RESUMO DE TEORIA GERAL DO PROCESSO
14 pág.

RESUMO DE TEORIA GERAL DO PROCESSO


DisciplinaTeoria Geral do Processo15.746 materiais292.827 seguidores
Pré-visualização3 páginas
RESUMO DE TEORIA GERAL DO PROCESSO
AÇÃO
JURISDIÇÃO, AÇÃO E PROCESSO:
É O TRINOMIO QUE ENFEIXA (ENGLOBA) O FENÔMENO DA RESOLUÇÃO DO CONFLITO DE INTERESSES QUALIFICADO POR UMA PRETENSÃO INSATISFEITA OU RESISTIDO (LIDE) QUE SE EXERCE ATRAVÉS DE UM COMPLEXO DE ATOS (PROCESSO). 	
CONCEITO E NATUREZA JURÍDICA DA AÇÃO
É O DIREITO PÚBLICO SUBJETIVO DE DEDUZIR UMA PRETENSÃO EM JUÍZO. (NATUREZA JURÍDICA)
A AÇÃO É UM INSTRUMENTO APTO A PROVOCAR A JURISDIÇÃO. (CONCEITO).
CONDIÇÕES DA AÇÃO (REQUISITOS) ART. 485 CPC/15
ESPECÍFICAS: SÃO AQUELAS PREVISTAS PARA DETERMINADOS PROCEDIMENTOS, COMO A COISA JULGADA NA AÇÃO RESCISÓRIA E O DIREITO LÍQUIDO E CERTO NO MANDADO DE SEGURANÇA.
GENÉRICAS: ABRANGEM INCLUSIVE AS ESPECÍFICAS. SÃO PREVISTAS PARA TODOS OS PROCEDIMENTOS.
LEGITIMIDADE PARA A CAUSA: É A APTIDÃO ESPECÍFICA PARA AGIR EM JUÍZO ANTE DETERMINADA SITUAÇÃO JURÍDICA CONCRETA.
EX: MARIA AFIRMA TER SOFRIDO UM DANO, ASSIM MARIA TEM LEGITIMIDADE PARA A CAUSA, OU SEJA, MARIA É PARTE LEGÍTIMA PARA MOVER AÇÃO IDENIZATÓRIA, MAS SÓ TERÁ CAPACIDADE PROCESSUAL SE FOR MAIOR E CAPAZ.
INTERESSE PROCESSUAL OU INTERESSE DE AGIR: É CONSTITUÍDO PELO BINÔMIO UTILIDADE/NECESSIDADE.
PARA QUE HAJA INTERESSE DE AGIR DO ESTADO É PRECISO QUE O PROVIMENTO JURISDICIONAL SEJA ÚTIL A QUEM O POSTULA (REQUER). 
A PROPOSITURA DA AÇÃO SERÁ NECESSÁRIA QUANDO INDISPENSÁVEL PARA QUE O SUJEITO OBTENHA O BEM DESEJADO. SE O PUDER FAZER SEM RECORRER AO JUDICIÁRIO, NÃO HAVERÁ INTERESSE DE AGIR.
EX.: O SUJEITO QUE SOLICITA EXTRATO BANCARIO DOS ÚLTIMOS TRÊS MESES AO JUDICIÁRIO SEM TER AO MENOS IDO AO BANCO, COMO TAMBÉM, O CREDOR QUE COBRA DÍVIDA QUE NEM SEQUER ESTÁ VENCIDO O PRAZO.
ELEMENTOS DA AÇÃO
PARTES: SUJEITO ATIVO E PASSIVO (AUTOR E RÉU) 
PARTES NO SENTIDO AMPLO: JUIZ E SEUS AUXILIARES.
PEDIDO: PROVIDÊNCIA JURISDICIONAL SOBRE UMA PRETENSÃO. É O CERNE DA PETIÇÃO INICIAL. SE O AUTOR PEDIR MAL O JUIZ NÃO PODERÁ ATENDER O SEU PEDIDO. QUANDO O AUTOR INGRESSA COM A PETIÇÃO INICIAL ENTRA COM DOIS TIPOS DE PEDIDOS: 
IMEDIATO: A PROVIDÊNCIA JURISDICIONAL SOLICITADA, OU SEJA, O TIPO DE SENTENÇA (CONDENATÓRIA, DECLARATÓRIA, CONSTITUTIVA, MANDAMENTAL, EXECUTIVA LATO SENSO)
MEDIATO: É O BEM DA VIDA, OU SEJA, O RESULTADO PRATICO DO PROCESSO, EX.: PAGAMENTO NA SENTENÇA CONDENATÓRIA, DIVORCIO NA CONSTITUTIVA, NULIDADE DE CLÁUSULA NA DECLARATÓRIA, REINTEGRAÇÃO DE POSSE NA EXECUTIVA LATO SENSO.
CAUSA DE PEDIR: É A RAZÃO PELO QUAL SE VAI AO JUDICIÁRIO, É O FATO JURÍDICO QUE O AUTOR MENCIONA COMO FUNDAMENTO DA DEMANDA. (ART. 319, III - CPC)
CAUSA DE PEDIR PRÓXIMA: FUNDAMENTOS DO FATO, É O MOTIVO PELO QUAL O DIREITO ESTÁ AMEAÇADO OU FOI VIOLADO.
CAUSA DE PEDIR REMOTA: FUNDAMENTOS DO DIREITO, É A AQUILO, OU SEJA, A RELAÇÃO JURÍDICA DECORRENTE DOS FATOS QUE IMEDIATAMENTE AUTORIZA O PEDIDO.
CLASSIFICAÇÃO DAS AÇÕES CIVIS
QUANTO A NATUREZA DA RELAÇÃO JURÍDICA DISCUTIDA NO PROCESSO:
VAI LEVAR EM CONSIDERAÇÃO A NATUREZA DA RELAÇÃO JURÍDICA DISCUTIDA NO PROCESSO. SE ESSA RELAÇÃO DA NATUREZA DA RELAÇÃO JURÍDICA FOR REAL (OPONÍVEL CONTRA TODOS \u201cERGAS HOMINIS\u201d SIGNIFICA QUE A DEMANDA SERÁ REAL)
QUANTO AO PEDIDO: SEGUNDO O PEDIDO MEDIATO.
MOBILIÁRIO: QUANDO O BEM DA VIDA FOR UM BEM MÓVEL.
IMOBILIÁRIO: QUANDO O BEM DA VIDA FOR UM BEM IMÓVEL.
CUIDADO: É COMUM ASSOCIAR QUE TODA A AÇÃO IMOBILIÁRIA É REAL, ENTRETANTO ISSO NÃO É VERDADE. A AÇÃO DE DESPEJO É UMA AÇÃO PESSOAL (POIS SE FUNDA EM UM CONTRATO DE LOCAÇÃO ENTRE LOCADOR E LOCATÁRIO), E É IMOBILIÁRIA, POIS O SEU OBJETO É A RETOMADA DO IMÓVEL.
A AÇÃO REIVINDICATÓRIA, POR EX.: (QUE SE DISCUTE A PROPRIEDADE) É UMA AÇÃO REAL, ENTRETANTO PODE SER MOBILIARIA QUANDO DIZ RESPEITO A PROPRIEDADE DE UM BEM MÓVEL EX.: CARRO.
OBS.: AÇÃO REAL É AQUELA QUE TEM COMO OBJETO DO PEDIDO A TUTELA DE DIREITO REAL CUJO SIGNIFICADO É DIREITO SOBRE A COISA. AÇÃO PESSOAL É OBJETIVA QUE O AUTOR RETOME AO SEU PATRIMÔNIO O QUE LHE PERTENCE, MAS, SE ENCONTRA EM POSSE DE TERCEIRO, OU SEJA, EMBORA ORIUNDAS DE RELAÇÃO DE DIRETO PESSOAL, TEM POR FINALIDADE AQUISIÇÃO DE UM DIREITO REAL OU ESCLARECIMENTO DE DÚVIDA SOBRE UMA COISA.
QUANTO A TUTELA JURISDICIONAL PLEITEADA
ATUALMENTE AS DEMANDAS TEM ASSUMIDO NATUREZA SINCRÉTICA, OU SEJA, VAI SE A JUÍZO EM BUSCA DE UMA PROVIDÊNCIA JURISDICIONAL QUE IMPLEMENTE MAIS DE UMA FUNÇÃO (SATISFAZENDO/SEGURANDO, CERTIFICANDO/EFETIVANDO, ETC.)
FASE DE CONHECIMENTO: O JUIZ VAI CONHECER A LIDE (CERTIFICAR-SE).
AÇÃO CONDENATÓRIA: OBRIGAÇÃO DE FAZER, ENTREGAR COISA OU PAGAR QUANTIA EM DINHEIRO. AÇÃO CONDENATÓRIA FORMA TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL.
AÇÃO CONSTITUTIVA: É AQUELA QUE OBJETIVA ALÉM DA DECLARAÇÃO DO DIREITO DA PARTE, CRIAR, MODIFICAR OU EXTINGUIR UM ESTADO OU RELAÇÃO JURÍDICA MATERIAL. POSSUEM RELAÇÃO COM DIREITOS POTESTATIVOS (É O PODER CONFERIDO A ALGUÉM DE SUBMETER OUTREM À ALTERAÇÃO, CRIAÇÃO OU EXTINÇÃO DE SITUAÇÕES JURÍDICAS) O SUJEITO PASSIVO NADA DEVE, NÃO HÁ CONDUTA QUE PRECISE SER PRESTADA. EFETIVA-SE NO MUNDO DAS NORMAS, NÃO NO MUNDO DOS FATOS.
AÇÃO DECLARATÓRIA (ART. 19): É AQUELA QUE TEM POR ESCOPO CERTIFICAR A EXISTÊNCIA OU INEXISTÊNCIA DE UMA SITUAÇÃO JURÍDICA OU A AUTENTICIDADE OU FALSIDADE DE UM DOCUMENTO.
AÇÃO MERAMENTE DECLARATÓRIA: É ADMITIDA AINDA QUE TENHA OCORRIDO A VIOLAÇÃO DO DIREITO. AINDA QUE SE TRATE DE MERA DECLARAÇÃO, CABE AO DEMANDANTE DEMONSTRAR A REAL NECESSIDADE DE INTERVENÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO EM RAZÃO DA EFETIVA CONTROVÉRSIA (CONCRETA) QUE SE ESTABELECE SOBRE A EXISTÊNCIA OU INEXISTÊNCIA DA RELAÇÃO JURÍDICA, AUTENTICIDADE OU FALSIDADE DE DOCUMENTO.
FASE DE EXECUÇÃO (OU DE CUMPRIMENTO DE SENTENÇA): CONFORME JÁ ESTUDADO, SE DESTINA À FAZER CUMPRIR UMA DECISÃO JUDICIAL, (NESSE CASA TECNICAMENTE SE CHAMA CUMPRIMENTO DE SENTENÇA NO PROCESSO SINCRÉTICO) BEM COMO SIGNIFICA O PROCESSO AUTÔNOMO PREVISTO NO (ART. 771).
AÇÃO CAUTELAR (FUNÇÃO AUXILIADORA DO CONHECIMENTO E DA EXECUÇÃO): O NOVO CPC NÃO TRATA MAIS A CAUTELAR COMO UM PROCESSO PREPARATÓRIO OU INCIDENTE, SENDO AGORA ESPÉCIE DO GÊNERO. TUTELA PROVISÓRIA (ART. 294 À 311). O PROVIMENTO CAUTELAR POSSUI FINALIDADE AUXILIAR E SUBSIDIÁRIA AS FUNÇÕES DE CONHECIMENTO E DE EXECUÇÃO. OBJETIVAM ASSEGURAR O EFICAZ DESENVOLVIMENTO DAS OUTRAS DUAS FUNÇÕES.
OBS.: SABENDO QUE, COM A ENTRADA NOVO CPC OS PROCESSOS ADOTAM NATUREZA SINCRÉTICA, CHEGAMOS AO ENTENDIMENTO DE QUE O AUTOR ATRAVÉS DO EXERCÍCIO DO SEU DIREITO PÚBLICO SUBJETIVO DE AÇÃO AO MOVIMENTAR A MÁQUINA JUDICIARIA ELE PODE PLEITEAR MAIS DE UMA TUTELA JURISDICIONAL NO MESMO PROCESSO, OU SEJA, SIMULTANEAMENTE.
PROCESSO
CONCEITO
PROCESSO É UM INSTRUMENTO ELEITO PELA JURISDIÇÃO PARA PRESTAR SUA TUTELA, COM A FINALIDADE DE PACIFICAR A LIDE. 
NATUREZA JURÍDICA PROCESSUAL
PROCESSO É A RELAÇÃO JURÍDICA ENTRE AS PARTES, ESTADO, POLO ATIVO E POLO PASSIVO.
PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS
SÃO REQUISITOS FORMAIS E MATERIAIS NECESSÁRIOS AO ESTABELECIMENTO VALIDO DA RELAÇÃO PROCESSUAL, OU SEJA, SÃO EXIGÊNCIAS LEGAIS SEM CUJO O ATENDIMENTO CONDUZ A UM DESENVOLVIMENTO IRREGULAR DO PROCESSO, A RELAÇÃO JURÍDICA NÃO IRÁ SE DESENVOLVER VALIDAMENTE. IMPEDEM SE AUSENTES ANALISE DO MÉRITO PELO MAGISTRADO.
PRESSUPOSTOS DE DESENVOLVIMENTO: SÃO AQUELES A SEREM ATENDIDOS DEPOIS QUE PROCESSO SE ESTABELECER REGULARMENTE, AFIM DE QUE POSSA TER CURSO REGULAR ATÉ FINAL SENTENÇA DE MÉRITO.
PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS: RELACIONAM-SE AOS SUJEITOS DO PROCESSO, JUIZ E PARTES. EX.: COMPETÊNCIA DO JUIZ PARA A CAUSA, IMPARCIALIDADE, CAPACIDADE CIVIL DA PARTE, REPRESENTAÇÃO DE UM ADVOGADO.
PRESSUPOSTOS OBJETIVOS: FORMA PROCESSUAL ADEQUADA PRETENSÃO DO AUTOR. EX.: EXISTÊNCIA DE PROCURAÇÃO. (INSTRUMENTO DE MANDATO).
PRESSUPOSTOS DE EXISTÊNCIA: SÃO OS REQUISITOS PARA QUE A RELAÇÃO PROCESSUAL SE CONSTITUA
EXISTÊNCIA DE JURISDIÇÃO: SÃO CONSIDERADOS INEXISTENTES OS ATOS PRATICADOS POR PESSOAS NÃO INVESTIDAS DE FUNÇÃO JURISDICIONAL
EXISTÊNCIA DA DEMANDA: A JURISDIÇÃO É INERTE, PRECISA SER PROVOCADA. SEM DEMANDA NÃO A PRETENSÃO JURISDICIONAL.
CAPACIDADE POSTULATÓRIA: ATRIBUÍDA COMO REGRA GERAL, AS PESSOAS REGULARMENTE INSCRITAS NO QUADRO DA OAB.
PRESSUPOSTOS DE