A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
37 pág.
Atenção básica na saúde da mulher

Pré-visualização | Página 1 de 2

Prof: Carolina Cunha e Douglas Monteiro
Introdução
 Mulheres: 
Maioria da população brasileira (50,77%)
Principais usuárias do SUS
Frequentam os serviços de saúde para o seu próprio
atendimento mas, sobretudo, acompanhando crianças
e outros familiares, pessoas idosas, com deficiência,
vizinhos, amigos.
Introdução
Saúde
Meio 
ambiente
Lazer
Alimentação
Condições de 
trabalho/renda
Moradia
Atividades 
domésticas
Discriminação 
no trabalho
Introdução 
 Mulheres:
Vivem mais que os homens, mas adoecem com mais 
frequencia
Número que vivem na pobreza é maior que os homens
Trabalham durante mais horas do que os homens e
que, pelo menos, metade do seu tempo é gasto em
atividades não remuneradas, o que diminui o seu
acesso aos bens sociais, inclusive aos serviços de saúde.
Histórico
 Século XX (30,50 e 80): políticas de saúde da mulher 
incorporadas – gestação e parto.
Mulher  atividades domésticas – criação e educação
dos filhos
 Modelo de programa criticado pelas feministas
Histórico
 Mudança na relação social entre homens e mulheres
Alterações na política de saúde da mulher
Histórico
 1984 - Programa de Assistência Integral à Saúde da
Mulher (PAISM)
 Proposta das diretrizes do SUS
PAISM
 Ações educativas/preventivas; 
 Diagnóstico, tratamento e recuperação:
 Assistência à mulher em clínica ginecológica, no pré-
natal, parto e puerpério, no climatério, em
planejamento familiar, DST, câncer de colo de útero e
de mama, além de outras necessidades.
Histórico
 2003
Atenção à mulheres:
rurais, com deficiência, negras, indígenas, presidiárias
e lésbicas e a participação nas discussões e atividades
sobre saúde da mulher e meio ambiente.
Situação Sociodemográfica
 Diminuição da mortalidade geral
 Diminuição da taxa de fecundidade  5,8 filhos por
mulher em 1970, para 2,3 em 2000
 População mais velha e diminuição do número de
jovens
Quais as consequências para o setor de Saúde???
Situação Sociodemográfica
 Política de Atenção Integral à Saúde da Mulher:
população feminina acima dos 10 anos de idade.
 Mulheres em idade reprodutiva, ou seja, de 10 a 49
anos, representam 65% do total da população
feminina, conformando um segmento social
importante para a elaboração das políticas de saúde.
Situações Sociodemográficas
 2002
 População feminina ocupada concentra-se nas classes
de rendimento mais baixas – 71,3% das mulheres que
trabalham ganham até dois salários mínimos, contra
55,1% dos homens, e a desigualdade salarial aumenta
conforme a remuneração.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Estatísticas de mortalidade  situação das condições de
saúde
 Principais causas de morte:
- doenças cardiovasculares (infarto agudo do miocárdio e o
acidente vascular cerebral);
- Neoplasias (câncer de mama, de pulmão e o de colo do
útero);
- Doenças do aparelho respiratório,
- Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas, com
destaque para o diabetes;
- Causas externas
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Mortalidade materna
Indicador importante de saúde
 Principais causas da mortalidade materna:
- hipertensão arterial, as hemorragias, a infecção
puerperal e o aborto, todas evitáveis.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Precariedade da Atenção Obstétrica:
Menor cobertura de assistência – região nordeste
(75%) e maior no estado do Rio de Janeiro (96%)
Apesar do aumento do número de consultas de pré-
natal, a qualidade dessa assistência é precária.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Assistência ao parto:
A maioria dos partos é realizada em ambiente
hospitalar;
Muitas regiões do País, especialmente nas zonas
rurais, ribeirinhas e lugares mais distantes, a única
opção que existe para a mulher é o parto domiciliar
assistido por parteiras tradicionais.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Assistência ao parto;
Parteiras tradicionais encontram dificuldades – atuam
de forma isolada
A maioria dos partos domiciliares ocorre em condições
precárias e não são notificados aos sistemas de
informação em saúde.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Abortamento em situações de risco:
Situação de ilegalidade na qual o aborto é realizado no
Brasil afeta a existência de estatísticas confiáveis;
O aborto realizado em condições de risco
freqüentemente é acompanhado de complicações
severas
Complicações imediatas mais freqüentes são:
perfuração do útero, hemorragia e a infecção, que
podem levar a graus distintos de morbidade e
mortalidade
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Aborto realizado em condições inseguras -
discriminação e preconceito nos serviços de saúde:
Retardo do atendimento, na falta de interesse das
equipes em escutar e orientar as mulheres ou mesmo
na discriminação explícita com palavras e atitudes
condenatórias e preconceituosas.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Precária assistência na contracepção:
Métodos mais comuns: laqueadura tubária e pílula
 Pouca expressividade em outros tipos de
contracepção: métodos hormonais injetáveis 1,2%,
condom 4,4%, esterilização masculina 2,6%, DIU 1,1%,
métodos naturais e outros 6,6%
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Planejamento familiar:
Inclusão dos homens e adolescentes nas ações de
planejamento familiar limitam-se a experiências
isoladas de alguns serviços ou organizações não-
governamentais.
Poucos serviços oferecem atenção à saúde sexual e
reprodutiva dos adolescentes
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Gravidez na adolescência:
- A fecundidade no grupo de 15 a 19 anos de idade vem
aumentando ;
- Regiões mais pobres, áreas rurais e na população com
menor escolaridade;
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 DST/AIDS
São consideradas, atualmente, o principal fator
facilitador da transmissão sexual do HIV;
Algumas, quando não diagnosticadas e tratadas a
tempo, podem evoluir para complicações graves e até
mesmo para o óbito;
 Durante a gestação, algumas podem ser transmitidas
ao feto
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 DST/AIDS
 Complicações:
- Doença inflamatória pélvica (DIP)  infertilidade, dor
crônica, gravidez ectópica  mortalidade materna
associada
- Câncer de colo uterino HPV
- Imunodeficiência infecção por HIV
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Violência doméstica e sexual:
 É um dos principais indicadores da discriminação de
gênero contra a mulher.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Violência doméstica e sexual
 Problemas de saúde: dores ou desconforto severo,
problemas de concentração e tontura. Fatores comuns
- tentativa de suicídio e maior freqüência do uso do
álcool.
 A atenção às mulheres em situação de violência
apresenta uma tendência progressiva de expansão nos
últimos quatro anos.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Climatério e Menopausa
Climatério  é a fase de transição entre o período
reprodutivo e o não reprodutivo da vida da mulher
Menopausa  é um marco dessa fase, correspondendo
ao último período menstrual, somente reconhecida
após passados 12 meses da sua ocorrência.
Diagnóstico da situação de saúde 
da mulher
 Climatério e Menopausa
Discriminação pela idade cronológica:
Numa sociedade patriarcal, em que juventude e beleza
são relacionadas ao sucesso, entrar na “meia idade”
pode trazer, para muitas mulheres, a impressão de que
“tudo acabou”.
Nessa época da vida, também pode ocorrer
aposentadoria, separação do casal ou morte do(a)
companheiro(a) e a saída dos filhos de casa, que
contribuem para a sensação do