Anatomia_Gray
30 pág.

Anatomia_Gray


DisciplinaAnatomia I29.656 materiais255.450 seguidores
Pré-visualização12 páginas
são: artéria massetérica, labial inferior, labial superior, lateral do nariz e angular.
4- Artéria Faríngea Ascendente: Parte do espaço para-faríngeo e dá ramos que vão para o pescoço e para o forame jugular. Os ramos que vão para o pescoço são: artérias pré-vertebrais e artérias para a faringe. Os ramos que vão para o forame jugular são: artéria meníngea posterior e timpânica inferior.
5- Artéria Occipital: Parte do espaço para-faríngeo e contorna medialmente o processo mastóideo do osso temporal. Ramos: esternocleidomastóideo, mastóideo, auricular, occipital e ramos terminais medial e lateral.
6- Artéria Auricular Posterior: Origina a artéria estilomastóidea.
7- Artéria Temporal Superficial: Ramo terminal da carótida externa, a artéria temporal superficial dá origem aos seguintes ramos: frontal, parietal, zigomático-orbital, transversa da face, auricular anterior e temporal média.
8- Artéria Maxilar Interna: Passa por trás do colo da mandíbula, entre a articulação temporo-mandibular e o ligamento esfeno-mandibular, cruzando a fossa infra-temporal e dirigindo-se à parte interna da mandíbula. Dá origem a ramos ascendentes, descendentes, anteriores e posteriores. Os ramos ascendentes são: artéria meníngea média, meníngea acessória, timpânica anterior, temporal profunda e temporal profunda anterior. Os ramos descendentes são: artéria bucal, alveolar inferior, massetérica, pterigóidea e palatina descendente. Os ramos anteriores são: artéria infra-orbital e alveolar. Os ramos posteriores são: artéria do canal pterigóideo e artéria palatina maior.
A artéria carótida interna irriga a região interna da cabeça. Ela não dá ramos no pescoço. Sua entrada na cavidade craniana se dá pelo canal carótico do osso temporal. Possui quatro ramos terminais e dois ramos colaterais. Ramos terminais: artéria cerebral anterior, cerebral média, coróidea anterior e comunicante posterior. Ramos colaterais: artéria oftálmica e hipofisária. Juntamente com as artérias vertebrais, a carótida interna forma o Polígono de Willis na base do cérebro e sobre o osso esfenóide. 
O espaço carotídeo contém o feixe vásculo-nervoso cervical, por onde passa a artéria carótida comum, a veia jugular interna e o nervo vago. Os limites do espaço carotídeo são: medialmente, a traquéia, ântero-medialmente, o lobo da tireóide, ântero-lateralmente, o músculo esternocleidomastóideo e, posteriormente, os processos transversos das vértebras cervicais.
A artéria angular, ramo da facial, anastomosa-se com a artéria oftálmica, formando uma anastomose entre as artérias carótida externa e interna. 
As principais veias que drenam a cabeça e o pescoço são as veias jugulares externa, interna e anterior. A veia jugular externa origina-se próximo ou até mesmo dentro da glândula parótida, pela junção das veias temporal superficial e retromandibular. Ela passa atrás do colo da mandíbula e é cruzada obliquamente pelo músculo esternocleidomastóideo no pescoço, indo terminar na veia subclávia. A veia jugular externa drena a região externa da cabeça e do pescoço e parte do sangue proveniente do cérebro. Afluentes: veias occipitais, supra-escapulares e escapulares posteriores. A veia jugular interna origina-se na região de encontro do seio sigmóide com o seio petroso inferior, passando pelo forame jugular formado pelos ossos temporal e occipital e drenando quase todo o sangue intra-craniano. 
Os afluentes da veia jugular interna são:
1- Tronco Tireolinguofaringofacial:
Veia Facial: veias nasais externas, veia labial superior, labial inferior, alveolar, parotídea, submental, palatina externa e submandibular.
Veia Lingual
Veia Faríngea 
Veia Tireoidiana Superior
2- Veias Tireóideas Médias
A veia jugular interna, em seu trajeto terminal, junta-se com a veia subclávia para formar a veia braquiocefálica. Esta, por sua vez, junta-se com a veia braquiocefálica do outro lado para formar a veia cava superior que, antes de chegar ao átrio direito, recebe ainda o sangue da veia ázigos, principal veia do sistema ázigos e que drena grande parte do dorso e das paredes do tórax e abdome. 
A veia jugular externa drena o sangue da face, do couro cabeludo e uma parte do sangue cerebral. Ela desemboca na veia subclávia ou na jugular interna.
A veia jugular anterior possui como afluentes as veias tireóideas inferiores, vertebrais e cervical profunda. Os afluentes da veia braquiocefálica direita são as veias vertebral, torácica interna, tímica, frênicas superiores, cervical profunda e ducto linfático direito. Os afluentes da veia braquiocefálica esquerda são as veias vertebral, torácica interna, tímica, frênicas superiores, tireoidiana inferior e ducto torácico. 
As artérias subclávias, de cada lado, possuem três ramificações principais. A primeira, a artéria vertebral, sobe a partir da sexta vértebra cervical através dos forames transversários e entra na cavidade craniana pelo forame magno, unindo-se à artéria vertebral do outro lado para formar a artéria basilar. A segunda ramificação da artéria subclávia, indo no sentido distal, é o tronco tíreocervical, que dá origem a quatro ramos: artéria tireóidea inferior, cervical ascendente, transversa do pescoço e supra-escapular. A terceira ramificação da subclávia é o tronco costocervical, que dá origem às artérias intercostal suprema e cervical profunda. 
A artéria subclávia também dá origem à artéria torácica interna, que sai de sua porção inferior e origina os seguintes ramos: artéria epigástrica superior, pericardiacofrênica, musculofrênica, intercostais anteriores, costais laterais e mamárias. Ao passar pela borda externa da primeira costela, a artéria subclávia passa a ser denominada artéria axilar, que percorre o espaço cervico-axilar, o qual contém a artéria subclávia, a veia subclávia e o plexo braquial. O espaço cervico-axilar, que estende-se da base do pescoço à axila, é limitado medialmente pelas três primeiras costelas, lateralmente pelo processo coracóide e a parte superior do úmero e posteriormente pela escápula. 
A artéria axilar divide-se em três partes. A primeira origina a artéria torácica suprema. A segunda parte origina as artérias tóraco-acromial e torácica lateral. A terceira parte origina a artéria subescapular, a artéria circunflexa anterior do úmero e a artéria circunflexa posterior do úmero. A artéria subescapular origina os ramos tóraco-dorsal e circunflexa da escápula. Na porção superior do úmero, a artéria axilar passa a ser denominada artéria braquial ao nível do tendão do músculo redondo maior. A artéria braquial origina a artéria profunda do braço, que possui os ramos colateral radial e colateral médio. Também são ramos da artéria braquial as artérias colaterais ulnares superior e inferior e as artérias radial e ulnar, que vão para o antebraço. 
A artéria radial origina as artérias recorrente radial, palmar superficial e cárpico-palmar. A artéria ulnar origina as artérias recorrente ulnar, interóssea comum e as artérias para os músculos do antebraço. A união da artéria palmar superficial, ramo da radial, com o ramo terminal ulnar forma o arco palmar superficial da mão. A união da artéria palmar profunda, ramo da ulnar, com o ramo terminal radial forma o arco palmar profundo da mão. O arco palmar superficial origina as artérias digitais, que vão para os dedos onde irão se anastomosar com as artérias interósseas. 
As principais veias que fazem a drenagem do membro superior são a cefálica e a basílica, ambas provenientes da região dorsal da mão. A veia cefálica é lateral enquanto que a basílica é medial. Na região do antebraço compreendida entre as veias cefálica e basílica encontra-se a veia mediana do antebraço. No cotovelo encontra-se a veia intermédia do cotovelo. A veia cefálica termina na veia axilar. A veia basílica junta-se com as veias braquiais para formar a veia axilar. A veia mediana do antebraço drena o sangue da região palmar e continua na veia intermédia do cotovelo bifurcando-se em forma de um \u201cM\u201d venoso que se comunica com
Thainá
Thainá fez um comentário
como que faz para baixar?
0 aprovações
Eva
Eva fez um comentário
Oie. Gostaria muito desse material. Pode enviar por email ? evinhagpi@hitmail.com
0 aprovações
Vinicius
Vinicius fez um comentário
cara, esse material é simplesmente fantástico!!!!
0 aprovações
Carregar mais