Aula 3 personalidade e capacidade
6 pág.

Aula 3 personalidade e capacidade


DisciplinaDireito Civil I76.399 materiais932.598 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Direito e relação jurídica 
Norma (norma agendi)
Direito subjetivo (facultas agendi)
Sujeito de direitos 
Pessoas 
Entes \u201cpersonificados\u201d ou despersonalizados
Teoria Geral do Direito Civil - Paulo Henrique de Oliveira
PERSONALIDADE E CAPACIDADE
Personalidade
Pessoas naturais 
Pessoas jurídicas
Conceito
Aptidão genérica para titularizar direitos e obrigações 
PERSONALIDADE
Início da personalidade civil
CC Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro.
Nascimento com vida 
Importância 
Método (hidrostática de Galeno ...) 
Exemplos: Falece o pai durante a gestação. Herança de 100. Deixa 3 filhos. Se nascer morto: herança 1/3 para cada filho. Se nascer com vida, mesmo que morra no momento seguinte, adquiriu personalidade, logo herança será ¼ para cada filho e ¼ para mãe herdeira.
- Direito à indenização a moral do nascituro
\u201cPersonalidade\u201d do nascituro 
Teorias 
Concepcionista 
Natalista 
Nascituro
Concebido e in utero
Proteção ao nascituro
Desde a concepção 
Condição para exercício dos direitos salvaguardados
Nascimento com vida
Alguns direitos
Alimentos
Herança 
Doação (...) 
Integridade física 
Brasil irrelevância da viabilidade
Momento: retirada do útero materno
Questões polêmicas 
Tecnologia jurídica e biodireito 
Ex.: Reprodução assistida e artificial (embriões in vitro) 
Jurisprudências relacionadas com nascituro
STF: AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. LEI DE BIOSSEGURANÇA. IMPUGNAÇÃO EM BLOCO DO ART. 5º DA LEI Nº 11.105, DE 24 DE MARÇO DE 2005 (LEI DE BIOSSEGURANÇA). PESQUISAS COM CÉLULAS-TRONCO EMBRIONÁRIAS. INEXISTÊNCIA DE VIOLAÇÃO DO DIREITO À VIDA. CONSITUCIONALIDADE DO USO DE CÉLULAS-TRONCO EMBRIONÁRIAS EM PESQUISAS CIENTÍFICAS PARA FINS TERAPÊUTICOS. DESCARACTERIZAÇÃO DO ABORTO[...] III - A PROTEÇÃO CONSTITUCIONAL DO DIREITO À VIDA E OS DIREITOS INFRACONSTITUCIONAIS DO EMBRIÃO PRÉ-IMPLANTO. O Magno Texto Federal não dispõe sobre o início da vida humana ou o preciso instante em que ela começa. Não faz de todo e qualquer estádio da vida humana um autonomizado bem jurídico, mas da vida que já é própria de uma concreta pessoa, porque nativiva (teoria "natalista", em contraposição às teorias "concepcionista" ou da "personalidade condicional"). E quando se reporta a "direitos da pessoa humana" e até dos "direitos e garantias individuais" como cláusula pétrea está falando de direitos e garantias do indivíduo-pessoa, que se faz destinatário dos direitos fundamentais "[...] Mas as três realidades não se confundem: o embrião é o embrião, o feto é o feto e a pessoa humana é a pessoa humana. Donde não existir pessoa humana embrionária, mas embrião de pessoa humana. O embrião referido na Lei de Biossegurança ("in vitro" apenas) não é uma vida a caminho de outra vida virginalmente nova, porquanto lhe faltam possibilidades de ganhar as primeiras terminações nervosas, sem as quais o ser humano não tem factibilidade como projeto de vida autônoma e irrepetível. O Direito infraconstitucional protege por modo variado cada etapa do desenvolvimento biológico do ser humano. Os momentos da vida humana anteriores ao nascimento devem ser objeto de proteção pelo direito comum. O embrião pré-implanto é um bem a ser protegido, mas não uma pessoa no sentido biográfico a que se refere a Constituição. (ADI 3510 / DF - DISTRITO FEDERAL - Relator(a): Min. AYRES BRITTO- Julgamento: 29/05/2008).
STF: ESTADO \u2013 LAICIDADE. O Brasil é uma república laica, surgindo absolutamente neutro quanto às religiões. Considerações. FETO ANENCÉFALO \u2013 INTERRUPÇÃO DA GRAVIDEZ \u2013 MULHER \u2013 LIBERDADE SEXUAL E REPRODUTIVA \u2013 SAÚDE \u2013 DIGNIDADE \u2013 AUTODETERMINAÇÃO \u2013 DIREITOS FUNDAMENTAIS \u2013 CRIME \u2013 INEXISTÊNCIA. Mostra-se inconstitucional interpretação de a interrupção da gravidez de feto anencéfalo ser conduta tipificada nos artigos 124, 126 e 128, incisos I e II, do Código Penal. (ADPF 54 /Julgamento: 12/04/2012 ).
TJSP: [...] Dano moral do filho nascituro à época dos fatos. Inquestionável sofrimento psicológico decorrente do fato de ter sido privado da possibilidade de conhecer e conviver com seu pai. Direito, ainda, da coautora, convivente com a vítima e gestante na época dos fatos. União estável reconhecida como entidade familiar pela Constituição Federal, art. 226, § 3º. Indenização por dano moral reduzida para valor correspondente a 400 salários mínimos (200 para cada autor), considerado o valor vigente na data do acórdão, com correção monetária desde a data da sentença (STJ, súmula 362). (0207398-79.1998.8.26.0100 29ª Câmara de Direito Privado - Data do julgamento: 05/06/2013 )
TJSP: [...] AÇÃO INDENIZATÓRIA - NASCITURO ILEGITIMIDADE ATIVA - Inocorrência - Inteligência do art. 2 o, do CC - Capacidade ativa, de ser parte; estar em juízo - Nascimento com vida que leva à investidura na titularidade da pretensão de direito material exposta na inicial. DIREITO DE EXPRESSÃO - ABUSO - Configuração - Uso deste que deve se dar com responsabilidade - Impossibilidade de se tentar justificar o excesso no bom uso de tal direito, sob a alegação de que apenas se pretendeu fazer humor - Agressividade contida nas palavras trazidas na vestibular que afasta se tome o dito como piada. SOBREPRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA - Comprometimento - Situação que leva ao sopesamento dos direitos envolvidos - Precedência, no caso, da dignidade da pessoa humana sobre a liberdade de expressão - Inteligência dos art. Io, inc. III; 5o, inc. IXe X; 220, § 2o; e 221, inc. I, todos da CR. DANO MORAL - Ocorrência - Indenizacàrr^\Valor que merece incremento em virtude da gravidadeÂa conduhf do réu e de suas conseqüências. Recurso de apelação improvido. Recurso adesivo ao qual se da provimento ( 0201838-05.2011.8.26.0100 - Relator(a): João Batista Vilhena - 10ª Câmara de Direito Privado -Data do julgamento: 06/11/2012 ).
Alimentos gravídicos 
Art. 2o Os alimentos de que trata esta Lei compreenderão os valores suficientes para cobrir as despesas adicionais do período de gravidez e que sejam dela decorrentes, da concepção ao parto, inclusive as referentes a alimentação especial, assistência médica e psicológica, exames complementares, internações, parto, medicamentos e demais prescrições preventivas e terapêuticas indispensáveis, a juízo do médico, além de outras que o juiz considere pertinentes. 
Art. 6o Convencido da existência de indícios da paternidade, o juiz fixará alimentos gravídicos que perdurarão até o nascimento da criança, sopesando as necessidades da parte autora e as possibilidades da parte ré. 
CAPACIDADE
Formas de Capacidade 
Medida/ requisito da personalidade 
Capacidade de direito ou de gozo 
Capacidade de fato ou exercício 
Capacidade para exercer por si atos da vida civil 
De fato ou exercício 
Graduações da capacidade
Absoluta incapazes 
Relativa incapazes 
Definição
Capacidade de direito ou de gozo 
Coincide com a personalidade
CC Art. 1o Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil.
Pessoa natural
Pessoa jurídica 
Plenamente capazes
Incapazes 
Incapacidade absoluta e incapacidade relativa 
Efeitos do enquadramento 
Absoluta 
Relativa 
Atos são nulos 
Representação 
Atos são anuláveis 
Assistência 
INCAPACIDADE ABSOLUTA (art. 3º CC) 
I - Menores de 16 anos 
Menores impúberes 
II \u2013 Os que por enfermidade ou deficiência mental não tiverem o necessário discernimento para a praticar atos da vida civil 
Elemento 
Caráter permanente, duradouro 
III \u2013 Os que, mesmo por causa transitória, não puderem exprimir sua vontade 
Elementos 
Caráter temporário
Impossibilidade total de expressar sua vontade 
INCAPACIDADE RELATIVA (art. 4º CC) 
I \u2013 Maiores de 16 e menores de 18 anos 
II \u2013 Os ébrios habituais, os viciados em tóxicos, e os que, por deficiência mental, tenham discernimento reduzido.
Menores púberes 
III \u2013 Excepcionais sem desenvolvimento mental completo
IV \u2013 Pródigos
P. Único: Índios ( Estatuto do Índio \u2013 Lei 6.001/73)