gravidade de cada caso e registrada nos gráficos de evolução
PRESSÃO ARTERIAL:
Finalidades: avaliar as condições pressóricas do sistema cardiovascular, auxiliar o diagnóstico e tratamento e acompanhar a evolução da criança
tensão arterial máxima (pressão sistólica); 
tensão arterial mínima (pressão diastólica)
escolha do manguito
*
TEMPERATURA:
Finalidades: verificar o equilíbrio entre produção e eliminação de calor; indicar atividade metabólica; auxiliar no diagnóstico e tratamento; acompanhar a evolução da criança
Locais de verificação: 
axilar: contra-indicada em casos de queimaduras do tórax, furúnculos axilares, e fraturas dos MMSS.
Hipotermia= abaixo de 36°C Normotermia= entre 36°C e 36,8°C Febrícula= entre 36,9°C e 37,4°C Estado Febril= entre 37,5°C e 38°C Febre= entre 38°C e 39°C Hipertermia= entre 39,1°C e 40°C
-oral: contra-indicada em crianças inconscientes, desorienatadas, propensas a convulsões, crianças pequenas ou bebês, após ingerir líquidos quentes / frios, mascar chicletes, fumar, crianças submetidos a cirurgia bucal ou extração dentária ou portadoras de inflamação laríngea. 
Variações normais entre 36,1°C e 37,5°C
-retal: temperatura mais precisa. Geralmente é 0,5°C mais alta do que a axilar e oral. Contra-indicada em pacientes com diarréia, cirurgias (ferimentos) retais ou de próstata recentes, ou em crianças cardiopatas
*
PULSO ARTERIAL:
Finalidades: verificar a ondulação exercida pela expansão e relaxamento das artérias resultantes dos batimentos cardíacos: 
avaliar frequência, ritmo, volume
Locais de verificação: 
periféricos (carotídeo, braquial, radial, femoral, poplíteo, tibial posterior, pediosa); 
central (pulso apical)
*
Pontos importantes a serem ressaltados em relação a anamnese:
(a) Cabeça: cefaléia, tontura, vertigem
(b) Olhos: visão, secreções, lacrimejamento
(c) Ouvidos: audição, dor, secreção
(d) Nariz: olfato, obstrução, coriza, uso de descongestionante nasal
(e) Seios da face: dor
(f) Boca: paladar, edema ou retração gengival, condições dos dentes, uso de próteses, úlceras
(g) Orofaringe: rouquidão, disfagia
(h) Pescoço: dor, rigidez, edema, gânglios
SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA DA CABEÇA E PESCOÇO:
*
textura e cor variam de acordo com a raça. 
Observar distribuição, alopécia, cor, consistência e 
característica (ralo, espesso, quebradiço, sujos, secos, oleosos, 
seborréia, caspa, lêndeas, pediculose, lesões...)
com palpação por toda extensão do crânio
- problemas comumente encontrados:
(a.1) Inflamações: foliculites, abcessos
(a.2) Pediculose: lêndeas e piolhos
(a.3) Sujidade, seborréia ou caspa
(a.4) Cabelos secos e quebradiços: alerta para condições nutricionais protéicas
COURO CABELUDO: 
*
PELE
Inspeção
Palpação
Avalie quanto a:
Cor (manchas, hiperemia, palidez, cianose, icterícia)
Textura (oleosa, seca, descamação, ...)
Temperatura
Umidade 
Turgor (elasticidade \u2013 segure a pele do abdome entre o polegar e o indicador, 
Puxando até esticar e soltando rapidamente)
Cicatriz, ferimento, hematoma, 
erupção, tumoração, bolhas, acne, pústulas, petéquisas,
prurido, escabiose (sarna), sujidade...
*
ORELHAS:
observar a formação e pele que recobre o pavilhão auricular. 
tracionar o pavilhão para cima e para trás para visualização do canal auditivo, seguindo de pressionamento da região pré-auricular para verificação de edema e dor
Problemas comumente encontrados:
- Acúmulo de cerume
- Processos inflamatórios: evidenciados pela dor à tração e compressão ou visualização através do otoscópio
*
1) inspeção com as pálpebras fechadas (exame externo e fechamento). 
2) palpação por compressão suave com polegar e indicador em pinça (verificar edema). 
3) solicita-se a criança que abra os olhos para o exame das demais estruturas (posição do globo ocular, conjuntivas, córnea, pupila). 
globo ocular: alterações, lacrimejamento, edema, dor, hiperemia, prurido, calázio - tumefação da pálpebra causada pela inflamação de uma das glândulas -, estrabismo, nistágmo - são oscilações repetidas e involuntárias rítmicas de um ou ambos os olhos -, ardor, secreção, ulcerações, blefarite \u2013 inflamação