A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
SLIDES AULA DLM

Pré-visualização | Página 1 de 2

UnP
1
DRENAGEM LINFÁTICA 
MANUAL
CORPORAL/FACIAL
Profª: Juliany Araújo
CST em Estética e Cosmética
Terapias Estéticas Manuais II
Sistema Linfático
Via alternativa onde os 
líquidos podem fluir dos 
espaços intersticiais 
para circulação 
sanguínea.
UnP
2
UnP
3
Fonte: http://www.proffabioborges.com.br/drenagem-linfatica-manual-por-que-funciona/
UnP
4
Sistema Linfático
 Características
 Assemelha-se ao sistema sanguíneo
 Localização superficial - Derme
 Fluxo lento – 2 a 4 contrações/min
 Paralelos ao trajeto sanguíneo
 Sistema unidirecional (de baixo para cima)
 Grande capacidade de regeneração
 Ausência de um órgão bombeador central
 Funções
 Drenar líquidos intersticiais, equilibrando os volumes de
líquido corporal - Retorno do líquido intersticial para a
circulação sanguínea
 Transportar moléculas de maior tamanho - proteínas,
nutrientes e resíduos metabólicos
 Transportar lipídeos dietéticos do trato gastro intestinal
– moléculas de gordura são carreadas
 Proteger o corpo através de resposta imune contra
invasão de patógenos
Sistema Linfático
UnP
5
Publicado em Janeiro, 2009.
A drenagem linfática não 
é somente uma questão 
de ÉSTÉTICA, mas também 
de SAÚDE.
UnP
6
Trajeto da linfa
Capilares Linfáticos
 Delicados e transparentes
 São altamente permeáveis
 Captam o líquido intersticial
 Filamentos de Ancoragem: Se abrem e
permitem a passagem do líquido do
meio extra (externo) para o intra
(interno).
UnP
7
Vasos Linfáticos
 Confluência de vários capilares linfáticos
 Presença de válvulas que impedem o refluxo da linfa
 Drenam a linfa em direção aos linfonodos – Vasos
aferentes (chegam ao linfonodo) e Vasos eferentes (Saem do
linfonodo)
 Linfangion: Unidade contrátil, situada a cada par de
válvula e sua função é impulsionar a linfa -
contração autônoma e rítmica – 6 a 7 vezes por
minuto
Vasos Linfáticos com as Válvulas Unidirecionais
UnP
8
Linfonodos ou gânglios linfáticos
 Nº de 600 a 700 no corpo humano
 Função: filtrar a linfa e defesa do organismo - Agem como filtro e
barreira aos microrganismos, toxinas e substâncias estranhas
 Principais Linfonodos: supraclaviculares, infraclaviculares*, cervicais,
submentonianos, submandibulares, pré-auriculares, retro ou pós-
auriculares, occipitais, axilares, cubitais, punhos, inguinais, poplíteos,
retromaleolares.
Linfonodos ou gânglios linfáticos
UnP
9
Linfonodo infartado ou “íngua”
Correspondem a ¼ (25%) dos linfonodos do corpo.
Linfonodos ou gânglios linfáticos
UnP
10
Principais linfonodos do corpo: Supraclaviculares, Infraclaviculares, 
Axilares, Cubitais, punhos, Inguinais, Poplíteos, Retromaleolares
 Porção final que desemboca no sistema venoso a linfa
captada pelo corpo
 Recebem a linfa proveniente de todo o corpo
 Desemboca na circulação sanguínea distribuindo as
vitaminas e minerais, e eliminando as toxinas pelas vias de
excreção: fezes/urina.
Ductos linfáticos
UnP
11
Ducto Torácico
de maior tamanho (mede de 38 a 45 cm)
Desemboca no ângulo venoso esquerdo 
(veia subclávia esq. + veia jugular interna 
esq.) Recebe a linfa dos MMII + MSE + 
hemitronco esq. + metade esq. da cabeça 
e pescoço
Ducto Linfático direito
de menor tamanho (mede 1,25 cm)
Desemboca no ângulo venoso direito (veia 
subclávia dir. + veia jugular interna dir.) 
Recebe a linfa dos MSD + hemitronco dir. + 
metade dir. da cabeça e pescoço
Ductos linfáticos
 É o líquido intersticial filtrado que penetra nos
capilares linfáticos
 Líquido claro, transparente e incolor com
composição semelhante ao plasma sanguíneo
 Circulam cerca de 2 a 5 litros/dia no corpo
Linfa
UnP
12
Formação da linfa
Equilíbrio de Starling
Pressão Hidrostática: Pressão que os líquidos exercem no capilar.
Pressão Oncótica: Pressão que as proteínas plasmáticas (hidrofílicas) exercem dentro do capilar.
 Filtração
 Reabsorção
EDEMA
UnP
13
Condição favorável:
 Pressão sanguínea,  Pressão hidrostática,  Reabsorção,  Filtração,
 Edema e  Sobrecarga do sistema linfática (lento) que irá favorecer a
eliminação do líquido em excesso.
 Pressão oncótica,  Filtração,  Edema e  Sobrecarga do sistema
linfática (lento) que irá favorecer a eliminação do líquido em excesso.
O objetivo da 
drenagem linfática 
manual é...
Otimizar o fluxo linfático, eliminando 
o líquido que está em excesso, 
favorecendo a liberação de 
substâncias tóxicas para fora do 
organismo.
UnP
14
Rev.Saúde.Com, 2015.
Publicação em Junho, 2012.
UnP
15
Drenagem Linfática Manual
Fatores que impulsionam a linfa
 Pulsação das artérias 
 Ação da musculatura estriada 
 Atividades do peristaltismo intestinal 
 Movimentos respiratórios 
 Outros fatores: Drenagem Linfática Manual, 
Exercício físico, Gravidade (elevação dos MMII)
Drenagem Linfática Manual
 Indicações da DLM
 Edemas
 Auxílio aos ttos corporais - Fibro Edema Gelóide
(Celulite)/Gordura Localizada
 Tratamento de Pré e pós-cirurgia plástica
 Olheiras ou edemas palpebrais
 Tratamento de Acne ( da congestão do tecido)
 Gestação
 Relaxamento
UnP
16
Drenagem Linfática Manual
 Benefícios gerais
 ↓ Edema
 ↑ Captação de oxigênio pelos tecidos
 ↑ Nutrição celular e hidratação pelo
aumento do aporte sanguíneo
 ↑ Reabsorção de equimoses hematomas
 Eliminação de metabólitos (toxinas) do
organismo
 Ativação do sistema imunológico
Drenagem Linfática Manual
 Quanto à execução da massagem
 Sentido linfa → proximal-medial-distal
 Manobra: Deslizamento 
 Mínimo de repetição das zonas: 3X
 Ritmo lento, pausado e repetitivo
 Não causar eritemas ou dor
UnP
17
Drenagem Linfática Manual
Outras considerações importantes
 A pressão da DLM no tecido é ± 40mmHg
(milímetros de mercúrio)
 Obs: A pressão da massagem clássica, varia de 70
a 80 mmHg
 Com uma pressão correta, consegue-se ativar a
drenagem da linfa sem ativar a irrigação
sanguínea, que produziria um aumento na
reabsorção e filtração para os tecidos,
ocasionando o edema ou piora dessa condição.
Drenagem Linfática Manual
• Câncer (em tto);
• Processos infecciosos e 
inflamatórios agudos; 
• Estados febris;
• Trombose;
• Tuberculose;
• Insuficiência renal;
• Edemas sistêmicos;
• Hipertireoidismo;
• Insuficiência cardíaca 
descompensada, 
hipertensão;
• Hipotensão arterial;
• Alguns problemas de 
pele;
• Gravidez de alto risco.
 Contraindicações
UnP
18
Associação com a DLM – RA GODOY
Publicação em Outubro, 2005
UnP
19
 DLM a partir do 2º trimestre de gestação (liberação médica).
 Evitar o decúbito dorsal por períodos superiores a 30 min. Se
ultrapassar esse tempo pode eventualmente ocorrer desmaio, pois o
abdome comprime a aorta e a veia cava inferior, comprometendo o
retorno venoso.
 Colocar elevação atrás da cabeça e abaixo do joelho.
 Na região abdominal apenas fazer alisamento para não haver estímulo
de contração uterina.
 Para drenar região de costas pode-se colocar a gestante em decúbito
lateral com encosto entre as pernas e travesseiro abaixo da cabeça ou
colocá-la sentada em uma cadeira.
DLM em gestantes
UnP
20
Resumo
Introdução: A drenagem linfática é o tratamento estético mais indicado
para a gestante. É uma massagem suave e lenta, que ajuda a reduzir a
retenção de líquidos no corpo e diminuir os inchaços típicos da gestação.
Auxilia na ativação da circulação e combate celulite e estrias. O profissional
pressiona as mãos por todo o corpo, direcionando o excesso de líquido
para os gânglios