Avaliando o Aprendizado de 1 a 10
26 pág.

Avaliando o Aprendizado de 1 a 10


DisciplinaHistória dos Povos Indígenas e Afro-descendentes1.827 materiais9.523 seguidores
Pré-visualização7 páginas
da violência na repressão aos movimentos africanos. Naquilo que se refere aos movimentos indígenas sempre houve a negociação por parte da metrópole.
	 
	Se por um lado, a colonização portuguesa combateu os movimentos indígenas e africanos de resistência à escravidão, também buscou negociar e pactuar acordos de convivência com esses elementos.
	
	A existência da escravidão na colonização portuguesa da América é um dado que vem sendo desmentido pela historiografia mais recente a respeito do período.
	
	As relações entre a colonização portuguesa e os movimentos anti-escravistas foi marcada única e exclusivamente pela repressão.
	
	 Gabarito Comentado
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201502269498)
	 Fórum de Dúvidas (2 de 4)       Saiba  (1 de 1)
	
	Marque entre as opções abaixo aquela que apresenta um exemplo de rebelião indígena contra a escravidão.
		
	
	Inconfidência Mineira.
	
	Quilombo de Palmares.
	 
	Confederação dos Tamoios.
	
	Revolta de Vila Rica.
	
	Guerra de Canudos.
	
	 Gabarito Comentado
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201502189560)
	 Fórum de Dúvidas (2 de 4)       Saiba  (1 de 1)
	
	"Em 1711, Antonil afirmava que os escravos eram as mãos e os pés dos senhores de engenho, porque, sem eles no Brasil, não é possível conservar, aumentar fazenda nem ter engenho corrente" Antonil - "Cultura e Opulência do Brasil" Sobre o trabalho e a resistência do negro à escravidão, é correto afirmar que:
		
	
	a escravidão no Brasil se revestiu de grande tolerância, mestiçagem e grandes oportunidades de ascensão social para o negro após a abolição;
	
	o negro só foi utilizado como mão-de-obra para a economia açucareira, não participando da mineração ou criação de gado que usaram, prioritariamente, trabalhadores livres;
	 
	o engenho tinha no escravo negro a base de toda a produção; qualquer reação era punida violentamente. As fugas, os quilombos e a prática do suicídio eram evidências da resistência dos negros à escravidão;
	
	o negro era submisso, resignado, não reagia à escravidão, ao contrário dos indígenas; o tráfico negreiro não tinha importância para a economia da metrópole.
	
	os escravos negros constituíam uma minoria nos canaviais, já que índios e trabalhadores livres eram responsáveis pelas plantations açucareiras;
	
	
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201502248396)
	 Fórum de Dúvidas (2 de 4)       Saiba  (1 de 1)
	
	Entre as opções abaixo, assinale aquela que apresenta um exemplo de revolta negra contra a escravidão que aconteceu no Brasil.
		
	 
	Revolta dos Malês.
	
	Inconfidência Mineira.
	
	Revolução Pernambucana.
	
	Revolta de Tupac Amaru.
	
	Revolta Haitiana.
	
	
	
	
	
	
	
	 1a Questão (Ref.: 201502186738)
	 Fórum de Dúvidas (4)       Saiba  (0)
	
	"Enfim, em finais do século XIX , se a primeira vista a noção de evolução surgia como um conceito que parecia apagar diferenças e oposições, na prática reforçou perspectivas opostas: de um lado os evolucionistas sociais, que reafirmavam a existência de hierarquias entre os homens, porém acreditavam numa unidade fundamental entre estes; de outro os darwinistas sociais, que entendiam a diferença entre as raças como uma questão essencial". Lilia Schwarcz. "Usos e Abusos da Mestiçagem e da Raça no Brasil". Sobre as noções de evolução humana de fins do século XIX é correto afirmar que:
		
	 
	Todas as teorias desenvolvidas defendiam a existência de raças humanas que ocupavam lugares distintos da escala evolutiva
	
	Todas as teorias desenvolvidas defendiam a existência de raças humanas com origens múltiplas.
	
	Todas as anteriores.
	
	Todas as teorias desenvolvidas defendiam a existência de uma única raça, composta pos etnias distintas.
	
	Todas as teorias desenvolvidas defendiam a existência de raças humanas que haviam evoluído a partir de uma única matriz.
	
	
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201502186743)
	 Fórum de Dúvidas (4)       Saiba  (0)
	
	Dentro do contexto da formulação das teorias racialistas do século XIX, o Indianismo é um movimento que pode ser entendido como:
		
	
	Uma crítica ferranha às teorias evolucionistas, pois o movimento enlatecia a figura do índio.
	 
	A forma por meio da qual a elite brasileira conseguiu criar um herói nacional que representasse o ideal do brasileiro ao mesmo tempo em que não apresentava perigos políticos.
	
	Um movimento literário que estava preocupado em recuperar as práticas e costumes indígenas.
	
	Um movimento artístico que considerava o indio como a raça mais forte e superior do Brasil recém-construído.
	
	A forma por meio da qual a elite brasileira tentou recuperar a imagem do índio, tão desgastada pelo passado colonial.
	
	 Gabarito Comentado
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201502624040)
	 Fórum de Dúvidas (4)       Saiba  (0)
	
	Marque entre as opções abaixo aquela que apresenta o nome de dois autores que se dedicaram a refletir sobre a presença da cultura africana na identidade social brasileira.
		
	
	Sérgio Buarque de Holanda e Caio Prado Jr.
	 
	Gilberto Freyre e Nina Rodrigues.
	
	Caio Prado Jr e Gilberto Freyre.
	
	Nina Rodrigues e Roquette Pinto.
	
	Von Martius e Nina Rodrigues.
	
	
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201502645225)
	 Fórum de Dúvidas (4)       Saiba  (0)
	
	Assinale a alternativa que APRESENTA os principais grupos (ou matrizes) raciais que compõem o "brasileiro", de acordo com Gilberto Freyre.
		
	
	Português, mouro e indígena.
	 
	Negro, indígena e europeu.
	
	Português, inglês e negro.
	
	Mouro, indígena e africano.
	 
	Português, indígena e negro.
	
	
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201502204130)
	 Fórum de Dúvidas (4)       Saiba  (0)
	
	Nova ciência consiste no conhecer as causas explicativas da decadência ou levantamento das raças, visando à perfectibilidade da espécie humana, não só no que respeita ao físico como ao intelectual. Os métodos têm por objetivo o cruzamento dos sãos, procurando educar o instinto sexual. Impedir a reprodução dos defeituosos que transmitem taras aos descendentes. Fazer exames preventivos pelos quais se determina a sífilis, a tuberculose e o alcoolismo, trindade provocadora da degeneração. Nesses termos, a eugenia não é outra coisa senão o esforço para obter uma raça pura e forte. Os nossos males provieram do povoamento, para tanto basta sanear o que não nos pertence. (Artigo do Dr. João Henrique, na revista Brazil Médico, em 1918. In: Negro e Negritude ¿ coord. Zilda Iokoi.) O texto acima vincula-se à concepção de que
		
	
	a imigração européia traria o branqueamento da população brasileira, minimizando a ideologia racista e o cientificismo.
	
	o saneamento básico era indispensável à evolução da sociedade, pois acabaria com as diferenças e a degeneração das raças.
	
	a pobreza e a inferioridade das raças resultavam do precário desenvolvimento científico do país, negando a eugenia.
	 
	o atraso do país era resultante da miscigenação étnica, devendo-se, portanto, fortalecer o ideal de uma raça pura.
	
	a ciência, em especial a medicina, era determinante para a eliminação da desigualdade social e econômica das raças.
	
	 Gabarito Comentado
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201502695986)
	 Fórum de Dúvidas (4)       Saiba  (0)
	
	No século XIX o conceito de raça começa a ser definido e debatido. Dois grupos distintos se destacam nesse cenário de debates sobre a origem da humanidade: os monogenista e os poligenistas. Dos poligenistas, que escreviam baseados nas novas descobertas científicas, surgiram vários ramos de estudos que através da ciência buscaram provar as diferenças e a superioridade de um grupo sobre outro. Dentre esses